Doenças Esófago Flashcards Preview

4. :( > Doenças Esófago > Flashcards

Flashcards in Doenças Esófago Deck (170):
1

Sintoma mais comum de dx esofágica

pirose

2

Causa mais comum de dor torácica de origem esofágica

DRGE

3

A odinofagia é mais comum com a esofagite por comprimidos ou
esofagite infecciosa do que com a esofagite de refluxo.

V

4

Melhor exame para avaliar a mucosa TGI superior

EDA

5

As únicas terapias duradouras para acalasia são?

a dilatação pneumática e a miotomia de heller

6

Principais sintomas esofágicos

1- azia
2- regurgitação
3- dor torácica
4- disfagia
5- odinofagia
6- globus

7

Tx de pirose

tx empírico da DRGE pq a associação de DRGE +Pirose é mt forte

8

Definição de ruminação.

comportamento em que o
alimento ingerido recentemente é regurgitado e, em seguida, ”re- engulido” repetitivamente por até uma hora.

9

Ruminação associada a disturbios mentais. V ou F

V!
mas tb ocorre sem def mental

10

Dor esofágica irradia?

Sim.
dorso, braços e mandibula

11

Disfagia dos disturbios da motilidade

líquidos e sólidos

12

Disfagia de estenoses, aneis ou tumores

só sólidos

13

a impactação dos alimentos no esófago é muito bem localizada? V ou F

Falso!
a localização é muito imprecisa e ~30% das obstruções esofágicas distais são percebidas como disfagia cervical

14

Sintomais de disfagia orofaringea

1 aspiração
2 regurgitação
3 nasofaringea
4 tosse
5 sialorreia
6 comprometimento neuromuscular

15

Em que devemos pensar quando Disfagia orofaringea nao acompanhada dos 6 sintomas tipicos?

etiologia esofagica

16

Odinofagia + DGRE está provavelmente relacionada com...

ulcera esofagica ou erosao profunda

17

Globus é sentido independentemente da deglutição?

Verdade!
muitas vezes até é aliviada pela deglutição.

18

Globus é frequentemente atribuido a que patologia?

DRGE

19

Sialorreia é bastante frequente de ocorrer. V ou F

F! é incomum

20

Principais vantagens da EDA sobre Rx Baritado:

1) + S p/ lesoes mucosa
2) ++ S para anomalias identificadas por alteração da coloração (pex metaplasia Barrett)
3) biopsar
4) dilata estenoses

21

6 coisas que o Rx contrastado do esofago, estomago e duodeno pode mostrar:

􏰀refluxo de bário
􏰀hérnia do hiato 􏰀granularidade da mucosa 􏰀erosões
􏰀ulcerações 􏰀estenoses

22

Sensibilidade para detectar estenoses esofágicas é maior com EDA ou Rx bario?

Rx bario!

23

Rx bario permite avaliar função e morfologia do esofago?

Sim

24

Rx de bario evita realização de EDA. V ou F

F!
A grande falha da radiografia de bário é que raramente elimina a necessidade de endoscopia!!!

25

Rx com gravação videofluoroscopica é o melhor a avaliar que patologias?

patologia da hipofaringe e doenças musc cricofaringeo

26

Principais aplicações da EcoEndoscopia:

1. Estadiamento do cancro do esófago
2. Avaliação da displasia no esófago de Barrett
3. Avaliação de tumores submucosos

27

Para que serve a manometria?

diagnosticar distúrbios de motilidade (acalásia, espasmo esofágico difuso) e para
avaliar a integridade peristáltica antes da cirurgia para a doença de refluxo.

28

Teste de refluxo permite diagnosticar DRGE em que condição?

A DRGE é muitas vezes diagnosticada na
ausência de esofagite endoscópica, que de outro modo definiria a doença.

29

Teste de refluxo positivo para DRGE c que valores?

pH

30

Qual é a hérnia do hiato mais frequente e em que %?

tipo 1 por deslizamento em 95%

31

quais os factores que aumentam a incidência da hernia de deslizamento?

