Teste 2 Flashcards Preview

Microbiologia Médica II > Teste 2 > Flashcards

Flashcards in Teste 2 Deck (95)
Loading flashcards...
1
Q

Em caso de suspeita de bioterrorismo o médico veterinário deve estar alerta, comunicar ocorrências suspeitas, informar/educar agentes económicos e tem a obrigação de zelar e cumprir as regras de boas práticas sanitárias

A

V

2
Q

Existem 4 classes de risco de agentes biológicos e 4 classes de biossegurança dos laboratórios

A

V

3
Q

No nível 4 de biossegurança de um laboratório as instalações são isoladas, o acesso é restrito e o banho obrigatório

A

V

4
Q

Mutações cromossómicas traduzem-se numa alteração da estrutura (mutação cromossómica estrutural) ou do número (mutação cromossómica numérica) do cromossoma

A

V

5
Q

Mutação nas células germinativas ocorre durante a replicação de DNA que precede a meiose. A mutação afeta os gâmetas e todas as células que deles descendem após fecundação

A

V

6
Q

Mutações espontâneas são mais frequentes em genes de maior tamanho que, assim, têm uma maior probabilidade de sofrer alterações na sua sequência de bases

A

V

7
Q

As 4 bases nucleotídicas podem existir sob 2 formas diferentes, uma usual e outra muito rara

A

V

8
Q

Agentes mutagénicos são substâncias químicas ou mutações que aumentam a probabilidade de ocorrência de mutações

A

F (substâncias químicas ou radiações)

9
Q

Transformação é a transferência direta (por contacto intimo) da informação genética de uma bactéria dadora para outra recetora

A

F

10
Q

Plasmídeos conjuntivos são incapazes de iniciar a conjugação e, por esse motivo não há movimento independente para outra bactéria, mas podem ser transferidos com plasmídeos conjuntivos durante a conjugação

A

F

11
Q

Plasmídeos muito diferentes compartilham mecanismos de início de replicação e de partição para as células filhas

A

F (plasmídeos muito

semelhantes)

12
Q

Transdução restrita é a transferência de genes bacterianos entre células diferentes mediada por vírus que infetam bactérias (designados por bacteriófagos ou fagos)

A

F (transdução generalizada)

13
Q

Os vírus defetivos ou incompletos são aqueles cujo genoma possui um ou mais genes específicos, devido a mutação ou deleção

A

F (NÃO possui um ou mais

genes específicos)

14
Q

Os vetores de clonagem molecular são moléculas de DNA incapazes de amplificar, em centenas de cópias, a informação genética que neles foi inserida

A

F (CAPAZES)

15
Q

A escolha do processo do controlo microbiano não depende das características do produto a ser intervencionado

A

F

16
Q

A desinfeção destrói todos os microrganismos viáveis.

A

F

17
Q

A antissepsia é a redução da população microbiana a níveis compatíveis com
as exigência pública.

A

F (saneamento)

18
Q

Os microrganismos não podem ser removidos de líquidos por filtração

A

F (podem)

19
Q

A eficácia de um agente microbiano, como o microrganismo em particular, não pode ser determinada pela concentração e tempo de contacto com o desinfetante.

A

F

20
Q

Os antissépticos não devem ser considerados como medicamentos, sendo propriedade de no nível dos tecidos vivos (pele ou mucosas) eliminar, destruir ou inativar agentes microbianos

A

F

21
Q

As biguanidas são os desinfetantes mais utilizados no tratamento de água.

A

F (cloro e os seus compostos)

22
Q

O peróxido de hidrogénio é um antisséptico forte, mas um fraco desinfetante.

A

F (antissético fraco mas bom desinfetante)

23
Q

Shigella localiza-se no estômago com invasão e destruição da camada epitelial da mucosa.

A

F (localiza-se no íleo terminal e cólon)

24
Q

Yersiniose é causada principalmente por Yersinia intermedia.

A

F (Yersinia enterocolitica)

25
Q

Na yersiniose a principal via de transmissão é cutânea

A

F (transmissão feco-oral)

26
Q

Na campilobacteriose a carne de aves mal cozida é a fonte de infeção menos frequente.

