Insuficiência Renal Crônica Flashcards Preview

Nefrologia > Insuficiência Renal Crônica > Flashcards

Flashcards in Insuficiência Renal Crônica Deck (28):
1

Causas

No Brasil, a principal é HAS e no mundo, DM. São seguidas por glomerulopatias 1ª.

2

Achados de alterações funcionais e estruturais (3)

1) TFG<60 ml/min/1,73m² (alteração funcional)


2) Albuminúria ≥ 30mg/dia (alteração estrutural)


3) ≥ 3 meses

3

Estágio: G1

TFG ≥ 90


Lesão renal SEM IRC

4

Estágio: G2

TFG ≥ 60


DRC LEVE. Há NOCTÚRIA.

5

Estágio: G3

a) ≥45: leve-moderada. Há AZOTEMIA.


b) ≥30: mod-grave. Há SD URÊMICA.

6

Estágio: G4

TFG ≥ 15.


DRC grave com sd urêmica EXACERBADA.

7

Estágio: G5

TFG<15


Fase terminal: FALÊNCIA RENAL.

8

Classe x grau de albuminúria

A1: <30. Normal.


A2: 30-300. Aumento MODERADO.


A3: >300. Aumento grave.

9

Clínica da DRC

SD URÊMICA


ANEMIA (principalmente por ↓Epo. Normo/normo)


OSTEODISTROFIA RENAL


DÇA CARDIOVASCULAR


DIST. ELETROLÍTICOS e ÁCIDO-BÁSICO

10

Anemia na DRC: causas

Além de ↓Epo, pode ser por:


CARÊNCIA DE FERRO (não responde a Epo)


MENOR TEMPO DE MEIA VIDA DAS HEMÁCIAS (aumento de reticulócitos)


LESÃO MEDULAR (leucopenia)


CARÊNCIA DE FOLATO/B12 (macrocitose)

11

Anemia na DRC: tto

Avaliar estoques de ferro


1) Transferrina<20% ou Ferritina<100: REPOR FERRO EV


2) Estoques normais: EPO 3x/semana e Darbepoetina alfa 1x/semana

12

Anemia na DRC: alvo da Hb

10-12. Maior que isso: risco de HAS.

13

Osteodistrofia renal: 3 formas

1) Osteíte fibrose cística: HIPERPARA 2º. ALTO turn-over. DOR LOMBAR, FRATURAS PATOLÓGICAS, FRAQUEZA e PURIDO.


2) Dça óssea adinâmica: PTH<150. BAIXO turn-over.


3) Osteomalácia por intoxicação pelo alumínio: BAIXO turn-over.

14

Osteodistrofia renal: labs

PTH>450


P>6,5


↑FA


Rx alterado: REABSORÇÃO SUBPERIOSTEAL DAS FALANGES (patognomônico), "Sal e pimenta", "Rugger Jersey", Tu marrom/Osteoclastoma

15

Osteodistrofia renal: sinal patognomônico ao rx

REABSORÇÃO SUBPERIOSTEAL DAS FALANGES

16

Calcitriol e DRC

- "Acelera" absorção de cálcio no intestino e "freia" a paratireoide


- Na dça renal, ↓ calcitriol, ↓absorção de cálcio= ↓ CÁLCIO


- Na dça renal. ↓ TFG, logo AUMENTA FOSFATO que INIBE calcitriol e LIGA-SE ao cálcio (de forma inabsorvível e indissolúvel)= ↓↓CÁLCIO e AUMENTA PTH com aumento de osteoblasto e osteoclasto.


- Há DEPÓSITO DE COLÁGENO FROUXO por falta de cálcio com FIBROSE no local removido pelos osteoclastos.

17

Osteodistrofia renal: tto (5)

RESTRIÇÃO DE FÓSFORO na dieta (<800mg/dia): fonte são as proteínas


QUELANTES do fósforo: CARBONATO DE CÁLCIO ou sevelamer ou lantzanum


CALCITRIOL apenas se vitamina D BAIXA e fósfora NORMAL


CINACALCET: cálcio mimético que reduz secreção de PTH. EXCLUSIVO para pctes DIALÍTICOS.


CX se sem melhora (paratireoidectomia subtotal)

18

Ca x Fosfato >70 (ou 55 conforme fonte)...

Podem ocorrer disfunções orgânicas RESTRITIVAS (cardíacas e pulmonares) ou na PELE (NECROSE por calcifilaxia)

19

Dça cardiovascular na DRC

- PRINCIPAL CAUSA DE MORTE


- DISLIPIDEMIA: ↓HDL e ↑TG. Tto com ATORVASTATINA (LDL<100) não precisando de reajuste por função renal.


- HAS: realizar RESTRIÇÃO DE SAL. Alvo de <140x90 se albumina urinária <30 com tto individualizado e <130x80 se albuminúria >30 (tto com IECA/BRA ± TIAZÍDICO)

20

Uso de tiazídicos...

Depende da TFG. A furosemida age em QUALQUER TFG!

21

Dist. Hidroeletrolíticos na DRC: "BaCaNa"

Baixa Cálcio e Na (HIPERVOLEMIA com HIPONATREMIA);


Aumento de: K, fosfato, Mg e H (acidose metabólica)


Obs: Se HCO3<20, BICARBONATO DE SÓDIO VO (reduz progressão de DRC)


22

DRC e HIPERCALCEMIA

"Barberagem" médica ou hiperpara terciário (tto: cx)

23

Tto na DRC: G1, G2, G3(a e b)

Evitar progressão com: CESSAMENTO DE TABAGISMO, TTO DE HAS E DM, RESTRIÇÃO PROTEICA e TTO DE AC. METABÓLICA

24

Tto na DRC: G4

Acrescentar PREPARO PARA TRS

25

Tto na DRC: G5

TRS

26

Fístula se...

Cr>4 ou ClCr< 25

27

Fístula: local

No MEMBRO SUPERIOR NÃO DOMINANTE


Art. radial + veia cefálica

28

Fístula: maturação e complicações

em 1-3 meses. Principal complicação é a não maturação!


*Na fístula PÓS maturação, a principal complicação é a ESTENOSE do componente VENOSO PROXIMAL.