Pericárdio Flashcards Preview

Cardiologia - PNS > Pericárdio > Flashcards

Flashcards in Pericárdio Deck (138):
1

Ausência total de pericárdio (produz/não produz) doença clínica evidente

Não produz

2

Processo patologico mais frequente do pericárdio

Pericardite aguda (<6 semanas)

3

Classificação etiológica da pericardite

1. Infecciosa
2. Não infecciosa
3. Relacionada com hipersensibilidade ou autoimunidade

4

Pericardite: dor torácica nas pericardites de evolução lenta como p.e...

- Constritiva
- Neoplasia
- Pós-irradiação
- TB
- Urémica

Mnemo: "estou com o coração apertadinho desde que descobri que tenho cancro. Tive que fazer RT e a minha TB reativou, de tal forma que me afectou os rins e fiquei urémica"

5

Pericardite neoplásica costuma causar do torácica?

Não

Relembrar: (outras causas de pericardite não dolorosa) pós-irradiação, urémica, TB, constritiva

6

Pericardite aguda pode causar uma dor torácica contínua e constritiva que irradia para os braços?

Sim, assemelhando-se a EAM. Mais frequentemente causa dor pleurítica devido à inflamação da pleura.

7

Dor da pericardite aguda

Dor pleurítica (agrava com inspiração e tosse) devido a inflamação da pleura associada. Alivia quando o doente se inclina para a frente na posição de sentado (relaxamos o pericárdio) e agrava na posição supina (esticamos o pericárdio).

8

Fator de alívio da dor da pericardite aguda

Posição sentada com inclinação anterior

Relembrar: é também nesta posição que o atrito pericárdico (presente em 85% em algum momento) vai ser melhor ouvido

9

Fator de agravamento da dor da pericardite

Supinação (pericárdio está esticado)

10

Pericardite aguda pode causar aumento dos MNM?

Sim, dificultando ainda mais o ddx com EAM (a dor também pode ser similar). MAS... na pericardite aguda, as elevações dos MNM são modestas quando comparadas com as extensivas elevações ST no ECG.

11

Pericardite, tal como EAM, pode causar aumento dos MNM: como diferenciar?

Na pericardite as elevações dos MNM são modestas para as extensivas elevações ST (i.e. com as elevações de ST que têm no ECG esperaríamos MNM muito mais aumentados).

12

Na pericardite aguda, o atrito pericárdico é audível em 85% dos casos em toda a duração da doença?

Não, é audível nalgum momento (transitório).

13

Em que % dos doentes com pericardite aguda o atrito pericárdico vai ser ouvido em algum momento?

85%

14

Características do atrito pericárdico

- Até 3 componentes/ciclo: sístole ventricular, enchimento diastolico precoce e contracção auricular.
- Alta frequência: áspero ou em raspagem.
- Mais comum: final da expiração, doente inclinado para a frente em posição vertical
- Audível em 85% dos casos nalgum momento da doença
- Quase 100% Sp para pericardite aguda

15

Porque é que os doentes com pericardite aguda podem ter aumento dos MNM?

Porque o pericárdio inflamado pode causar epimiocardite -> necrose.

16

Alterações no ECG numa pericardite aguda têm em quantos estadios?

4

17

ECG na pericardite: estadio 1

- Elevações difusas do ST, com concavidades superiores, em 2 ou 3 derivações dos membros e V2-V6
- Depressões recíprocas SÓ em aVR (às vezes em V1)
- Depressão PR (polaridade oposta a ST)
- QRS sem alterações

18

QRS encontra-se alterado na pericardite aguda?

Não (vs. EAM - ondas Q e diminuição amplitude das ondas R)

19

Na pericardite aguda, o ECG mostra depressões reciprocas em que derivações?

Só em aVR (às vezes V1)

(vs. EAM que tem depressoes reciprocas mais proeminentes)

20

Na pericardite aguda, a depressão PR tem polaridade igual ou oposta a ST?

Oposta

21

Pericardite aguda: estadio 2 das alterações ECG

Segmento ST normaliza (após vários dias)

(vs. EAM ST normaliza em HORAS)

22

Pericardite aguda vs EAM: tempo até normalização do segmento ST

Pericardite: dias
EAM: horas

23

Pericardite aguda: estadio 3 no ECG

Inversão ondas T (depois do segmento ST se tornar isoeletrico)

Relembrar: no EAM há inversão das ondas T horas ANTES do segmento ST se tornar isoeletrico.

