Sangramento 1a Metade Flashcards Preview

OBSTETRÍCIA > Sangramento 1a Metade > Flashcards

Flashcards in Sangramento 1a Metade Deck (90):
1

3 causas de sangramento na 1a metade da gestação

Abortamento
Gravidez ectópica
Doença trofoblástica gestacional

2

Definição abortamento

Interrupção da gestação < 20-22 semanas ou < 500g

3

Abortamento precoce x tardio

Precoce ≤ 12 semanas
Tardio > 12 semanas

4

3 causas legais de aborto provocado

Anencefalia (não está na constituição! STF liberou 2012)
Estupro
Risco à vida

5

Condição para aborto por risco à vida

2 médicos assinam o laudo, qualquer IG

6

Condição para aborto por estupro

< 20-22 semanas
Não pedir BO, perícia, juiz

7

Condição para aborto por anencefalia

> 12 semanas de IG, quando o diagnóstico é inequívoco
Laudo da USG assinado por 2 médicos

8

Definição abortamento habitual

3 ou mais perdas consecutivas

9

Causa mais comum de abortamento esporádico

Aneuploidias (Trissomia do 16)

10

3 causas de abortamento habitual

Incompetência istmo cervical - IIC
Síndrome Anticorpo Antifosfolipídeo - SAF
Insuficiência de corpo lúteo

11

Quadro clínico IIC

Aborto tardio
Colo fica curto
Dilatação indolor
Feto vivo e morfologicamente normal

12

Conduta na IIC

Circlagem 12-16 semanas (McDonald)
Remove com 36-37 semanas ou se TP/amniorrexe

13

Quadro clínico SAF

Colo normal
Lúpus
Anticorpos + e confirmados
Trombose de qualquer vaso
Feto morto

14

Anticorpos da SAF

Anticardiolipina
Anticoagulante lúpico
Anti-beta 2 glicoproteína

15

Conduta na SAF

AAS 100mg + heparina (HNF ou HBPM)

16

Abortamentos com colo aberto

Incompleto
Inevitável
Infectado

17

Abortamentos com colo fechado

Completo
Ameaça
Retido

18

Clínica abortamento incompleto

Útero menor com restos na USG e colo aberto

19

Conduta abortamento incompleto

Esvaziamento

20

Clínica abortamento inevitável

Útero compatível com embrião e colo aberto

21

Conduta abortamento inevitável

Esvaziamento

22

Clínica abortamento infectado

Febre, odor fétido, leucocitose, dor, colo aberto

23

Conduta no abortamento infectado

Antibiótico (Clinda + Genta) e esvaziamento

24

Clínica no abortamento completo

Útero menor e vazio (endométrio < 15 mm) e colo fechado

25

Conduta no abortamento completo

Orientação e avaliar incompatibilidade Rh

26

Clínica na ameaça de abortamento

Embrião vivo, útero compatível e colo fechado

27

Conduta na ameaça de abortamento

Repouso e analgésico/antiespasmódico

28

Clínica no abortamento retido

Embrião morto, útero igual ou menor e colo fechado

29

Conduta no abortamento retido

Esvaziamento

30

Como realizar esvaziamento com ≤ 12 semanas (sem formação óssea)

AMIU - padrão ouro - ou curetagem

31

Como realizar esvaziamento com > 12 semanas sem feto

Curetagem

32

Como realizar esvaziamento com > 12 semanas com feto

Misoprostol ± curetagem

33

IG saco gestacional na USGTV

4 semanas

34

IG vesícula vitelínica na USGTV

5 semanas

35

IG embrião/BCE+ na USGTV

6-7 semanas

36

Definição de embrião

Saco gestacional ≥ 25 mm

37

Diferença IG achados USGTV e abdominal

+ 1 semana na abdominal

38

Primeiro exame no abortamento

Especular

39

Malformações fetais precisam de autorização judicial para abortamento?

Sim, exceto anencefalia

40

Quadro clínico insuficiência de corpo lúteo

Abortamento precoce, progesterona baixa, colo normal

41

Doença Trofoblástica Bengina

Mola hidatiforme completa
Mola hidatiforme parcial

42

Doença Trofoblástica Maligna

Mola invasora - mais comum: 90%
Coriocarcinoma
Tumor trofoblástico do sítio placentário

43

O que é Mola Completa

Espermatozoide normal fecunda óvulo vazio
Só genes paternos (46XX) - diploide
Não tem embrião
20% maligniza

44

O que é Mola Parcial

2 espermatozoides normais fecundam óvulo normal
Triploide (69XXY)
Tem embrião - tecido fetal bem diferenciado
5% maligniza

45

Quadro clínico mola

Sangramento indolor de repetição (suco de ameixa)
Vesículas
Hiperêmese
Aumento uterino
Útero em sanfona
Hipertireoidismo
DHEG precoce (pré-eclâmpsia < 20 sem)
Aumento de Beta-hCG

46

Exame de imagem mola

USG: flocos de neve/nevasca/cachos de uva

47

Conduta na mola

Esvaziamento uterino (vácuo aspiração) + histopatológico

48

Quando indicar histerectomia na mola

Prole definida E > 40 anos

49

Retirar anexos na mola?

NÃO! Vai regredir!

50

Controle de cura na mola

Beta-hCG semanal até 3 negativos
Beta-hCG mensal por mais 6 meses

51

Controle de cura mesmo se histerectomia?

SIM!

