OBSTETRÍCIA Flashcards Preview

MED 2018 RESIDÊNCIA > OBSTETRÍCIA > Flashcards

Flashcards in OBSTETRÍCIA Deck (37):
1

Quais sao fatores de risco para DTG?
1. > 40 anos; 2. uso de ACO; 3 filh anterior normal

1 e 2

2

como fazer o diagnostico de mola hidatiforme?

USG: tempestade de neve e bHCG seriados (valores muito altos)

3

só apos de qual semana pode ser confirmada a PP e por que?

só apos 28 semanas porque antes disso a placenta pode sofrer a ""migração""

4

Qual a conduta na DPP + feto morto?

parto vaginal com amniotomia
obs: estabilizar a mae primeiro

5

como se caracteriza a insuficiencia do corpo luteo? como tto?

perdas gestacionais precoces <8 semanas, repor progesterona

6

Para que e em que periodo é feita cerclagem? qual a tecnica utilizada?

incompetencia istmico-cervical entre 12 e 16 semanas. Técnica de MacDonalds

7

Por que o USG do primeiro trimestre é mais fidedigno para idade gestacional?

Porque no começo todo mundo cresce igual, depois varia de família p família, se tiver doenças.. E tabelado o tamanho pela medida cabeça nádega

8

Pq a cardiotocografia mostra bem estar fetal?

Porque mostra a variação da FC dele q eh comandada pelo sistema nervoso autônomo (simpático e parassimpatico)

9

Qual a variação normal da CTG?

10-25

10

Como e uma cardiotografia reativa?

Se há aceleração quando ele mexe (elevação de 15 bpm do movimento de base)

11

O que é DIP I?

Compressão da cabeça com desaceleração batendo junto com a contração

12

DIP II?

Desoxigenação, a desaceleração ocorre um tempo depois da contração uterina

13

Como e o DIP III?

Compressão de cordão umbilical , linha de base bem ondulatória, desaceleracoes anárquicas

14

O que validar no USG morfológico do primeiro trimestre?

TN, osso nasal, ducto venoso, espessura do colo uterino

15

Duas causas de sofrimento fetal agudo?

Hiperatividade uterina (taquissistolia/hipertonia) e hipotensão materna

16

Qual a primeira conduta frente uma DIP 2?

O2, corrige hipotensão, suspender ocitocinos, decúbito lateral esquerdo

17

O que o Perfil Biofísico Fetal avalia?

1. Movimentos respiratórios
2. Movimentos fetais
3. Tônus fetAl
4. Líquido amniotico

18

O que é centralização fetal? Como se manifesta?

Quando o feto fica hipoxemico por insuficiencia placentaria e ele prioriza os órgãos nobres (coração, cérebro e adrenais).
Se manifesta através da dopplerfluxometria com diminuição do fluxo sangüíneo da a. Uterina( aumento da resistência) e aumento do fluxo na ACM (diminuição do índice de resistência), acarretando uma relação U/C > 1

19

O que o Perfil Biofísico Fetal avalia?

1. Movimentos respiratórios
2. Movimentos fetais
3. Tônus fetAl
4. Líquido amniotico

20

O que é centralização fetal? Como se manifesta?

Quando o feto fica hipoxemico por insuficiencia placentaria e ele prioriza os órgãos nobres (coração, cérebro e adrenais).
Se manifesta através da dopplerfluxometria com diminuição do fluxo sangüíneo da a. Uterina( aumento da resistência) e aumento do fluxo na ACM (diminuição do índice de resistência), acarretando uma relação U/C > 1

21

Como é definida a HÁS gestacional?

PA> igual 140x 90mmHg + ausência de. Proteinuria que melhora em até 12 semanas pôs parto

22

Definição de pre eclampsia?

PÁ > igual 140/90 mmHg após a 20 semana + proteinuria 24 h >igual 300mg ou 1+ EAS ou proteinuria/cr> igual 0,3

23

Quando ocorre a segunda onda de invasão trofoblastica?

Entre 16-22 semanas em média 20

24

Tabagismo e fator de risco para pre eclampsia?

Não, de proteção
Assim como história de aborto e PP

25

O que é eclampsia?

PE + convulsão

26

PÉ grave, quais critérios?

1. PÁ > igual 160x 100
2. Oligúria < 400 ml ou 25 ml/h
3. Cr> igual 1,3
4. Sindrome hellp
5. Iminência de eclampsia
6. CIUR
7. Proteinuria >igual 2 ou 5g/24h ou >3+ EAS
8. EAP ou cianose

27

Iminência de eclampsia?

Dor em barra abdome
Escotomas/diplóplia
Cefaléia frontooccipital
Alteração nível consciência
Aumento dos reflexos tendenciosos profundos

28

O que é síndrome HELLP?

Alteração de enzimas hepáticas, trombocitopenia e hemolise por lesão endotelial da ausência da segunda onda de migração

1. TGO>igual 70
2. Esquizocitos
3 BT >igual 1,2
4. Trombocitopenia <100 mil
5. LDH > igual 600

29

Quando considerar uma paciente de alto risco para PÉ? O que fazer?

HÁS cronica ou PÉ gestação anterior

Pode suplementar cálcio (se ingesta inadequada) ou AAS 12 semanas

30

Diagnóstico diferencia entre PÉ e HÁS cronica?

HÁS cronica : PÁ > 140/90 antes de 20 semanas, alta calciuria, persiste após o parto, _< 300mg de proteinuria, lesões crônicas em fundo de olho (fios de cobre e de prata), ácido urico normal

31

Conduta na PE leve

Não medicar, se tiver a termo= PARTO
, pre termo= expectante, vai avaliando

32

Conduta na PÉ GRAVE?

ANTI HAS: hidralazina 5 mg IV 20/20m
nifedipina 10mg VO
Labetalol 20 mg
Metildopa 250 mg 12/12 h HÁS CRONICA

PÁ entre 140-155/ 90-100 mmHg ( não baixar muito p não fazer hipofluxo placentario)

+ SULFATO DE MG
4g IV + 1-2 g / h BIC
OU
4g IV + 10 mg IM + manutenção 5g IM 4/4h

33

Conduta PE > igual 34 semanas ou sindrome hellp ou eclampsia?

PARTO
Após estabilizar por 4 horas

34

Quais os sinais de intoxicação pelo sulfato de Mg?

FR< igual 12 irpm
Reflexo patelar profundo diminuído

Diurese diminuir metade da dose ou suspender

35

Conduta na intoxicação pelo sulfato de Mg?

Suspender e GLUCONATO DE CÁLCIO 10%10 ml

36

Conduta PE+ < 34 semanas?

Expectante
Avaliar maturação pulmonar
Fazer parto de piorar

37

Três complicação da PE para mãe? 3 pro feto?

Mãe: DPP, rotura hepática, AVC
Feto: CIUR, centralização, oligo, óbito , TPP