A

F

27
Q

Campilobacteriose nos animais não é causa de abortos espontâneos, infertilidade, gastroenterites.

A

F (É causa…)

28
Q

A capsula, citocinas e ácido lipoteicopico são fatores de aderência em Streptoccocus.

A

F (são fatores de virulência)

29
Q

Os Streptoccocus são bacilos Gram positivos aeróbios facultativos.

A

F (são cocos…)

30
Q

As enterobacterias são membros da microbiota normal da pele, via respiratória e trato gastrointestinal.

A

F (são membros da microbiota normal do trato digestivo; os estafilococos são membros da microbiota normal da pele, via respiratória e trato gastrointestinal)

31
Q

Staphylococcus aureus multirresistentes não são causadores da infeção nosocomiais graves e em seres humanos, mas em animais.

A

F (são causadores)

32
Q

O satelitismo implica a formação de colunas satélites em meio enriquecidos.

A

F

33
Q

O fenómeno de campe caracteriza-se pela diminuição da magnitude do efeito hemolítico das hemolisinas do tipo B, produzidas pelo Streptococcus aureus, quando na presença de S. do grupo B.

A

F

34
Q

A piocina é uma bacteriocina produzida pelos S. pyogenes.

A

F (Produzidas por estirpes de Pseudomonas)

35
Q

As bacteriocinas exercem uma ação do tipo sinérgico, com as beta hemolisinas no sentido de aumentar os halos de hemólise no meio de agar de sangue.

A

F

36
Q

Os desinfetantes halogéneos podem ser subclassificados como 2 tipos: os iodados e os cloratos

A

V

37
Q

Os corantes verde brilhante e cristal violeta são considerados desinfetantes porque não permitem o crescimento de bactérias Gram positivas, em meio MacConkey.

A

F (suscetibilidade das Gram- e o cristal violeta é tbm fungicida)

38
Q

No método de diluição em meio solido agar para o estudo da atividade de um dado desinfetante são usadas diferentes placas de petri com diferentes razões de diluição do desinfetante em estudo com culturas da mesma estirpe bacteriana.

A

F

39
Q

A atividade dos antibióticos assenta na morte e inativação de microrganismos.

A

V

40
Q

Quando existe a possibilidade de um estudo concreto da infeção, sendo conhecido o efeito in vitro de um dado antibiótico, sobre a bactéria que causa a infeção, usa-se preferencialmente um antibiótico de estreito espetro de ação.

A

F

41
Q

O meio de crescimento MUELLER-HINTON usada na realização de antibiogramas, deve ser 4ml de altura na placa de petri.

A

F

42
Q

O sistema API é desenvolvido para identificação rápida de bactérias clinicamente relevantes.

A

V (segundo a wikipedia)

43
Q

O sistema de identificação rápida API 20E/NE combina alguns testes convencionais e permite a identificação de um número limitado de bactérias Gram negativas Enterobacteriaceae ou não Enterobacteriaceae.

A

F (identificação de Enterobacteriaceae e outras gram- não fastidiosas)

44
Q

Sobre fatores de virulência deteção

a) Os sideróforos são moléculas orgânicas que formam ligações estáveis com o ferro do solo, solubilizando e transportando-o
b) A coagulase permite proteger o agente patogénico da fagocitose, dos anticorpos e de outros mecanismos de defesa dos hospedeiros
c) A Dnase é facilmente detetável no meio agar DNASE através de uma reação metacromática (alteração da cor)
d) Todas as respostas estão corretas
e) Todas as respostas estão erradas

A

d)

45
Q

Sobre fatores de virulência deteção pela técnica de AGID:

a) A leitura da prova é efetuada com recurso a um leitor ótico (equipamento sofisticado)
b) A placa de Agar Noble com soros e o antigénio deve ser colocada num recipiente com papel seco
c) Um resultado é positivo se aparecer uma linha de precipitação de qualquer tipo devido à migração do antigénio e do anticorpo
d) A prova deve ser lida às 14h, às 18h e as 24h após a sua execução
e) Todas as respostas estão corretas
f) Todas as respostas estão erradas

A

c)

a) devia ser vê-se o olho nú
b) devia ser o teste de AGID tem de ser ambiente húmido
d) devia ser às 48h

46
Q

A taxonomia bacteriana é regida pelo código internacional de nomenclatura bacteriana – Manual de Bergey (Livro referência para classificação e identificação bacteriana de interesse médico, industrial ou ecológico.

