Surce 2016 Flashcards Preview

SURCE > Surce 2016 > Flashcards

Flashcards in Surce 2016 Deck (41):
1

Indicações de antibiótico profilaxia em cirurgias limpas

Incisão em osso

Implante de próteses

Quando as consequências de uma infecção seriam catastróficas ( transplante, neurocirurgias, cirurgia cardíaca)

Fazer 30 minutos a 1 hora antes da cirurgia
Cefalosporinas de 1

2

Valor de pH que define acidose grave

Menor que 7,2

3

Fórmula CO2 esperado

CO 2 esperado = 1,5 X bicarbonato + 8

4

Fórmula de cálculo do Ânion Gap

AG= Sódio - (cloro +bicarbonato)

5

Criança com cólica, distensão abdominal, fezes com muco e sangue ( fezes em geleia de framboesa), palpação de massa abdominal fusiforme e imagem “em alvo” na USG.

Invaginação (intussuscepção) intestinal

6

Conduta inicial para tratamento da intussuscepção intestinal

Enema usando contraste baritado ou ar guiado por fluoroscopia

7

Índice tornozelobraquial (ITB) normal

Calculado pela razão entre a pressão no membro superior e no membro inferior

Valor normal: 1,0 a 1,4

8

Dor abdominal de início súbito
Indivíduo com FC irregular (fonte emboligênica)

Pensar em:

Isquemia Mesentérica

(Lembrar de dor abdominal desproporcional ao exame físico)

9

Protocolo de Cirurgia Segura da Organização Mundial de Saúde

SIGN IN

Sign in (antes da indução anestésica)

Confirmar identificação do paciente, sítio cirúrgico,
risco de sangramento,
via aérea e
presença de alergias)

10

Protocolo de Cirurgia Segura da Organização Mundial de Saúde

TIME IN

Antes da incisão cirúrgica

Novamente confirma a identificação do paciente
Procedimento a ser realizado
Equipe cirúrgica, anestésica e de enfermagem
Antibiótico profilaxia
Material necessário (inclusive exames de imagem)

11

Protocolo de Cirurgia Segura da Organização Mundial de Saúde

TIME OUT

Antes da saída do paciente do centro cirúrgico

Confirma o procedimento realizado
Contagem do material utilizado
Marcação das peças para anatomopatologia
Cuidados pós-operatórios

12

Abordagem Adenocarcinoma Gástrico

Abordagem cirúrgica é curativa

Margem cirúrgica de 6cm + linfadenectomia a D2

Tumor Distal: gastrectomia Subtotal

Tumor proximal : Gastrectomia Total

13

Definição
SINAL DE CHVOSTEK

Irritabilidade do nervo facial que gera contração da face após percussão sobre seu trajeto na borda da mandíbula

Indica hipocalcemia

14

Definição
SINAL DE TROUSSEAU

Contração e flexão do antebraço após a compressão do braço com manguito

Hipocalcemia

15

Formula de PARKLAND (hidratação no queimado)

4 X peso X Superfície Corporal Queimada

Metade nas primeiras 8 horas

Metade nas próximas 16 horas

16

Fórmula de Brooke (hidratação de paciente queimado)

1 a 2 ml de ringer lactato X Peso X superfície corporal queimada

Será administrado nas primeiras 8 horas a contar do início da ocorrência

Repete para as próximas 16 horas

17

Marcadores para investigação de tumor testicular

LDH

Alfa fetopreoteína

Beta-HCG

18

Tratamento tumor testicular

Orquiectomia radical inguinal

19

Hipoglicemias recorrentes e inexplicadas em um paciente obeso devemos pensar em:

Insulinoma

20

Laboratório de paciente com insulinoma

Glicose sérica inferior a 50 Mg/dL

Alto nível de insulina

Relação insulina / glicose maior que 0,4

21

Drogas ideais para pacientes com disfunção do VE (insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida)

1- Betabloqueadores específicos (carvedilol, bisoprolol ou metoprolol)

2- IECA (captopril) ou BRA (losartana)

3- Antagonista do receptor de aldosterona (espironolactona)

4- Combinação de nitrato + hidralazina

22

Quando eu trato a hipertensão em casos de AVC isquêmico?