1. idade
2. aumento da P intraabdominal como:
2.1 obesidade abdominal
2.2 gravidez etc
3. fact hereditarios

32

Principal consequencia da hernia de deslizamento

DRGE

33

Diferença entre hérnia tipo I, II, tipo III e tipo IV

tipo I - deslizamento da junção gastroesofágica + cárdia
tipo II - fundo do estômago vai para cima, mas junção gastroesof permanece fixa
tipo III - misto de deslizamento/hernia paraesofagica (fundo + cardia + junção GE para cima)
tipo IV - até vai colon

34

hernia aumenta com 3 coisas, quais?

aumento P intraabdominal
deglutição
respiração

35

hernias paraesofagicas tipo II e III aumentam o risco de 3 coisas, quais?

- inversao estomago
- volvulus gastricos
- estrangulamento estomago

36

Tx de grandes hernias paraesofagicas

Cirurgico

37

15% da população tem um anel B (distal) esofágico assintomatico. 10% tem uma membrana na porção superior do esófago. V ou F?

V

38

Aneis distais (anel B) - quando o diametro diminui para menos de 13 mm passa a chamar-se...

anel de schatzki
(anel B passa a ser chatxinho)

39

Uma das causas mais comuns de impactação alimentar intermitente?

anel schatzki

40

Etiologia dos aneis inferiores e superiores?

inferiores - desconhecido
superiores - congenito ou inflamatorio

41

Quantas hernias do hiato existem e quantos diverticulos?

4 hernias
3 diverticulos

42

Os da hipofaringe têm 1 nome muito famoso...

Zenker

43

Geralmente os de Zenker são assintomaticos. Qdo aumentam dão que sintomas?

disfagia, halitose e aspiração.

44

diverticulos resultam de 2 causas:

1) obstrução distal
2) aumento da pressao intraluminal

45

D. Zenker ha uma obstrução a que nivel?

Estenose no musc. cricofaringeo
e ocorre o diverticulo no triangulo de Killian

46

Quais dos 3 diverticulos são falsos?

divertículos de Zencker e Epifrénicos são FALSOS DIVERTÍCULOS resultantes da herniação
da mucosa e submucosa através da camada muscular do esôfago.
(no meio é que esta a virtude - verdadeiro e o mesoesofagico)

47

Diverticulos epifrenicos estão associados geralmente a que?

acalasia ou estenose do esófago distal.

48

Diverticulos do esofago medico podem ser causados por...

tração devido a inflamação adjacente (classicamente tuberculose) ou propulsão associada com desordens motoras esofágicas.

49

Geralmente os Divert. do esofago medio e epifrenicos são assintomaticos. Qdo aumentam dão que sintomas?

disfagia e regurgitação

50

Os sintomas dos diverticulos estão associados ao tamanho.
V ou F

F.
Os sintomas atribuíveis aos divertículos tendem a correlacionar-se mais com o
distúrbio esofágico subjacente do que o tamanho do divertículos.

51

2 tipos de cancro do esofoago

1) adenocarcinoma
2) ca de cel escamosas

52

caracteristicas do adenocarcinoma esofago

1) homens brancos
2) esofago distal
3) fact risco:
3.1 - DRGE
3.2 - Esof Barrett

53

caracteristicas do ca cel escamosas do esofago

1) homens negros
2) esofago proximal
3) FR:
3.1 - tabagismo
3.2 - alcool
3.3 - lesao caustica
3.4 infecção por HPV

54

diverticulos resultam de 2 causas:

1) obstrução distal
2) aumento da pressao intraluminal

55

apresentação típica do Ca do Esofago

1. disfagia progressiva p solidos
2. perda peso

56

Qual o tumor benigno do esofago mais frequente? (apesar dos t. benignos serem todos raros)

leiomioma

57

qual e a anomalia congenita do esofago mais frequente?

atresia!

58

anomalias congenitas do esofago:

1. atresia
2. mucosa gastrica heterotopica (mais no esófago cervical)
3. estenose esof congenita
4. membranas
5. duplicações
6. disfagia lusoria (compressao por art subclavia direita)

59

A acalasia é uma doença rara causada por _____ (perda/aumento) das células ganglionares do plexo mioentérico.
Causa proposta: auto-imune por infeção latente do _____ (CMV/herpes vírus humano tipo 1)

A acalasia é uma doença rara causada por perda das células ganglionares do plexo mioentérico.
Causa proposta: auto-imune por infeção latente do herpes vírus humano tipo 1

60

Idade de apresentação da acalasia

25 e 60

61

Manifs acalasia. Como é a disfagia (solidos, liquidos ou os dois?

