F - ECG Flashcards Preview

Cherry_on_top > F - ECG > Flashcards

Flashcards in F - ECG Deck (70):
1

A repolarização auricular é visível no ECG apenas em 2 contextos clínicos. Quais?

Pericardite aguda Enfarte auricular

2

Intervalo QT- o intervalo QT é inversamente proporcional à frequência cardíaca. Verdadeiro ou Falso?- limite da normalidade é 0,43s em _____ e 0,45s em ____. (homens/mulheres)

- o intervalo QT é inversamente proporcional à frequência cardíaca. Verdadeiro ou Falso? V- limite da normalidade é 0,43s em homens e 0,45s em mulheres.

3

Duração dos intervalos- Qual o valor normal de duração do QT corrigido?- Qual o valor normal de duração do intervalo PR?- Qual o valor normal de duração do intervalo QRS?

- Qual o valor normal de duração do QT corrigido?

4

ECG - duração de um quadrado pequeno?- duração de um quadrado grande?- Na vertical 1mm corresponde a __mV.

- um quadrado pequeno? 0,04 s- um quadrado grande? 0,2 s- Na vertical 1mm corresponde a 10 mV.

5

Em condições normais, a onda P é positiva em __, negativa em __ e bifásica em __

Em condições normais, a onda P é positiva em D2, negativa em AVR e bifásica em V1

6

Em que condições a onda P é retrógada, ou seja, é negativa em D2 e positiva em aVR?A. EAM inferiorB. Pacemaker ectópico na parte inferior das aurículas ou na junção AVC. Bloqueio de ramo esquerdoD. HVE

B. Pacemaker ectópico na parte inferior das aurículas ou na junção AV

7

- A despolarização ventricular normal divide-se em quantas fases?- À medida que progredimos nas derivações pre-cordiais a onda R vai _____ (aumentando/diminuindo) e a onda S vai _____ (aumentando/diminuindo)

Despolarização ventricular: 2 fases. Despolarização do septo interventricular da esquerda para a direita e anteriormente + Despolarização simultânea dos ventrículos esquerdo e direito para a esquerda e posteriormente- À medida que progredimos nas derivações pre-cordiais a onda R vai aumentando e a onda S vai diminuindo

8

Qual o intervalo normal do eixo eléctrico?

-30 a +100º

9

Quais das seguintes condições nao são possíveis causas de desvio esquerdo do eixo?A. Bloqueio do fascículo posterior esquerdoB. EAM inferiorC. Bloqueio de ramo esquerdoD. EAM lateralE. Pneumotórax esquerdoF. HVEG. Bloqueio do fascículo anterior esquerdo

A. Bloqueio do fascículo posterior esquerdo - desvio para a direita (desvio para a esq é com o fascículo anterior esquerdo)D. EAM lateral: desvio para a dta E. Pneumotórax esquerdo: desvia o mediastino para a direita - desvio dto do eixo cardiaco p.s - bloqueio ramo dto - desvia eixo para a direita

10

Correspondência entre as alterações eletrocardiográficas e as condições clínicas.- Onda U proeminente & Inversão da onda U nas derivações pré-cordiais- Sinal de isquemia & Susceptibilidade para torsade pointes

Onda U proeminente --> Susceptibilidade para torsade pointes (P de proeminente - P de pointes)Inversão da onda U --> Sinal de isquemia (Inversão - Isquemia)

11

A onda P bifásica com componente negativo alargado em V1 é frequente em que condição clínica? A. Sindrome WPWB. Anomalia auricular esquerdaC. Sobrecarga auricular direitoD. Bloqueio AV 2º grau

B. anomalia auricular esquerda

12

Hipertrofia ventricular direita: Há aumento na amplitude da onda R (R>S) na derivação __ e a onda S é proeminente em __ e __

V1; V5-V6

13

CIA tipo ostium primum associa-se a desvio __ do eixo.CIA tipo ostium secundum associa-se a desvio __ do eixo

EsquerdoDireito

14

No cor pulmonale agudo, qual a arritmia mais comum?

Taquicardia sinusal

15

O cor pulmonale crónico produz ECG típico de hipertrofia ventricular direito. Verdadeiro ou Falso?

Falso. O cor pulmonale crónico não produz ECG típico de hipertrofia ventricular direito

16

Quais são os critérios electrocardográficos da HVE?A. S V1 + R V5 ou R V6 > 35 mmB. R aVL + S V3 > 20 mm na mulher ou > 28 mm no homemC. AmbosD. Nenhum

C. ambosHomens tem de gritar mais para serem convincentes XD

17

Indique em que condições a sensibilidade do ECG para diagnóstico de HVE está reduzida?A. Baixo IMCB. DPOCC. ObesidadeD. SendentarismoE. Alcoolismo crónicoF. Tabagismo

C. obesidade e F. tabagismo(logica batata: obesidade - banha da menos voltagem)

18

- Bloqueio de ramo completo: QRS >= ___ ms- Bloqueio de ramo incompleto: QRS entre __ e __ ms- Mnemonicas para padrão bloqueio ramo direito e esquerdo :D

120100-120- WiLLiaM - (L- left; W em V1 e M em V6)MoRRoW - (R - right; M em V1; W em V6)

19

Nos bloqueios de ramo, o vector de QRS normalmente está orientado na direção oposta ao miocárdio com atraso na despolarização. Verdadeiro ou Falso?

