Doença Hemorroidária Flashcards Preview

Coloproctologia Dr. Clean > Doença Hemorroidária > Flashcards

Flashcards in Doença Hemorroidária Deck (33)
Loading flashcards...
1

Doença hemorroidária é mais comum em... a) sexo; b) idade; c) raça.

a) masculino (2:1).
b) 45 a 65 anos.
c) brancos parecem ser mais afetados.

2

Principais fatores e riscos são... (8)

1) Maior nível sócio-econômico; 2) Hereditariedade; 3) Obesidade; 4) Tabagismo; 5) Dieta rica em gorduras; 6) Etilismo; 7) Especiarias e pimenta; 8) Baixa ingestão de líquidos.

3

Etilogia exata permanece desconhecida. Fatores fisiopatológicos a serem considerados... (4):

1) Pressão intra-abdominal; 2) Hábito intestinal irregular; 3) Posição ereta; 4) Gravidez. Obs.: não explicam adequadamente a causa do processo.

Elevações recorrentes na pressão intra-abdominal causam dilatação das veias do plexo hemorroidário e posterior formação de mamilos dilatados.

4

Teoria mais aceita como causa da maioria dos sintomas...

Teoria de Thomson (1975) - Prolapso dos coxins anais.

5

Coxins anais estão localizados na submucosa do canal anorretal logo acima da linha pectínea e são formados por...

Tecido conjuntivo (fibroelástico), vasos sanguíneos e fibras musculares (oriundas do esfíncter interno e do músculo longitudinal conjunto).

6

Funcões dos coxins anais...

1) Aderência da mucosa e submucosa ao esfincter interno. 2) Acolchoamento da mucosa durante a defecação. 3) Sustentação de vasos sanguíneos da submucosa. 4) Participação no processo de continência.

7

Irrigação sanguínea dos coxins anais...

Irrigados pelos ramos terminais das aa hemorroidárias superiores e, em menor intensidade, das aa hemorroidárias médias.

Obs.: Apresentam comunicações entre si e com ramos das aa hemorroidárias inferiores.

Drenagem venosa pelas vv hemorroidárias inferiores, médias e superiores.

8

A maioria dos pacientes possuem três mamilos hemorroidários internos, nas localizações...

Anterior direita - AD
Posterior direita - PD
Lateral esquerda - LE

9

Músculo de Treitz no canal anorretal...

Formado por fibras musculares e tecido conjuntivo da submucosa. São responsáveis pela retração e elevação do coxins durante a defecação, bem como retorno das estruturas para a posição inicial.

10

Hipertensão portal aumenta o risco hemorroidária?

NÃO. Portadores de hipertensão portal apresentam incidência semelhante de doença hemorroidária em relação à população geral. Apresentam maior pressão no plexo venoso retal e podem apresentar varizes retais, que se manifestam de modo diferente que as hemorróifas.

11

Manometria anorretal de pacientes com doença hemorroidária exibe maior pressão de repouso. Verdadeiro ou Falso?

Verdadeiro. Pela hipertensão no coxim e não por hipertrofia esfincteriana.

A eletrossensividade e a sensação térmica estão diminuídas. A sensibilidade à distensão por balão e a frequência das oscilações elétricas da musculatura estão normais.

A importância clínica destes achados ainda está por ser comprovada.

12

Fatores que contribuem para virada para fase sintomatológica da doença anorretal: ... (2)

1) Trauma, principlamente após evacuações, causando sangramento em gotejamento ou esguincho, de forma intermitente. 2) Inflamação, levando à isquemia, tombose e hemorragia.

13

Quais são os sintomas mais frequentes da doença hemorroidária?

Sangramento, prurido perianal, dor ou desconforto local, prolapso, soiling, além de problemas relacionados à dificuldade de higiene local.

Diante de dor intensa pensar em trombose hemorroidária, ou associação com fissura anal ou abscesso perianal.

14

Características do sangramento associado com doença hemorroidária no canal anal:

Gotejamento ou esguicho, intermitente, sangue vermelho vivo, de pequeno volume, sem repercussão hemodinâmica. Mas, embora infrequente, pode causar anemia pela recorrência.

15

Classificação da doença hemorroidária, quanto à localização...

1) Hemorróidas internas - origem acima da linha pectínea, a partir do plexo hemorroidário superior, reobertas por epitélio colunar ou transicional.

2) Hemorróidas externas - origem abaixo da linha linha pectínea, a partir do plexo hemorroidário inferior, recoberto por epitélio escamoso.

3) Hemorróidas mistas - os dois plexos vasculares estão envolvidos.

16

Classificação da doença hemorroidária, segundo Graham-Stewart...

1) Hemorróida vascular - ingurgitamento dos coxins vasculares, mesmo na ausência de esforço excessivo, maior frequência em homens jovens. Sangramento ocorre facilmente e o prolapso é incomum.

2) Hemorróida mucosa - o prolapso é o principal problema, mais frequente em mulheres idosas.

Obs.: a combinação não é rara, podendo ocorrer em qualquer idade ou gênero.

