RINS E VIAS URINÁRIAS Flashcards Preview

Sinais e sintomas (todos) > RINS E VIAS URINÁRIAS > Flashcards

Flashcards in RINS E VIAS URINÁRIAS Deck (34):
1

principais sintomas?

erações miccionais (hesitação – que corresponde a
demora ou atraso involuntário para iniciar o ato de urinar –, urgência – que é a necessidade imperiosa de urinar –,
alterações do jato urinário, retenção urinária, incontinência urinária), alterações do volume e do ritmo urinário (oligúria,
anúria, poliúria, disúria, polaciúria, frequência, noctúria), alterações da cor da urina (hematúria, hemoglobinúria,
mioglobinúria, porfirinúria, urina turva), alterações do cheiro da urina, dor, edema e febre e calafrios

2

Alterações miccionais
em condição normal?

*capacidade de armazenagem da bexiga é de 400 a 600 mℓ.
*2 a 4 micções por dia
*paciente não acorda à noite para urinar ou o faz apenas uma vez, desde que não ingira muito líquido antes de deitar.
*urina residual=> 3 a 4 ml de pequena quantidade de urina

3

Alterações miccionais
Alterações do jato urinário

*jato urinário fraco, lento e fino no recémnascido
ou em meninos é sugestivo de fimose, estenose do meato uretral ou
válvula da uretra posterior.
*Hesitação(demora para iniciar a micção), esforço para urinar e diminuição da força e do calibre do jato
urinário=>mais comuns das uropatias obstrutivas infravesicais

4


Alterações miccionais
Retenção urinária
conceito

*incapacidade da bexiga de esvaziarse,
parcial ou completamente
*É fundamental diferenciála
da anúria,
condição em que a bexiga se encontra vazia por interrupção do funcionamento renal.

5

Alterações miccionais
Retenção urinária
clínica

*bexiga distendida é palpável na região suprapúbica (globo vesical).
*passagem de um cateter
seguida de desaparecimento do globo vesical sela o diagnóstico de retenção
*anúria a bexiga está vazia e o cateterismo
comprova a inexistência de urina

6

Alterações miccionais
Retenção urinária
tipos?

*forma completa o indivíduo é incapaz de eliminar sequer
quantidades mínimas de urina. Pode ser aguda ou crônica; geralmente dolorosa;; paciente se apresenta ansioso, pálido, com sudorese, e relata um intenso desejo de urinar que se acentua a cada contração; da bexiga

*retenção urinária incompleta, quase sempre crônica, caracterizase
pela permanência na bexiga de certa quantidade de
urina depois de terminado o ato miccional

7

Alterações miccionais
Retenção urinária
ex. físico?

*massa suprapúbica, arredondada, tensa, que origina som maciço à percussão,
contrastando com o ruído timpânico em torno dela
*palpação da região hipogástrica acentua a vontade de
urinar

8

Alterações miccionais
Retenção urinária
bexiga neurogênica

consequência da incapacidade da musculatura vesical de contrairse
com
força adequada, seja por haver lesões do neurônio motor superior que interferem no reflexo da micção, seja por lesões de
nervos sacrais responsáveis pela inervação da bexiga

9

Alterações miccionais
Retenção urinária
causas?

*criança=>cálculo vesical impactado
no colo da bexiga ou na uretra, estenose da uretra ou do meato uretral externo, fimose cerrada acompanhada de balanopostite, válvula da uretra posterior
ou por disfunção neurovesical.
*adolescentes e adultos jovens=>inĶamação da glândula de Cowper de etiologia
blenorrágica, prostatite, abscesso prostático, polirradiculoneurite, traumatismos uretrais ou da medula espinal
*crescimento prostático, benigno ou maligno, esclerose múltipla, uso de medicamentos anticolinérgicos, anti-histamínicos,
tranquilizantes (ansiolíticos), antidepressivos ou relaxantes da musculatura lisa.

10

Alterações miccionais
Incontinência urinária
definição?

