Doenças Exantemáticas 😡 Flashcards Preview

Pediatria > Doenças Exantemáticas 😡 > Flashcards

Flashcards in Doenças Exantemáticas 😡 Deck (64):
1

Qual período de transmissibilidade do Sarampo?

Ainda na fase prodrômica- três dias antes do início do exantema até 4/6 dias após erupção cutânea.
Ápice: dois dias antes e após surgimento do exantema.
OBS.: atenção para dado de viagem ou contato com viajante do exterior.

2

Como se caracteriza a fase prodrômica do Sarampo?

1. Febre alta- pico no início do exantema. Progressivamente crescente e progressivamente decrescente.
2. Conjuntivite - com fotofobia e não purulenta
3. TOSSE - presente em todo quadro clínico, se mantém após exantema. Produtiva ou seca.
4. MANCHAS DE KOPLIK - PATOGNOMÔNICO - Enantema na mucosa oral/vaginal/conjuntiva. Lesões brancoazuladas com halo de hiperemia na altura do pre molar. 1-4 dias antes do exantema.

3

Qual a faixa etária mais predisposta a sarampo?

Primeira dose da vacina ( vírus vivo atenuado) - 12 meses.
Até então a imunidade é garantida pelos anticorpos maternos, não sendo então definitiva ( temporária).

4

Característica do Exantema do Sarampo

- Surge no pico da febre
- Progressão Craniocaudal lenta ( Implantação do cabelo, Retroauricular e nuca)
- Acometimento palmo plantar 50%
- Morbiliforme
- Descamação furfurácea

5

Quais outras apresentações de Sarampo podem ser encontradas?

1. Forma atípica: febre alta e cefaleia. Rash evoluía para petequeia/púrpura, progressão centrípeta. Complicava com pneumonia e derrame pleural.
2. Infecção Inaparente/ Subclinica: não são infectantes. Pródromos e exantema leves e tempo de incubação maior.

6

Qual a principal causa de morte no sarampo?

Pneumonia: Dois mecanismos
1. Lesão direta do vírus - pneumonia por células gigantes
2. Superinfecção bacteriana - S. Pneumoniae, H. Influenza, S. Aureus)

7

Qual a principal complicação do Sarampo?

Otite média aguda
OBS.: PRINCIPAL COMPLICAÇÃO EM TODAS AS IVAS.

8

Qual relação existe entre Sarampo e Tuberculose?

Focos de TB podem se reativar no Sarampo. A imunossupressão torna o teste tuberculínico negativo temporariamente.

9

Qual a única droga capaz de reduzir mortalidade/morbidade/casos graves de sarampo?

Vitamina A. Hipocritamente A é fator de risco definido.
2 doses: 1º no diagnóstico 2º no dia seguinte.
Dose: < 6m 50.000 UI em cada dose
6m-12m 100.000Ui em cada dose
>12m 200.000UI em cada dose

10

Como é feita a profilaxia pre exposição para sarampo?

Vacina: 2 doses. Vírus vivo atenuado.
Tríplice Viral aos 12 meses e Tetra viral aos 15 meses.
Adultos e adolescentes não vacinados: tríplice viral.
Até 29 anos: 2 doses. 30-49 anos: uma dose.

11

Como é realizada profilaxia pós exposição?

6m-39 anos: Vacina até 72h. O tempo de produção de anticorpos após aplicação da vacina é menor que o tempo de incubação da doença.
OBS.: crianças entre 6m-1ano que receberem a vacina não contabiliza como dose do calendário vacinal básico. Deverão receber 2 doses normalmente.
< 6m/Gestante/imunocomprometidos - imunoglobulina PADRÃO até 6 dias.

12

Qual período de transmissão da rubéola?

5 dias antes e seis dias após o início do Rash.

13

Quais características marcam a fase prodrômica da rubéola?

Crianças: normalmente inexistente.
Adultos: linfoadenomegalia - cadeia cervical posterior, suboccipital e Retroauricular. Febre baixa, conjuntivite, dor de garganta.

14

Como se apresenta a fase exantemática da rubéola?

-Rash rubeoliforme ( mais brando e róseo que o Morbiliforme do sarampo.
-Quadro não ultrapassa 3 dias.
-Progressão rápida, de modo que quando evidenciado no tronco já não presente na face.
-Não apresenta descamação
- MANCHAS DE FORCHHEIMER: lesões puntiformes no palato mole,que aparecem junto ao exantema.

15

Qual a principal complicação da rubéola?

-Artrite: Mulheres jovens, autolimitanda, pequenas articulações de mão. Surge semanas após exantema.
- Nas crianças, a mais comum é trombocitopenia, se apresentando com petequias, epistaxe, hematuria, sangramento TGI. Autolimitado.
RARO: Encefalite pós infecciosa e Panencefalite progressiva

16

Como é feita a prevenção para Rubéola?