1. disfagia (solidos e liquidos),
2. regurgitação,
3. dor no peito e
4.perda de peso.

62

fase avançada da acalasia é caracterizada por 3 coisas:
(anomalias anatomicas)

dilatação progressiva e deformidade sigmóide do
esófago com hipertrofia do EEI.

63

acalasia avançada, o doente tem risco de patologias pulmonares devido a regurgitação e aspiração. Quais?

bronquite
pneumonia
abcesso pulm

64

dor na acalasia ocorre no inicio ou fase avançada?

inicio!
(pensa-se que resulte do espasmo esofágico).
Os pacientes descrevem uma compressão, dor restrosesternal tipo pressão, às vezes com irradiação para o pescoço, braços, mandíbula e costas.

65

Alguns doentes com acalasia queixam-se paradoxalmente de azia que pode ser um equivalente dor torácica. V ou F?

V

66

Dx diferencial de acalasia

1. EED
2. Dça Chagas (afeta todo o corpo)
3. Pseudoacalasia

67

o que é a pseudoacalasia?

infiltração por tumor, mais comumente visto com carcinoma no fundo gástrico ou do esófago distal pode imitar acalásia idiopática.
afeta 5% dos casos suspeitos e é + provavel em individuos com idade avançada, inicio

68

EDA é importante na acalasia?

Sim! Para excluir pseudo-acalasia

69

o que se vê no Rx com bário na acalasia? Como esta o corpo do esófago e o esfincter esofagico inferior?

- dilatação
- EEI afunilado em bico
- Div. epifrenico ocasionalemnte
- esof c/ configuração sigmoide

70

Criterios manometricos de dx de acalasia:

pobre relaxamento EEI e peristaltismo ausente

71

Qual o exame mais sensivel p/ dx acalasia?

manometria, Uma vez que identifica o início da doença antes
de dilatação do esôfago e retenção de alimentos

72

Tratamento da acalasia é dirigido a restabelecer o peristaltismo. V ou F

F. raramente ou nunca retorna!
tx destina-se a reduzir a P do EEI.

73

Tx acalasia é mt eficaz em aliviar a dor toracica. V ou F.

F!
menos eficaz em aliviar a dor torácica, do que é no alívio da disfagia ou regurgitação. (dor tem componente espasmódico mas tb neuropatico)

74

Tx acalasia farmacologico é mt eficaz. V ou F

F!
é basicamente temporario.

75

Tx farmacologico da acalasia inclui:

- Bloq Canais calcio
- nitratos
- toxina botulinica
- sildenafil

76

Acalasia e toxina botulinica - % de melhoria da disfagia e duração do tx.

66% dos casos e dura 6 meses.

77

Se tx farmacologicos de acalasia são temporarios, quais os duradouros?

As únicas terapias duradouras para acalasia são a dilatação pneumática e a miotomia de Heller (procedimento cirúrgico mais comum para acalasia)

78

O que ocorre se nao se tratar da acalasia?

a dilatação leva a esofagite de estase

79

Há associação entre acalasia e Ca cel escamosas?

Sim! e a explicação provavel é esofagite de estase. o risco aumenta 17vezes.

80

Manifs do espasmo esofagico difuso

1. disfagia
2. dor no peito

81

Diferença entre acalasia e espasmo esofágico difuso em relação ao tonos do EEI.

espasmo tem relaxamento normal do EEI enquanto q a acalasia nao!

82

Dor toracica esofagica imita a angina de peito. quais as Características que sugerem dor de causa esofágica

Não relacionada com exercício
Prolongada
Com perturbação do sono
Relacionada com as refeições
Aliviado com antiácidos
􏰀Acompanhada de azia, disfagia ou regurgitação.

83

Quando um doente aparece com dor toracica e disfagia, em que devemos pensar?

1º em esofagite peptica ou infeciosa
só dps em espasmo esofagico difuso

84

Rx do esofago em saca-rolhas é patognomonico de que?

de nada!
pode aparecer no espasmo difuso ou acalasia espastica.

