TRAQUEIA, BRÔNQUIOS, PULMÕES E PLEURAS Flashcards Preview

Sinais e sintomas (todos) > TRAQUEIA, BRÔNQUIOS, PULMÕES E PLEURAS > Flashcards

Flashcards in TRAQUEIA, BRÔNQUIOS, PULMÕES E PLEURAS Deck (27):
1

principais sinais e sintomas das afecções do aparelho respiratório?

dor torácica, tosse, expectoração, vômica,
hemoptise, dispneia, chieira ou sibilância, cornagem, estridor e tiragem

2

Dor torácica?

podem estar na própria parede do tórax, na traqueia, nos brônquios, nas pleuras, nos pulmões,
no coração, no pericárdio, nos vasos, no mediastino, no esôfago, no diafragma e em órgãos abdominais (estômago e
duodeno, vesícula e vias biliares, fígado, pâncreas e baço)
*laringotraqueítes e nas traqueobronquites agudas o paciente localiza a dor na área de projeção da laringe e da
traqueia, colocando a mão espalmada sobre o esterno
*pleurites, a dor costuma ser aguda, intensa e em pontada (“dor pleurítica”)=>dor é sentida é bem delimitada, podendo o paciente cobrila
com a polpa de um dedo, ou fazer
menção de agarrála
sob as costelas com os dedos semifletidos + dor aumenta com a tosse, manifestação comum nas
pleurites, e movimentos inspiratórios profundos
**derrame pleural.=>dor desaparece a dispneia piora
*pleurite diafragmática periférica=>dor é sentida na área dos nervos intercostais mais próximos
*pleurite diafragmática central=>se localiza no território inervado pelo frênico (pontos frênicos), incluindo o ombro
*pleurite diafragmática=>pode não conseguir definir com precisão o local da dor, se torácica ou abdominal - quadro de falso abdome agudo, principalmente em crianças
*dor no pneumotórax espontâneo é súbita, aguda e intensa=>comparála
a uma punhalada. + dispneia, de maior ou menor intensidade, dependendo da pressão na cavidade pleural. Não há febre e a
dor surpreende
**pneumonias (bacterianas)=>iniciamse
na porção periférica dos lobos, + dor vem
acompanhada de febre e tosse produtiva, que pode ser hemoptoica.+ foco pneumônico for apical, mediastinal ou
diafragmático->sensação dolorosa profunda não bem localizada
*pneumonites intersticiais=>dor difusa, como um
desconforto, quase sempre de localização retroesternal, que se exacerba com a tosse, que é seca
*infarto pulmonar cortical, parietal ou diafragmático=> sensação dolorosa muito parecida com a das
pleurites e das pneumonias + concomitância de doença emboligênica (trombose venosa profunda, trombose intracavitária)
***dor mediastínica,=>tumores malignos da região, é do tipo profunda, sem localização
precisa, surda e mal definida.

3

condições clínicas que são
potencialmente fatais na dor toracica?

infarto agudo do miocárdio, dissecção
aórtica aguda, pneumotórax hipertensivo, embolia pulmonar e ruptura esofágica

4

Tosse
definição?

Consiste em uma inspiração rápida e profunda, seguida de fechamento da glote e contração dos músculos expiratórios,
principalmente o diafragma, terminando com uma expiração forçada, após abertura súbita da glote. A última parte da tosse
– a expiração forçada – constitui um mecanismo de defesa

5

Tosse
origem?

natureza inflamatória (hiperemia, edema, secreções e ulcerações),
mecânica (poeira, corpo estranho, aumento e diminuição da pressão pleural, como ocorre nos derrames e nas atelectasias),
química (gases irritantes) e térmica (frio ou calor excessivo).

6

tosse
porque nocivo?

virtude de excessivo aumento da pressão na árvore brônquica, que culmina na distensão dos
septos alveolares.

7

tosse
avaliação semiologica?

frequência, intensidade, tonalidade, presença ou não de
expectoração, relação com o decúbito, período em que predomina

8

tosse
tipos?

