Pneumonia Flashcards Preview

Pneumo > Pneumonia > Flashcards

Flashcards in Pneumonia Deck (88)
Loading flashcards...
1

Agente pneumonia mais comum em etilistas e DM

Pneumococo

2

Agente pneumonia grave clássica em etilistas e DM

Klebisiella (pneumonia do lobo pesado)

3

Quando é PAC (Pneumonia Adquirida na Comunidade)

Quando não é nosocomial

4

PAC TÍPICA

quadro clássico
agentes típicos coram pelo gram
respondem aos beta-lactâmicos (penicilinas e cefalosporinas)

5

PAC ATÍPICA

Quadro gripal
Agentes atípicos NÃO coram bem pelo gram
NÃO respondem aos betalactâmicos (penicilinas e cefalosporinas)

6

Radiologia PAC TÍPICA

Broncopneumonia
Lobar

7

Radiologia PAC ATÍPICA

Broncopneumonia
intersticial

8

Diag pneumonia

CLÍNICO, mas sempre pedir RX para detectar complicações/sanar dúvidas

9

Etiologias mais frequentes de PAC no Brasil (em ordem)

PM? VICH!
Pneumococo (típico)
Micoplasma (atípico)
Vírus (atípico)
Chamidophila (=chlamidia)pneumoniae (atípico)
Haemophilus (típico)

10

Quando preciso procurar o agente?

quando o tto for HOSPITALAR

11

Agente mais comum (exceto DPOC e RN)

PNEUMOCOCO

12

Agente mais comum no DPOC

Haemophilus influenza

13

início do quadro com uma faringoamigdalite aguda purulenta evoluindo para broncopneumonia com grande incidência de derrame parapneumônico

S pyogenes

14

Diagnóstico pneumococo

Antígeno urinário

15

Complicações mais comuns pneumococo

Derrame pleural
PNM redonda "pseudotumoral"

16

Klebisiella

-clássico (porem não o mais comum) de PNM grave em DM e etilista
- pneumonia do lobo pesado

17

Grupos de risco p S aureus

neonatos, lactentes, pós influenza
usuários de drogas IV
Fibrose cística (mucoviscosidose)
Bronquiectasias

18

Complicações mais comuns em S aureus

Pneumatoceles (complicação -> piopneumotórax)
Derrame pleural
PNM necrosante <2cm ou abcesso ≥2 cm

19

Grupos de risco para Pseudomonas

Fibrose cística
bronquiectasias
neutropênicos (imunossupressão)
corticoide

20

Clínica Micoplasma pneumoniae (atípico)

- 5 a 20 anos
- síndrome gripal
- miringite bolhosa
- anemia hemolítica autoimune
- aumento de IgM
- Stevens-johnson
- Raynauld, Guillain Barré

21

Clínica Legionella (atípico)

"Legionella é legendary, é o cara do ar condicionado que engana todo mundo"

- é ATÍPICO mas faz quadro TÍPICO GRAVE
- sinal de Faget (febre + FC normal ou ↓)
- Diarreia, dor abdominal
- ↓Na ↑transaminases

22

Diagnóstico Legionella (atípico)

Antígeno urinário

23

tto Legionella (atípico)

MACROLÍDEO

24

Fatores de risco para anaeróbios

dentes em mal estado + macroaspiração
alcoolatra, ↓ consciência, distúrbio da deglutição

25

Evolução anaeróbio

LENTA, polimicrobiano(é aerobio+anaeróbio)

26

tto anaeróbio

-Clindamicina/ amoxi-clavulanato por tempo prolongado (geralmente 4-6 semanas)

- se nao melhorar em 5 dias ou > 6-8cm: CIRURGIA

27

Após horas da macroaspiração

Pneumonite (não tratar)

28

Após dias da macroaspiração

PNM necrosante/ abcesso e polimicrobiana

29

Aonde tratar o pct com PAC?

CURB- 65

CURB 0-1 = tto ambulatorial
CURB 2 = considerar internação
CURB ≥3 = internação
CURB 4-5 = CTI**

30

CURB - 65

1 pt para cada:

C - confusão mental
U - ureia ≥ 43 (ou 50) mg/dL
R - respiração ≥ 30 irpm
B - baixa PA: PAS<90 ou PAD ≤ 60
65 - ≥65 anos

31

Indicações de CTI

1 MAIOR ou 2 MENORES

MAIOR: necessidade de ventilação mecânica, choque septico

MENOR: relação P/F< 250, multilobar, PAS<90, PAD<60

32

tto PAC: duração

5 DIAS

33

tto PAC: paciente hígido(ambulatorial)

betalactâmico (amoxicilina) - cobrir típico
OU
macrolídeo (azitro/claritro) - cobrir atípico

34

tto PAC: paciente com COMORBIDADES e/ou ATB PRÉVIO e/ou INTERNAÇÃO EM ENFERMARIA

"Não posso correr risco de errar o agente"