17

Tradicional classificação da doença hemorroidária interna, segundo Denninson...

Primeiro grau: sangramento durante a evacuação, sem prolapso dos mamilos.

Segundo grau: prolapso durante esforço evacuatório, com ou sem sangramento, com retorno espontâneo.

Terceiro grau: prolapso espontâneo ou durante esforço evacuatório, com ou sem sangramento, com redução manual.

Quarto grau: permanece sempre exteriorizada, irredutível, com ou sem sangramento. Pode evoluir para isquemia, trombose ou gangrena.

18

Aspectos falhos da classificação clássica de Denninson para hemorróidas internas... (2)

1) Não inclui outros sintomas, como soling e desconforto anal. 2) Não incorpora o componente cutâneo, que pode, muitas vezes, gerar sintomas.

19

Classificação da doença hemorroidária externa segundo Gabriel...

1) Aguda - trombo.
2) Crônica - plicoma.

20

Classificação da doença hemorroidária externa segundo Buie...

1) Simples: abaulamento vinhoso, amolecido e indolor, dilatação das veias subcutâneas da margem anal. 2) Edematosa: por congestão e edema das veias da margem anal. 3) Trombose hemorroidária externa.

21

Modalidades terapêuticas não clínicas para abordagem da doença hemorroidária... (3)

1) Tratamento intervencionista não cirúrgico. 2) Hemorroidopexia - PPH (procedure for prolapsed haemorrhoids). 3) Hemorroidectomia.

22

Modalidades de tratamento intercencionista não cirúrgico da doença hemorroidária... (6)

1) meios químicos (escleroterapia); 2) meios mecânicos (ligadura elástica); 3) macroligadura elástica; 4) meios elétricos (fotocoagulação - IRC); 5) meios térmicos (crioterapia); 6) desarterialização doppler-guiada.

23

Mecanismos de ação da ligadura elástica no tratamento da doença hemoreoidária...(2)

1) estrangula os plexos hemorroidários - mediante isquemia causa amputacão dos plexos hemorroidários por necrose tissular.

2) promove fixação do epitélio do canal anorretal ao esfíncter anal subjacente fibrose na submucosa, por fibrose na submucosa, impedindo o deslocamento para baixo da almofada vascular.

24

Mecanismo da fotocoagulação por infravermelho nobtratamento da doença hemorroidária...

Coagulação dos vasos sanguíneos, evitando aderência dos tecidos ao cautério, como ocorreria com diatermia.

Pulsos de 1,5 seg de irradiação IV, elevação da temperatura a 100 oC, coagulação proteica de 3 mm de diâmetro, por 3 mm de profundidade.

A resposta tecidual ocorre no plano entre o tecido necrótico e o preservado. Tecido necrótico forma úlcera recoberta por granulação em 10 a 14 dias e reepiteliza em quatro semanas.

25

Mecanismo do PPH (procedimento para hemorróidas prolapsadas)...

Remoção de uma faixa anular e circular de mucosa e submucosa, acima da linha pectínea. Não é uma hemorroidectomia, mas uma hemorroidopexia.

Suspende e fixa os vasos hemorroidários, e interrompe o fluxo sanguíneo, persistindo os mamilos externos.

Técnica de Longo (1990): anopexia mecânica com grampeador circular adaptado para este procedimento.

26

Hemorroidectomia - descrição sucinta de técnica adequada...

Remoção dos mamilos hemorroidários internos e externos, com posterior fixação dos tecidos adjacentes, debelando os sintomas.

Aberta (Miligan-Morgan) - bordas cutâneo mucosas não suturadas, com cicatrização do leito cruento por segunda intenção. Técnica mais utilizada no mundo.

Fechada (Fergunson) - sutura-se as bordas cutaneomucosas.

Semifechada (Sokol, Obando, Ruiz-Moreno, Parks) - sutura-se parte dos leitos cruentos.

27

Classificação da doença hemorroidária interna segundo Lunniss-Mann...

0: coxins anais sem prolapso.

1: mamilos pequenos sem prolapso.

A partir do 2 tem prolapso:

2: mamilos intermediários, retorno espontâneo.

3: mamilos grandes, retorno manual.

4: mamilos muito grandes, irredutíveis.

28

Correlação entre classificação de Lunnis-Mann cim sintomas...

0: sangramento raro.

1: sangramento intermitente.

2: sangramento frequente e prurido.

3: + desconforto anal e plicoma.

4: + dor, soiling, trombose ocasional.

29

Correlação entre classificação de Lunnis-Mann e tratamento...

0: dieta, medicação.

1: escleroterapia, ligadura, grampeador.

2: se não responder, operação.

3: operação (técnica usual).

4: operação (pode prexisar de tecnicas modificadas).

30

Cirurgia de Sokol...

- Ponto com fio absorvível na base.
- Retalho triangular de pele é lavantado.
- Exérese do mamilo hemorroidário com preservação da pele do retalho levantado.
- bordas do epitélio incluindo retalho são suturadas.