Berne (Sit. reprodutor feminino) Flashcards Preview

Fisiologia > Berne (Sit. reprodutor feminino) > Flashcards

Flashcards in Berne (Sit. reprodutor feminino) Deck (82):
1

Onde se localiza o ovário?

Dentro de uma dobra do peritônio chamada de ligamento largo.

2

Como é dividido o ovário

Córtex externo e medula interna

3

De que é composto o córtex do ovário?

De um estroma densamente clular.

4

O que há no interior do estroma do ovário?

Os folículos ovarianos, que contêm um oócito primário circundado por células foliculares.

5

Como é recoberto o córtex do ovário?

Cápsula de tecido conjuntivo, a túnica albugínea e uma camada de epitélio simples consistindo em células epiteliais da superfície ovariana.

6

Como os gametas são dirigidos do ovário para o trato reprodutor?

Não existem ductos que emergem do ovário para direcionar as gametas ao trato reprodutor. Sendo assim, o processo de ovulação promove um evento inflamatório da parede do ovário que causa sua erosa. Após a erosão, células epiteliais da superfície ovariana se dividem para reparar a parede.

7

O histórico de vida de um folículo ovariano pode ser divide em 7 estágios, quais são?

(1) Folículo primordial quiescente
(2) Folículo pré-antral em crescimento
(3) Folículo antral em crescimento
(4) Folículo dominante (pré--ovulatório, graafiano)
(5) Folículo dominante no período periovulatório
(6) Corpo Lúteo
(7) Folículos atrésicos

8

Qual é a estrutura folicular mais precoce e simples do ovário

Folículo primordial quiescente.

9

Quando, na gestação, os folículos primordiais aparecem e através de qual interação?

Durante a metade da gestação, através da interação entre as células somáticas e as gametas.

10

Quais tipos de folículos representam os folículos de reserva do ovário?

Os folículos primordiais

11

Qual a principal causa da perda dos folículos primordiais?

Morte resultante de atresia folicular.

12

Qual é a o papel das gonadotrofinas hipofisárias sobre a reserva ovariana?

Promove a saúde geral do ovário.

13

A velocidade com que os folículos primordiais quiescentes entram em processo de crescimento depende do que?

Não depende das gonadotrofinas hipofisárias, mas sim de fatores parácrinos intraovarianos.

14

De onde são derivadas as gametas, nos folículos primordiais?

Das oogônias que iniciaram a primeira divisão meiótica e são chamadas oócitos primários.

15

Como os oócitos primários progridem até o estágio diplóteno?

Os oócitos primários progridem por grande parte da prófase da primeira divisão meiótica (prófase I) em um período de duas semanas e então param no estágio de diplóteno.

16

O que caracteriza o estágio diplóteno dos oócitos primários?

Cromatina descondensada, o que auxilia a transcrição necessária para maturação do oócito.

17

A interrupação do oócito primário no estágio diplóteno pode durar quantos anos?

50 anos.

18

Por que os oócitos primários se interrompem?

Provavelmente devido a uma 'incompetência de maturação' ou falta das proteínas do ciclo celular necessárias ao seguimento da meiose.

19

Como é denominado o núcleo do oócito e como ele permanece no diplóteno?

vesícula germinativa.
Intacto

20

Qual é o primeiro estágio de crescimento folicular?

Pré-antral

21

Por que o nome 'pré-antral'?

Se refere ao desenvolvimento que ocorre antes da formação de uma cavidade antral preenchida por líquido.

22

Qual é um dos primeiros sinais do crescimento folicular?

Aparecimento de células granulosas cubóides.

23

Em qual ponto o folículo é denominado primário? E secundário?

Primário: Quando ocorre o aparecemento das células granulosas cubóides.

Secundário: Quando à medida que as camadas das células granulosas se proliferam e formam um epitélio estratificado ao redor do oócito.

24

Como é formado o folículo pré-antral maduro?

