275 - Bradiarritmias: Distúrbios do Nódulo AV Flashcards Preview

(Cardio - 2017 COPY) > 275 - Bradiarritmias: Distúrbios do Nódulo AV > Flashcards

Flashcards in 275 - Bradiarritmias: Distúrbios do Nódulo AV Deck (73):
1

Quais são algumas características electrofisiológicas do nódulo AV?

- Potencial de repouso mais despolarizado
- Fase 0 mais lenta (Corrente de Ca2+ ao invés de corrente de Na+)
- Fase 4 de despolarização diastólica

2

Qual é a percentagem de jovens adultos que tem um bloqueio transitório do AV?

10% dos jovens adultos, muito provavelmente devido ao elevado tonus vagal

3

A instalação de um ______________ _________________ é a única forma confiável de tratamento para os sintomas resultante do BAV

A instalação de um PACEMAKER PERMANENTE é a única forma confiável de tratamento para os sintomas resultante do BAV

4

O BAV é a causa de implantação de pacemaker permanente de __% de todos os pacemakers implantados nos EUA e ___ -___% na Europa

O BAV é a causa de implantação de pacemaker permanente de 50% de todos os pacemakers implantados nos EUA e 70 - 80% na Europa

5

Ao contrário do nódulo SA, o nódulo AV tem uma localização __________.

Subendocárdica

6

V ou F

O feixe AV encontra-se em estreita proximidade com os orifícios das válvulas aórticas, mitral e tricúspide

V

7

O nódulo AV situa-se no vértice do triângulo de Koch, cujos limites são:

-  Posteriormente: Óstio do seio coronário
-  Anteriormente: Anel septal da válvula tricúspide
- Superiormente: Tendão de Todaro

8

Como é feita a irrigação da porção penetrante do feixe AV?

- A. do nódulo AV e 1ª perfurante septal da A. Coronária descendente anterior esquerda

9

Como é feita a irrigação dos ramos do feixe de His?

- Perfurantes septais da A. Coronária descendente anterior esquerda
- Ramos da coronária descendente posterior

10

O nódulo AV é altamente inervado por que nervos?

Nervos simpáticos pós ganglionares e parassimpáticos

Já os ramos do feixe de His e sistema de condução distal são MINIMAMENTE influenciados pelo tónus autonómico

11

V ou F

O feixe de His e os seus ramos são o local onde há a condução mais rápida do coração

V

12

Propriedades electrofisiológicas do feixe de His

1.  Fase 0 muito rápida
2.  Plateau prolongado (Fase 2)
3.  Automaticidade modesta (fase 4)
4.  ↑gap junctions (+conexina-40)

13

As causas funcionais de BAV (autonómicas, metabólica/endócrinas e farmacológicas) tendem a ser _________ (reversíveis/irreversiveis)

Reversíveis

14

As etiologias de BAV que promovem alterações estruturais, tipicamente __________, em segmentos do eixo de condução AV são geralmente ___________________ (transitórias/permanente).

As etiologias de BAV que promovem alterações estruturais, tipicamente FIBROSE, em segmentos do eixo de condução AV são geralmente PERMANENTES.

15

O tónus vagal exacerbado durante o sono ou em indivíduos bem-condicionados fisicamente pode estar associado a todos os graus de BAV. V ou F?

V

16

A doença de Lyme atinge o coração em até ___% dos casos; ___% desenvolvem BAV, geralmente ______________ (reversível/irreversivel), mas que pode necessitar de pacemaker temporário

A doença de Lyme atinge o coração em até 50% dos casos; 10% desenvolvem BAV, geralmente REVERSÍVEL, mas que pode necessitar de pacemaker temporário

17

V ou F

A doença de Chagas e a sífilis produzem alterações da condução AV mais reversíveis comparativamente com a doença de Lyme

F

A doença de Chagas e a sífilis produzem alterações da condução AV mais PERSISTENTES comparativamente com a doença de Lyme

18

V ou F

Fibrose progressiva idiopática é uma das causas degenerativas mais comuns de BAV

V

19

Que factores podem acelerar a esclerose do esqueleto cardíaco esquerdo?