24

No estadio 4 das alterações no ECG na pericardite há normalização do ECG - isto ocorre quanto tempo após o inicio?

Semanas a meses (no EAM o segmento ST normaliza em horas)

25

Eletrical alternans pode ser observado na...

Efusão pericárdica (secundária a pericardite) ou Tamponamento

Extra-HPIM: o coração está a "flutuar" no liquido e por isso ora está mais perto, ora está mais longe dos eletrodos (QRS/onda P/onda T de diferentes amplitudes beat-to-beat)

26

RXT efusão pericárdica mostram aumento da silhueta cardíaca: DDx com..

- Cardiomegalia (IC)
- Díficil distinguir no exame físico, mas sons cardíacos + abafados na efusão pericárdica

27

Uma efusão pericárdica que ocorre num curto espaço de tempo pode causar...

Tamponamento cardíaco

28

O que acontece ao atrito pericárdico e ao impulso apical quando há um derrame pericárdico?

Podem desaparecer

Relembrar:
- 85% dos doentes com pericardite vão ter atrito pericárdio nalgum momento
- Melhor ouvido no fim da expiração, com o doente em posição vertical e inclinado para a frente (= posição de alivio)

29

Sinal de Ewart

- Pode estar presente no derrame pericárdico
- Macicez + aumento frémito + egofonia sob o ângulo da omoplata esquerda
- Deve-se à base do pulmão esquerdo comprimida pela efusão

30

Silhueta cardíaca em garrafa de água

Efusão pericárdica

31

Como é feito o diagnóstico de pericardite aguda?

- Ecografia (técnica mais usada)
- TAC/RMN: confirmam fluído; detectam espessamento pericárdio, efusões loculadas, massas pericárdicas

32

Qual a técnica de imagem mais usada no dx de pericardite aguda?

Ecografia:
- Sensível e específica
- Identifica fluido pericárdico
- Identifica tamponamento

Relembrar: TAC/RMN melhores para efusões loculadas, massas pericárdicas e espessamento pericárdico

33

A ecografia é sensível e específica para pericardite aguda?

Sim

Relembrar: é a técnica + usada, mas a TC/RMN são melhores a identificar espessamento pericárdico, massas ou efusões loculadas

34

Pericardite aguda tem tratamento específico

Não (????)

35

Tratamento da pericardite aguda

Repouso no leito + Aspirina (com proteção gástrica) -> AINEs (responde: dar durante 2 semanas e depois fazer desmame ao longo de várias semanas) -> Colchicina (4-8 semanas)

- Doentes que não responde a terapêutica com anti-inflamatórios podem fazer Glicorticoides

*Vai-se progredindo de um para o outro quase o anterior seja ineficaz.

36

Colchina reduz a recidiva de pericardite aguda?

Sim

Relembrar: glicocorticoides aumentam o risco de recidiva (dar dose máxima durante 2-4 dias e depois fazer desmame)

37

CI para Colchicina

Disfunção renal ou hepática

Relembrar: usada no tratamento da pericardite aguda quando AINEs falham, reduz o risco de recidiva. Causa diarreia e efeitos adversos GI.

38

Glicocorticoides na pericardite aguda (aumentam/diminuem) o risco de recorrência

Aumentam (dose máxima 2-4d -> desmame)

39

Anticoagulantes na pericardite aguda

Devem ser evitados pelo risco de hemorragia para a cavidade pericárdica e tamponamento.

Cave! EAM é um DDx importante pois nesse caso anticoagulantes são usados.

40

Em que patologia é que tem que ser feito desmame de AINEs?

Pericardite aguda (AINEs tomados durante 2 semanas na dose terapêutica e depois desmame ao longo de várias semanas)

41

Indicação para remoção pericárdica na pericardite aguda

Recidivas frequentes e debilitantos durante >2A, não preveníveis com Colchicina e AINEs, nem controladas com CCT.

Eficaz.