Quando os folículos ovarianos atinge de 3 a 6 camadas de células granulosas, o folículo passa a secreta fatores parácrinos que induzem as células do estroma adjacente a se diferenciarem em células epitoloides da teca. Essas células da teca então formam uma camada ao redor do folículo. Quando essa camada é formada, o folículo passa a ser denominado pré-antral maduro.

25

A que o desenvolvimento folicular está associado em relação a movimentação córtex externo -> córtex interno?

Secretam fatores angiogênicos que induzem o aparecimento de duas arteríolas próximas ao folículo, que formam uma coroa vascular.

26

Como é formada a zona pelúcida?

No estágio pré-antral, o oócito inicia seu crescimento e produz proteínas celulares e proteínas para secreção. Dessas proteíans, são produzidas glicoproteínas da matriz extracelular ZP1, ZP2 e ZP3 que formam a zona pelúcida.

27

Como se dá a função endócrina das células granulosas dos folículos pré-antrais em crescimento?

- As células granulosas expressam receptores para FSH mas dependem principalmente de outros fatores do oócito para crescerem. Não produzem hormônios ovarianos nesse estágio inicial.

28

Como se dá a função endócrina das células da teca dos folículos pré-antrais em crescimento?

Expressam o receptor para LH e produzem andrógenos, mas nesse estágio a produção é mínima.

29

As células da teca são análogas a quais células masculinas? Por quê?

Células de Leydig. Porque residem fora das células de sustentação epiteliais.

30

Qual a principal diferença entre as células de Leydig e as células da teca?

As da teca não expressam altos níveis de 17B-HSD.
Por isso, o principal produto das células da teca é a androstenendiona e não a-testosterona.

31

Como ocorre a formação dos folículos antrais iniciais?

Quando o epitélio da granulosa aumenta para 6 a 7 camadas, aparecem espaços preenchidos por líquido entre as células e formam um antro.

32

O que ocorre por um período de cerca de 45 dias após a formação do folículo antral inicial?

Os folículos antrais pequenos contimuam a crescer e originam folículos antrais grandes. Há um crescimento de cerca de 100 vezes das células granulosas. Ocorre também o crescimento da cavidade antral, que divide as células granulosas em duas populações.

33

Quais são as duas populações de células granulosas oriundas da divisão provoca pelo crescimento da cavidade antral?

Células granulosas murais
Células do cumulus

34

Quais são as características das células granulosas murais?

Formam a parede externa do folículo.

Se tornam altamente esteroiodogênicas e permanecem no ovário após a ovulação para se diferenciarem no corpo lúteo.

35

Quais são as características das células do cumulus? Qual o seu nome comum?

Mais internas e circundam o oócito. Coroa radiata.

São liberadas juntamente com o oócito durante a ovulação.

São cruciais para que as fímbrias da tuba capturem e movam o oócito ao longo da tuba até o local de fertilização.

36

Qual é a relação principal dos folículos antrais com a formação de gametas?

Sintetiza as proteínas do ciclo celular de forma que o oócito se torna competente para prosseguir com a meiose I. Porém, mantém a interrupção meiótica até o surto de LH.

37

Do que é decorrente a interrupção meiótica?

Manutenção de níveis elevados de AMPc no oócito maduro.

38

Como se dá a função endócrina nas células antrais em crescimento?

(1) As células da teca produzem quantidade significativa de androstenendiona e testosterona. Entretanto, nesse estágio, o FSH estimula a proliferação de células granulosa e induz a expressão da CYP19 (aromatase) para a síntese de estrógeno. Portanto, grande parte é convertido em 17B-estradiol.

(2) As células granulosas murais dos folículso antrais maiores produzem a inibina B.

Assim, níveis baixos de estrógenos e inibina retroalimentam de forma negativa a secreção de FSH, contribuindo para a seleção do folículo com o maior número de células responsivas ao FSH.

39

Como ocorre a formação do folículo dominante?