Sempre lembrar de hipertensão permissiva no AVCi

Se o paciente não é candidato a trombólise posso manter a PÁ em até 220 X 120 mmHg
Se passar deste valor devo reduzir 15% nas primeiras 24 horas.
Alcançando uma PA em torno de 160 X 100 ao longo de 3 dias

Em caso de pacientes que serão submetidos a trombólise devemos tratar a PA com vasodilatadores venosos (nitroprussiato) mantendo abaixo de 185 X 110 mmHg

23

Sinais de alarme na Dengue

Dor abdominal intensa (referida ou à palpação) e contínua
Vômitos persistentes
Acúmulo de líquidos (ascite, derrame pleural, derrame pericárdico)
Hipotensão postural e/ou lipotimia
Hepatomegalia maior do que 2 cm abaixo do rebordo costal
Sangramento de mucosa
Letargia e/ou irritabilidade
Aumento progressivo do hematócrito

24

Orientações para hidratação oral em pacientes com dengue sem sinais de alarme e sem comorbidades

Adultos

60 ml/kg/dia
1/3 com solução salina
2/3 orientar ingestão de líquidos caseiros

25

Orientações para hidratação oral em pacientes com dengue sem sinais de alarme e sem comorbidades

Crianças (< 13 anos de idade)

1/3 na forma de soro de reidratação oral
Restante em líquidos caseiros

Crianças até 10kg: 130 ml/Kg/dia

Crianças de 10 a 20kg: 100ml/kg/dia

Crianças acima de 20kg: 80 ml/kg/dia

26

Definição Dengue grupo A

Caso suspeito de Dengue

Ausência de sinais de alarme

Sem comorbidades, grupo de risco ou condições clínicas especiais

27

Definição Dengue grupo B

Caso suspeito de dengue

Ausência de sinais de alarme

Com sangramento espontâneo de pele (petéquias) ou induzido (prova do laço positiva)

Condições clínicas especiais e/ou de risco social ou comorbidades

28

Condições clínicas especiais e/ou de risco social ou comorbidades de paciente com Dengue para classificação de gravidade

Lactentes menores de 2 anos
Gestantes
Adultos > 65
HAS ou outra doença cardiovascular
DM
DPOC
Doenças hematológicas crônicas (anemia falciforme e púrpuras)
Doença renal crônica
Doença ácido péptica
Hepatopatias
Doenças Autoimunes

29

Definição Dengue grupo C

Caso suspeito de Dengue

Presença de algum sinal de alarme

30

Reposição volêmica na Dengue Grupo C

10 ml/kg de Soro Fisiológico na primeira hora

Permanecer em acompanhamento em leito de internação até estabilização (mínimo 48 horas)

31

exames complementares obrigatórios na Dengue Grupo C

Hemograma completo

Dosagem de albumina sérica

Transaminases

32

Definição Dengue grupo D

Caso suspeito de Dengue

Presença de sinais de choque, sangramento grave ou disfunção grave de órgãos

33

Reposição volêmica na Dengue Grupo D

Expansão rápida parenteral com solução salina isotônica 20ml/kg até 20 minutos

Caso necessário repetir por até três vezes

Estes pacientes devem permanecer em acompanhando em leito de UTI até estabilização (mínimo 48 horas) e após estabilização permanecer em leito de internação

34

Em que momento solicitar sorologia e detecção de antígeno viral para Dengue?

Sorologia: ELISA (Deve ser solicitada a partir do sexto dia do início dos sintomas)

Detecção de antígenos virais: NS1, isolamento viral, RT-PCR e Imunohistoquímica
(Devem ser solicitados até o quinto dia do início dos sintomas)

35

Definição de caso suspeito de Dengue

Pessoa reside ou viajou para área com presença de Aedes aegypti

Febre (2 a 7 dias)

Duas ou mais das seguintes manifestações:
Náuseas, vômitos
Exantema
Mialgia, artralgia
Cefaleia, dor retro-orbital
Petéquias
Prova do laço positiva
Leucopenia

36

Medicamento para diabetes que NÃO tem o efeito colateral de aumento de peso

Gliptinas - que representam os inibidores da DPP-IV de uso oral (incretinomiméticos)

Melhoram o controle glicêmico otimizando a secreção de insulina em resposta à ingesta de glicose, isto é, não aumentam a insulina independente da glicose ingerida e assim não se associam a ganho de peso nem hipoglicemia

37

Tratamento de pacientes com Leishmaniose visceral (calazar) sem sinais de alerta

Antimoniato de Meglumina - Glucantime (tratamento ambulatorial)

38

Pacientes com Leishmaniose visceral (calazar) candidatos a tratamento com Anfotericina B lipossomal

Insuficiência renal
Insuficiência hepática
Insuficiência cardíaca
Uso de medicamentos que alteram o intervalo QT
Gravidez
Idade maior que 50 anos

39

Principal droga antirreumática modificadora de doença

METOTREXATO
Dose inicial de 7,5 miligramas/semana
Pode titular um acresyde 2,5 Mg a cada semana
Dose máxima de 25 miligramas/semana

40

Efeitos colaterais METOTREXATO

Intolerância Gastrointestinal
Hepatotoxicidade
Pneumonite
Mielotoxicidade (anemia megaloblástica)

41

Critérios diagnósticos para DERMATITE ATÓPICA

MAIORES (3 ou +)
Prurido
Morfologia e distribuição típica
Liquenidicação flexural em adultos
Eczema crônico recorrente
História pessoal/familiar de atopia

MENORES (3 ou +)
Ige sérica elevada
Xerose
Pregas de Dennie-Morgan