85

caracteristicas espasmo difuso esofagico na manometria

1.atividade ("espástica") descoordenada no esófago distal,
2.contrações espontâneas e repetitivas ou 3.contrações de alta amplitude e prolongadas.
4. esofago em quebra nozes (uma variante) - vigorosas e repetitivas com inicio peristaltico normal.
5. contrações simultaneas (uma variante) - maior consenso! é o que define o espasmo esof. difuso.

86

maior consenso na definição manometrica de espasmo esofagico difuso

contrações simultaneas

87

qual é mais comum: acalasia ou Espasmo esofagico difuso?

a acalasia!
a manometria de alta resolução sugere que o EED é na
verdade muito menos comum do
que acalasia e casos suspeitos são muitas vezes incorretamente classificados acalasia.

88

como se faz o dx de espasmo esofagico difuso?

manometria

89

tx farmacologico de espasmo esofagico difuso

•O único estudo controlado mostrando a eficácia de um fármaco foi com
um ansiolítico.

90

é frequente fazer cx no espasmo? e quais as indicações ao tx cirurgico?

é extremamente raro.
faz-se miotomia longa ou esofagectomia APENAS se perda de peso severa ou a dor insuportável.

91

manometria em contexto de dor toracica/disfagia e não faz diagnostico de acalasia ou de espasmo. o que fazer?

tratar como se fosse DRGE ou depressao ou neurose de somatização q podem coexistir.

92

DGRE engloba um espectro de patologias. quais?

esofagite
estenose
esofago Barrett
adenocarcinoma

93

O subgrupo melhor definido de doentes com DRGE embora em minoria tem o quê?

esofagite

94

quando ocorre esofagite?

refluxo de ácido gástrico EM EXCESSO e pepsina, q leva a necrose da mucosa esofágica, causando erosões e úlceras.

95

quais os 3 mecanismos q levam a incompetencia da junção gastroesof?

(1) relaxamentos transitórios EEI (um reflexo vagal em que o relaxamento LES é provocado pela distensão gástrica)
(2) hipotensão EEI
(3) distorção anatómica da junção esofagogástrica (ex: hérnia do hiato) (!)Atenção o 3o mecanismo também influencia os dois primeiros

96

Relaxamentos transitórios do EEI são responsáveis por 90% refluxo nos indivíduos normais e nos doentes com DRGE sem hérnia hiato. V ou F

V

97

que factores agravam o refluxo?

- Obesidade abdominal
- Gravidez
- Estados de hipersecreção gástrica
- Esvaziamento gástrico retardado
- Perturbação do peristaltismo do esófago
- gula

98

duas causas de clearence de acido prolongada?

1- diminuição do peristaltismo (interrupção do peristaltismo ou à sobreposição de refluxo devido a uma hérnia do hiato)
2. salivação reduzida.

99

hipersecreção ác. gastrico é 1 factor dominante no desenvolvimento de esofagite? V ou F

F. Geralmente não é.
Uma excepção é síndrome de Zollinger-Ellison, que está associado com esofagite grave em cerca de 50% dos pacientes (e 2 em cada 3 doentes com ZE tem algum tipo de patologia esofágica)

100

Gastrite cronica por HP. Efeito protector ou deletério na DRGE?

A gastrite crónica por H. pylori, que pode ter um efeito protetor, pois induz a gastrite atrófica com hipoacidez
concomitante.

101

a bilis tem importancia na DRGE?

sim! até pq a bílis persiste no conteúdo refluído, apesar da utilização de fármacos anti-ácidos.

leva a lesão celular grave, num ambiente fracamente acídico, e também tem sido considerado um co-factor na patogénese da metaplasia de Barrett e adenocarcinoma.

102

Sintomas típicos de DRGE?

azia e regurgitação

103

Sind. extra-esofagicos com associação a DGRE. Quais destes não estão fortemente associado?
tosse crónica, laringite, asma, erosões dentárias, bronquite crónica, apeia do sono

A bronquite cronica e a apneia do sono so estao supostamente associados. A associação dos outros e mais forte!