Pre exposição: Vacina tríplices e tetra viral.
Pôs exposição: Vacina em susceptíveis a depender do cartão vacinal - tríplice ou tetra - até 72h.

17

Qual agente etiológico do Eritema Infeccioso? Qual faixa etária mais comum?

Parvovírus B19
5 - 15 anos.

18

Quais as principais consequências da infecção pelo Parvovírus B19?

Gestante: Anemia grave no feto, IC de alto débito fetal, Hidropsia fetal ( NÃO IMUNE).
Portadores de hemólise crônica: Aplasia medular crônica- Crise aplásica
Imunocomprometidos: infecção crônica pela Parvovírus B19.
Síndrome papular purpúrica em luvas e meias: febre + prurido + edema doloroso de mãos e pés + púrpura em cavidade oral.
Miocardite

19

Como se caracteriza o exantema do Eritema Infeccioso?

ATENÇÃO: quando ocorre exantema não é mais contagioso.
1º fase: face esbofeteada. 17-18 dias após infecção.
2º fase: eritema rendilhado ( clareamento central)- tronco e MMSS proximais ( face extensora). 1-4 dias após. Pouca região palmoplantar.
Desaparece sem descamação.
3º fase: recidiva após sol, estresse, exercício e calor. 1-3 semanas.

20

Em que condição podemos utilizar alguma terapia na Rubéola?

Trombocitopenia grave - Imunobiológicos e Glicocorticoides

21

Quando podemos realizar medidas de suporta no eritema infeccioso?

Hemolíticos crônicos e Infecção fetal - Hemotransfusão
Imunodeprimidas ( anemia crônica + supressao medular) - Imunoglobulina EV
HIV + - TARV

22

Qual o agente etiológico do exantema súbito? Qual a faixa etária mais prevalente?

Herpes vírus Humano tipo 6 A e B e tipo 7 ( menos comum)
Lactentes 6-9meses

23

Qual imunidade é crucial para defesa do Eritema infeccioso?

Humoral

24

Qual imunidade é crucial para proteção no Exantema súbito?

Celular

25

Como se apresenta o rash do exantema súbito?

-Surge após desaparecimento da febre alta;
- Distribuição centrífuga: pior no tronco
- Desaparece na digitopressão
- Não descama

26

Qual a complicação mais comum no Exantema Súbito?

Convulsão - Crise Febril

27

Quando indicamos tratamento no exantema súbito com Ganciclovir/Cidofovir/Foscarnet?

Encefalite ou
PALE (Encefalite Límbica pós transplante): pós tx de células tronco hematopoieticas. Perda de memória, confusão e insônia com convulsões.

28

Qual agente etiológico da Varicela?

Varicela-Zoster vírus. Família Herpes-Virus.

29

Qual período de incubação da Varicela? Qual período de transmissibilidade?

Incubação: 10-21 dias
Transmissibilidade: 2 dias antes do exantema até todas as lesões tornarem-se crostosas.

30

Qual tipo de imunidade torna a Varicela autolimitada?

Celular

31

Como se caracteriza o exantema da Varicela?

- Polimorfo: Macula-Papula-Vesicula-Pústula-Crosa
- Distribuição Centrípeta: maior quantidade no centro do corpo ( couro cabeludo, face e tronco)
- Disseminação centrífuga: do centro para extremidades.
- Pruriginoso.

32

Quando a infecção materna pelo vírus Varicela-Zoster representa alto risco para o feto?

5 dias antes do parto até 2 dias após o parto.

33

Qual diferença entre Varicela no período neonatal e Síndrome da Varicela congênita?

A Varicela congênita ocorre quando a mãe se infecta no início da gestação (20 semanas), de modo a gerar malformações.
Se caracteriza por: lesões cicatriciais, hipoplasia de membros, malformações renais,oculares, neurológicas e sistema nervoso autônomo.
A Varicela neonatal ocorre infecção materna periparto e o RN terá clinica nas primeiras semanas de vida.
OBS.: Maior risco de herpes zoster na infância nessas duas situações.

34

Quais as principais complicações da Varicela?

Crianças: infecções bacterianas secundárias - Mais comum - Febre persiste por mais de 4 dias do início do exantema. Base hiperemiante maior que o esperado para a lesão.
Adultos: pneumonia - maior mortalidade.
Meningoencefalite ( Rigidez de nuca+Alteração do NC + convulsões)
Síndrome de Reye (Disfunção hepática-NAO Ictérica-degeneração gordurosa do fígado+hipoglicemia+encefalite) - óbito por hipertensão intracraniana e herniação
Ataxia cerebelar aguda*/Cerebelite ( Resolução espontânea,alteração do equilíbrio, da fala e nistagmo). Pode ocorre pre/pós lesões.
Hepatite leve
Trombocitopenia

35

Como pode evoluir a Varicela em pacientes Imunocomprometidos?