A

V

47
Q

Espécie é um grupo de estirpes com alto grau de semelhança nas suas propriedades e que diferem de forma significativa de outras estirpes.

A

V (é a unidade taxonómica básica; estirpe: população bacteriana que descende de uma única célula)

48
Q

Nas galerias APl o Agrupamento de unidades taxionómicas, por métodos numéricos baseia-se num grande nº de caracteres.

A

V (cada caracter tem peso

idêntico, a identidade é a proporção de caracters comuns)

49
Q

Na PCR a amostra de DNA não necessita de estar altamente purificada.

A

V

50
Q

O produto da PCR pode ser digerido com enzimas de restrição, sequenciado ou clonado.

A

V

51
Q

As colónias de Mycoplasma geralmente têm a forma de ovo estrelado

A

V

52
Q

Mycoplasma produzem enzimas proteolíticas potentes que lisam o soro.

A

V

53
Q

A maioria de Mollicutes é fastidiosa e requer suplemento de soro e extrato de levedura.

A

V (Requer também ácidos gordos não saturados, colesterol e NAD.)

54
Q

Anaeroplasma é anaeróbio obrigatório.

A

V

55
Q

As clamídeas são incapazes de obter energia por atividade metabólica - defetivas em ATP

A

V

Bactérias Gram-negativas e parasitas endocelulares obrigatórias

56
Q

As formas não proliferativas infeciosas das clamídeias são os corpos elementares.

A

V

As formas proliferativas não infeciosas são os corpos iniciais ou reticulados

57
Q

Todas as riquétsias se multiplicam por cissiparidade e estão associados a vetores invertebrados.

A

V

58
Q

O ciclo biológico de Coxiella burnetii tem uma fase que inclui estruturas semelhantes a endósporos.

A

V

59
Q

Ehrlichieae são parasitas riquetsiais dos glóbulos brancos, com parede celular e multiplicação dentro de vesículas intracitoplasmáticas.

A

V

60
Q

A replicação do DNA bacteriano é semi-conservativa.

A

V

61
Q

A conjugação é a transferência direta (por contato íntimo) da informação genética de uma bactéria dadora para outra recetora.

A

V

62
Q

Os plasmídeos conjuntivos contém um gene chamado tra-gene, que pode iniciar a conjugação.

A

V

63
Q

Os plasmídeos não conjuntivos podem ser mobilizados, isto é, podem ser transferidos para outras bactérias, em conjunto com plasmídeos conjuntivos.

A

F

64
Q

É o processo pelo qual duas estirpes diferentes de vírus, se combinam para formar um novo subtipo, tendo uma mistura de antigénios de superfície das duas estirpes originais.

A

V - Variação (alteração) Antigénica

65
Q

A complementação pode ocorrer durante uma infeção mista em que um dos vírus é deficiente em um dos seus produtos génicos.

A

V

66
Q

Os vírus defetivos ou incompletos são aqueles cujo o genoma não possui um ou mais genes específicos, devido a mutação ou deleção.

A

V

67
Q

Os vetores de clonagem molecular são moléculas de DNA capazes de amplificar, em centenas de cópias a informação genética que neles foi inserida.

A

V

68
Q

Os cosmídeos são plasmídeos (com origem de replicação e genes que conferem resistência a antibióticos), que contém um fragmento de DNA do fago λ incluindo o local cos.

A

V

69
Q

Os fagemídeos apresentam uma zona versátil de múltiplos locais de clonagem o que permite a clonagem de genes grandes, sem muita dificuldade.

A

V

70
Q

O “fingerprinting” do DNA consiste no uso de DNA para identificar uma pessoa, sendo um poderoso instrumento para testes de paternidade, investigações criminais e outras aplicações forenses.