104

Dx Dif de DRGE:

1. Esofagite por ingestão de comprimidos
2. Esofagite infecciosa
3. Esofagite eosinofílica
4. Úlcera péptica
5. Dispepsia
6. Cólica biliar
7. Doença arterial coronariana
8. Distúrbios da motilidade esofágica.

105

Como se diferenciam as diferentes esofagites na endoscopia?

1. peptica - ulceras solitarias e distais
2. infeciosa - difuso, envolve esof. proximal.
3. eosinofilica - vários anéis, sulcos e exsudado branco
4. comprimidos - ulceras unicas, profundas, nos pontos de estreitamento perto da carina. POUPA o esof. distal

106

complicação mais grave de DGRE

a consequência histológica mais grave da DRGE é a
metaplasia de Barrett com o risco associado de adenocarcinoma esofágico

107

devido aos novos supressores ácidos, a incidencia de barrett e adenocarcinoma tem diminuido e até há evidencias que o tx resulta muito bem.

Falso!
incidência tem
aumentado, não diminuído na época da supressão ácida potente.
Não há evidências que confirmem que a terapia anti- secretora agressiva ou cirurgia anti-refluxo levem à
regressão do esófago de Barret ou previnam o aparecimento de adenocarcinoma.

108

metaplasia de barrett evolui para adenocarcinoma em quanto tempo?

0,5% ao ano

109

grupo de risco de metaplasia barrett?
(quanto ao genero, raça e peso)

homens brancos obesos na sexta década de vida.

110

quais aos modificações estilo de vida da DRGE?

(1) evitar alimentos que reduzem a pressão do esfíncter esofágico inferior, tornando-os "refluxogenic" (alimentos gordurosos, álcool, hortelã, hortelã- pimenta, alimentos à base de tomate, possivelmente café e chá)
(2) evitar alimentos ácidos que são irritantes para a mucosa
(3) adopção de comportamentos para minimizar refluxo e/ou azia.

111

obesos sofrem mais de DRGE?

sim!
ha uma forte associação
e A recomendação mais amplamente aplicável é a redução de peso.

112

tx farmacologico na DRGE permite reduzir o refluxo de forma eficaz. V ou F?

Falso!
Farmacologicamente reduzir a acidez do suco gástrico não impede o refluxo, mas melhora os sintomas de refluxo e permite a cicatrização da esofagite

113

o doente que se queixa muito de DRGE é o que tem doença mais grave. V ou F?

Falso!
Paradoxalmente, a frequência PERCEBIDA e a gravidade da azia correlaciona-se mal com a presença ou a gravidade da esofagite.

114

antagonistas dos receptores tipo 2 da histamina (H2RAs) são superiores aos IBP?

nao!

115

Os IBP são todos iguais.

Verdade!
Não existem grandes diferenças entre os vários IBPs e só um ganho modesto na eficácia é conseguido através do aumento da dosagem.

116

o tratamento da DRGE nao deve ultrapassar os 6 meses.

falso.
uma estratégia comum é o tratamento por tempo
indeterminado, o necessário para controlo dos sintomas, com IBP ou H2RAs pq sintomas de refluxo tendem a ser crónicos, independentemente da esofagite.

117

Ef secundarios dos IBP

1.compremetimento da absorção de vitaminaB12, cálcio e ferro
2. susceptibilidade a infecções entéricas,
particularmente a colite por Clostridium difficile

118

tx cx da DRGE crónica

fundoplicatura de Nissen

119

fundoplicatura de Nissen é muito melhor que os IBP no tx de DRGE, só não se faz mais pq tem mts ef secundarios.

Falso. tem na verdade mais ef secundarios, mas a eficacia é semelhante ao tx com IBP.

120

Esofagite eosinofilica afeta principalmente homens brancos.

Verdade!
os branquelos têm sempre mais alergias. n há volta a dar.

121

manifs da esofagite eosinofilica:

or torácica atípica e azia,
particularmente uma azia que é refratária ao tratamento com IBP.

122

sintomas/antecedentes associados À esof. eosinofilica

Uma história de alergia alimentar, atopia, asma, eczema ou rinite alérgica está presente na maioria dos pacientes.

123

complicações da esof. eosinofilica:

impactação alimentar e perfuração do esófago.