42

V ou F: remoção pericárdica é eficaz em doentes que mantêm recidivas frequentes durante >2A e que não são controlada com tratamento médico (AINEs, colchicina, CCT)

V

43

Qual a quantidade de fluido necessária para causar tamponamento?

Depende da rapidez da acumulação:
- Rápido: 200mL
- Lento: >2L

44

Causas + comuns de tamponamento pericárdico

- Pericardite idiopática (porque são as mais comuns)
- Pericardite secundária a neoplasia

Relembrar: pericardite neoplásica é indolor

45

Tamponamento pericárdico pode resultar de hemorragia pericárdica: causas

- Disseção aórtica com leakage
- Tratamento de pericardite aguda com anticoagulantes
- Cirurgia cardíaca
- Trauma

46

Tríade de Beck

Tamponamento cardíaco
1. Hipotensão (diminuição do enchimento ventricular -> diminuição DC)
2. Sons cardíacos diminuidos ou ausentes
3. Distensão jugular venosa
(PVJ: ondas x proeminentes, descida y ausente)

47

PVJ no tamponamento cardíaco

- Descida x proeminente
- Descida y ausente

48

ECG tamponamento cardíaco

- QRS amplitude reduzida
- Eletrical alternans da onda P, QRS ou onda T

49

Num tamponamento lento as manifestações clínicas são semelhantes as da IC?

Sim (dispneia, ortopneia, congestão hepatica)

50

Pulso paradoxal

PAS diminui >10mmHg com a inspiração

51

Pulso paradoxal é um achado patognomónico de tamponamento cardíaco?

Não

Relembrar:

52

Causas de pulso paradoxal

- Tamponamento cardíaco
- Embolia pulmonar maciça
- Choque hemorrágico
- Pericardite constritiva (1/3)
- Enfarte VD (ocasionalmente)
- DPOC (aguda e crónica) grave
(+ PTX hipertensivo)

53

Em que % dos casos a pericardite constritiva da tamponamento?

33% (1/3)

54

Tamponamento de baixa pressão

Pressão intrapericárdica sobe para +5 a +10 mmHg

55

Quais os dois achados de um tamponamento classico que nao sao vistos no tamponamento de baixa pressao?

- PA não é afetada (no tamponamento há hipotensão)
- Não há pulso paradoxal

56

Dx de tamponamento cardíaco

Ecografia

57

Tratamento do tamponamento cardíaco (pericardiocentese) é lifesaving?

Sim, por isso é de extrema importância que num doente com suspeita de tamponamento se faça uma ecografia rapidamente.

58

Ecografia tamponamento: velocidade de fluxo valvular tricuspide e pulmonar com a inspiração

+++

(= pericardite constritiva)

59

Ecografia tamponamento: velocidade de fluxo valvular mitral, aórtico veia pulmonar com a inspiração

-

(= pericardite constritiva)

60

Tamponamento na Eco: colapso da parede livre do VD e AD na...

Diástole tardia

61

Tratamento de tamponamento cardiaco

- Pericardiocentese: subxifoide (+++), paraesternal ou apical; guiada por eco

- Pode-se administrar solução salina IV mas não deve atrasar a pericardiocentese (para dar volume e encher o coração visto que o doente está hipotenso)

62

Em que casos está recomendada drenagem cirúrgica de um tamponamento em vez da pericardiocentese?

- Tamponamento recorrente
- Queremos obter tecido para diagnóstico
- Efusão loculada

Toracotomia subxifoide limitada

63

Tamponamento cardíaco: tipos de fluído e qual o mais comum

- Exsudado (+++)
- Transudado: IC
- Sanguinolento: TB**, neoplasia*, insuficiência renal/diálise*, pós-lesão cardíaca, pós-EAM, febre reumática aguda

* + comum nos EUA
** + comum paises desenvolvimento

Relembrar: as causas + comuns de tamponamento são pericardite idiopática e pericardite secundária a neo

64

Tamponamento cardíaco após EAM tem fluido...

Sanguinolento

65

Na pericardite aguda vírica/idiopático é comum as serologias e isolamento vírico virem (positivos/negativos)

Negativos (frequentemente não conseguimos estabelecer a causa vírica -> "pericardite aguda idiopática"

66

Efusão pericárdica é uma manifestação cardíaca (comum/incomum) do HIV

Comum

Relembrar: é secundária a infecções (++ TB) ou a neoplasia (++ linfoma), não devido ao HIV em si.