*Quando há obstrução das vias urinárias inferiores, a bexiga não se esvazia adequadamente após cada micção, surgindo a
necessidade de urinar mais vezes durante o dia e a noite, ou seja, polaciúria e noctúria
*sente que ainda
ficou alguma urina na bexiga após findar a micção, fato que lhe dá a sensação de esvaziamento incompleto da mesma
*só ocorre nos casos avançados, sob a forma de incontinência, de urgência ou incontinência
paradoxal, ou de transbordamento, que surge quando a pressão intravesical se iguala à resistência uretral, de modo que a
urina passa a gotejar continuamente.
*paciente elimina urina sem perceber, quase continuamente

11

Alterações do volume e do ritmo urinário
Oligúria

*excreção de um volume de urina inferior às necessidades para eliminação de catabólitos
*diurese inferior a 400 mℓ/dia
*decorre de redução do fluxo sanguíneo renal (insuficiência renal aguda, insuficiência cardíaca) ou
da diminuição da capacidade de filtração dos glomérulos (glomerulonefrite, por exemplo).

12

Alterações do volume e do ritmo urinário
anúria

*diurese é inferior a 100 mℓ em 24 h
*resultante de oclusão bilateral das artérias
renais, obstrução de ambos os ureteres ou necrose cortical bilateral

13

Alterações do volume e do ritmo urinário
Poliúria

*volume urinário acima de 2.500 mℓ/dia.
*mecanismo:
-diurese osmótica, decorrente da excreção de maior quantidade de
solutos, que por sua vez determina maior excreção de água, como no diabetes descompensado
-incapacidade
de concentração urinária, como se observa no diabetes insípido e na hipopotassemia


*IRC->poliúria pela
associação dos dois mecanismos: diurese osmótica, devida à uremia, e incapacidade de concentração
*pielonefrite crônica=>medural renal comprometida

14

Alterações do volume e do ritmo urinário
Poliúria
causa?

Diabetes
Diabetes insípido
InsuĴciência renal crônica
Polidipsia nervosa
Medicamentos (diuréticos)

15

Causas de polaciúria

Cistite
Litíase vesical
Tumor vesical
Hiperplasia prostática
Câncer de próstata
Compressão extrínseca da bexiga
Doenças neurológicas
Tensão nervosa
Transtorno de ansiedade (“bexiga irritável”)

16

Alterações do volume e do ritmo urinário
Noctúria ou nictúria

*quando o ritmo circadiano da diurese se altera, ocasionando a necessidade de se esvaziar a
bexiga durante a noite.
*insuficiência cardíaca, renal ou hepática que retêm líquido
durante o dia, principalmente nos membros inferiores=>Quando eles se deitam à noite, o líquido retido no interstício retorna
à circulação, resultando em aumento da diurese, com maior número de micções no período noturno

17

Alterações do volume e do ritmo urinário
Noctúria ou nictúria
causas

InsuĴciência renal crônica
InsuĴciência cardíaca
InsuĴciência hepática
Síndrome nefrótica
HipertroĴa prostática
Insônia
Ingestão de líquido à noite
Diuréticos

18

Alterações da cor da urina
normal

*transparente, tendo uma tonalidade que varia do amareloclaro
ao amareloescuro

19

Alterações da cor da urina
Hematúria

*presença de sangue na urina, podendo ser macro ou microscópica, ou seja, visível a olho nu ou só
detectada ao exame microscópico. Pode ser persistente ou intermitente
*aspecto da urina depende do volume de sangue e do pH da urina
-Pequena quantidade de sangue confere à urina uma cor marromescura,
se o pH for ácido. Se a urina for alcalina, a
hemoglobina conserva sua cor vermelhoviva

20

Alterações da cor da urina
Hematúria
sintomas associados?

*hematúria acompanhada de febre, calafrios e
disúria indica infecção urinária, enquanto a ocorrência de cólica renal sugere litíase urinária.

21

Alterações da cor da urina
Hematúria
momento em surge o vermelho na urina?

