281 - Transplante cardíaco e circulação assistida prolongada Flashcards Preview

(Cardio - 2017 COPY) > 281 - Transplante cardíaco e circulação assistida prolongada > Flashcards

Flashcards in 281 - Transplante cardíaco e circulação assistida prolongada Deck (36):
1

O coração implantado é cirurgicamente desnervado e como tal incapaz de responder a estímulos simpáticos e parassimpáicos diretos. V/F?

Verdadeiro. Responde contudo às catecolaminas circulantes!

2

As respostas fisiológicas do coração transplantado ao exercício são atípicas e por isso inadequadas ao desempenho da atividade física normal. V/F?

Falso. São atípicas mas ADEQUADAS ao desempenho da atividade física normal.

3

Quais os critérios de compatibilidade necessários para transplante cardíaco?

- Grupo ABO
- Tamanho corporal

4

O matching HLA é fundamental no transpante cardíaco. V/F?

Falso. Não se faz matching HLA.

5

O transplante na IC é feito sobretudo nos mais velhos sem comorbilidades significativas. V/F?

Falso. Feito nos JOVENS.

6

Quanto tempo de isquemia aguenta o coração (fora do corpo)?

~3h.

7

Deve existir compatibilidade a que níveis para ser possível fazer o transplante?

- Grupo ABO
- Tamanho corporal

Não se faz matching HLA!!

8

Em que grupos é mais provável a ocorrência de reação cruzada HLA com o doador?

- Multiparas
- Múltiplas transfusões prévias

9

Os doentes idosos com comorbilidades são canditados a transplante. V ou F?

Falso. Maioria dos idos em estadio D ou IC terminal deve receber sim medidas de conforto.

10

A sobrevida do transplante a 1 ano é de ___, e a 3 anos de ____.

A sobrevida do transplante a 1 ano é de 83%, e a 3 anos de 75%.

11

Qual a semi-vida do transplante?

10 anos.

12

A qualidade de vida pós transplante tende a ser excelente, sendo que __% dos doentes voltam à função normal, sem restrições.

90%.

13

Os esquemas atuais de imunossupressão são _________ (especificos/inespecificos), produzindo ________ (hiporeatividade/hiperatividade) generalizada a antingénios estranhos.

Os esquemas atuais de imunossupressão são INESPECÍFICOS, produzindo HIPOREATIVIDADE generalizada a antingénios estranhos.Como tal aumenta o risco de infeções e cancro.

14

Qual o esquema triplo imunossupressivo adequado?

1) Inibidor da calcineurina (tacrolimus, ciclosporina)
2) Inibidor da proliferação ou diferenciação de células T (azatioprina, MMF, sirolimus)
3) Ciclo inicial breve de corticóides

15

Muitos programas incluem anticorpos mono ou poligonais anti-células T no ciclo de indução inicial perioperatório. Qual a vantagem?

Diminui frequência e gravidade de rejeição inicial pós-transplante.

16

Os antagonistas do recetor IL-11 (daclizumab, basilixmab) podem prevenir rejeição, sem necessidade de imunossupressão adicional. V ou F?

Falso. Antagonistas do recetor IL-2

17

O diagnóstico de rejeição do aloenxerto é feito através de ____________.

Biópsia endomiocárdica.

18

Qual se realiza biópsia endomiocárdica?

- Em resposta a deterioração clínica
- Como medida de vigilância (regularmente no 1º ano pós-op)

19

O tratamento da rejeição consiste no aumento da imunossupressão. V ou F?

Verdadeiro.

20

Quais as complicações tardias pós-transplante?

1) coronariopatia do enxerto
2) neoplasias
3) infeções

21

A coronariopatia do aloenxerto carateriza-se por ser um processo difuso e concêntrico, ao passa que a DAC aterosclerótica comum é um processo focal e excêntrico. V ou F?

Verdadeiro.

22

Qual o responsável pela maioria das mortes tardias pós-transplante?

Coronariopatia do aloenxerto.

23

No contexto de transplante, o uso de estatinas está associada a diminuição da incidência da vasulopatia, sendo utilizada quase universalmente nos recetores. V ou F?

Verdadeiro.

24

Na coronariopatia do aloenxerto, a angina de peito é o sintoma mais descrito. V ou F?

Falso. Raramente sentem angina de peito (mesmo nos estadios avançados), devido à desnervação do órgão.

25

Qual o único tratamento DEFINITIVO de coronariopatia do aloenxerto?

Retransplante! Medidas paliativas (intervenções percutaneas) são seguras e eficazes a curto prazo, mas frequentemente a doença evolui inexoravelmente.

26

Quais os tipos de neoplasias pós-transplante mais comuns?

1) Distúrbios linfoproliferativos
2) Neoplasias cutâneas

27

A maioria das neoplasias linfoproliferativas parece ser causa pelo vírus HIV. V ou F?

Falso. HBV.

28

As neoplasias cutâneas podem ter uma evolução muito agressiva. V ou F?

Vero.

29

A redução da imunossupressão demonstrou eficácia clara nas neoplasias linfoproliferativas mas não nas cutâneas. V ou F?

Verdadeiro.

30

Qual a principal causa de morte durante o 1º ano pós-transplante?

Infeções por microrganismos incomuns e oportunistas. (embora a incidência tenha diminuído com a introdução da ciclosporina)

31

As infeções permanecem uma ameaça ao doente cronicamente deprimido, ao longo de toda a sua vida. V ou F?

Verdadeiro.

32

Os dispositivos mecânicos de assistência ventricular (LVAD) foram inicialmente desenvolvidos como substitutos do coração, mas atualmente são usados como ponte até o transplante cardíaco. V ou F?

Verdadeiro.

33

Quais as indicações para LVAD a longo prazo?

1) IC crónica terminal (se risco iminente de morte por choque cardiogénico)
2) Doentes com:
- FE inferior a 25% OU;
- VO2 inferior a 14 ml/kg/min OU;
- Dependentes de inotrópicos ou balão intra-aórtico de contrapulsação

34

Por que motivo nenhum dispositivo é totalmente implantável?

Devido a riscos de:
- infeção
- complicações tromboembólicas
- falência da bomba

35

__% dos pacientes mais jovens conseguem ser transplantados no intervalo de 1 ano, com _______ (péssimas/excelentes/medíocres/agradáveis/assim-assim) taxas de sobrevida pós-transplante com a ponte para transplante com dispositivos LVAD.

75%.

Excelentes

36

Se dispositivo instalado como terapia permanente, a sobrevida aos 6 meses é de __% e ao fim de 1 ano __%.

Se dispositivo instalado como terapia permanente, a sobrevida aos 6 meses é de 65% e ao fim de 1 ano 34%.