◗ Tosse seca ou improdutiva: pode ter origem em áreas fora da árvore brônquica, como o canal auditivo externo, a
faringe, os seios paranasais, o palato mole, a pleura parietal e o mediastino
◗ Tosse produtiva: é a que se acompanha de expectoração
◗ Tosse rouca: comum nos tabagistas, é indicativa de laringite crônica. Ocorre também na laringite aguda
◗ Tosse metálica: áspera (tosse de cachorro), indica edema da laringe e dos tecidos circundantes
◗ Tosse bitonal: devese
à paresia ou paralisia de uma das cordas vocais, que pode traduzir compressão do nervo laríngeo
inferior (recorrente), situado à esquerda do mediastino médio inferior
◗ Tosse quintosa: caracterizase
por surgir em acessos, mais frequentes de madrugada, com intervalos curtos de acalmia,
acompanhada de vômitos e sensação de asfixia. É sugestiva de coqueluche, mas pode ocorrer em outras infecções
respiratórias
◗ Tossesíncope:
aquela que, após crise intensa de tosse, resulta na perda de consciência
◗ Tosse crônica: é a que persiste mais do que 3 meses.
***corpo estranho nas vias respiratórias=>tosse seca, quase contínua. Mas em uma fase mais tardia
torna-se
produtiva
**tabagismo=>tosse crônica, sendo mais acentuada pela manhã, quando costuma ser
acompanhada de expectoração.
*enfisematosos a tosse é seca ou com expectoração escassa
*bronquíticos é produtiva.
*doença pulmonar intersticial=>sinal precoce
*embolia pulmonar,=>tosse costuma ser improdutiva, mas ocorrendo infarto surge expectoração hemoptoica
*insuficiência ventricular esquerda e na estenose mitral a tosse é seca, mais intensa à noite, podendo surgir aos esforços
*edema pulmonar agudo acompanhase
de secreção espumosa, de coloração rósea
*tosse produtiva=>Após intubação traqueal, traqueostomia e nos indivíduos portadores de hérnia hiatal, megaesôfago ou acometidos de
acidente vascular cerebral

9

expectoração
caracteristicas semiologicas?

volume, a cor, o odor, a transparência e a
consistência do material eliminado.

10

expectoração
composição?

serosa contém água, eletrólitos, proteínas e é pobre
em células; a mucoide (translúcida ou esbranquiçada), além de muita água, contém proteínas, como a mucina, substância
pegajosa, incluindo mucoproteínas, eletrólitos, sendo baixo o número de células; a purulenta (amarelada ou esverdeada) é
rica em piócitos e tem celularidade alta; a hemoptoica, além desses elementos, contém sangue

11

espectoração
causas?

*edema pulmonar agudo->aspecto seroso, coloração rósea e é rica em espuma
*asmático é mucoide, com alta viscosidade, lembrando a clara de ovo + às vezes (pequenas formações
sólidas, brancas e arredondadas, justificando a expressão “escarro perolado”
*fases iniciais da bronquite a expectoração é mucoide, mas com o passar do tempo tornase
mucopurulenta
*enfisematoso
*bronquite crônica, a expectoração pode ser predominantemente mucosa, passando para mucopurulenta ou
francamente purulenta, com a progressão do processo infeccioso(Pneumococcus e o Haemophilus)
*bronquíticos crônicos e os portadores de bronquiectasias, principalmente nas reagudizações, eliminam pela manhã
grande quantidade de secreção, acumulada durante a noite, ao que se denomina “toalete brônquica”.
*abscesso pulmonar->Intensa fetidez da expectoração
*tuberculose pulmonar=>contém sangue desde o início da doença. Pode ser
francamente purulenta, inodora
*expectoração hemoptoica=>infarto pulmonar, bronquiectasias, abscesso pulmonar,
neoplasias, edema pulmonar agudo e nos distúrbios hemorrágicos
*gotejamento pósnasal
(sinusite crônica, rinite alérgica)=>tosse é mais intensa à noite e quase sempre a
expectoração é mucopurulenta.
*

12

expectoração
diferença das lesões alveolares(pneumonias bacterianas) das
intersticiais (pneumonias virais).

