Glaucoma Flashcards Preview

Oftalmologia :) > Glaucoma > Flashcards

Flashcards in Glaucoma Deck (49)
Loading flashcards...
1

Fatores que superestimam a PIO

1. Fluoresceína em excesso
2. Pressão extrínseca no globo ocular (doença de graves, cirurgias de estrabismo e dedo do examinador)
3. Córneas espessas
4. Manobra de Valsalva

2

Fatores de hipoestimam a PIO

1. Córneas planas ou finas
2. Insuficiencia ou ausência de fluoresceína
3. Edema de córnea
4. Medidas repetidas em um curto espaço de tempo

3

População que apresenta menor PIO

1. Crianças
2. Grávidas

4

Quais são os 3 fatores que primariamente influenciam a PIO?

1. Taxa de produção do HA no corpo ciliar
2. Resistência no ângulo à drenagem do HA
3. Pressão episcleral

5

Fatores de risco para GPAA

1. Idade avançada
2. PIO alta
3. Córnea fina
4. Raça
5. HF

6

Quais são as características comuns da Síndrome do Disco Oblíquo (Tilted disc syndrome or Fuchs coloboma)?

1) Congênita
2) Geralmente bilateral
3) Tilt inferonasal
4) Pode estar associado a miopia, situs inversus, estafiloma ou crescente escleral
5) Defeito de campo temporal superior bilateral*

*Pode causar um defeito altitudinal ou arqueado

7

Porque o disco oblíquo gera defeitos campimétricos?

Devido ao escotoma refracional resultante da miopia confinada a região de ectasia do fundo

8

Porque o disco oblíquo gera defeitos campimétricos?

Devido ao escotoma refracional resultante da miopia confinada a região de ectasia do fundo

9

Causas de falha da trabeculectomia

1) Obstrução do óstio interno ou externo
2) Fibrose de bolsa filtrante

10

O que é ciclodiálise?

É o resultado da ruptura das fibras longitudinais do músculo ciliar ao nível do esporão escleral (tanto a raiz da íris quando o músculo ciliar são desinseridos), separando o corpo ciliar da esclera adjacente. Isso cria uma comunicação da CA com o espaço supraciliar, levando a aumento na drenagem úveo-escleral, o que pode provocar hipotonia crônica. Também pode haver fechamento espontâneo com elevação da PIO e dor.

11

Quais as particularidades do paciente com Doença Falciforme e hifema?

1) São pacientes mais susceptíveis a dano glaucomatoso dada uma PIO, devido aos possíveis estresses na perfusão do NO.
2) Hifema mais prolongado
3) Uso de inibidores de anidrase carbônica são contra-indicados, já que causam acidose agravando o quadro
4) Possuem maior risco de ressangramento
5) O manejo de hifema nesses pacientes deve ser agressivo
6) Em caso de evolução anormal de hifema em crianças, suspeite de Doença Falciforme

12

Quais as características do Glaucoma Facolítico?

1) Vazamento microscópico de material lenticular em cataratas senis hipermaduras ou Morganianas
2) Idosos apresentando dor ocular intensa, hiperemia e embaçamento agudizado com história de BAV gradual nos últimos meses
3) BIO com hiperemia, edema corneano microcístico, PIO muito elevada, ângulo aberto e sinais inflamatórios intensos (RCA e flare SEM PKs)
6) Pseudohipópio formado pelo acúmulo de debris celulares e deposição endotelial e angular deste material
7) Pode haver enrugamento da cápsula anterior, o que representa perda de volume cortical

13

Quais as diferenças clínicas entre Glaucoma Facolítico e Glaucoma por material cristaliniano retido?

1) Inflamação ocular importante com formação de sinéquias posteriores e membrana pupilar
2) História de trauma ou facectomia
3) Presença de material cristaliniano na CA ou história de ruptura de cápsula posterior com visualização do material na cavidade vítrea

14

Quais são as características do Glaucoma Facoantigênico?

 1) Resulta de uma reação imune contra as proteínas do cristalino
2) Após trauma penetrante ou cirurgia
3) Tipicamente ocorre entre 1 a 14 dias pós facectomia, mas o período de latência pode ser maior
4) BIO edema palpebral, injeção conjuntival, edema corneano, RCA intensa, sinéquias posteriores, precipitados ceráticos granulomatosos no endotélio e na face anterior da lente e vitreíte anterior

15

Quais as características do Glaucoma Facomórfico?

