Ap 8-Emergências Pediátricas Flashcards Preview

Pediatria > Ap 8-Emergências Pediátricas > Flashcards

Flashcards in Ap 8-Emergências Pediátricas Deck (18):
1

Papéis da Insulina:
1-No fígado;
2-Nos mm;
3-No tec adiposo.

1)Fígado: aumenta a captação de glicose, estimula a síntese de glicogênio e aumenta a síntese de lipídios (lipogênese);
2) Músculo esquelético: aumenta a captação de glicose e a sua oxidação energética, estimula a síntese de glicogênio e estimula a síntese de proteínas;
3) Tecido adiposo: estimula a captação de glicose e triglicerídeos e aumenta a síntese de lipídios (lipogênese).

2

Qual o nível de saturação renal de glicose ?

180mg/dL

3

Fisiopatologia da CAD

1)Glicosúria->perda de glicose, água e eletrólitos;
2)Polidipsia
3)Aumento de hormônios contra-rreguladores(cortisol, GH, glucagon, adrenalina)-> aumentam hiperglicemia e síntese de cetoácidos pelo fígado (acetoacetato e beta-hidroxibutirato);
4) Cetoácidos-> acidose metabólica, e o excesso de CO2 tenta ser eliminado através dos pulmões pela hiperventilação (respiração de Kussmaul), desidratação (cetonúria), dores abdominais, náuseas, vômitos e fraqueza.

4

CAD - O estado de depleção do potássio corporal se deve a:

1) efeito caliurético da aldosterona;
2) perda do potássio intracelular pela acidose;
3) perda do potássio pelos rins em função da glicosúria e cetonúria.

5

Critérios Diagnósticos para Diabetes Mellitus (DM)

Sintomas (poliúria*, polidipsia, perda de peso, glicosúria e cetonúria) + glicemia plasmática aleatória ≥ 200 mg/dl. OU
Glicemia de jejum ≥ 126 mg/dl. OU
Glicemia duas horas após o teste de tolerância
oral com glicose (75 g ou 1,75 g/kg) ≥ 200 mg/dl. OU
Hemoglobina glicada ≥ 6,5%.

6

Manifestações Clínicas da CAD

 Desidratação.
 Ritmo respiratório de Kussmaul.
 Náusea, vômitos e dor abdominal.
 Alterações do nível e conteúdo da consciência.
 Leucocitose com desvio à esquerda.
 Elevação da amilase.
 Febre, apenas se infecção estiver presente.

7

Critérios Bioquímicos para CAD

 Hiperglicemia (glicemia sérica > 200 mg/dl).
 Acidose metabólica: pH < 7.3 ou HCO3 <15 mmol/L.
 Cetonemia ou cetonúria (EAS: cetonúria >3+).

8

Alterações oftalmológicas nas Intoxicações exógenas...

Midríase: Anticolinérgicos(não faz miose), Simpaticomiméticos e serotoninérgicos
Miose: Opioide e Colinérgicos
Nistagmo: Etanol e anticonvulsivantes

9

O carvão ativado pode ser usado nas intoxicações por quais drogas ?

antidepressivos tricíclicos, anticonvulsivantes (ex.: fenobarbital, fenitoína e carbamazepina), AAS, metotrexato e digitálicos.

10

Como é a Px do Carvão ?

A dose recomendada é 1 g/kg/dose (máximo de 50-100 g), podendo ser repetido (0,25-0,5 g/kg/dose) após
2-4h, Via SNG.

11

Como realizar Lavagem gástrica ?

Pct em decúbito lateral esquerdo, via SNG:
SF 0,9% ou bicarbonato de sódio 0,3% na dose de 10-15 ml/kg/vez para crianças ou 250 ml/vez para adultos.

12

Como realizar Lavagem intestinal ?

polietilenoglicol – 30 ml/kg/hora, Via SNG

13

Correlacionar antídoto com as drogas:
1Ácido folínico.
2N-acetilcisteína.
3Anticorpo antidigoxina.
4Atropina.
5Biperideno.

Ácido folínico. Metotrexato, pirimetamina, trimetoprim.
N-acetilcisteína. Paracetamol.
Anticorpo antidigoxina. Glicosídeos digitálicos.
Atropina. Inseticidas carbamatos e organofosforados, fisostigmina.
Biperideno. Reações extrapiramidais induzidas por alfametildopa, metoclopramida,
haloperidol.

14

Correlacionar antídoto com as drogas:
1Deferoxamina.
2Difenidramina.
3Fisostigmina.
4Flumazenil.
5Naloxone.
6Piridoxina (B6).

Deferoxamina. Ferro.
Difenidramina. Metoclopramida.
Fisostigmina. Drogas com efeito anticolinérgico, tais como antidepressivos tricíclicos,
anti-histamínicos.
Flumazenil. Benzodiazepínicos.
Naloxone. Opioides (ex.: codeína, morfina e fentanil) e overdose de ácido valproico.
Piridoxina (B6). Isoniazida.

15

Urticária:
1. Anti-histamínicos H1, quais as gerações?

Primeira geração: hidroxizine e difenidramina,
ambos com efeitos sedativos.
Segunda geração: fexofenadina, loratadina,
desloratadina, cetirizina, com menos efeitos
sedativos e maior duração.

16

Quais as vias fisiopatológicas da urticária ?

Via IgE (ex.: alérgenos inoculados sistemicamente como alimentos, picada de insetos e drogas, ou alérgenos
diretamente em contato com a pele, como pelos
de animais e látex)
reações não mediadas por IgE (ex.: contrastes, AINEs, opioides, vírus da hepatite B e EBV).

17

Critérios diagósticos de Anafilaxia:

1. Início agudo com manifestações de PELE e/ou MUCOSAS +1:
 Manifestações RESPIRATÓRIAS;
 Manifestações CARDIOVASCULARES;

2. Início AGUDO da doença, após a exposição a um alérgeno PROVÁVEL, com dois ou mais das seguintes:
 Manifestações de PELE e/ou MUCOSAS;
 Manifestações RESPIRATÓRIAS;
 Manifestações CARDIOVASCULARES
 Manifestações GASTROINTESTINAIS persistentes
(ex.: cólicas abdominais, vômitos).

3. Início AGUDO de HIPOTENSÃO, após a
exposição a um alérgeno CONHECIDO:
 Crianças: PAs abaixo de 70 mmHg em lactentes
menores de um ano ou PAs abaixo de
70 + (idade em anos) para crianças entre um
a dez anos;

18

Anafilaxia - tratamento

1-CAB
2-Adrenalina (medicação mais importante):
EV ou IM. 0,01 mg/kg (máximo de 0,5 mg). A dose poderá ser repetida a cada dez minutos, por três vezes.
3-HV: 30mL/kg;
4-Nebulização com B2-Agonista;
5-Corticoides: metilprednisolona 1-2 mg/kg IM ou EV 6/6hs
O paciente deverá permanecer na emergência
em observação por quatro horas.