Falso. Nos bloqueios de ramo, o vector de QRS normalmente está orientado na direção do miocárdio com atraso na despolarização. BRD - direita e anteriormente BRE - esquerda e posteriormente

20

O BRE pode surgir nas seguintes situações, excepto: A. Doença arterial coronáriaB. Cardiopatia congénita, tipo defeito do septo auricularC. Doença valvular aórticaD. Cardiopatia hipertensivaE. Miocardiopatia

B. Cardiopatia congénita (defeito do septo auricular) - mais BRD

21

Qual é a triade do padrão WPW?

Prolongamento do QRS + PR curto e ondas delta

22

Faça a associação entre os seguintes termos:Isquemia transmuralIsquemia subendocárdicaSupradesnivelamento STInfradesnivelamento ST

Isquemia Transmural: Supradesnivelamnto STIsquemia subendocardica: infradesnivelamento ST

23

Qual a alteração inicial no ECG de uma hipercalemia?A. Onda sinusoidalB. Diminuição da amplitude de PC. Altrações da condução AVD. Onda T estreita e pontiaguda (onda T em tenda)

D. Onda T estreita e pontiaguda (onda T em tenda)

24

Quais das seguintes causa encurtamento de QT?A. HipercalcémiaB. HipotermiaC. HipocalémiaD. HipocalcémiaE. Digitálicos

Hipercalcemia e digitálicos

25

Alternancia eléctrica- é um tipo de resposta ____ (incomum/comum) a vários estímulos hemodinamicos e electrofisiologicos. - A alternância total com taquicardia sinusal é específico de que condição?

- é um tipo de resposta comum a vários estímulos hemodinamicos e electrofisiologicos. - A alternância total com taquicardia sinusal é específico de que condição?Derrame pericárdico (normalmente com tamponamento cardíaco)

26

Nos indiviíduos sem cardiopatia estrutural, qual o bloqueio de ramo mais frequente?

Bloqueio de ramo direito

27

A isquemia transmural aguda da parede anterior associa-se a que derivações?

V1-V6 + D1 + aVL

28

A isquemia da parede inferior associa-se a que derivações no ECG?

D2, D3 e aVF

29

qual das seguintes não corresponde a um diagnóstico diferencial de elevação do segmento ST?A. Enfarte/Isquemia do miocárdioB. Pericardite agudaC. MiocarditeD. HipocalémiaE. HipercalcemiaF. HipotermiaG. HVE/BREH. Traumatismo nos ventrículos

D. HipocalemiaA hipercalemia é que é diagnostico diferencial

30

Fatores que prolongam QRS (diminuem fase 0)

HiperKFlecainidaProcainamida

31

Fatores que prolongam intervalo QT (fase 2)

amiodaronahipoCahipoK

32

fatores que encurtam ST

digitálicoshiperCa

33

5 causas que causam DEE

1. Variante normal2. HVE3. Hemibloqueio ou bloqueio do fascículo anterior esquerdo4. Enfarte miocárdico inferior5. BRE

34

8 causas que causam DDD

1. Variante normal (++ crianças e adultos jovens)2. troca dos elétrodos dos braços dto e esq 3. Sobrecarga VD (aguda ou crónica)4. Enfarte lateral VE5. Dextrocardia6. Pneumotórax esquerdo7. Bloqueio fascículo posterior esquerdo8. BRD

35

Onda q septal é normal em que derivação?

V6

36

O que causa aumento onda U

hipoKantiarritmicos (amiodarona, muitos outros)

37

Anomalia auricular esquerda apresenta-se de 2 formas (V1 e DII). Quais?E a sobrecarga auricular direita como se apresenta?

EsqV1 → Onda P bifásica com componente negativo alargadoDII → Onda P alargada (≥ 120 ms) e frequentemente entalhadaDtaOnda p proeminente (aumento da amplitude)

38

HVD por sobrecarga de pressão (Estenose Pulmonar e HPA) - pode ser detetado no ECG por 5 formas:1. V1 (R vs S)2. Eixo para que lado?3. Padrão qR onde?4. como se manifesta o strain ventricular?5. V6 (S vs R)

1. V1 → ↑ onda R (R≥S)2. Desvio direito do eixo3. qR em V1 ou V3R4. RV strain (depressão ST e inv T nas pre-cordiais direitas e medianas) – repolarização anormal5. S proeminentes em V5-6

39

HVD por sobrecarga de volume (CIA tipo ostium secundum) - pode ser detetado no ECG de 2 formas:

1. Desvio eixo para dta2. Padrão bloq ramo direito (rSr')

40

Cor pulmonale agudo (TEP) pode apresentar-se ao ECG como 7 coisas:1. ECG é sempre anormal?2. Qual a arritmia mais comum?3. Eixo para que lado?4. Qual padrão mais citado?5. Como é a progressão da onda R?6. Como esta a repolarização? O que pode simular?7. Condução do VD esta normal?