67

Efusão pericárdica no HIV é devido ao efeito do vírus em si ou é secundário a outros processos que podem acontecer no HIV?

Secundário a :
- Infeção (++ TB)
- Neoplasia (++ linfoma)

68

Na maioria parte das pericardites agudas víricas a causa vírica (pode/não pode) ser estabelecida

Não pode (serologias e isolamento vírico negativos) = pericardite aguda idiopática

69

Pericardite aguda vírica/idiopática ocorre em TODAS as idades mas mais frequentemente...

Jovens adultos

70

V ou F: pericardite aguda vírica/idiopática costuma associar-se a pneumonite e efusão pleural

V

71

Qual a relação temporal entre a febre e a dor precodial na pericardite aguda vírica/idiopática?

- Febre e dor precordial ocorrem quase ao mesmo tempo (vs. EAM em que dor torácica precede a febre)
- Ocorrem 10-12 dias após (presumível) infeção viral

72

Quanto tempo após a infeção vírica surge a pericardite aguda vírica/idiopatica?

10-12 dias

Relembrar: a febre surge ao mesmo tempo que a dor

73

Tamponamento e pericardite constritiva são comuns na pericardite aguda vírica/idiopatica?

Não. Raros. Comum é haver acumulação de algum fluido pericardico.

Relembrar: - Complicação + frequente de pericardite idiopática é a pericardite recorrente (1/4)
- Uma das causas mais comuns de tamponamento é a pericardite idiopática, mas o tamponamento na pericardite idiopática é raro.

74

Que proporção dos doentes com pericardite aguda vírica/idiopática vão ter recidiva?

1/4 (um nº mais pequeno vai ter multiplas recidivas)

75

Pericardite pós-lesão cardíaca pode ocorre após...

- Pericardiectomia (cirurgia cardíaca)
- Trauma cardíaco (penetrante ou fechado)
- Perfuração cardíaca com cateter
- Raramente, após EAM (síndrome Dressler) -> surge + cedo que os restantes (1-3d)

Relembrar: pericardite aguda (dor) surge 1-4 semanas após a lesão, mas mais cedo se pós-EAM: 1-3dias

76

Pericardite é comum após EAM (síndrome de Dressler)?

Não, é raro.

Relembrar: a pericardite aguda pós-EAM surge + cedo (1-3dias) do que nas restantes causas de pericardite pós-lesão miocárdica (1-4semanas)

77

Pericardite pós-lesão cardíaca pode surgir após meses?

Sim, mas geralmente:
1-3dias: pós-EAM
1-4semanas: resto

Relembrar: dura 1-2 semanas

78

Recidivas de pericardite pós-lesão cardíaca são comuns? Quando podem acontecer?

Sim. Podem acontecer até 2 anos ou mais após a lesão cardíaca.

79

Pericardite pós-lesão cardíaca causa pleurite e pneumonite?

Sim

Relembrar: pericardite aguda vírica/idiopática também se associa a pneumonite

80

Síndrome de Dressler surge quanto tempo após EAM?

1-3 dias

Relembrar: é uma causa rara de pericardite pós-lesão cardíaca

81

Característica comum a todas as pericardites pós-lesão cardíaca

Sangue na cavidade pericárdica (efusão sero-sanguinolenta que raramente causa tamponamento)

82

A efusão sero-sanguinolento da pericardite pós-lesão cardíaca costuma causar tamponamento?

Raramente

83

Fisiopatologia da pericardite pós-lesão cardíaca

Lesão cardíaca (miocárdio e/ou pericárdio) -> reacção de hipersensibilidade a antigénio -> pericardite

84

Há algum teste específico para pericardite aguda idiopatica?

Não, é um dx de exclusao

85

DTCs que podem causar pericardite aguda + importantes?

LES
Lúpus induzido por fármacos (hidralazina, procainamida)

Relembrar: Hidralazina está CI na disseção aortica

86

Pericardite aguda piogénica (purulenta) tem bom ou mau px?