*No início das pneumonias bacterianas não existe expectoração ou ela é discreta, mas após
algumas horas ou dias surge uma secreção abundante, amareloesverdeada,
pegajosa e densa. Nessa fase pode ocorrer
escarro hemoptoico vermelhovivo
ou cor de tijolo. Nas pneumonias por bacilos gramnegativos
(Klebsiella, Aerobacter,
Pseudomonas), a expectoração adquire um aspecto de geleia de chocolate. Quando estão presentes anaeróbios
(bacteroides), o hálito fétido e o escarro pútrido

13

Vômica

eliminação mais ou menos brusca, através da glote, de uma quantidade abundante de pus ou líquido de aspecto
mucoide ou seroso
*abscesso pulmonar, o empiema, as bronquiectasias, as mediastinites supuradas, o
abscesso subfrênico e as lesões cavitarias da tuberculose.

14

Hemoptise

É a eliminação, com a tosse, de sangue proveniente de uma fonte abaixo das cordas vocais, ou seja, da traqueia, dos
brônquios ou dos pulmões.

15

Hemoptise
divisão?

hemorragias brônquicas ou alveolares e diferentes causas
**Na origem brônquica, seu mecanismo é por ruptura de vasos previamente sãos, como ocorre no carcinoma brônquico,
ou de vasos anormais, dilatados, neoformados, como sucede nas bronquiectasias e na tuberculose
*de origem alveolar a causa é a ruptura de capilares ou transudação de sangue, mesmo sem haver
solução de continuidade no endotélio para o interior dos alvéolos

16

Hemoptise
causas?

*causa mais frequente são as bronquiectasias
*Na infância, as causas mais frequentes de hemoptise ou de expectoração hemoptoica são as pneumonias bacterianas e
os corpos estranhos.
*Nos jovens, a tuberculose e a estenose mitral
*Em nosso meio, a blastomicose é causa comum
*adenoma brônquico e ao
tumor carcinoide
*em paciente
submetido a intervenção cirúrgica->embolia pulmonar

17

expectoração hemoptoica

sangue juntamente com secreção mucosa ou mucopurulenta

18

hemoptises
diferenciar pela circulação?

as hemoptises
originadas nas artérias brônquicas são em geral volumosas, o sangue pode ser recente ou não, saturado, com ou sem catarro. É o que ocorre nas
bronquiectasias, nas cavernas tuberculosas, na estenose mitral e nas fístulas arteriovenosas. Quando o sangue provém de ramos da artéria pulmonar, seu
volume costuma ser menor. É o que ocorre nas pneumonias, nas broncopneumonias, nos abscessos e no infarto pulmonar.

19

Diagnóstico diferencial entre epistaxe, hemoptise, estomatorragia e hematêmese

*Hemorragias nasais (epistaxe)
*estomatorragias =>exame da cavidade bucal
*hematêmese=>sangue eliminado pode ser vermelho-vivo ou ter o aspecto de
borra de café, contendo ou não restos alimentares, de odor ácido, e não é arejado. Quase sempre é precedida de náuseas e vômitos. +história pregressa
desses pacientes, na maioria das vezes há referência a úlcera péptica, esofagite, varizes esofágicas ou melena

20

Dispneia

Referese
à dificuldade para respirar, podendo o paciente ter ou não consciência disso; em geral, faz referência a “falta de
ar” ou “cansaço”.

21

Dispneia
em relação às codições em que surge?

*dispneia aos grandes esforços
*Dispneia aos médios esforços
*Dispneia aos pequenos esforços
*Dispneia de repouso
*Ortopneia é a dispneia que impede o paciente
de ficar deitado e o obriga a assentarse
ou a ficar de pé para obter algum alívio
*Dispneia paroxística noturna é a que
surge à noite, depois que o paciente já dormiu algumas horas.
*Trepopneia é a dispneia que aparece em decúbito lateral,
como acontece nos pacientes com derrame pleural, que preferem deitar sobre o lado doente para liberar o lado são
*Platipneia é um tipo raro de dispneia que se caracteriza por surgir na posição sentada, aliviandose
pelo decúbito(póspneumectomia,
na hipovolemia e na cirrose hepática)

22

dispneia
divisão?

