Tireoide Flashcards Preview

Anatomia Patológica 2 > Tireoide > Flashcards

Flashcards in Tireoide Deck (36)
Loading flashcards...
1

Lobo tireoideano presente em 40% dos indivíduos

Lobo piramidal

2

Quais células estão presentes em uma tireoide normal?

Qual sua função?

Células foliculares (Tireócitos ou células A)

- Céls. Cuboides

- Camada única formando folículos

- Coloide (tireoglobulina)

- Produzem T3 T4

Células parafoliculares (Células C)

- Neuroendócrinas

- Produzem Calcitonina

3

Manifestações clínicas do Hipertireoidismo

1. Taquicardia

2. Inotropismo positivo

3. Arritmias

4. Exoftalmia

5. Perde de pelos

4

Manifestações clínicas do hipotireoidismo

1. Bradicardia

2. Constipação

3. Cretinismo

4. Mixedema

5

Quais exames complementares ajudam o diagnóstico clínico de doenças da tireoide?

1. USG

2. Cintilografia

6

O que é o bócio?

Como pode ser classificado? (3)

É o aumento volumétrico da tireoide

Podem ser classificados quanto à:

Distribuição no parênquima ➡️ Difusos ou nodulares

Produção de hormônios ➡️ Tóxicos ou atóxicos

Prevalência na população ➡️ Endêmicos ou esporádicos

 

7

Qual tipo de bócio presente na doença de Basedow-Graves?

Bócio difuso tóxico

8

Explique a fisiopatoligia da doença de Basedow-Graves

Consiste numa doença auto-imune com formação de anticorpos anti-receptor de TSH, estimulando-o.

Acabam por estimular a proliferação do epitélio folicular e a síntese de hormônios tireoideanos

9

Macroscopia da doença de Basedow-Graves

1. Glândula aumentada de peso e volume, consistência firme e bem vascularizada

2. Cápsula espessa e edematosa com focos de hemorragia subcapsulares

3. Colagenização do tecido fibrogorduroso adjacente, formando aderências entre a glândula e os tecidos vizinhos

4. Hiperplasia, hipertrofia, aumento da pinocitose e aumento da superfície de contato

5. Ao corte: Aspecto carnoso c/ vasos congestos, coloração castanho amarelada (Hormônios são amarelos)

6. Ausência de nódulos

 

10

Microscopia da doença de Basedow-Graves

1. Hiperplasia do epitélio folicular, que passa a ser cilíndrico e forma papilas que se projetam na luz dos folículos

2. Céls. c/ núcleos alongados, hipercromasia e citoplasma eosinofílico

3. Estroma bem desenvolvido e ricamente vascularizado, contando infiltrado linfocitário abundante, formando nódulos e folículos linfoides por todo o parênquima

4. Infiltrado linfoide na cápsula, tecido fibroso adjacente e na musculatura regional

5. ↑ Duração/gravidade da doença; ↓ Quantidade de coloide 

11

Fisiopatologia do bócio nodular atóxico

↓ disponibilidade de iodo → ↑ TSH → Hipertrofia inicialmente → Hiperplasia →  Longo prazo: Não sintetiza mais T3 e T4 mas continuam produzindo tireoglobulina → Acúmulo nos folículos aumentando sem tamanho

Glândula se torna total ou parcialmente hipofuncionante (atóxica) e aumentada de volume (bócio)

 

 

12

Explique o primeiro estágio de desenvolvimento do bócio nodular atóxico

Ocorre hiperplasia difusa, caracterizando esse bócio ainda como bócio difuso atóxico

↑ Volume da tireoide

↑ Vascularização (captar mais iodo)

Epitélio folicular torna-se alto e os folículos são numerosos

13

Explique o segundo estágio de desenvolvimento do bócio nodular atóxico

Conhecido como bócio coloide, há acúmulo de coloide nos folículos que se distendem e aumentam de volume

A maioria dos folículos distendidos não capta iodo radioativo e não sintetiza hormônios

14

Explique o terceiroestágio de desenvolvimento do bócio nodular atóxico

Surgem os nódulos, que são formados por folículos hiperextendidos desprovidos de função

- Nódulos não encapsulados, bem delimitados por tecido conjuntivo e com diâmetro variado

Distensão dos folículos → Compressão de vasos → Áreas de infarto ou hemorragia → Pseudocistos, fibrose, hialinização depósitos de hemossiderina ou calcificação 

Ao corte: áreas ora translúcidas, ora compactas, ao lado de cistos de conteúdo coloide ou sanguíneo, envolvidos por traves fibrosas e focos de calcificação

15

Explique a fisiopatologia de Tireoidite de Hashimoto

Consiste na destruição autoimune da tireoide, gerando falência gradual da função tireoideana. Acompanha infiltrado linfoide e atrofia do parênquima.

Deficiência de céls. T supressoras + aparecimento de linfócitos T-helper específicos para ag tireoideanos → Linfócitos T citotóxicos contra céls. foliculares + síntese de ac antitireoide (anti-TG, anti-TPO, antitransportador de iodetos e antirreceptores de TSH)

Antitransportadores de iodeto impedem transporte de iodo p/ folículo → Deficiência na síntese de hormônios tireoideanos 

Linfócitos T citotóxicos → Destruição progressiva do parênquima

16

Macroscopia da Tireoidite de Hashimoto

- Tireoide simetricamente pouco aumentada, aspecto lobulado e consistência firme-elástica. Pode estar aderida a estruturas vizinhas

- Ao corte: Coloração variada com áreas brancacentas (endurecidas e pouco definidas devido à fibrose), amareladas e avermelhadas

 

 

17

Microscopia da Tireoidite de Hashimoto

Extenso e intenso infiltrado linfoplasmocitário → nódulos/folículos linfoides com centros germinativos exuberantes

Células Oxifílicas - Modificação de céls foliculares. Volumosas, nucléolo evidente, núcleos redondos e pleomórficos revestindo folículos pequenos ou formando aglomerados

- Fase avançada → Hipotrofia acentuada (raros folículos, tecido fibroso e infiltrado mononuclear)

18

Quais as neoplasias malignas de tireoide bem diferenciadas?

