VALVOPATIAS Flashcards Preview

1. CARDIO > VALVOPATIAS > Flashcards

Flashcards in VALVOPATIAS Deck (41):
1

valvas bi/ tricuspides

MITRAL bicuspide

demais tricuspides

2

Cada válvula tem

um foco de ausculta no tórax

3

A única valvula que não tem foco fixo é a .

Mitral

Está onde estiver o ICTUS CORDIS >> primeiro é preciso palpar o Ictus

4

ICTUS em pessoas normais

5 EIC esquerdo

5

B1

fecha M e T
- marca a sístle

6

B2

fecha P e Ao
- marca a diastole

7

todo som entre B1 e B2

é sístólico

8

Todo som entre B2 e B1 do ciclo seguinte

é diastólico

9

B3 e B4 sempre vão aparecer na

DIÁSTOLE

10

B3
sobrecarga

(sobrecarga de volume - insuficiencia)

ocorre no início da diastole (protodiastolica)

fisio: crianças e adultos jovens

Campânula

11

B4
sobrecarga

sobrecarga de pressão

final da diástole- telediastolico ou presistolico

campanula

12

B4 depende da

contração atrial

Quem tem FA não tem B4.

13

Estágios de Progressão

A
B
C
D

A - Fatores de risco (exp. Febre reumática)

B - Leve a moderada, mas assintomática

C - Valvopatia grave, mas assintomática

D - grave e sintomática

14

Exame para classificar gravidade da valvulopatia

ECO

15

LESÃO REUMÁTICA CRÔNICA (SEQUELA) MAIS COMUM

É A ESTENOSE MITRAL

16

LESÃO REUMÁTICA AGUDA MAIS COMUM

INSUFICIÊNCIA

17

Estenose Mitral
CAUSAS

REUMÁTICA (95%)

18

História natural da Estenose Mitral

ÁTRIO ESQUERDO com dificuldade esvaziar

começa a AUMENTAR, causando repercussão retrógrada -> Congestão pulmonar

19

Quadro clínico da Estenose Mitral

-FA

-Rouquidão

-Disfagia

20

Progressão da Estenose Mitral

Congestão

Dispneia pior no esforços

FC ↑ : AE menos tempo para se esvaziar
(menor tempo de diástole)

.Pct com estenose mitral, não tolera taquicardia

FC ↓ ajudam esses pacientes.

21

AUSCULTA da Estenose Mitral

DIASTÓLICO

FOCO MITRAL

SUAVE, chamado "RUFLAR DIASTÓLICO"

REFORÇO PRÉ-SISTÓLICO

B1 Hiperfonética

Estalido de abertura mitral

22

Síndrome de Ortner

Rouquidão

AE cresce -> comprime o LARÍNGEO RECORRENTE

23

TTO Estenose Mitral

EM é bem tolerada, VALVULA SUPER IMPORTANTE evita mexer

-Medicamentoso: controle da FC (exp. BB)

-Intervenção: a gente tenta primeiramente não trocar a valva, mas fazer uma "Valvotomia percutânea com balão".

24

Estenose Aórtica
CAUSAS

-Degeneração calcífica
-Má formação congênita
-Reumática

25

Estenose Aórtica
QUADRO CLINICO/ TRIADE

-Angina
-Síncope
-Dispneia (ICC)

26

Estenose Aórtica Grave

Área valvar < 1 cm².

27

Estenose MITRAL Grave

Área valvar < 1,5 cm².

28

Estenose Aórtica
EXAME FÍSICO

-Sopro SISTÓLICO no foco aórtico

-"MESOSISTÓLICO"

- "Sopro sistólico CRESCENTE-DECRESCENTE"ou "EM DIAMANTE"

-Pode ter B4 (sobrecarga de pressão)

-Pulso arterial:
↓ AMPLITUDE (PARVUS)
↑ o tempo da sístole (TARDUS)
FILIFORME (casos graves)

29

Estenose Aórtica
tto

-Medicamentoso: insatisfatório, devendo EVITAR BB.

-Intervenção: diferentemente da mitral, a aórtica não tem bons resultados nas conservadoras. Pensou em intervir, é a TROCA VALVAR.

30

"Fenômeno de Gallavardin"

vibração da valva aórtica faz vibrar a valva mitral, produzindo sopro, mesmo com a mitral normal. Este sopro encontra-se no foco mitral, com timbre diferente (semelhante ao da insuficiência mitral)

31

Insuficiência Mitral
Causas

-Crônica: Prolapso
-Agudas: Endocardite, Infarto miocárdio, Reumática

32

Insuficiência Mitral
História Natural

Parte do sangue ejeta e outra vai pro átrio.
AE sobrecarregado >> AUMENTO DO AE.

VE com sobrecarga de volume ( pulmão + regurgitado), VE trabalha sob sobrecarga de volume

AUMENTO DE VE.

Aqui, se desenvolve rapidamente IC e dilatação. Então aqui não vai ter hipertrofia.

33

Insuficiência Mitral
Grave

Fração regurgitante > ou = volume do sangue do VE.

34

Exame físico
Insuficiência Mitral

-Sopro sistólico em foco mitral

ICTUS DESVIADO

- HOLOSISTÓLICO ou "EM BARRA"

-B3 (sobrecarga de volume)

35

Insuficiência Mitral
tto

-Medicamentoso: como ele desenvolve IC, TRATAR IC.

-Intervenção: como é mitral, pode ser conservador inicialmente, fazendo um REPARO (Valvoplastia). Se não, Troca valvar

36

Pulso PARVUS/ TARDUS

Pê/ Tê

EA

37

Campânula

B3 / B4

38

Pct com estenose mitral não tolera

TAQUICARDIA

39

BB e as estenoses

EM ☑️
EA ❎

40

Insuficiência Aórtica

Causas

-Crônicas: Valvar (Reumática), Aorta (Aterosclerose/ Marfan)


-Aguda: Valva (Endocardite), Aorta (Dissecção)

41

Exame Físico
Insuficiência Aórtica

É a mais RICA semiologicamente ! -Sopro diastólico. 

FOCO AÓRTICO ACESSÓRIO (3 EIC esq) melhor q principal

- "PROTODIASTÓLICO"

- -Ictus VE desviado


-B3 (sobrecarga de volume)

 

-Na diástole, com a regurgitação, o jato que volta para o coração, às vezes volta batendo na mitral, e impedindo a abertura completa dela. Ou seja, esse jato provoca uma estenose mitral. Por isso, pode estar associado a "Ruflar diastólico/Reforço pré-sistólico/Sopro diastólico em foco mitral". É o chamado "SOPRO DE AUSTIN-FLINT", um sopro de estenose mitral em paciente com insuficiência aórtica.


-Na periferia do paciente é como se recebesse o sangue, e depois perdesse. Por isso que diz que "TUDO PULSA" na insuficiência arórtica. É por isso que teremos no pulso arterial com rápida ascenção e rápida queda, o "PULSO EM MARTELO D'ÁGUA/Pulso de Corringan", ou ainda o "PULSO BISFERIENS/BÍFIDO", que é um pulso forte com dois picos sistólicos, que pode ser sinal de associação com estenose leve concomitante. Além disso, pode ter o "SINAL DE QUINCKE" (pulsação do leito ungueal), "SINAL DE MULLER" (pulsação da úvula) e "SINAL DE MUSSET" (pulsação da cabeça do paciente).