124

a confirmação histologica de esof eosinofilica é feita com detecção de ____ eosinofilos por campo de grande aumento.

a confirmação histologica de esof eosinofilica é feita com detecção de 15 eosinofilos por campo de grande aumento.

125

como a esof eosinofilica está relacionada com alergias, o teste de alergia é muito específico em encontrar o alergeneo.

falso!!
Notavelmente, o teste de alergia [teste radioallergosorbent (RAST), o
teste cutâneo] demonstrou especificidade limitada na identificação de alimentos causadores.

126

tx mais usado na esof eosinofilica

Glicocorticóides tópicos (propionato de fluticasona ou budesonida) ++ em adultos
restrição da dieta provou ser eficaz principalmente em estudos pediátricos.
glicocort. sistémicos só se doença grave e refrataria aos anteriores

127

a estenose da esof eosinofilica é facil de tratar e não costuma estar associada a complicações.

falso.
A dilatação do esófago deve ser feita com precaução em doentes
com estenose devido ao aumento do risco de ruptura do esófago mural e perfuração.

128

esof infeciosa só afeta doentes imunocompremetidos.

falso!
Apesar de rara, a esofagite infecciosa também ocorre entre os indivíduos NÃO imunocomprometidos, sendo o herpes simplex e Candida albicans os patógenos mais comuns.

129

esof infeciosa por CMV só afeta os imunocompetentes. V ou F?

falso!
só os imunocomprometidos

130

esof infeciosa por HIV é comum quando CD4

falso!
comum quando CD4

131

HIV pode dar uma sínd. parecida á esof infeciosa no momento da seroconversão, caracterizada por:

ulceração esofágica aguda com úlceras orais + uma erupção cutânea maculopapular

132

C. albicans provoca esofagite infeciosa em que situações?

1. imunocompremetidos.
2. estase esofágica secundária a alterações motoras do esófago e divertículos.

133

quando se faz tx empirico na esof infeciosa?

qdo doente tb tiver "sapinhos".
se persistir, então endoscopia com biopsia

134

complicações da C. albinas? São raras ou frequentes?

Raramente, a esofagite por Candida é complicada por hemorragia, perfuração, estenose ou invasão sistémica.

135

tx esofagite por C. albicans?

fluconazol oral 7-14dias

136

esof. infeciosa por herpes simplex são limitadas ao epitelio escamoso. Nas biopsias das margens das úlceras pode-se encontrar:
1. núcleos em vidro fosco
2. inclusões intranucleares eosinofílicas (tipo A de Cowdry)
3.células gigantes.
Verdadeiro ou falso?

Verdadeiro

137

tx da esof infeciosa por herpes?
É auto-limitada. Que farmacos podem ajudar?

A infecção geralmente é auto-limitada, resolvendo após um período de 1-2 semanas.
• O Aciclovir (400 mg por via oral, 5 vezes por dia para 14-21 dias) ou
valaciclovir (1 g por via oral durante 7 dias tid) reduzem a morbidade.

Em pacientes com odinofagia grave, aciclovir intravenoso, 5 mg / kg a cada 8 hdurante 7-14 dias, foscarnet (90 mg bid / kg por via
intravenosa durante 2-4 semanas) ou famciclovir oral podem ser utilizados.

138

diferenças entre as ulceras esofágicas causadas por CMV ou herpes.
Ulceras no herpes: vesículas e pequenas “pounched out lesions”. V ou F?

No CMV: úlceras ________ (serpiginosas/lineares), numa mucosa normal, particularmente no esófago _____ (distal/proximal).

Herpes: verdadeiro

as de CMV úlceras serpiginosas, numa mucosa normal, particularmente no esófago distal.

No CMV: úlceras serpiginosas, numa mucosa normal, particularmente no esófago distal.

139

achados patognomonicos de CMV na biopsia do esofago

Biópsias da BASE da úlcera tem maior rendimento diagnóstico para encontrar os achados patognomónicos: grandes corpos de inclusão nucleares ou citoplasmáticos.

140

tx de esofagite infeciosa de CMV e durante quanto tempo

Tratamento de escolha - Ganciclovir, 5 mg/kg por via intravenosa a cada 12 h (Ganciclovir - Gande - CitoMEGAlovirus)
A terapia deve ser continuada até que a cura, o que pode demorar 3-6 semanas.