Aterosclerose, HTA e DM

Esta alteração degenerativa costuma ter início pela 4ª década de vida

20

Formas aceleradas de bloqueio cardíaco familiar progressivo tem sido identificadas em famílias com mutações no gene do canal de sódio cardíaco ________ e noutros loci identificados no Cr __ e ___

Formas aceleradas de bloqueio cardíaco familiar progressivo tem sido identificadas em famílias com mutações no gene do canal de sódio cardíaco SCN5A e noutros loci identificados no Cr 1 e 19

NOTA: na tabela de etiologias de BAV, estas mutações estão associadas aos loci no Cr 3 e 19

21

Tem-se observado BAV congénito em crianças com coração estruturalmente normal, nascidas de mães com que doença?

LES

22

O bloqueio AV congénito pode ser observado em algumas anomalias congénitas cardíacas, como...

- Transposição dos grandes vasos
- Defeitos do septo auricular (tipo ostium primum)
- Defeitos do septo ventricular
- Defeitos do cushing endocárdico
- Defeitos únicos do ventrículo

23

V ou F

O BAV é uma complicação comum da reparação cirúrgica dos defeitos do septo auricular e ventricular

F

O BAV é uma complicação RARA da reparação cirúrgica dos defeitos do septo auricular e ventricular

24

A DAC pode estar associada a BAV ____________ e persistente

A DAC pode estar associada a BAV TRANSITÓRIO e persistente

25

Em que contexto particular é que o espasmo ou isquémia de uma artéria coronária pode levar ao BAV transitório?

Espasmo ou estenose na distribuição da artéria coronária direita

26

No EAM, o BAV transitório surge em ___-___% dos pacientes

No EAM, o BAV transitório surge em 10-25% dos pacientes

Mais comummente na forma de BAV de 1° ou 2° grau

27

BAV ≥2ºgrau tendem a ocorrer com maior frequência nos EAM ______________ (anteriores/inferiores) do que nos _______________ (anteriores/inferiores).

BAV ≥2ºgrau tendem a ocorrer com maior frequência nos EAM INFERIORES do que nos ANTERIORES

28

V ou F

O nível do bloqueio do EAM inferior tende a ser ao nível do nódulo AV, o que dá origem a ritmos de escape instáveis com complexo alargado e em pior prognósVco com mortalidade elevada

F

O nível do bloqueio do EAM inferior tende a ser ao nível do nódulo AV, o que dá origem a ritmos de escape mais estáveis com complexo estreito

29

V ou F

O EAM anterior está associado a bloqueio a um nível mais distal do complexo modal AV, feixe de His ou os seus ramos, resultando em ritmos de escape instáveis com complexo alargado e em pior prognóstico com mortalidade elevada

V

30

O BAV de primeiro grau caracteriza-se por um intervalo PR superior a _____ ms.

200 ms

31

Qual é o nível habitual em que se dá o BAV de 1° grau?

Tipicamente ao nível do nódulo AV, mas pode ser nas aurículas, Feixe de His e Sistema Purkinje

32

Um QRS alargado indica um atraso na condução _____ (proximal/distal), enquanto que um QRS estreito indica atraso no próprio nódulo ________ (SA/AV), ou mais raramente ao nível do feixe de His

Um QRS alargado indica um atraso na condução DISTAL, enquanto que um QRS estreito indica atraso no próprio NÓDULO AV, ou mais raramente ao nível do feixe de His

33

No BAV de 2° grau existe uma falha intermitente na condução do impulso das _______ para os _______.

Falha intermitente na condução do impulso das aurículas para os ventrículos

34

O BAV é normalmente diagnosticado através do ECG, que permite o diagnóstico, caracterização da gravidade e localização do BAV. V ou F?

V

35

Características do BAV de 2° grau Mobitz tipo I/Wenckebach

•  ↑ progressivo PR
•  ↓ progressivo do R-R
•  Pausa menor que 2X o intervalo R-R precedente
•  Após a pausa, PR inferior ao PR precedente

36

O padrão electrocardiográfico do BAV Mobitz tipo I surge por condução decremental dos impulsos elétricos no ____.

NAV

37

Porque é que é importante distinguir o BAV Mobtiz tipo I do tipo II?