*(início, meio ou final da micção)
1.Hematúria inicial indica origem prostática ou uretral=>porque o sangue acumulado na uretra é levado pelo primeiro
jato de urina.
*Hematúria terminal, dolorosa, às vezes com sangue rutilante, é encontrada na hiperplasia benigna da próstata, em
consequência da ruptura de veias telangiectásicas do colo vesical ou da mucosa prostática quando o paciente faz esforço
para urinar.;câncer da próstata a hematúria é rara, só ocorre se invadir a bexiga ou uretra; pode ter origem na bexiga, quando um processo neoplásico ou a mucosa
inflamada é “espremida” pela contração das fibras musculares do detrusor, na fase final da micção, ou quando cálculos
vesicais lesionam a mucosa.
*Hematúria total geralmente depende de lesões situadas acima do colo da bexiga, no ureter ou no rim, pois é necessário
que haja tempo para que se misturem na bexiga o sangue e a urina; glomerulonefrite aguda, a hipertensão arterial maligna, a necrose tubular aguda, rins policísticos, infarto renal,
leptospirose, malária, tuberculose renal, síndrome de coagulação vascular disseminada, neoplasias, cálculos e uso de
anticoagulantes

22

Pseudo-hematúria

*pigmentos presentes em medicamentos e alimentos podem conferir uma cor rósea ou vermelha à urina, na ausência de hemoglobina ou hemácias
*Alimentos: beterraba, frutas vermelhas, alimentos com corantes vermelhos
Medicamentos: rifampicina, clorzoxazona, piridina, fenotiazina, fenitoína, doxorrubicina, daunomicina, laxativo com fenolftaleína

23

Alterações da cor da urina
Hemoglobinúria, mioglobinúria e porfirinúria

*Hemoglobinúria é a presença de hemoglobina livre na urina, condição que acompanha as crises de hemólise intravascular
(malária, leptospirose, transfusão de sangue incompatível, icterícia hemolítica).
*Mioglobinúria resulta de destruição muscular por traumatismos ou queimaduras
*Porfirinúria é consequência da eliminação de porfirinas ou de seus precursores, os quais produzem coloração
vermelhovinhosa
da urina

24

urina turva

*significa apenas mudança da cor da urina
*solução supersaturada(tipos de cristais (cristalúria), sendo mais frequentes os de ácido úrico, oxalato de cálcio e uratos amorfos quando a urina é ácida; Se ela for alcalina
precipitam o carbonato e o fosfato de cálcio)
*urina turva, formando depósito esbranquiçado, de odor desagradável, pode ser indicativa de infecção urinária (cistite, pielonefrite,
abscesso renal, perirrenal, uretral ou prostático).
*Pacientes com icterícia podem relatar urina escura, cor de Coca-Cola.
*obstrução de linfáticos=>linfa drenada para as vias urinárias origina a quilúria, Ĵcando a urina
de coloração esbranquiçada, opalescente(na filariose, a tuberculose e as neoplasias)

25

Causas de hematúria

Litíase urinária
Glomerulonefrite aguda
Pielite/pielonefrite
Tuberculose renal
Rins policísticos
Neoplasias benignas e malignas dos rins e vias urinárias
Cistite
Poliarterite nodosa
Leucemias
Traumatismo toracoabdominal
Prostatite
Doenças hemorrágicas
Medicamentos (anticoagulantes)

26

Alterações do cheiro da urina

aumento da concentração urinária pode determinar cheiro desagradável
*medicamentos podem
modificar o cheiro da urina, destacandose
as vitaminas e os antibióticos
*etidez propriamente dita surge nos
processos infecciosos, pela presença de pus ou por degradação de substâncias orgânicas

27

Dor
tipos?

dor lombar e no flanco, a
cólica renal ou nefrética, a dor vesical, a estrangúria ou tenesmo vesical e a dor perineal

28

Dor
Dor lombar e no flanco

*descrita como profunda, de intensidade variável, fixa e
persistente, que piora com a posição ortostática e se agrava no fim do dia
*Lembra muito a lombalgia
*Na síndrome nefrótica, glomerulonefrite aguda, nefrite intersticial e pielonefrite aguda, este tipo de dor geralmente está
presente.
*obstrução urinária aguda devida a cálculo na pelve renal ou a obstrução ureteropélvica
*relatam dor semelhante após uso de diurético, principalmente furosemida.
*Rins policísticos
*inflamação perinefrética ocorre irritação da cápsula renal que causa dor intensa que aumenta com a movimentação->na nefrite intersticial bacteriana, infarto renal, ruptura de cisto renal, quando ocorre hemorragia ou necrose
tumoral, e no extravasamento de urina.