141

na perfuração do esofago qual o exame de eleição p detetar ar?

A TC é mais sensível na detecção de ar no mediastino.

142

complicação major da perfuração esofago?

mediastinite

143

c/o se confirma perfuração esofagica?

A perfuração esofágica é confirmada pela ingestão de contraste, geralmente gastrografina seguido de bário ”thin”.

144

laceração mallory weiss é geralmente transmural na junção gastroesof.

falso! nao é transmural.

145

o risco de esofagite radica aumenta proporcionalmente com..

a dose de radiação

146

radiação > 5000 cGY normalmente está associado a perfuração esofagica.

falso.
estenose

147

esofagite corrosiva ocorre mais frequentemente associada a acidos.

falso!
alcalis.

148

Na esof corrosiva pode não existir lesão oral

Verdadeiro
A ausência de lesão oral não exclui o envolvimento esofágico.

149

esof corrosiva deve ser tx com glicocorticoides

falso. N demonstraram beneficio.

150

a cicatrização de esof corrorisva causa frequentemente estensoses graves

verdade

151

medicamentos implicados na esofagite por comprimidos:
Mnemonica: DOTEQUIFE (5 primeiros)

1. doxiciclina (mais comum),
2. tetraciclina,
3. quinidina,
4. fenitoína,
5. cloreto de potássio, 6. sulfato ferroso,
6. anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) e 7.bisfosfonatos.

152

qualquer comprimido pode levar a esofagite se tomado descuidadamente?

verdade

153

qual o local mais comum para se alojar o comprimido no esofago?

esof médio na proximidade do cruz com a carina e a aorta

154

tx de esof por comprimidos?

Nenhuma terapia específica acelera o processo de cura, mas os medicamentos anti-
secretores são frequentemente prescritos para diminuir refluxo concomitante (fator agravante).

155

o que faz a esclerodermia no esofago?

EEI hipotensivo e peristalse esofágica ausente.

156

esclerodermia é diferente de acalasia em quê?

pq com a esclerodermia o EEI fica hipotenso e na acalasia nao.

157

glicocorticoides indicado em q patologia?

esofagite eosinofilica + doenças cutâneas com acometimento esofágico

158

glicocorticoides contra indicado em q patologia?

esofagite corrosiva

159

EEI encontra-se hipotenso em que patologias?

DRGE e esclerodermia

160

em que patologias esofagicas há ausencia de peristalse?

acalasia,
DRGE
e esclerodermia

161

o que ocorre mais no esofago distal?

1. adenocarcinoma
2. aneis B
3. CMV
4. divert epifrenico
5. esof peptica
6. DRGE - metaplasia Barrett

162

o que ocorre mais no esofago proximal?

1. Ca cel escamosas
2. membranas
3. esof infeciosa
4. div. Zenker

163

sindrome de boerhaave é ruptura espontanea do esofago na junção gastroesofágica provocada por náuseas ou ânsia de vomitar. V ou F?

V
Boerhaaaave - parece som de que vai vomitar

164

Esclerodermia. Disfagia é mais para sólidos ou líquidos?
E uma disfagia branda ou grave?

Disfagia é mais para sólidos apesar de se tratar de um distúrbio da motilidade.
Disfagia branda.

165

Na DRGE só o acido causa lesão das células da mucosa esofágica. V ou F?

Falso! A bilis e importante co-factor para barret e adenocarcinoma (pode dar merda mesmo quando usamos os inibidores da secreção acida)

166

Qual o mecanismo mais frequente que leva a DRGE?

Hernia de hiato

167

Doença de chagas. Provocada por que parasita?
Que celulas e que destroi?

Parasita: T. cruzi
Destroi as células ganglionares autonómicas de todo o corpo

168

Maioria dos individuos com hérnias não tem DRGE mas a maioria dos indivíduos com DRGE tem uma hérnia esofágica. V ou F?

V

169

Membrana esofagica proximal + anemia ferropriva em mulher de meia idade... pensamos em que síndrome?

Plummer Vinson

170

A associação entre pirose e DRGE é tao evidente que o tx empírico do refluxo tornou-se abordagem aceite para este sintoma. V ou F?

V