Porque o BAV Mobtiz tipo II tem implicações prognósticas mais graves

38

Características do BAV de 2° grau Mobitz tipo II

•  Falha intermitente da condução onda “p”
•  Sem alterações PR ou RR precedentes
•  Ocorre no sistema de condução distal ou infra-His
•  Associado a atrasos da condução intraventricular
•  ↑Probabilidade de evoluir para graus mais elevados

39

V ou F

Quando o BAV é de 2:1, pode ser difícil fazer a distinção entre o bloqueio tipo I e o II

V

40

Em que é que consiste o BAV paroxismal?

Consiste numa série de ondas “p” não conduzidas e implica doença grave no sistema de condução.

É mais comum no BAV Mobtiz tipo II e é indicação para Pacing permanente.

41

Como se denomina um BAV intermediário entre 2º e 3º grau?

Bloquei de alto grau

42

A maioria dos bloqueios de alto grau e 3° grau ocorrem em que zona?

Ocorrem distalmente ao NAV

43

Que procedimentos podem contribuir com informação diagnostica para o BAV?

•  Manobras vagais
•  Massagem do seio carotídeo
•  Exercício
•  Administração de atropina e/ou isoproterenol

44

Efeitos das manobras vagais e massagem do seio carotídeo na condução AV e infranodal

- ↓ condução nó AV

- pode ↑ condução infranodal (diminuem a taxa de activação nos tecidos distais)

45

Efeitos da atropina/isoproterenol e exercício na condução AV e infranodal

- ↑ condução nó AV

- impedem condução infranodal

46

Nos doentes com BCC congénito e um complexo QRS estreito, o exercício normalmente _________ (diminui/aumenta) a FC.

Aumenta a FC

47

Nos doentes com BCC adquirido e um complexo QRS alargado, o exercício normalmente não tem qualquer tipo de resposta. V ou F?

V

48

Quais são os doentes nos quais os testes electrofisiológicos podem estar indicados?

a)  Pacientes com síncope + suspeita de BAV de alto grau
b)  Pacientes cujos testes não-invasivos não esclareceram a sintomatologia
c)  Paciente com cardiopatia estrutural + taquiarritmias ventriculares

49

V ou F

Um cateter posicionado no topo da margem superior da válvula mitral fornece informações de todo o eixo AV desde as aurículas até aos ventrículos

F

Um cateter posicionado no topo da margem superior da válvula TRICÚSPIDE fornece informações de todo o eixo AV desde as aurículas até aos ventrículos

50

O que avaliam os intervalos AH e HV e quais os seus intervalos de tempo normais?

- O intervalo AH avalia a condução através do nódulo AV e é normal quando é menor que 130ms

- O intervalo HV avalia a condução através do His-Purkinje e é normal quando é menor que 55ms

51

V ou F

O BAV 2º grau Mobitz tipo I com Pacing auricular com ciclos curtos é normal

V

52

V ou F

O BAV 2º grau Mobitz tipo I com Pacing auricular com ciclos auriculares >500ms (menor que 120bpm) e ausência de tónus vagal é anormal

V

53

O BAV Mobitz tipo I tipicamente caracteriza-se por um aumento do intervalo ___.

AH

54

Factores que prolongam o intervalo AH?

- β-bloq
- BCC
- Digitálicos
- ↑ tónus vagal

55

V ou F

Se após a reversão do aumento do tónus vagal pela administração de atropina persistirem o aumento do intervalo AH e o BAV com ciclos longos de pacing artificial, é provável que haja um distúrbio intrínseco ao nódulo AV

V

56

V ou F

Um bloqueio infra-His com prolongamento do intervalo HV ou um electrograma de His sem activação ventricular são normais

F

Um bloqueio infra-His com prolongamento do intervalo HV ou um electrograma de His sem activação ventricular são ANORMAIS, excepto se tiverem sido provocadas por pacing rápido

57

Prolongamento na condução His-Purkinje está associado a ____________ (aumento/diminuição) do risco de evolução para bloqueio de grau mais _________ (baixo/elevado) e geralmente indica o implante de pacemaker

Prolongamento na condução His-Purkinje está associado a AUMENTO do risco de evolução para bloqueio de grau mais ELEVADO e geralmente indica o implante de pacemaker

58

V ou F

O prolongamento do intervalo HV em pacientes com bloqueio de ramo assintomáticos aumenta o risco evolução para BAV de maior grau

V

59

Qual é a incidência anual de BC AV nos doentes com um intervalo HV maior que 100ms?