52

Sugere malignização na mola

3 valores mostrando aumento de Beta-hCG
4 valores em platô (+/- 10%)
6 meses ainda + (questionável)
Metástases

53

Tratamento malignização mola

Metotrexato

54

Anticoncepção mola

Qualquer método! Exceto DIU!
Não pode engravidar durante tto ou controle de cura

55

Definição gestação ectópica

Implantação fora da cavidade uterina

56

Local mais comum de gestação ectópica

Trompa (95%) na região ampular

57

Quadro clínico gestação ectópica

Atraso menstrual, dor abdominal, sangramento discreto
Beta-hCG > 1500 (descobriu a GE)
USG: útero vazio > 4 semanas

58

Fatores de risco gestação ectópica

DIP, DIU (relativo), ectópica prévia, endometriose, tabagismo, raça negra, > 35 anos, cirurgia abdominal, cirurgia prévia na trompa

59

Quadro clínico da ectópica rota

Choque, Blumberg e Proust (abaulamento e dor no fundo de saco)

60

Condições tratamento expectante na gestação ectópica

Estabilidade hemodinâmica
Ectópica íntegra
Beta-hCG declinante e < 1000
-> Fazer seguimento semanal com beta-hCG: tem que reduzir

61

Condições tratamento medicamentoso na gestação ectópica

Estabilidade hemodinâmica
Ectópica íntegra
Condições ideais: sem BCF, massa < 3,5cm, beta-hCG < 5000
-> Metotrexato injeção local ou sistêmica

62

Controle do tratamento medicamentoso da gestação ectópica

Beta-hCG dias 4 e 7 deve reduzir pelo menos 15%
-> Seguir dosando semanalmente

63

Se não reduziu 15% do dia 4 pro dia 7 após metotrexato para gestação ectópica

Pode tentar de novo até 3 vezes, reavaliando os critérios de sucesso

64

Critérios sucesso metotrexato para gestação ectópica

Sem BCF
Massa < 3,5 cm
Beta-hCG < 5000

65

Condições tratamento cirúrgico conservador gestação ectópica

Ectópica íntegra
Desejo reprodutivo
-> Salpingostomia laparoscópica

66

Indicação tratamento cirúrgico radical gestação ectópica

Ectópica rota ou prole completa/sem desejo reprodutivo
-> Salpingectomia por laparoscopia se ESTÁVEL ou laparotomia se INSTÁVEL

67

Beta-hCG duplica em quanto tempo em gestação normal?

48h (aumento de 66%)

68

Valor de progesterona gestação normal

Progesterona > 25 ng/ml
-> Ectópica pouco provável

69

Doença hemolítica perinatal mais comum

ABO

70

Doença hemolítica perinatal mais grave

Rh

71

Exposição, proteção e profilaxia da incompatibilidade ABO

Não exige exposição previa
Proteção parcial contra incompatibilidade Rh
Não tem profilaxia

72

Como se dá sensibilização na incompatibilidade Rh

Pai Rh + e Feto Rh +
Mãe Rh - DU -

73

O que é variante DU

DU é um reator mais fraco que o RH
Se estiver +, funciona como Rh+ e não precisa fazer anti-Rh

74

Como fazer seguimento de gestante Rh- com parceiro Rh+

Coombs indireto: repetir com 28, 32, 36 e 40 semanas

75

Conduta se Coombs indireto + em gestante Rh- com parceiro Rh+

< 1 : 16 -> CI mensal
≥ 1 : 16 -> investigar o feto

76

Exame de rastreamento para anemia fetal se CI ≥ 1 : 16

Doppler de artéria cerebral média (não invasivo)

77

Critério de anemia grave e indicação de cordocentese com transfusão no Doppler de ACM

Velocidade máxima do pico sistólico > 1,5x mediana para IG

78

Segunda escolha de exame de rastreio para anemia fetal

Amniocentese: espectrofotometria (bilirrubina) - curva de Liley

79

Exame padrão ouro para diagnóstico E tratamento de anemia fetal

Cordocentese

80

Indicação de imunoglobulina anti-D

Sangramento/exame invasivo (amniocentese, cordocentese)/parto (ideal < 72h)
OU 28 semanas para pacientes Rh- e CI- com parceiro Rh+ (reavalia após o parto -> Ig positiva o CI por até 3 meses)

81

Como avaliar eficácia da imunoprofilaxia com Ig anti-D

CI -> efetiva: teste positivo
Teste de Kleihauer -> efetiva: teste negativo

82

Conduta se história prévia de complicações graves fetais por incompatibilidade Rh

Já investiga anemia fetal com Doppler de ACM independente do CI

83

CCN no qual se espera presença de BCE

5 mm

84

Quando considerar conduta conservadora/expectante no abortamento retido

Gestação inicial entre 6-8 semanas
Estabilidade hemodinâmica
Sem sangramento vacinal excessivo

85

Riscos de conduta expectante no abortamento retido

CIVD - abortamento retido prolongado
Risco de infecção é mínimo

86

Qual lado é mais acometido pela torção anexial

Direito! À esquerda o sigmoide dificulta a ocorrência.

87

Fatores associados à persistência de tecido trofoblástico no tratamento laparoscópico da gestação ectópica

Gravidez precoce
Ectópica < 2 cm
Beta-hCG < 3000

88

Diante de aborto provocado o médico deve manter sigilo ou comunicar à autoridade judicial

Sigilo

89

Dilatação que contraindica circlagem

> 4 cm

90

Valor que beta-hCG que se espera osbervar saco gestacional intraútero na USGTV e na USG abdominal

USG TV > 1500
USG Abdominal > 6500