Gastroenterologia Flashcards Preview

Clinica Médica > Gastroenterologia > Flashcards

Flashcards in Gastroenterologia Deck (61):
1

ACALÁSIA

(Diagnóstico)

ESÔFAGO-MANOMETRIA

•Ausência do relaxamento do EEI.
•Hipertonia EEI (P>35mmHg)

2

ACALÁSIA

(Tratamento)

Estágios iniciais (Classe I):
•Nitrato
•Antagonistas do cálcio
•Sildenafil
•Botox

Classe II: Dilatação pneumática por balão
Classe III: Cardiomiotomia Heller (+ fundoplicatura parcial)
Classe IV: Esofagectomia total

3

ESPASMO ESOFAGIANO DIFUSO

(Diagnóstico)

Esofagomanografia com teste provocativo

Contrações vigorosas e simultâneas

4

ESPASMO ESOFAGIANO DIFUSO

(Tratamento)

•Nitratos
•Antagonistas do Cálcio
•Miotomia longitudinal (mt raro)

5

DRGE

(Diagnóstico)

pHmetria esofágica de 24

(Falha em refluxo básico)

6

DRGE

(Indicações pra EDA)

•Investigação de câncer
•> 45 anos
•Sinais de alarme:
.Anemia
.Odinofagia
.Disfagia
.Perda de peso
•Sinais de complicação:
.Esofagite
.Estenose
.Barret
.Câncer
•Ausência de resposta ao tratamento

7

DRGE

(Tratamento)

•Medidas gerais.
•Medicamentoso: IBP 8 semanas.
•Cirúrgico: Fundoplicatura.

8

DRGE

(Indicações para Fundoplicatura)

•Refratariedade
•Recorrência
•Complicações (Estenose e Úlcera)

9

DRGE

(Recorrência)

Uso de IBP por mais de 10 anos

10

ESÔFAGO DE BARRET

(Diagnóstico)

HISTOPATOLÓGICO

11

ESÔFAGO DE BARRET

(Conduta)

•Sem displasia: EDA a cada 3 a 5 anos.
•Displasia de baixo grau: EDA a cada 6 a 12 meses.
•Displasia de alto grau (ACA in situ): Ressecação endoscópica.
•Adenocarcinoma invasivo: Esofagectomia + linfadenectomia.

12

ÚLCERA GÁSTRICA

(Clínica)

PIORA COM ALIMENTAÇÃO

13

ÚLCERA DUODENAL

(Clínica)

PIORA 2 A 3 HORAS APÓS A ALIMENTAÇÃO

14

ÚLCERA

(Diagnóstico)

•Jovem sem sinal de alarme: Presunção.

•Mais de 45 anos ou Sinais de alerta: EDA (+biópsia se gástrica)

15

ÚLCERAS HIPERCLORÍDRICAS

•Duodenal
•Corpo (GII)
•Pré-pilórica (GIII)

16

ÚLCERAS HIPOCLORÍDRICAS

•Pequena curvatura baixa (GI)
•Pequena curvatura alta (GIV)

17

ÚLCERA

(Tratamento)

•IBP + Anti-histamínico (4 a 8 smn)

•Erradicação H. Pylori

•Cirúrgico

18

H PYLORI

(Investigação)

•> 45 anos ou sinais de alarme: Teste da urease na bx

•< 45 anos: Teste urease respiratória ou sorologia

19

H PYLORI

(Indicações de erradicação)

•Úlcera péptica
•Linfoma MALT
•Dispepsia funcional
•CA gástrico (história familiar ou pessoal)

20

H PYLORI

(Erradicação)

Claritromicina
Amoxicilina
Omeprazol

21

H PYLORI

(Controle de cura)

•A partir de 4 semanas do tratamento
•Não usar sorologia

22

ÚLCERA

(Indicações de tratamento cirúrgico)

•Recidiva/Refratariedade
•Complicação aguda
.Perfuração
.Obstrução
.Hemorragia refratária

23

ÚLCERA

(Técnicas cirúrgicas)

•Hipercloridria:
Vagotomia (+ Antrectomia)

•Gástrica:
Retirar a úlcera (Gastrectomia)

24

ÚLCERA

(Classificação do risco de sangramento)

I) Sangramento ativo:
A) Sangramento arterial - Alto risco
B) Sangramento venoso - Alto risco

II) Sinais de hemorragia recente:
A) Vaso visível não sangrante - Alto risco
B) Coágulo aderido - Médio risco
C) Hematina - Baixo risco

III) Base clara, sem sangramento - Sem sangramento

25

GASTRECTOMIA

(Complicações)

•Síndrome de Dumping
•Gastrite Alcalina
•Síndrome de Alça Aferente

26

SÍNDROME DE DUMPING

(Clínica)

•Precoce: Distensão, dor e sintomas vasomotores.

•Tardia: Hiperinsulinemia (hipoglicemia)

27

SÍNDROME DE DUMPING

(Tratamento)

Dieta

28

GASTRITE ALCALINA

(Clínica)

•Pós Billroth II.
•Dor que não melhora com vômitos.
•Vômitos biliosos.