Ao fim de um ciclo menstrual, um grupo de folículos antrais grandes são recrutados para iniciar um desenvolvimento rápido e dependente de gonadotrofina.

O número de folículos recrutados é reduzido à cota proliferativa (1 em humanos) pelo processo de seleção.

Á medida que os níveis de FSH diminuem, os folículos em crescimento rápido sofrem atresia até restar apenas um folículo. Esse folículo geralmente é aquele que possui a maior quantidade de receptores de FSH e se torna o folículo dominante.

40

Quando ocorre a seleção do folículo dominante?

Na fase folicular inicial.

41

Quando o folículo dominante se torna um folículo pré-ovulatório?

No meio do ciclo.

42

O que ocorre com o oócito no folículo dominante?

É competente para completar a meiose mas permanece preso até o surto de LH.

43

Como se dá a função endócrina do folículo dominante?

O folículo pela primeira vez se comparta como uma glandula esteroiodogênica significativa.

44

As células da teca possuem quais receptores e produzem o quê?

para LH e andrógenos

45

Qual a atuação dos níveis basais de LH nas células da teca?

Estimulam a expressão de enzimas esteroiodogênicas, receptor de LDL e HDL, na teca.

As células da teca produzem principalmente androstenendiona e pouco testosterona. Esses andrógenos são liberados da teca e se difundem para células granulosas murais ou penetram

46

Qual o caminho dos androgênios produzidos pelas células da teca?

Se difundem para as células granulosas murais ou penetram nos vasos que circundam o folículo.

47

As células granulosas murais apresentam um grande números de quais receptores? O que isso estimula?

Receptores para FSH.

Expressão gênica de CYP19 (aromatase).
Expressão de inibina B durante a fase folicular

48

Qual a função da CYP19 produzida pelas células granulosas murais?

Converte androstenendiona em estrona, um estrógeno fraco e converte testosterona em 17-B-Estradiol (um estrógeno potente).

49

A partir de quando as células granulosas murais se tornam responsíveis tanto ao LH quanto ao FSH? Por quê?

Durante a segunda metade da fase folicular.

Devido ao fato de que o FSH induz a expressão de receptores de LH nessas células.

50

Quais as consequências das células granulosas murais serem responsivas tanto ao LH quanto ao FSH?

Permite que mantenham altos níveis de CYP19 mesmo quando FSH estiver declinando.

Garante que respondam ao surto de LH

51

O que compreende o período periovulatório?

O tempo entre o surto de LH e a liberação do complexo cumulus-oócito.

52

Quanto tempo dura o período periovulatório?

32 a 36 horas

53

Quando ocorre a luteinização?

Período periovulatório.

54

Em que consiste a luteinização?

Ocorre a partir de uma mudança de caráter esteroiodogênica nas células da teca e da camada mural da granulosa e culmina com a formação do corpo lúteo.

55

O que produz o corpo lúteo?

Grandes quantidades de progesterona, juntamento com estrogênio, poucos dias após a ovulação.

56

Em linhas gerais, o que o LH induz em relação ao trato reprodutor.

Completam a função gametogênica do ovário em um dado mês e modificam a função endócrina para preparar o trato reprodutor para a implantação e gestação.

57

Através de qual processo a cavidade antral se torna contínua à peritoneal?

(1) Antes da ovulação, o folículo pré-ovulatório pressiona a superfície ovariana e forma o estigma.

(2) O surto de LH induz a liberação de citocinas inflamatórias e enzimas hidrolíticas das células da teca e granulosa.

(3) Essas substâncias rompem a parede do folículo, túnica albugínea e superfície do epitélio próximo ao estigma.

58

Qual é a atuação do surto de LH sobre as células do cumulus?

A ligação das células do cumulus às celulas murais se degenram e o complexo cumulus-oócito para a flutuar no interior da cavidade antral.

(2) Secretam ácido hialurônico e outros componentes na matriz extracelular. Isso acarreta o aumento do complexo cumulus-oócito denominado expansão do cumulus.

