Arritmias pt 1 Flashcards Preview

ECG > Arritmias pt 1 > Flashcards

Flashcards in Arritmias pt 1 Deck (39)
Loading flashcards...
1

O que é arritmia?

Qualquer distúrbio na frequência, na regularidade, no local de origem ou na condução do impulso elétrico cardíaco.

2

Toda arritmia é anormal e perigosa?

Não Atletas podem ter FC bem baixas (35, 40 bpm) Batimentos anormais isolados, que se originam em qualquer outra parte do coração que não o nó SA, frequentemente ocorrem na maioria dos indivíduos saudáveis.

3

Primeiro e principal sintoma de arritmias

Palpitações (conscientização dos batimentos cardíacos)

4

Quando a arritmia compromete a função cardíaca, podem ser sentidos sinais de baixo débito, que são: (2)

Tontura e síncope

5

O inicio súbito de uma arritmia em um paciente com doença cardíaca subjacente pode precipitar __

Insuficiência cardíaca congestiva

6

Arritmias rápidas que aumentam a demanda por O2 podem causar ___

Angina

7

Muitas vezes não é possível identificar a causa da arritmia, mas sempre que estamos diante de um paciente com arritmia, pensar nos fatores arritmogênicos: HIS DEBE

Hipóxia Isquemia e irritabilidade S (estimulação) simpática Drogas( fármacos) Eletrólitos (distúrbio) Bradicardia Estiramento (dilatação e hipertrofia dos átrios e ventrículos)

8

O que é registro de ritmo e quando deve ser feito?

É um longo traçado de uma única derivação ou de múltiplas derivações que pode ser feito quando há suspeita de uma arritmia, seja clínica ou eletrocardiograficamente

9

2 formas de calcular FC

1500 / qte de quadradinhos de um intervalo RR 300 / qte de quadradões (5 quadradinhos) de um intervalo RR

10

5 tipos básicos de arritmias

Arritmias de origem sinusal Ritmos ectópicos Arritmias reentrantes Bloqueios de condução Síndromes de pré-excitação

11

Uma arritmia cuja atividade elétrica segue as vias de condução usuais que já foram delineadas, mas é muito rápida, muito lenta ou irregular é classificada como

Arritmia de origem sinusal

12

Uma arritmia cuja atividade elétrica se origina de um foco que não o nó SA é chamada de

Ritmo ectópico

13

Uma arritmia cuja atividade elétrica é aprisionada dentro de um circuito elétrico cuja forma e limites são determinados por várias características miocárdicas elétricas e anatômicas é classificada como

Arritmias reentrantes

14

Arritmia cuja atividade elétrica se origina no nó SA e segue a via habitual, mas encontra bloqueios e retardos inesperados é classificada como

Bloqueio de condução

15

Arritmia cuja atividade elétrica segue vias de condução acessórias que contornam as vias normais, fornecendo um atalho elétrico ou um curto-circuito são classificadas como

Síndromes de pré-excitação

16

1) 2 arritmias de origem sinusal 2) São sempre patológicas?

1)Taquicardia sinusal Bradicardia sinusal 2) Podem ou não ser patológicas

17

O que é uma taqui ou bradicardia sinusal?

A despolarização se origina espontaneamente dentro do nó SA. Na taquicardia, a FC>100 bpm e na bradicardia FC<60 bpm

18

A ___ é o distúrbio de ritmo mais comum visto nos estágios iniciais do IAM

Bradicardia sinusal

19

ECG revela um compasso que parece, em todos os aspectos, ser um ritmo sinusal normal, exceto por ser discretamente irregular. Isso é uma __

Arritmia sinusal

20

Como a respiração altera a FC?

Inspiração aumenta a FC Expiração diminui a FC

21

Inatividade elétrica prolongada é chamada de ___

Assistolia

22

Quando o nó SA para de estimular o coração ocorre a ___ podendo entrar em ação outros marca-passos como uma missão de resgate e são gerados batimentos de ___

Parada sinusal Batimentos de escape

23

Qual a faixa de FC geradas pelos seguintes marcapassos não sinusais? 1) Marca-passos atriais 2) Marca-passos juncionais (próximo ao nó AV) 3) Marca-passos ventriculares

1) 60 a 75 bpm 2) 40 a 60 bpm 3) 30 a 45 bpm

24

Qual o batimento de escape mais comum?

Escape juncional (Originam próximo ao nó AV)

25

Características no ECG do escape juncional

Ausência de onda P ou onda P retrógrada (voltando para os átrios) O eixo elétrico médio dessa onda P retrógrada é 180º invertido da onda P normal; P é - em DII e + em aVR

26

O que é um bloqueio de saída sinusal?

É uma falha na transmissão da despolarização sinusal para fora do nó SA e para os átrios
 

27

Bloqueio de saída sinusal é o mesmo que parada sinusal?

O mecanismo é diferente mas gera o mesmo efeito: há uma falha no mecanismo sinusal em fornecer a sua corrente para os tecidos adjacentes.
 

28

Ritmos ectópicos lembram batimentos de escape. Qual a diferença entre eles?

Os ritmos ectópicos ectópicos são sustentados, não se referem a apenas 1 ou alguns batimentos

29

Como se origina um ritmo ectópico a nível celular?

Há uma maior automaticidade de um local que não o nó SA, seja um único foco ou um foco migratório.
(em condições anormais, outro foco pode ter ritmo mais rápido e comandar)

30

Causas mais comuns de aumento da automaticidade (favorece ritmo ectópico)
 

Intoxicação digitálica

Estimulação beta-adrenérgica por terapias inalatórias usadas para tratar asma e DPOC
 

31

Segunda maior causa de arritmia não sinusal é a ___, que é um distúrbio na transmissão do impulso, não em sua geração

Reentrada

32

Com ocorre a formação da reentrada?

Mecanismos como doença isquêmica ou fibrose danificam as células. O impulso que parte do nó SA parte passa por células não danificadas e outra parte tem muita dificuldade para passar. Os impulsos que passaram tentam voltar pela via danificada, que agora permite a passagem de impulso, iniciando um circuito ininterrupto (alça de reentrada), que pode passar a comandar o ritmo do coração
 

33

34

Todas as arritmias não sinusais clinicamente importantes são de origem __ ou ___

  • Ectópica ou reentrante

35

Para avaliar qualquer distúrbio de ritmo em um ECG, quais as 4 perguntas que devem ser feitas?
 

1) Há onda P normal? (uma onda P anormal não significa que o ritmo não está sendo gerado nos átrios)

2) QRS são largos ou estreitos?

3) Qual a relação entre as ondas P e o complexo QRS?

4) O ritmo é regular ou irregular?

36

O que significa um ritmo com QRS largo ou estreito?

Um complexo QRS estreito, portanto, indica que a origem do ritmo deve ser no nó AV ou acima dele.

Um complexo QRS amplo geralmente implica que a origem da despolarização ventricular está dentro dos próprios ventrículos. A despolarização é iniciada dentro do miocárdio ventricular, não do sistema de condução, e, assim, espalha-se muito mais lentamente.
 

37

Se as ondas P e os complexos QRS se correlacionam da forma normal um para um, com uma única onda P precedendo cada complexo QRS, então, quase certamente, o ritmo tem uma origem ___ ou ___
 

Sinusal ou atrial

38

Quando os átrios e os ventrículos se despolarizam e contraem independentemente um do outro, há uma falta de correlação entre as ondas P e os complexos QRS, o que é chamado de ___
 

Dissociação AV

39