Forma Sistêmica: prolongamento das lesões, envolvimento visceral, hemorragias, coagulopaia, dor abdominal intensa.
Raro nas crianças hígidas.

36

Quais indicações para tratamento Oral com Aciclivir Na Varicela ?

1. Maiores de 12 anos não gestantes
2. Maiores de 12 meses com acometimento crônico cutâneo ou pulmonar
3. Uso de corticoide inalatório ou dose não imunossupressores de corticoide
4. Segundo caso da família
5. Uso crônico de salicilatos
Dose: 20mg/kg/dose (MAX800),6/6h, por 5 dias
Início: preferível nas primeiras 24h até 72h no máximo.

37

Quais indicações para o tratamento intravenoso com Aciclivir na Varicela?

1. Imunocomprometidos
2. Acometimento Visceral
Dose: 500mg/m2/dose, 8/8h,7-10 dias ou até 48h após surgimento da última vesícula
3. Doenca neonatal
Dose: 10mg/kg/dose, 8/8h
Pode ser iniciado a qualquer momento

38

Qual a droga alternativa ao Aciclivir na Varicela?

Foscarnet

39

Quando é indicado tratamento para Herpes Zoster e como deve ser feito?

Todos os adultos. Nunca nas crianças.
Oral:800mg/dose, 5x/dia, 5-7dias
IV ( Imunocomprometidos) : 500mg/m2/dose ou 10mg/kg/dose, 8/8h.
Idosos: associar corticoide.

40

Quais as contraindicações e as indicações para Vacina para Varicela?

I: todas as crianças que já tenham tomado a tríplices viral. 15 meses.
CI: gestante e imunodeprimidas ( Vírus vivo atenuado)

41

Qual indicação para realização de Vacina de bloqueio para Varicela?

- Controle de surto em intra-hospitalar ( mesma enfermaria) em susceptíveis imunocompetentes maiores que 9 meses.
Max: 5 dias do contato.

42

Quais indicações para realização de imunoglobulina humana antivaricela-zoster ( IGHAVZ)?

- Contato maior que 1h e susceptivel:
1. Controle de surto intra-hospitalar em menores de 9m.
2. Gestantes
3. Imunocomprometidos
4. RN ( até 28 dias ) com mãe com Varicela nos 5 dias antes do parto até 2 dias após o parto - TODOS
5. RN ( até 28 dias) prematuro menor que 28 semanas ou menor que 1kg, independe do estado vacinal da mãe.
6. RN (até 28 dias) prematuro maior que 28 semanas com mãe sem história de Varicela ou sem vacinação
7. Indivíduos de alto risco em contato próximo com herpes zoster
OBS.: max 96h -4 dias
OBS.: 125IU/10kg (MAX 625UI; MIN 125UI)

43

Quando deve ser notificado Varicela?

Morte ou Hospitalização
Casos tratados ambulatórialmente não devem ser notificados.

44

Em que situações devemos indicar isolamento respiratório com pressão negativa?

Em doenças transmitidas por aerossóis - Tuberculose, Sarampo e Varicela

45

Qual imunidade é fundamental para combate das infecções por enterovirus?

Humoral

46

Qual agente etiológico da Mononucleose?

Epstein-Bar
5%: CMV, rubéola, HIV, adenovirus, toxoplasmose, vírus da hepatite.

47

Quais doenças apresentam relação com EBV?

Linfoma de Hodgkin, Linforma da Burkit, Carcinoma nasofaringeo, Leiomiosarcoma, doenças linfoproliferativas.

48

Qual período de incubação da mononucleose?

30-50 dias
EVOLUÇÃO INSIDIOSA

49

Que dados clínicos nos levam a pensar em Mononucleose?

1. História arrastada, quadro insidioso, febre > 1 semana
2. Adenomegalia generalizada (90%): mais comum cadeias cervicais.
OBS.: linfonodo epitroclear é bastante sugestivo.
3. Esplenomegalia de pequena monta (50%)
4. Hepatomegalia (10%)
5. Odinofagia + Faringite: diferenciar de faringite estreptococica - presença de exudatos e petequias em ambos.
6. Sinal de Hoagland: edema pálpebras
7. Exantema maculopapular (3-15%): após uso de amoxicilina ou ampicilina 80%.

5.

50

Que achados laboratoriais podem ser encontrados na Mononucleose?

Leucocitose com 20-40% de atipia linfocitária ( Linfócitos T CD8 ativados)
Trombocitopenia (>50%)
Aumento das transaminases

51

Quais testes diagnósticos podem ser lançados mão para identificar Mononucleose?