59

Qual é a função da expansão do cumulus?

É mais facilmente capturado e transportado pela tuba uterina.

É mais fácil de ser encontrado pelos espermatozóides.

60

Como o espermatozóide penetra no cumulus expandido?

Através da produção da enzima hialuronidase.

61

Qual é a atuação do surto de LH sobre as células murais?

A lâmina basal é rompida, de modo que os vasos sanguíneos e a teca podem penetrar entre as células murais.

62

Como é aumentado o suprimento sanguíneo para o corpo lúteo?

As células granulosas murais secretam fatores angiogênicos.

63

Qual é a atuação do surto de LH sobre a gameta?

Induz o oócito a progredir para a metáfase II, onde permanece até a fertilização.

64

Receptores de LH estão presentes em quais populações de células granulosas?

Nas murais.
No cumulus não.

65

Qual é a atuação do surto de LH sobre as propriedades esteroiodogênicas sobre as granulosas murais?

Inibição transitória da expressão da CYP19. O declínio do estrógeno ajuda a desligar o feedback positivo da secreção de LH.

Rompimento da lâmina basal e vascularização das células granulosas, de modo que o LDL e HDL estejam mais acessíveis. O surto de LH também aumenta a expressão de receptores para LDL e HDL.

Inicia a secreção de progesterona.

66

Por quanto tempo é programado para viver o corpo lúteo?

Em média 14 dias, mais ou menos 2 dias.

67

O que resgata a sobrevivência do corpo lúteo?

hCG.

68

De onde se origina a hCG?

Do embrião implantado.

69

Se resgatado, o corpo lúteo da gestação permanece viável por quanto tempo?

Durante a gestação.

70

Por que o corpo lúteo da menstrução regride?

Provavelmente pela liberação de prostaglandina em resposta à diminuição dos níveis de progesterona durante a segunda semana da fase lútea.

71

Após sua perda de viabilidade, qual o destino do corpo lúteo?

Transformado em um corpo cicatricial denominado corpus albicans, que se aprofunda na medula do ovário e é lentamente absorvido.

72

Como se dá a produção de hormônios pelo corpo lúteo durante o surto de LH?

Progesterona aumenta gradualmente e atinge um máximo durante a fase lútea média.

Estrógeno se reduz transitoriamente, mas então volta a aumentar e atinge outro pico na fase lútea média.

73

Qual é o objetivo do aumento da produção de progesterona?

Transforma o revestimento uterino em uma estrutura adesiva e de sustentação para a implantação e gestação inicial.

74

Por que o LH e o FSH são reduzidos a níveis basais durante a fase lútea?

Devido ao feedback negativo da progesterona e do estrogênio.

Devido à secreção da inibina A pelas celulas granulosas luteínicas.

75

Qual é a relação de inibina A com o FSH?

Reprime seletivamente a secreção de FSH.

76

Os níveis elevados de estrógeno na fase lútea média podem ser responsáveis pelo quê?

Redução da sensibilidade do corpo lúteo ao LH

77

O que provoca uma redução na sensibilidade do corpo lúteo ao LH?

Os níveis de progesterona e estrógeno caem durante a segunda metade da fase lútea, a menos que um aumento da atividade semelhante ao LH, como hCG, compense a redução da sensibilidade ao LH.

78

No que resulta a atresia folicular?

Células granulosas e oócitos sofrem apoptose.

As células da teca persistem e ainda mantêm os receptores de LH e a capacidade de produzir andrógenos.

79

Como são denominadas coletivamente as células da teca que persistem após a atresia?

Glândula intersticial do ovário.

80

Como é denominada a primeira metade do ciclo menstrual mensal?

Fase folicular do ovário.

81

O que caracteriza a fase folicular?

Recrutamento e crescimento de 15 a 20 folículos antrais grandes, seguido da seleção de um deles e crescimento do mesmo até que ocorra a ovulação.

82

Como é denominada a segunda metaade do ciclo menstrual mensal?

Fase lútea.