HPIM 118 - Agentes Antiplaquetarios, Anticoagulantes E Fibrinoliticos Flashcards Preview

Hematologia - MJRS > HPIM 118 - Agentes Antiplaquetarios, Anticoagulantes E Fibrinoliticos > Flashcards

Flashcards in HPIM 118 - Agentes Antiplaquetarios, Anticoagulantes E Fibrinoliticos Deck (16):
0

Início de acção de acção de ticlopidina, clopidogrel e prasugrel:
Qual tem maior actividade antiagregante e actividade mais previsível?

Início de acção de acção de ticlopidina e clopidogrel demora vários dias
Prasugrel tem início de acção mais rápido, maior actividade antiagregante e actividade mais previsível

1

Clopidogrel + AAS, quando usar e quais os riscos:

Combinação deve ser usada apenas se benefício inequívoco, devido ao risco de hemorragia significativo, de 2% /ano. Indicada em:
- Após colocação de stents coronários
- Eficaz na angina instável

Combinação não foi superior ao clopidogrel isolado no tratamento do AVC isquémico, nem ao AAS isolado na prevenção de eventos cardiovasculares

2

Ticlopidina
Os efeitos adversos mais comuns são:
Os efeitos adversos mais graves são:

gastrointestinais

hematológicos: PTT, neutropenia, trombocitopenia

3

Efeitos laterais mais importantes dos Antagonistas do Receptor GPIIbIIIa:

Além de hemorragia, a trombocitopenia é a complicação mais séria
A trombocitopenia é de mediação imune, causada por anticorpos
Mais comum com o abciximab

4

Quando se torna necessária a monitorização da hepática de baixo peso molecular?

Insuf. Renal (Cl.Cr ≤ 50mL/min)
Obesidade
Gravidez (++3º T)
Válvulas mecânicas
Crianças

5

Doses de heparina de baixo peso molecular:

Profiláctica: 4000-5000 unidades 1id via sc ou 2500-3000 unidades 2id via sc
Terapêutica:
TEV 150-200 U/Kg 1id ou 100 U/Kg 2id ++++
SCA 100-120 U/Kg 2id

6

Fondaparinux vs. HNF e HBPM, na hemorragia, TVP e TEP:

Tão eficaz como HNF e HBPM na TVP e TEP e com índices de hemorragia ~

7

Via de eliminação predominante da heparina não fraccionada:

Clearance maioritariamente extra-renal, heparina liga-se aos que macrófagos degradam cadeias mais longas

8

Variabilidade na resposta anticoagulante à varfarina:

VKORC1
Polimorfismos VKORC1 são mais frequentes do que os CYP2C9 (via de metabolizacao)

Polimorfismos VKORC1 provavelmente explicam 30% da variabilidade nas doses de varfarina

9

INR para controlo da varfarina. Valores , como se calcula e quando monitorizar:

• INR = ISI x (TPdoente/TPcontrolo)
• Menos susceptível à variabilidade na sensibilidade das tromboplastinas
• Para maioria das indicações: INR 2–3
• Excepção - próteses valvulares mecânicas: INR 2,5-3,5
• Monitorização frequente (cada 2-3 semanas)

10

Varfarina e a gravidez e amamentação:

Atravessa a placenta
Não deve ser usada na gravidez (++ 1º e 3ºT)
- Hipoplasia nasal e epífises pontilhadas
- Anomalias SNC
- Hemorragia fetal

Não passa para o leite materno; amamentação é segura
Alternativa: HNF, HBPM, Fondaparinux

11

Necrose cutânea como efeito secundário da varfarina e rara mas como ocorre e que zonas atinge:

2-5 dias após início do tratamento
Em doentes com deficiência de proteína C ou S
Varfarina promove ↓ proteína C e S antes de alcançar o seu efeito anticoagulante
Trombose localizada à microcirculação do tecido adiposo
Lesão eritematosa nas coxas, nádegas, mamas, dedos dos pés

12

Varfarina, procedimentos invasivos, como proceder?

Parar Varfarina 5 dias antes de um procedimento electivo
Se risco trombótico elevado iniciar HBPM 1 ou 2x/dia sc quando INR<2; última dose de HBPM 12-24 antes do procedimento

13

A fibrinólise endógena é controlada em dois níveis:

1. Inibidores do activador do plasminogénio ++PAI-1
2. Inibidores da plasmina ++ α2-antiplasmina

14

Contra-indicação ao prasugrel?

Doentes cerebrovasculares

15

Efeito anticoagulante lúpico no INR?

Aumenta INR basal