29

GASTRITE ALCALINA

(Tratamento)

Y de Roux

30

SÍNDROME DE ALÇA AFERENTE

(Clínica)

Dor que piora com alimentação e melhora com vômitos.

31

SÍNDROME DE ALÇA AFERENTE

(Tratamento)

Y de Arouca

32

ADENOCARCINOMA DE CÓLON

(Tratamento)

Ressecção com margem de segurança
+
Linfadenectomia
+
QT adjuvante se N >0

33

PANCREATITE AGUDA AUTOIMUNE

Aumento de IgG4

34

PANCREATITE AGUDA

(Diagnóstico)

PELO MENOS 2:
•Dor típica.
•Aumento da Amilase e Lipase (3x ou mais).
•Exame de imagem característicos.

35

PANCREATITE AGUDA

(Classificação clínica)

LEVE:
•Sem falência orgânica.
•Sem complicações.

MODERADA:
•Falência orgânica transitória.
•Complicações locais ou sistêmicas.

GRAVE:
•Falência orgânica grave (+ complicações locais ou sistêmicas).

36

Litíase Biliar

(Tipos de cálculo)

•Amarelo (Colesterol)
•Preto (Bilirrubinato de cálcio)
•Castanho (Colesterol + Bilirrubinato de cálcio)

37

Litíase Biliar - Cálculo Amarelo

(Fagotes de Risco)

•Estrogênio.
•Obesidade.
•Idade.
•Emagrecimento rápido.
•Drogas (Clofibrato)
•Doenças ileais

38

Litíase Biliar - Cálculo Preto

(Fator de risco)

Hemólise crônica (Ex. Prótese valvar crônica)

39

Litíase Biliar - Cálculo castanho

(Fatores de risco)

•Colonização bacteriana
•Tumor
•Parasitas

40

Litíase Biliar - Cálculo amarelo

(Localização)

Vesícula Biliar

41

Litíase Biliar - Cálculo preto

(Localização)

Vesícula Biliar

42

Litíase Biliar - Cálculo castanho

(Localização)

Vias biliares

43

Colelitíase

(Indicações de tratamento cirúrgico no assintomático)

Fatores de risco para CA:
•Vesícula em porcelana
•Tamanho > 2,5 cm
•Anemia hemolítica
•Pólipo que for maior de 1 cm ou apresentou aumento, ou em paciente com mais de 60 anos
•Vesícula dupla

44

Colelitíase

(Contraindicações para cirurgia no sintomático)

•Elevado risco cirúrgico
•Recusa do paciente

45

Colecistite Aguda

(Clínica)

•Dor abdominal por menos de 6 horas
•Febre
•Sinal de Murphy positivo
•NÃO APRESENTA ICTERÍCIA

46

Síndrome de Mirizzi

(Quadro Clínico)

Colecistite (dor, febre, murphy) + Ictericia

47

Colecistite Alitiásica

(Quando suspeitar)

Febre + Leucocitose no CTI

48

Colangite Aguda

(Diagnóstico)

Tríade de Charcot ou Pêntade de Raynolds

49

Tríade de Charcot

•Febre com calafrios
•Icterícia
•Dor abdominal

50

Pêntade de Raynolds

•Febre com calafrios
•Icterícia
•Dor abdominal
•Hipotensão
•Depressão do SNC

51

Tumores periampulares

(Tratamento)

Cirurgia de Whipple
(Duodenopancreatectomia)

52

Tumor de Klatskin

(Diagnóstico)

USG:
•Vesícula murcha
•Dilatação da via biliar intra-hepática

53

Diarreia alta

(Características)

•Afeta delgado
•Aumento do volume
•3 a 5 evacuações em 24h
•Restos alimentares

54

Diarreia baixa

(Características)

•Afeta cólon
•8 a 10 evacuações
•Tenesmo e urgência

55

Diarreia invasiva

(Características)

•Muco/pús
•Pode apresentar sangue

56

Diarreia não invasiva

(Características)

•Sem muco/pus
•Pode apresentar sangue

57

Retocolite Ulcerativa

(Características)

•Poupa ânus
•Progressão ascendente e contínua
•Mucosa
•Urgência e tenesmo
•Hemorragia

•Resposta imune, uveíte e eritema nodoso

•Colangite esclerosante
•Pioderma gangrenoso

•Tabagismo protege

58

Retocolite Ulcerativa

(Alterações patológicas)

•Erosões (perda de haustrações)
•Pseudopólipos
•Criptite (bx)

59

Doença de Crohn

(Características)

•Da boca ao ânus
•Transmural
•Padrão salteado
•Síndrome disabsortiva
•Massa palpável em QID

•Resposta imune, uveíte, eritema nodoso

•Espondilite anquilosante
•Cálculo renal

•Tabagismo favorece

60

Doença de Crohn

(Alterações patológicas)

•Úlceras aftoides
•Pedras de calçamento
•Granuloma não caseoso (bx)
•Estenoses/Fístulas/Fissuras

61

Doenças Inflamatórias Intestinais

(Manifestações extraintestinais)

R esposta imune
C olangite esclerosante (RCU)
U veíte

E ritema nodoso

D or articular (Crohn)
C álculo renal (RCU)