29

Dor
Cólica renal ou nefrética

dor decorrente de obstrução do trato urinário alto, com súbita dilatação da pelve renal ou do
ureter, que se acompanha de contrações da musculatura lisa destas estruturas
*início, pode haver apenas desconforto na região lombar ou no flanco, irradiandose
vagamente para o quadrante
inferior do abdome do mesmo lado.->desconforto evolui para dor de grande intensidade, acompanhada de
malestar
geral, inquietude, sudorese, náuseas e vômitos->paciente movese
no leito ou levantase
à procura de uma
posição que lhe traga algum alívio.
*começa no ângulo costovertebral, irradiandose
para a fossa ilíaca e região inguinal,
alcançando o testículo e o pênis no homem e o grande lábio vaginal na mulher->durar horas ou
dias, ocorrendo alívio espontâneo se houver desobstrução do ureter pelo deslocamento do cálculo ou coágulo
*desaparecimento súbito da dor,
ocasionado pela resolução natural da obstrução;


*se a obstrução
estiver na junção ureteropélvica, a dor costuma situarse
no flanco e irradiarse
para o quadrante superior do abdome ou
mesmo para a região inguinal homolateral

*obstrução ureterovesical acompanhase
de sintomas de irritação do trígono
vesical, representados por disúria, urgência e polaciúria, que fazem pensar em cistite

*Cálculo obstruindo o segmento final
do ureter pode causar dor persistente no testículo e pênis, ou no grande lábio vaginal do mesmo lado

30

dor
Dor vesical

dor originada no corpo da bexiga geralmente se localiza na região suprapúbica
*Quando ela decorre de irritação
envolvendo a região do trígono e do colo vesical, irradiase
para a uretra e o meato externo, podendo ser relatada como
uma sensação de queimor

31

dor
Estrangúria ou tenesmo vesical

inflamação vesical intensa pode provocar a emissão lenta e dolorosa de urina->decorrente de espasmo da musculatura do trígono e colo vesical
*

32

Dor perineal

Infecção aguda da próstata causa dor perineal intensa, sendo referida no sacro ou no reto. Pode causar também estrangúria

33

Edema

*glomerulonefrite o edema é generalizado, mais intenso na região periorbitária pela manhã, quando o paciente
acorda. No final do dia, se o paciente estiver deambulando normalmente, predomina nos membros inferiores.
*glomerulonefrite crônica=>edema periorbitário, pela manhã. O paciente relata que acorda com os “olhos empapuçados”.
*síndrome nefrótica é generalizado e mais intenso que o da glomerulonefrite, podendo chegar à anasarca,
especialmente em crianças=>consegue deambular, é comum observarse,
pela
manhã, intenso edema facial. No fim do dia, são as pernas que estão edemaciadas. É frequente a presença de ascite e
derrame pleural.
*insuficiência renal crônica é muito variável->Depende também da
fase da doença, do grau do distúrbio funcional ou de eventuais alterações que ocasionam a descompensação clínica
*insuficiência renal aguda o edema decorre geralmente de hiperhidratação
*pielonefrite o edema é de pequena intensidade, quase sempre restrito à localização facial pela manhã

34

Febre e calafrios

*infecções urinárias altas, que comprometem os cálices, bacinetes e interstício do parênquima renal, quase sempre se
acompanham de febre que pode ter início súbito, precedido de calafrios
*Infecções das vias urinárias inferiores também
podem provocar febre, mas nesses casos predominam as alterações miccionais