10%

60

V ou F

Nos pacientes com BAV completo adquirido, a colocação de pacemaker quase nunca está indicada

F

Nos pacientes com BAV completo adquirido, a colocação de pacemaker está QUASE SEMPRE indicada

61

Qual é o tratamento mais eficaz para doentes com doença sintomática do sistema de condução AV?

Pacing artificial temporário ou permanente

62

Caso o bloqueio se localize ao nível do NAV, que terapêutica farmacológicas podem ser úteis?

Atropina
Isoproterenol

63

Quais são os doentes com doença da condução AV com indicação para colocar pacemaker?

- Doentes com bradicardia sintomática + BAV irreversível 2º e 3º grau

- Doente com bradicardia assintomática no caso de:
1.  BAV completo (3ºgrau) adquirido (+ se ass cardiomegalia)
2.  Disfunção ventricular
3.  FC≤40bpm em estado de vigília ou período de assistolia sup a 3 S ou ritmo de escape com origem abaixo do NAV
4.  BAV 2ºgrau de qualquer tipo se bloqueio for intra ou infra-HIS ou associado a QRS largos
5. Doentes com FA com bradicárdia e pausas superiores a 5s
6.  BAV grave de 1º grau + ↓função ventricular
7.  BAV 1º grau + Doenças NM que têm uma predilecção pelo sistema de condução (distrofia miotónica e outras distrofias e Sdr. Kearns-Sayre)

64

Quais são os doentes com bloqueio AV adquirido que não têm indicação para implantação de pacemaker?

1.  BAV 1ºgrau assintomático
2.  BAV 2ºgrau tipo I assintomático que ocorre no nível do nódulo AV (QRS estreito)
3.  BAV com expectativa de resolução ou com pouca probabilidade de recorrência (D. Lyme, toxicidade por fármacos)

65

Em que situações está indicado a implantação de um pacemaker por BAV após EAM?

•  BAV 2º ou 3ºgrau persistente e sintomáticos
•  BAV 2º ou 3º grau transitórios associado a bloqueio de ramo

66

V ou F

Bloqueio fascicular que se desenvolve num EAM na ausência de outras formas de BAV não necessita de pacing

V

67

Quais são os doentes que não têm indicação para implantação de pacemaker no bloqueio bi e trifascicular?

1.  Bloqueio fascicular sem BAV ou sem sintomas
2.  Bloqueio fascicular + BAV 1º grau assintomático

68

Em alguns estudos com randomização do modo de pacing, os riscos de FA crónica e AVC foram menores com pacemaker de ______ (única/dupla) câmara

Dupla câmara

69

V ou F

Nos pacientes com ritmo sinusal e BAV, o aumento muito discreto do risco associado ao implante de pacemaker dupla câmara parece se justificar em razão das possíveis complicações relacionadas com o pacemaker de câmara única

V

70

V/F
Tal como a Doença de Lyme, a Sífilis e a doença de Chagas estão associadas a BAV predominantemente transitório.

F.

D.Chagas e Sifilis dão BAV permanente.

71

Qual destas patologias não está associada a BAV?
1-LES
2-AR
3-S.Sjogren
4-Esclerodermia
5- Amiloidose

S.Sjoren

As doenças inflamatorias associadas sao: LES, AR, Esclerodemria e doenças multiplas do tecido conjuntivo

72

V/F

A radiação, tal como a ablação por catéter, são causas comuns de BAV.

F

RARAS

73

%
1. _____ dos jobens podem ter BAV transitorio associado a aumento do tonus vagal

2. doença de Lyme dá BAV em _______ dos doentes

3. BAV transitorio acontece no EAM em _____ a ______ dos doentes

4- risco de progressao para BAVC em doentes com aumento do intervalo HV: _________

1. 10%
2. 10%
3. 10-25%
4. 10%/ANO