Mau px

Relembrar: requer drenagem do liquido pericárdico + ATB intensivo

87

Tratamento pericardite aguda piogénica

Drenagem + Antibioterapia intensiva

Relembrar: tem mau px

88

Causas de pericardite aguda piogénica

- Rotura esofágo
- Cirurgia cardiotorácica
- Extensão de infeções dos pulmões ou pleura
- Abcesso em anel na endocardite

89

Pericardite aguda ocorre em que proporção dos doentes com uremia crónica?

1/3 = pericardite urémica (ureia aumentada causa aumento da permeabilidade das membranas)

90

Pericardite aguda pode ocorrer em doentes a fazer diálise, que têm níveis (alterados/normais) de Cr e Ureia?

Sim ("pericardite associada à diálise"). Não sabemos explicar porque acontece. A pericardite urémica (associada à IR) é devido à Ureia +++.

Relembrar:
- Pericardite urémica é indolor (ou doi ligeiramente)
- Pericardite urémica/HD causa efusão sanguinolenta

91

Pericardite da IR (urémica/HD) normalmente é fibrinosa ou causa efusão serosanguinolenta?

Efusão sanguinolenta

Relembrar: (outras causas) TB, neoplasia, febre reumática aguda, EAM, lesão cardíaca

92

Tratamento da pericardite associada à IR

Intensificação diálise + AINEs

Relembrar: normalmente AINEs são evitados em insuficientes renais porque causam vasoconstrição da arteríola aferente

93

Neoplasias que mais commumente causam pericardite aguda

- Linfoma
- Leucemia
- Mama
- Melanoma
- Pulmão

94

Irradiação mediastinica pode causar pericardite aguda e pericardite constritiva crónica?

Sim

95

V ou F: efusões pericardicas cronicas sao por vezes encontradas em doentes sem hx de pericardite aguda

V

96

TB é uma causa comum de efusão pericárdica crónica?

Sim

97

Causas de efusão pericárdica crónica

- Mixedema
- TB
- Neoplasias
- Insuficiência renal
- Infeções piogénicas ou micóticas
- Leakage lento de disseção aórtica (é uma causa de tamponamento hemorrágico se acontecer rápido)
- Radioterapia
- Quilopericárdio
- LES, AR

98

Efusão pericárdica crónica por Mixedema responde à reposição da hormona tiroideia?

SIm

99

Efusão pericárdica crónica por Mixedema causa tamponamento?

Não (raramente ou nunca)

100

Efusão pericárdica crónica por Mixedema pode ser massiva?

Sim (silhueta cardíaca marcadamente aumentada), mas nunca ou raramente causa tamponamento.

Relembrar: corrige com hormona tiroideia

101

Causas + comuns de liquido pericardico sanguinolento numa efusão crónica

- TB
- Neoplasia
- IR
- Leakage lento de disseção aórtica

Mnemo: TB + IR + Neoplasia estão em basicamente todas as listas do cap. do pericárdio

102

A causa de pericardite constritiva é muitas vezes indeterminada?

Sim (pericardite aguda vírica/idiopática assintomática pode ter sido o evento desencadeante)

103

Pericardite constritiva tem elevada prevalência nos paises em desenvolvimento, sendo que uma alta percentagem se deve a...

TB (calcificação pericárdica + comum)

104

Existe um impedimento ao enchimento ventricular durante toda a diástole na pericardite constritiva?

Não, na diástole precoce não existe impedimento. Há uma redução abrupta do enchimento quando o limite elástico é atingido (vs. tamponamento: enchimento diminuida durante toda a diástole)

105

Casos avançados de pericardite constritiva: fibrose pode-se estender ao...

Miocárdio (cicatrização e atrofia)

106

Pericardite constritiva: volumes ventriculares telediástolico e volume de ejecção

-

(= tamponamento)

107

Pericardite constritiva: pressões telediastólicas ventriculares, pressões médias auriculares, das veias pulmonares e sistémicas

Aumentadas para níveis SIMILARES (<5 mmHg de diferença)

108

PVJ na pericardite constritiva

- Descida x acentuada
- Descida y proeminente (vs. tamponamento em que está ausente) -> reflete enchimento ventricular precoce rápido, mas que é interrompido quando o limite elástico do pericárdio é atingido, havendo subida rápida na pressão auricular na diástole precoce

109

Pericardite constritiva: veias jugulares distendidas?