OPÇÃO 1 (melhor):
beta lactâmico (amoxi, cefa 2ª/3ª) - cefa 3ª preferível em internados em enfermaria
+
Macrolídeo (azitro/claritro)

OPÇÃO 2:
Quinolona respiratória (moxi/levo)

35

tto PAC: paciente INTERNADO EM CTI

beta lactâmico (cefa3ª) + macrolídeo (azitro/claritro)
ou
beta lactâmico (cefa 3ª) + quinolona respiratória (moxi/levo)

obs: cefalosporinas de Terceira: cefTriaxone, cefoTazidime, cefoTaxima

36

Clínica PAC típica

início hiperagudo de febre alta com calafrios,
dor pleurítica,
queda do estado geral,
tosse com expectoração esverdeada,
rx tórax: consolidação alveolar

37

Clínica PAC atípica

início subagudo
febre não tão alta
calafrios infrequentes
tosse seca
rx tórax: infiltrado intersticial ou broncopneumônico

38

bactérias piogênicas aeróbias (quadro clínico "típico")

S pneumoniae
H influenzae
Moraxella catarrhalis
Klebisiella pneumoniae
S aureus
S pyogenes
Pseudomonas aeruginosas

39

Bactérias anaeróbias da cavidade bucal (pneumonia "aspirativa")

Peptostreptococus sp
Fusobacterium nucleatum
Prevotella sp
Pseudomonas aeruginosas ????

40

germes atípicos (quadro típico ou atipico)

Mycoplasma pneumoniae
Chlamydia pneumoniae
Legionella pneumophila

41

virus respiratorios (quadro atípico)

Influenza
Parainfluenza
Adenovírus

42

Pneumonia nosocomial

Quadro de pneumonia que se instala 48h após internação hospitalar

43

som bronquial (sopro tubário)
aumento do frêmito toracovocal
submacicez
broncofonia (ouvir a voz falada com nitidez pelo estetoscópio, o normal seria estar abafada)
pectorilóquia fônica (ouvir a voz SUSSURRADA com nitidez pelo estetoscópio)

Síndrome de consolidação

44

abolição murmúrio vesicular
abolição frêmito toracovocal
submacicez
egofonia (ouvir a voz falada de forma anasalada pelo estetoscópio, o normal seria estar abafada

Derrame pleural

45

granulações grosseiras na hematoscopia que indicam ativação de neutrófilos

corpúsculos de Dohle

46

laboratório PAC típica

leucocitose com neutrofilia
leucopenia - casos graves

47

tipo de infiltrado mais encontrado no rx de pneumonia, seja qual for o agente

infiltrado alveolar broncopneumônico

48

quem deve repetir o raio x de tórax em 6 semanas para avaliar a possibilidade de CA pulmão (pneumonia pós obstrutiva)?

tabagistas >50 anos
persistência dos sintomas
achados focais ao exame físico pós tto

49

Avaliação microbiológica internados em CTI

Hemocultura
cultura do escarro
antígenos urinários para Legionella e Pneumococo
aspirado endotraqueal se intubado

50

Avaliação microbiológica na falência do tto ambulatorial

cultura do escarro
antígenos urinários para Legionella e Pneumococo

51

viagem recente

Legionella

52

Avaliação microbiológica pct com derrame pleural

Hemocultura
cultura do escarro
antígenos urinários para Legionella e Pneumococo
toracocentese e cultura de líquido pleural

53

exames recomendados no tto ambulatorial

NENHUM

54

exames recomendados no tto na enfermaria

se escarro purulento/sem ATB prévio/ falha a ATB prévio: Gram e cultura do escarro
casos graves/sem resp a tto: 2 hemoculturas, antígeno urinário para pneumococo e legionella
suspeita específica/surtos/estudos: sorologia
toracocentese

55

exames recomendados no tto na UTI

todos de enfermaria + broncoscopia/aspirado traqueal com cultura quantitativa em pct em ventilação mecânica

56

antígeno urinario para pneumococo - falso positivo

paciente com episódio de PAC nos últimos 3 meses
criança com dç respiratória crônica colonizada pelo pneumococo

57

exame capaz de positivar para pneumococo mesmo após início da antibioticoterapia

antígeno urinário para pneumococo

58

PAC: indicações de tto hospitalar

CURB≥ 2 (considerar) ou ≥ 3(internar)
SPO2<90%
RX tórax com acometimento multilobar
limitações socioeconômicas
limitações psicossociais
via oral não disponível
julgamento clínico

59

Conduta nos pacientes intubados com pneumonia bilateral difusa ou SDRA

ventilar com baixo volume corrente (6 mg/kg do peso ideal)

60

tempo de tto pneumonia por mycoplasma/chlamidia

DUAS SEMANAS (14 DIAS)

61

incidência em perfil mostrando derrame pleural com altura ≥ 5cm no recesso costofrênico posterior

toracocentese diagnóstica

62

Cd quando a febre não reduz após 72h de ATB

Broncofibroscopia com coleta de LBA ou ECP para cultura quantitativa
BAAR
coloração para P jiroveci e fungos (prata)
biopsia transbrônquica nos casos duvidosos