*Causas atmosféricas->
*Causas obstrutivas->vias respiratórias, da faringe aos bronquíolos, podem sofrer redução de calibre +vias respiratórias, da faringe aos bronquíolos, podem sofrer redução de calibre + obstruções da traqueia são decorrentes de corpo estranho ou de compressão extrínseca, por bócio, neoplasia,
aneurisma da aorta ou adenomegalia mediastínica. + obstruções bronquiolares surgem na asma e nas bronquiolites
*Causas parenquimatosas=>afecções que reduzem a área de hematose de modo intenso, tais como condensações
e rarefações parenquimatosas (pneumonia, fibrose, enfisema)
*Causas toracopulmonares=>
alterações capazes de modificar a dinâmica toracopulmonar, reduzindo sua elasticidade e
sua movimentação, ou provocando assimetria entre os hemitórax +fraturas dos arcos costais, a cifoescoliose e alterações musculares, tais como miosites, pleurodinias ou mialgias
intensas.
*Causas diafragmáticas=>paralisia,
hérnias e elevações uni ou bilaterais provocadas por ascite, hepatoesplenomegalia ou gravidez.
*Causas pleurais=>pleura parietal é dotada de inervação sensorial, e sua irritação (pleurite seca) provoca dor=>limita ao máximo as incursões respiratórias; derrames
*Causas cardíacas=>falência do ventrículo esquerdo ou de estenose de valva mitral, tendo como
denominador comum a congestão passiva dos pulmões
*Causas neurológicas=>hipertensão intracraniana-respiração de CheyneStokes
*Causas psicogênicas=>transtornos emocionais e faz parte do quadro do
transtorno de ansiedade e da síndrome de hiperventilação.
*

23

Chieira ou sibilância

Chieira, chiadeira, chiado ou sibilância
*um ruído que ele pode perceber, predominantemente
na fase expiratória da respiração, quase sempre acompanhado de dispneia
*ruído tem timbre elevado e tom musical,
podendo ser comparado ao miado de gato.
*resulta da redução do calibre da árvore brônquica, devida a espasmo (broncospasmo) ou edema da parede

24

sibilância
causas?

*localizada ou unilateral e persistente=>indicar a presença de tumor ou corpo estranho
ocluindo um brônquio.
*asma e da bronquite, a chieira pode ser observada nos infiltrados eosinofílicos, na tuberculose brônquica, nas
neoplasias brônquicas malignas e benignas.+fármacos colinérgicos, betabloqueadores e inalantes químicos
*insuficiência ventricular esquerda acompanhada de broncospasmo é a condição extrapulmonar que mais provoca
chieira.;denominação de asma cardíaca

25

Cornagem

Consiste na dificuldade inspiratória por redução do calibre das vias respiratórias superiores, na altura da laringe, e que se
manifesta por um ruído (estridor) bastante alto.
*paciente deslocar a cabeça para trás, em extensão forçada, para facilitar a entrada do ar
*causas mais comuns são a laringite, a difteria, o edema da glote e os corpos estranhos

26

Estridor

respiração ruidosa, parecido com a cornagem. É característica na laringite estridulosa dos recémnascidos
e
traduz acentuada dificuldade na passagem do ar nas vias respiratórias superiores.

27

Tiragem

aumento da retração que os espaços intercostais apresentam em consequência das variações da pressão
entre os folhetos pleurais durante as fases da respiração.
*asma brônquica ou oclusões por corpo estranho ou neoplasia localizada ao nível da laringe ou acima da bifurcação da traqueia, a tiragem
também é observada em todos os espaços intercostais
*obstáculo estiver em um brônquio principal, o fenômeno pode ser visto no hemitórax correspondente. Quanto
mais periférica for a oclusão, mais restrita será a área onde a tiragem estará presente.