Pneumonia Comunitária Flashcards Preview

Febre, inflamação e infecção > Pneumonia Comunitária > Flashcards

Flashcards in Pneumonia Comunitária Deck (60):
1

Defina "Pneumonia" pelos enfoques CLÍNICO e HISTOPATOLÓGICO

Clinico: processo inflamatório agudo do parênquima pulmonar decorrente de infecção.

Histopatológico: preenchimento do espaço alveolar por infiltrado necróticoinflamatório {exsudato purulento com debris celulares, leucócitos (princ. neutrófilos) e bactérias}.

2

Qual a diferença entre pneumonia e pneumonite?

Na pneumonite, infiltrado inflamatório localizado princ. nos septos alveolares (interstício). Na pneumonia, o infiltrado está no espaço alveolar.

3

Quais os critérios para definição de Pneumonia Adquirida na Comunidade?

- Nenhuma internação > 48h nos últimos 90d.
- Sem uso de ATB IV, quimioterapia ou tto para úlcera por pressão nos últimos 30d.
- Pacientes não oriundos de unidades especiais de internação prolongada.
- Não realiza diálise.

4

Quais os padrões histopatológicos típicos da pneumonia bacteriana?

Broncopneumonia e Pneumonia Lobar

5

Qual o padrão histopatologico mais comum na pneumonia bacteriana?

Broncopneumonia

6

Como se diferencia histopatologicamente a pneumonia lobar da broncopneumonia?

Pneumonia lobar: consolidação alveolar EXTENSA, ocupando grande área do parênquima pulmonar (como um lobo inteiro).

Broncopneumonia: consolidação alveolar MULTIFOCAL coalescente, que predominam na região peribrônquica. Se a coalescência dos focos pneumônicos atingir grande volume, o infiltrado pode se tornar pneumonia lobar.

7

Qual o principal agente etiológico da pneumonia lobar comunitária?

Streptococcus pneumoniae

8

Como é o protótipo fisiopatológico na pneumonia?

O protótipo baseia-se no Streptococcus pneumoniae.

CONGESTÃO: bactérias se multiplicam no interior dos alvéolos. Liberam substâncias vasodilatadoras e quimiotáticas para neutrófilos. Os vasos dilatam-se e liberam exsudato fibrinoso, com leucócitos para o espaço alveolar.

HEPATIZAÇÃO VERMELHA: exsudação de hemácias, neutrófilos e fibrina para o interior dos alvéolos.

HEPATIZAÇÃO CINZENTA: fase supurativa. Hemácias se desintegram permanecem neutrófilos e debris celulares no exsudato.

RESOLUÇÃO: macrófagos consomem o material resultante dos debris celulares. Os pneumococos não costumam destruir os septos alveolares e o parenquima pulmonar volta ao normal.

9

Quais os critérios utilizados para classificar pneumonia comunitária em típica ou atípica?

Principalmente, o quadro clínico, influenciado mais pelo estado imunológico do paciente do que pelo agente etiológico. Alguns agentes (Mycoplasma pneumoniae, Clamydia pneumoniae, Legionella pneumophyla) são considerados germes atípicos, pois são de difícil visualização no foram de escarro e não respondem aos betalactamicos. Contudo, podem causar quadros típicos ou atípicos.

10

Qual o agente etiológico mais comum na pneumonia bacteriana comunitária típica e quais ATBs podem ser utilizados?

- Streptococcus pneumoniae - diplococo G +

- betalactamicos (penicilina G, amoxicilina, ampicilina, ceftriaxone, cefotaxima), macrolideos, doxiciclina, fluoquinolonas respiratorias.

11

Qual o agente etiológico mais comum em idosos com pneumonia comunitária típica e quais ATBs produzem boa resposta terapêutica a ele?

- Haemophilos influenza - cocobacilos G -

- Cefalosporina de 2a (cefuroxime), 3a (ceftriaxona, cefotaxima), amoxicilina-clavulanato.

12

Quais os 2 agentes etiológicos mais comuns em pacientes com DPOC e pneumonia comunitária típica?

Haemophilus influenza (cocobacilos G - ) e Moraxella catarrhalis (diplococo G - ).

13

Qual o agente etiológico mais comum em alcoólatras ou diabéticos com pneumonia comunitária típica e com quais ATBs devemos tratar?


🍺🍻🍭🍫🍬

Klebsiella pneumoniae (bastonetes G - ).


Cefalosporina de 3a (ceftriaxona, cefotaxima), 4a (cefepime) ou com fluoroquinolonas.

14

Qual o agente etiológico mais comum em usuários de drogas IV com pneumonia comunitária típica e como tratá-la?

💉💉💉

Staphylococcus aureus (coco G+)

Oxacilina venosa

15

Qual o agente etiológico mais comum em crianças ou jovens adultos com faringoamidalite supurativa e pneumonia comunitária típica e com qual ATB tratar?