Anticorpos Heterófilos: pouco indicado para menores de 4 anos.
Anti VCA (antígeno de capsídeo viral) IgM: fase aguda, mais precoce. Transitório 4semanas a 3 meses de positividade. Mais específico para infecção aguda.
Anti VCA IgG: permanente. Tem positividade precoce.
Anti EA(antígeno precoce): pouco significado
Anti EBNA ( antígeno nuclear): surge 3/4 meses após a infecção.

52

Qual a principal faixa etária para Escarlatina?

5-15 anos ( Mesma faixa etária para faringite estreptococica).
Não é comum antes dos 3 anos.

53

1.Um portador assintomático de Estreptococo em orofaringe é capaz de transmitir a doença?
2.Quando um indivíduo doente deixa de ser transmissor?

1. Não
2. 24h após início de ATB

54

1.Qual fator de virulência é importante no Estreptococo?
2.Qual mecanismo de virulência na Escarlatina?

1. Proteína M - proteína de superfície capaz de gerar diversos sorotipos - Conferem imunidade específica
2. Exotoxinas pirogênicas - Existem 3 tipos A/B/C - Conferem imunidade específica.

55

Como se apresenta uma Escarlatina?

Prodrômica: Faringite estreptococica - exudatos purulento, hipertrofia de amígdalas, petéquias em palato
Exantemática (24/48h após manifestações iniciais): exantema micropapular, pouca face e região palmar e plantar. Desaparece à digitopressão.
Mais intenso em região de dobras - Sinal da Pastia.
Região malar com palidez perioral - Sinal de Filatov
Pele em lixa
Progressão pescoço - tronco - extremidades
Língua em morango branco (1ºdia) --> língua em morango vermelho (3º dia)
Descamação lamelar - 4/5 dias- início na face, acometendo região periungueal e palmoplantar - pode durar semanas.

56

Qual agente etiológico da Escarlatina?

Estreptococco Pyogenes ( Beta hemolítico do grupo A)

57

A Escarlatina tem curso autolimitada e o tratamento visa combater a faringite estreptococica. Quais esquemas são aceitáveis?

1. Penicilina V Oral: 250mg/dose ( <27kg); 500mg/dose(>27kg); 2-3x/dia; por 10dias
2. Penicilina Benzatina: 600.000UI (<27kg); 1.200.000UI (>27kg), IM,DU
3. Amoxicilina: 50mg/kg/DIA; 2-3x/dia, 10 dias. Pode ser feito 1x/dia (max 1g), exceto menores de 12 anos.

58

Qual outra doença bacteriana também está associada a toxinas?

Síndrome da pele escaudada - Produção de toxinas espoliativas - Estafilococcos.

59

Kawasaki é uma vasculite com predileção para quais vasos?

Artérias de médio calibre - Predileção para Artérias coronarianas
20% dos pacientes não tratados desenvolve aneurisma de coronária - Complicação mais temida. Mais comum em menores de 1ano. São considerados gigantes de diâmetro interno maior que 8mm.

60

Como se apresenta clinicamente a doença de Kawasaki?

Fase aguda: febre alta por mais de 5 dias. Dura 1-2 semanas
Fase subaguda: maior incidência de miocardite e aneurisma de coronárias. 3 semanas. Descamação de mão e pé.
Fase de covalescencia: termina com normalização do VHS. 6-8 semanas.

61

Quais são os critérios diagnósticos de Kawasaki?

1. Critério obrigatório: Febre alta por mais que 5 dias.
2. Conjuntivite bilateral não exudativa. (90%)
3. Alterações de cavidade oral
4. Linfonodomegalia cervical > 1,5cm. (Menos comum -30%)
5. Exantema mais comum em tronco e região inguinal, multiforme. Presença de vesícula fala contra diagnóstico.
6. Alteração de extremidade: exantema que não polpa região palmoplantar. Na fase subaguda descamação. Edema de mão e pé.
OBS.: Necessário presença de 5 de 6 critérios sendo o 1º obrigatório.

62

Qual a faixa etária de Kawasaki?

Menor que 5 anos (2-3anos).

63

Como deve ser feito o seguimento com ECO em Kawasaki?

- No diagnóstico
-Após 2-3 semanas
- Apos 6-8 semanas
- Após 1 ano

64

Como deve ser realizado o tratamento para Kawasaki?

- Fase Aguda:
1. Imunoglobulina Venosa (IVIG) 2g/kg, correr em 10-12h
Se febre refratária em 36h - Repetir dose
Se ainda assim refratária : Metilprednisolona
2. AAS com dose anti-inflamatória: 80-100mg/kg/dia, 6/6h, por 14 dias ou até 48h sem febre.
- Fase Covalescência:
1. AAS com dose antiplaquetaria: 3-5mg/kg/dia, 6-8 semanas.
Se alteração no ECO: pra sempre. Alternativa: Clopidrogel.
2. Em uso de AAS para sempre: Profilaxia primária da síndrome de Reye - Vacinação contra Influenza e Varicela