1) Catarata senil Intumescente causa uma aposição iridolenticular gerando bloqueio pupilar com fechamento angular
2) Principal fator de risco é Hipertropia (CA menor)
3) Dor ocular, cefaléia, embaçamento visual, halos ao entorno das luzes, náusea, vômitos, bradicardia
4) BIO injeção conjuntival, edema corneano, média midríase, RCA, flare, CA rasa e ângulo fechado na gonioscopia

16

O que consiste na recessão angular?

É a separação das fibras longitudinais (que permanecem ancoradas ao EE) das fibras circulares do músculo ciliar, levando ao deslocamento posterior da raiz da íris da sua inserção. Tipicamente causado por trauma contuso.

17

Qual a incidência de glaucoma na recessão angular?

De 5-20% a depender da extensão da recessão. Em pacientes com recessão > 180° a probabilidade de desenvolver glaucoma aumenta.

18

Qual é o tratamento do glaucoma maligno?

1) Inicialmente hipotensores (beta bloqueadores e inibidores da anidrase carbônica)
2) Agentes hiperosmóticos para diminuir a pressão positiva ("shrinking the vitreuos")
3) Atropina
4) Iridotomia a laser (caso não tenha)
5) Se não houver sucesso, vitreólise anterior com Nd:YAG laser e capsulotomia
6) Em último caso, vitrectomia posterior

19

Como a ciclodiálise é observada na gonioscopia?

É vista como uma linha branca que corresponde a esclera interna, a qual era recoberta pelo corpo ciliar.

20

Como é observado a recessão angular na gonioscopia?

Faixa ciliar anormalmente ampla.

Alguns achados na BIO também ajudam o diagnóstico como rupturas no esfíncter iriano, cicatrizes corneanas, vossius ring, iridodiálise, iridodenese, facodonese e hifema.

21

Quais os mecanismos que levam ao glaucoma nos traumas de segmento posterior?

1) HV persistente pode levar a uma obstrução do trabeculado por células fantasma (hemácias alteradas na CA).Tipicamente em 3 semanas após a HV, mas permanece assintomático.

2) DR crônico pode levar a neovascularização do ângulo

3) Óleo de silicone pode obstruir o trabeculado ou uma iridotomia a laser periférica superior

22

Em quais casos devemos reabordar um vazamento em ferida pós operatória?

1) Ausência melhora em 24-48h com uso de medidas conservadoras
2) "Buraco" incisional visivelmente grande
3) Íris prolapsada pela incisão
4) LIO em contato com o endotélio corneano

23

Quais medidas conservadoras pode-se aplicar em incisões vazantes no pós operatório?

1) Cicloplegia e patching
2) Inibidores de anidrase carbônica e beta bloqueadores (diminuem a produção de HA)
3) Evitar uso de esteroides para auxiliar o fechamento espontâneo da ferida
4) LC terapêutica

24

Quais as causas de CA rasa + PIO normal ou elevada no pós operatório?

1) Bloqueio pupilar (CA central profunda e periferia rasa)
2) Hemorragia supracoroideana
3) Glaucoma maligno (CA central rasa)

25

Quais os fatores de risco para glaucoma maligno?

1) Hipermetropia
2) Fechamento angular crônico com íris plateau
3) Nanoftalmo
4) História prévia de GM no outro olho

26

Causas de glaucoma secundário a aumento da pressão venosa episcleral

1) Sturge-Weber
2) Fístula carotido-cavernosa
3) Trombose de seio cavernoso
4) Shunts durais
5) Síndrome da veia cava superior
6) Lesões orbitárias obstrutivas

27

Como o Topiramato causa fechamento angular?

Através de uma reação idiossincrática, sem que haja uma predisposição anatômica. Ocorre edema e rotação anterior do corpo ciliar com engurgitamento cristaliniano e efusão uveal.

28

Qual o tratamento para fechamento angular por Topiramato?

1) Suspensão da medicação
2) Hipotensores tópicos (beta bloqueador e inibidor da anidrase carbônica)
3) Acetazolamida sistêmica se necessário
4) Cicloplegia com atropina
5) Corticoide tópico se houver muita inflamação ocular

29

Quais são as classes de medicamentos que podem levar ao bloqueio pupilar com aumento da PIO?

Anticolinérgicos e adrenérgicos

30

Causas de glaucoma secundário pré-trabecular com bloqueio pupilar

1) Seclusão pupilar com sinéquias posteriores (inflamação ou formação de sinéquias na LIO ou na hialoide anterior em afácicos)

2) Sequestro ou captura da LIO

3) Lentes rígidas de CA sem iridotomia periférica (há um deslocamento anterior da íris)

4) Subluxação do cristalino ou luxação para CA

5) Glaucoma facomórfico (catarata intumescente ou aumento do diâmetro anteroposterior do cristalino relacionado a idade)

6) Óleo de silicone ocluindo iridotomias superiores