Sim

110

Sinal da raíz quadrada durante a diástole (pulsos de pressão ventriculares)

Pericardite constritiva

111

As alterações hemodinâmicas da Pericardite constritiva são patognomónicas?

Não, também presentes na MCR

112

Que proporção dos casos de Pericardite constritiva vão ter sinal de Kussmaul?

1/3

113

Na Pericardite constritiva as veias cervicais estão distendidas e podem assim permanecer após tx diurético intensivo?

Sim

114

Aumento do perímetro abdominal e desconforto abdominal são comuns na pericardite constritiva?

SIm

115

Dispneia de esforço e ortopneia podem acontecer na Pericardite constritiva?

Sim, ortopneia não é muito severa.

116

Sinal de Broadbent

- Pericardite constritiva
- Choque da ponta reduzido que pode retrair na sistole

117

V ou F: Na pericardite constritiva, um terceiro som cardíaco precoce (pericardial knock) é frequentemente audível

V (audível no ápice 0.12s após encerramento da válvula aórtica)

118

Insuficiência aguda do VE com EAP é (muito comum/muito incomum) na pericardite constritiva

Muito incomum

119

Ascite é comum na pericardite constritiva?

Sim, mais pronunciada que edema

Relembrar:
- Possível confundir com cirrose hepática
- Inspeccionar veias cervicais (se distensão -> coração)

120

Na Pericardite constritiva o que é mais pronunciado: ascite ou edema?

Ascite

121

Pericardite constritiva: ECG

QRS baixa voltagem + aplanamento ou inversão das ondas T
FA (1/3)

122

Que proporção dos doentes com Pericardite constritiva vai ter FA?

1/3

Relembrar:
1/3 tem pulso paradoxal

123

Pericardite constritiva: calcificação pericárdica ocorre mais frequentemente com qual etiologia?

TB

Relembrar:
- Pode haver constrição s/ calcificação e calcificação s/ constrição

124

Pericardite constritiva: Eco consegue excluir o diagnóstico de pericardite constritiva?

Não (não é muito boa a avaliar espessamento do pericárdio) -> RMN/TC são mais precisos no estabelecimento ou exclusao da presença de espessamento pericardico

125

Pericardite constritiva: função sistólica

N

126

Pericardite constritiva: Eco Doppler

Inspiração
- Aumento fluxo: VCI, AD
- Diminuição fluxo: veias pulmonares, válvula mitral
- Desvio esqdo do septo

127

Único tx definitivo da Pericardite constritiva

Resseção pericárdica (asap)

Relembrar:
- Mortalidade 10% (++ doença severa)
- Benefícios progressivos ao longo de meses

128

Mortalidade da resseção pericárdica na pericardite constritiva

10% (++ doença grave) -> fazer asap

129

Doentes com pericardite constritiva e >50A que vão fazer resseção pericárdica devem ser também submetidos a...

Coronariografia

130

Pericardite constritiva: restrição de sal e diuréticos no pré-op?

Sim

Relembrar:
- Resseção pericárdica é o único tx definitivo
- Mortalidade 10%

131

Pericardite subaguda efusiva-constritiva

Derrame pericárdico tenso + constrição cardíaca

132

Pericardite subaguda efusiva-constritiva: pulso paradoxal?

Sim

Relembrar: 1/3 dos doentes com pericadite constritiva

133

Pericardite subaguda efusiva-constritiva: PVJ

- Descida x proeminente
- Sem descida y proeminente

(após pericardiocentese)
- PVC diminui mas não para o normal

134

Cistos pericárdicos causam sintomas?

Habitualmente não

Relembrar: ++ ângulo cardiofrénico dto

135

Localização + frequente dos cistos pericárdicos

ângulo cardiofrénico dto

136

Tumores do pericárdio

- Secundários a neoplasias que originam no mediastino ou que o invadem (+++)
- Tumor primário + comum: mesotelioma

137

Tumor primário + comum no pericárdio

Mesotelioma

138

Na pericardite subaguda efusiva-constritiva submetida a pericardiocentese, o padrão passa de tamponamento -> constrição. Como varia o PVC?

Diminui mas não para o normal.