👦👧👱‍♀️👱

Streptococcus pyogenes (coco G+)

Penicilina G cristalina

16

Qual o agente etiológico mais comum em neutropênicos com pneumonia comunitária típica?

Pseudomonas aeroginosa (bastonetes G-)

17

Quais os agentes etiológicos mais comuns na pneumonia comunitária típica aspirativa e como tratá-la?

Bactérias anaeróbias

Clindamicina + amoxi-clav.

18

Qual o agente etiológico mais comum na pneumonia comunitária atípica, qual o seu público alvo e como tratar?

Mycoplasma pneumoniae. > 5a e jovens adultos.

Macrolideos (eritromicina, azitromicina, claritromicina) ou doxiciclina.

19

Qual o agente etiológico mais comum em idosos com pneumonia comunitária atípica e como tratar?

👴🏻👴🏼👴🏽👵🏻👵🏼👵🏽

Chlamydia pneumoniae

Macrolideos ou doxiciclina

20

Qual o agente etiológico mais comum em crianças com pneumonia comunitária atípica?

Vírus respiratórios (influenzaA, B, parainfluenza, adenovírus, SARS).
Tratar com amantadina só em casos graves.

21

Quais os sintomas da pneumonia comunitária típica?

1. Quadro hiperagudo (2-3d)
2. Febre alta (39-40C)
3. Tosse produtiva com expectoração purulenta
4. Calafrios com tremores
5. Prostração

22

Quais os achados de imagem na pneumonia comunitária típica?

Infiltrado pulmonar (o broncopneumônico é o mais comum).

23

Quais os achados no exame físico da pneumonia típica?

6. Hipertermia
7. Estertoração pulmonar
8. Taquipneia (FR > 24 ipm)
9. Taquicardia (FC > 100 bpm)
10. Síndrome da consolidação pulmonar
11. Síndrome do derrame pleural
- MV diminuído ou abolido
- FTV diminuído ou abolido
- Submacicez
- Egofonia

24

Quais os achados, no exame físico, da síndrome de consolidação pulmonar?

- Som bronquial
- Aumento do frêmito toracovocal
- Submacicez
- Broncofonia e pectorilóquia fônica

25

Quais os achados, no exame físico, da síndrome do derrame pleural?

- MV diminuído ou abolido
- FTV diminuído ou abolido
- Submacicez
- Egofonia

26

A pneumonia lobar e a pneumonia redonda são sugestivas de qual agente etiológico?

Pneumococo

27

Qual o principal agente etiológico da pneumonia do lobo pesado?

Klebsiella pneumoniae

28

A formação de pneumatoceles é sugestiva de qual agente etiológico?

Staphylococcus aureus

29

A propensão à necrose parenquimatosa, com formação de cavitações, caracteriza a pneumonia por quais agentes?

Anaeróbios, Klebsiella pneumoniae, Staphylococcus aureus e Streptococcus pneumoniae 3.

30

Qual o principal agente etiológico da pneumonia comunitária atípica e o público acometido?

Mycoplasma pneumoniae. 5 < T < 40

31

Como se inicia o quadro clínico de pneumonia comunitária atípica?

- Subaguda (10d)
- Sintomas parecidos com gripe: dor de garganta, mal estar, mialgia, cefaleia, tosse seca, febre 38-39C.

32

Como é a tosse na pneumonia comunitária atípica?

- Piora após 1a semana e vira principal sintoma. É persistente, geralmente seca e atrapalha o sono.
- Expectoração clara.

33

Via de regra, qual a diferença no leucograma entre uma pneumonia típica e atípica?

Atípica: leucocitose neutrofílica.
Típica: leucocitose com desvio à esquerda.

34

O que se espera no exame do aparelho respiratório na pneumonia comunitária atípica?

Discretos estertores crepitantes ou sibilos.

35

O que se espera no RX na pneumonia comunitária atípica?

Infiltrado pulmonar maior do que o esperado, com base no quadro clínico e no exame do aparelho respiratório.

36

Quais os padrões radiológicos típicos da pneumonia comunitária atípica?

Infiltrado broncopneumônico (micoplasma ou clamidia) ou intersticial (reticular ou reticulonodular).

37

Qual o 2o principal agente etiológico da pneumonia comunitária atípica e o público acometido?

Chlamydia pneumoniae. 65-80 anos.

38

Como se diagnostica a pneumonia comunitária?

Quadro clinicolaboratorial + RX torax PA e perfil. * O exame de escarro pode corroborar o diagnóstico e elucidar o agente etiológico, mas à espera do resultado pode retardar o início da terapia.

39

Quando solicitar o exame de escarro?