63

Indicação vacina pneumococo

alto risco e maiores de 60 anos + reforço 5 anos após
obs: qm tomou a primeira dose com mais de 65 anos e/ou qm nao tem asplenia ou imunossupressão não precisa do reforço

64

escarro de cor ferruginosa

pensar em pneumococo

65

pneumonia bacteriana X síndrome de Mendelson (pneumonite química por macroaspiração de suco gástrico, vômito)

Síndrome de Mendelson: se manifesta horas após a macroaspiração

pneumonia bacteriana: se manifesta após alguns dias (período de incubação)

66

local mais comum de pneumonia por anaeróbios

Pulmão direito (+retificado - p onde vai a aspiração)
segmento posterior do lobo superior > segmento superior do lobo inferior (segmento 6)

67

forma branda. afebril, autolimitada e não pneumônica de legionelose

Febre de Pontiac

68

Psitacose transmissão

ave infectada por Chlamydia psittaci elimina o agente nas excretas/na perna -> particulas infectantes dispersas no ar -> homem contrai pela via respiratória

69

Psitacose sintomas

tosse seca ou mucoide, cefaleia, febre e mialgia
dissociação clínico-radiológica
hepatoespleno em 70% dos casos

70

Psitacose diag

sorologia (fixação do complemento e microimunofluorescência)

71

Psitacose tto

doxiciclina
(macrolídeos sao opções razoáveis)

72

Pneumonia associada a ventilação mecânica

Quadro de pneumonia que se instala 48-72h após a IOT

73

Que modificação no pH Gástrico aumenta chance de pneumonia em pcts hospitalizados?

Aumento (alcalinização)

Uso de antiacidos e antissecretores na profilax ulceras de estresse
Dieta enteral com tempo de infusao longo
Existencia de hipo/acloridria previa, comum em idosos

74

Como deve estar a cabeceira no leito para reduzir chance de PAVM? (Pneumonia associada a ventilacao mecanica)

Entre 30 e 45º (posição semi-recumbente)

75

Diagnóstico pneumonia nosocomial

Infiltrado radiográfico novo ou progressão de antigo + 2 ou mais dos seguintes
- febre >= 38°C
- escarro purulento
- leucocitose/leucopenia

76

Diag PN - conduta investigativa

Coletar culturas:
- 1 escarro
- 2 amostras de hemocultura

77

Tto empiema (pus)

Manter ATB+ drenagem

Se nao melhorar: pleuroscopia + lise de aderências

78

Tempo de tto pneumonia:

- PAC
- NOSOCOMIAL

PAC: 5 dias
NOSOCOMIAL: 7 dias

79

Tto PNM NOSOCOMIAL

sem riscos, baixa mortalidade, sem ATB prévio

Básico: pneumonia no hospital - “ce fecar” com “pena”, “leva” a “pepeta”

CEFEPIME ou

PIPERACILINA-TAZOBACTAM ou

IMI/MEROPENEM ou

LEVOFLOXACINO

80

Tto PNM NOSOCOMIAL

Quem tem risco para Gram neg MDR?

Aumento de bacilos gram - nas amostras ou

Fibrose cística ou

Bronquiectasias

81

Tto PNM NOSOCOMIAL

Com risco para Gram neg MDR

ADICIONAR: “amiga leva um astro”

Amica/gentamicina ou

Cipro/levofloxacino ou

Astreonam

82

Tto PNM NOSOCOMIAL

Quem tem risco maior de mortalidade:

Choque septico ou

Suporte ventilatório ou

ATB nos últimos 90 dias

83

Tto PNM NOSOCOMIAL

Com risco > mortalidade

Escolher 1 atb de cada grupo

84

fatores de risco para infecção por patógenos multirresistentes na PAVM (pneumonia associada a ventilação mecânica)

- pelo menos 5 dias de hospitalização antes da PAVM
- choque séptico associado a PAVM
- SDRA precedendo a PAVM
- uso de ATB venoso nos últimos 90 dias
- terapia de substituição renal aguda antes do início da PAVM

85

Indicações de cobertura antipseudomonas (ex cefepime) no tto da pneumonia

- presença de doença estrutural pulmonar (bronquiectasia, fibrose cística)

- DPOC grave com exacerbações frequentes

- uso prévio de antibióticos ou glicocorticoides

86

Fatores de risco para PAC em usuarios de IBP

- duração curta do tratamento (<30 dias)
- idade avançada
- uso de baixas doses de IBP

87

Oq é sinal da silhueta?

Radiodensidade do parenquima pulmonar = cardíaca, tornando o contorno cardíaco borrado, indestinguível

Ocorre quando o espaço alveolar deixa de ser preenchido por ar e passa a ser preenchido por líquido (pus/ sangue/ água)

88

Principal agente etiologico de pneumonia em pct DPOC que tem cartão vacinal atrasado

PNEUMOCOCO (sem vacina = pneumococo mesmo no DPOC)