A

V

71
Q

Em relação a agentes usados em bioterrorismo, um bom agente biológico deve ser transmissível de pessoa para pessoa e ter uma baixa dose infeciosa.

A

F

72
Q

A toxina botulínica pode causar a morte por asfixia.

A

V

73
Q

Bacillus anthracis atinge todas as espécies de mamíferos, sendo os herbívoros e o homem mais suscetíveis.

A

V (pássaros, carnívoros e répteis- mais resistentes)

74
Q

A desinfeção não destrói os microrganismos viáveis. Porém, elimina os potenciais agentes patogénicos do objeto, superfície ou local.

A

V

75
Q

Sanitização é o tratamento destinado a reduzir as contagens microbianas nos utensílios alimentares até níveis seguros

A

V

76
Q

Um antisséptico é um agente químico que destrói ou inibe o crescimento microbiano nos tecidos vivos

A

V

77
Q

O peróxido de hidrogénio pode ser usado em superfícies contaminadas e ferimentos profundos.

A

V

78
Q

Na campilobacteriose a carne de aves mal cozida é a fonte de infeção mais frequente.

A

V

79
Q

A campilobacteriose nos animais (C.fetus) causa abortos espontâneos, infertilidade, gastrenterites.

A

V

80
Q

A cápsula, citotoxinas e ácido lipoteicoico são fatores de virulência em estreptococos

A

V

81
Q

Os estreptococos são cocos Gram positivos aeróbios facultativos.

A

V

82
Q

Os estafilococos são membros da microbiota normal da pele, via respiratórias e trato gastrintestinal.

A

V

83
Q

S. aureus multirresistentes são causadores de infeções nosocomiais (hospitalares) graves em seres humanos.

A

V

84
Q

A prova da catálase diferencia estafilococos de Staphylococcus (+) de Streptococcus (-) porque os primeiros são catálase positiva.

A

V

85
Q

A respeito das interrelações microbianas

a) O satelismo implica a formação de colónias satélite em meios enriquecidos.
b) O fenómeno de CAMP caracteriza-se pelo aumento da magnitude do efeito hemolítico das hemolisinas do tipo β produzidas pelo Staphylococcus aureus quando na presença de Streptoccocus do grupo B.
c) A piocina é uma bacteriocina produzida pelos Streptoccocus pyogenes.
d) As bacteriocinas exercem uma ação do tipo sinérgico com as β-hemolisinas, no sentido de aumentar os halos de hemólise no meio agar sangue.

A

b)

86
Q

A reação em cadeia da polimerase (PCR)

a) É uma técnica com elevada sensibilidade
b) É uma técnica que demonstra a presença do DNA do agente, mas não confirma a existência de doença.
c) A enzima Taq polimerase utilizada nas reações de PCR é produzida uma bactéria psicrófila.
d) As fases da reação seguem a seguinte sequência: desnaturação, ligação dos primers ou iniciadores, extensão.

A

a) e d)

87
Q

Os plasmídeos metabólicos são plasmídeos de virulência que codificam fatores de virulência como toxinas.

A

F

88
Q

Na identificação de microrganismos podemos usar técnicas genotípicas que implicam estudos da proporção “citosina-guanina” na molécula de DNA e o grau de homologia através da hibridação

A

V

89
Q

As clamídeas são parasitas celulares obrigatórios.

A

V

90
Q

Coxiella burnetii é uma riquétsia, parasita intracelular obrigatório que tem uma fase que inclui
estruturas semelhantes a endósporos

A

V

91
Q

Erliquias são parasitas riquetsiais dos glóbulos brancos

A

V

92
Q

A cápsula, citotoxinas e ácido lipoteicoico são fatores de virulência em estreptococos.

A

V

93
Q

Os estreptococos são cocos Gram positivos aeróbios facultativos

A

F (anaeróbios facultativos)

94
Q

Os estafilococos são membros da microbiota normal da pele, via respiratórias e trato gastrintestinal.

A

F (não faz parte do gastro intestinal)

95
Q

S. aureus multirresistentes são causadores de infeções nosocomiais (hospitalares) graves em seres humanos.

A

F (resistentes à meticilina)