Quando houver dúvida diagnostica ou o resultado possa alterar a ATB empírica.

40

Espera-se qual agente etiológico em uma pneumonia típica, sem complicações, em adulto jovem sem doenças de base?

Pneumococo

41

Como escolher a ATB para casos de pneumonia não complicada, tratada em regime ambulatorial?

Empiricamente, com base em estudos epidemiológicos, adequando em função de fatores de risco.

42

Como avaliar pacientes com pneumonia grave?

Hemocultura, escarro (gram + cultura), dosagens de antígenos urinários para Legionella pneumophila e Streptococcus pneumoniae.

43

Quais as vantagens do TAU pneumococo na pneumonia comunitária?

Rapidez, simplicidade, sensibilidade moderada, alta especificidade, capacidade de detecção após início ATB.

44

Quais as desvantagens do TAU pneumococo na pneumonia comunitária?

Custo, ausência de ATBgrama, falsos positivos (PAC nos últimos 3m; crianças com doença respiratória colonizadas pelo Pneumococo).

45

Quais as vantagens do TAU legionella?

Elevadas especificidade e sensibilidade.

46

Durante o tto ambulatorial de um paciente com pneumonia, são recomendados quais exames laboratoriais para detecção do agente etiológico?

Nenhum

47

Durante o tto em enfermaria de um paciente com pneumonia, são recomendados quais exames laboratoriais para detecção do agente etiológico?

- Gram e cultura do escarro
- 2 hemoculturas
- Sorologia
- TAU
- Toracocentese

48

Durante o tto em UTI de um paciente com pneumonia, são recomendados quais exames laboratoriais para detecção do agente etiológico?

- Gram e cultura do escarro
- 2 hemoculturas
- Sorologia
- TAU
- Toracocentese
- Broncoscopia/aspirado traqueal com cultura quantitativa p/ pcts com ventilação mecânica.

49

Quais as etiologias mais comuns da PAC no Brasil tratadas em nível ambulatorial?

Streptococcus pneumoniae, Mycoplasma pneumoniae, vírus respiratórios, Chlamydia pneumoniae, Haemophilus influenza.

50

Quais as etiologias mais comuns da PAC no Brasil tratadas em enfermaria?

Streptococcus pneumoniae, Mycoplasma pneumoniae, Chlamydia pneumoniae, vírus respiratórios, Haemophilus influenza, Legionella.

51

Quais as etiologias mais comuns da PAC no Brasil tratadas em UTI?

Pneumococo, bacilos G - , Haemophilus influenza, Legionella, Staphylococcus aureus.

52

Quando tratar PAC em nível ambulatorial?

- CURB-65 0 ou 1
- S/ comorbidades descompensadas
- SPO2 > 90% RX tórax sem acometimento multilobar.
- S/ limitações socioeconômicas, psicossociais.
- VO disponível


IMAGEM

53

O CURB-65 é um score utilizado pela SBPT para caracterizar a gravidade da PAC. Cada variável soma 1 ponto e um quantitativo total > 2 impede um tto ambulatorial. Quais os critérios analisados?

Confusão mental
Ureia >= 50mg/dl
Respiração >= 30 irm
Baixa PA (sistólica < 90 ou diastólica < 60).
>= 65a.

54

Quando o paciente deve ser tto em UTI?

1 maior ou 3 menores

Imagem!!!!!!!!

55

Qual o tratamento empírico, em nível ambulatorial, na PAC para pct previamente sadio e sem terapia previa?

Eritromicina, claritromicina, azitromicina ou doxiciclina.

56

Qual o tratamento empírico, em nível ambulatorial, na PAC para pct com ATB recente ou doença associada (neoplasia, DPOC, DM, ICC)?

1a: Fluoquinolonas respiratórias (levofloxacino, moxifloxacino).

2a: macrolideos (azitromicina, claritromicina, eritromicina) + betalactâmico (amoxicilina c/ ou s/ clavulanato, ceftriaxone).

57

Qual o tratamento empírico na enfermaria em caso de PAC?

- Fluorquinolona respiratória (moxifloxacin, gernifloxacin, levofloxacin)

OU

- Macrolideo (azitromicina, eritromicina, claritromicina) + betalactamico (ceftriaxone, ampicilina - sulbactam, cefotaxima).

58

Por quanto tempo deve ser mantido o tratamento?

Branda: 7-10d
Grave: 10-14d
Micoplasma ou clamidia: 14d

59

Quais as complicações da PAC?

Derrame pleural, empiema, septação pleural, encarceramento pulmonar, pneumonia necrosante (cavitação, abcesso), bronquiectasias, sepse, choque séptico, pneumotórax, atelectasia por rolha de secreção.

60

Qual o principal agente etiológico da pneumonia lobar?

Streptococcus pneumoniae