Carcinoma papilífero e Carcinoma folicular

19

Características gerais do Carcinoma Papilífero

- Neoplasia mais comum

- Indolentes com prognóstico muito bom

- Invade vasos linfáticos (metastase p/ linfonodo cervical)

- Lesões linfonodais podem ser observadas anos depois do tto cirurgico da lesão inicial

- Pode ser Oculto ou Manifesto

20

Quais tipos do Carcinoma papilífero Oculto?

Descreva a macroscopia dessa neoplasia

Esclerosante → Abundante reação desmoplásica (crescimento fibroso)

Não Esclerosante → Sem reação desmoplásica

 

Lesão compacta (até 1 cm) , brancacenta, consistência firme e limites imprecisos. 

21

Formas de apresentação do Carcinoma papilífero manifesto

Descreva a lesão macroscópica

Lesão encapsulada: Baixo grau de malignidade

Forma invasiva: Situado em apenas um lobo

Forma difusa: Se estende aos 2 lobos e o istmo, metástases linfonodais bilaterais

 

Ao corte: Lesão com forma irregular, aspecto fosco, coloração brancacenta. Pode ser sólido ou cístico.

22

Microscopia do Carcinoma papilífero

- Presença de papilas sustentadas por um eixo fibrovascular

- Núcleos redondos com cromatina dispersa em grãos finos → aspecto nuclear de vidro esmerilhado

- Pseudoinclusões intranucleares 

- Estroma se distribui em forma arboriforme acompanhando as papilas

Corpos psomatosos → Corpúsculo calcificado no eixo fibroso da papila ou no estroma tumoral

23

O diagnóstico de carcinoma papilífero é baseado exclusivamente nas características nucleares

Verdadeiro ou Falso?

Verdadeiro

24

Corpos psomatosos do carcinoma papilífero só são encontrados nas metástases linfonodais se presentes na neoplasia primária

Verdadeiro ou Falso?

Falso

Podem ser encontrados em metástases linfonodais mesmo quando ausentes na neoplasia primária

25

Características gerais do Carcinoma folicular

Quais suas formas macroscópicas?

- 2º tipo mais comum

Disseminação hematogênica

 

Pode ser:

1. Nodular → Circunscrita (menos maligna)

2. Difusa/Invasiva → Aumento volumétrico irregular da tireoide

26

Qual o precursor do Carcinoma folicular

Adenoma Folicular

27

Microscopia do Carcinoma folicular

- Estruturas foliculares c/ quantidade variável de coloide

-  Céls. foliculares c/ pleomorfismo discreto, são menores que as do carcinoma papilar

- Núcleo com cromatina em grumos grosseiros

- Estroma delicado e pouco desenvolvido

28

Características gerais do Carcinoma Medular

- Se origina das células C (tumor neuroendócrino)

- Secreta calcitonina, prostaglandinas, ACTH, VIP e serotonina

- Dosagem de calcitonina é importante no diagnóstico

- Metástase p/ linfonodo cervical

-  Formas Esporádica e Familiar

29

Macroscopia do Carcinoma Medular

- Massa única, firme, branco-acinzentada bem circunscrita e não-encapsulada

- Pode haver áreas de calcificação, zonas hemorrágicas ou de fibrose

 

30

Microscopia do Carcinoma Medular

Células esferoidais ou poliédricas, citoplasma escasso e granular

- Céls. formam massas, ilhotas, lâminas ou trabéculas circundadas por estroma fibroso denso contendo corpos calcáreaos (pode simular corpo psomatoso) e massas de substância amiloide

Material amiloide (róseo, homogêneo, acelular) no interior das céls tumorais, no intestício e perivascular

31

Marcadores de Carcinoma Medular

Imunohistoquímica positiva para sinaptofisina, cromogranina, somatostatina e antígeno carcinoembrionário (CEA)

32

Características gerais do Carcinoma indiferenciado da tireoide

- Neoplasia primária tireoideana mais maligna, mas também a menos comum

- Evidente invasão do parênquima tireoideano adjacente

- Atinge também estruturas vizinhas (esôfago, traqueia)

33

Microscopia do Carcinoma indiferenciado (anaplásico)

3 tipos histológicos

1. Células pequenas → Forma esferoidal c/ volume e morfologia uniformes, mitoses numerosas formando massas compactas

2. Células muito pleomórficas, por vezes gigantescas, multinucleadas com numerosas mitoses atípicas

3. Células fusiformes

 

Alguns autores incluem o terceiro tipo no segundo levando a apenas 2 classificações: pequenas células e células gigantes

34

Marcador do carcinoma indiferenciado (anaplásico)

Marcador de proliferação celular Ki-67

35

O Carcinoma indiferenciado (anaplásico) não possui lesão precursora

Verdadeiro ou falso?

Falso

Em algumas áreas, encontram-se estruturas foliculares e papilares sugestivas de que o Carcinoma indiferenciado possa ter se originado de carcinoma folicular e carcinoma papilífero

36

carcinoma indifirenciado (anaplásico) pode metastizar pelas vias linfática e hematogênica

Verdadeiro ou Falso?

Verdadeiro