1. ECG pode ser Normal!!2. Taq sinusal (a arritmia + comum); FA, flutter auricular. 3. Desvio direito do eixo4. S1Q3T3 (S em DI e Q em DIII proeminentes, e T invertida em DI II) 5. Progressão lenta das ondas R6.Anomalias ST-T de V1 a V4 (simula enfarte anterior) 7. Distúrbio da condução VD

41

Cor pulmonale agudo pode simular um EAM anterior? Verdadeiro ou Falso?

Verdadeiro. Anomalias ST-T de V1 a V4

42

Cor pulmonale crónico (DPOC) pode apresentar-se ao ECG como 2 coisas: 1. Como é a progressão da onda R?2. Voltagem dos complexos?

1. Progressão lenta das ondas R (deslocamento inferior do diafragma e coração)2. Baixa voltagem dos complexos (hiperinsuflação)

43

Voltagens pré-cordiais proeminentes (padrão ~ HVE) pode ser variante do normal? V ou F?

V! atletas e jovens

44

BRE pode desenvolver-se com HVE?

Sim! frequentemente até

45

num BRE a despolarização septal fica modificada?

sim! fica ao contrário: da direita p/ a esquerda

46

2 Causas de BRD

1. Cardiopatias congénitas (defeito septo auricular tipo ostium secundum) 2. Cardiopatias adquiridas (valvular e isquémica)

47

4 causas de BRE

1. Doença arterial coronária2. Cardiopatia hipertensiva 3. Doença valvular aórtica 4. Miocardiopatia

48

FAz a ligação. Quais são as causas das alterações secundárias da repolarização (ST-T)? Quais as causas das alterações primárias da repolarização?bloqueios de ramo (ondas T discordantes do QRS) pacemakers artificiaisIsquemiaDesequilíbrios eletrolíticosFármacos (digitálicos)

Quais são as causas das alterações secundárias da repolarização (ST-T)? 1. bloqueios de ramo (ondas T discordantes do QRS)2. pacemakers artificiaisQuais as causas das alterações primárias da repolarização?1. Isquemia2. Desequilíbrios eletrolíticos3. Fármacos (digitálicos)

49

alt primárias da repolarização podem coexistir com as secundárias. Como se manifestam as 2 juntas em V1 e em V6?

V1: inv T + BREV6: inv T + BRD

50

Bloqueio bifascicular agudo e cronico- Bloqueio bifascicular crónico e assintomáticos tem alto risco de vir a ter BAV de alto grau?- Bloqueio bifascicular agudo por EAM anterior tem alto risco de vir a ter BAV completo?

- Bloqueio bifascicular crónico e assintomáticos tem alto risco de vir a ter BAV de alto grau? NÃO- Bloqueio bifascicular agudo por EAM anterior tem alto risco de vir a ter BAV completo? SIM

51

Isquemia- Infradesnivelamento reciproco do segmento ST nas derivações V1-V3 (síndrome equivalente a supra-ST) pode traduzir um EAM posterior. V/F- ondas Q so com enfartes transmurais?

- Infradesnivelamento reciproco do segmento ST nas derivações V1-V3 (síndrome equivalente a supra-ST) pode traduzir um EAM posterior. V- ondas Q so com enfartes transmudais? Não! Tb pode ser com subendocardicos

52

doença trifascicular caracteriza-se por doença bifascicular + aumento PR?

nao!!!alternancia de BRD e BRE

53

EAM Vs pericardite- inversão de ondas T que aparecem em horas a dias do supra ST é caracteristico de EAM ou pericardite?- inversão de ondas T que aparecem só depois do supra ST desaparecer (dias) é caracteristico de EAM ou pericardite?

- inversão de ondas T que aparecem em horas a dias do supra ST é caracteristico de EAM ou pericardite? EAM (inv da T aparece antes do aumento da ST desaparecer)- inversão de ondas T que aparecem só depois do supra ST desaparecer (dias) é caracteristico de EAM ou pericardite? pericardite

54

Isquemia - Normalização de ECG depois de enfarte com ondas Q é comum ou incomum?- Supra-ST que persistem por várias semanas ou mais depois de enfarte com onda Q _________ (não se correlaciona/correlaciona-se) com alterações graves da mobilidade da parede (acinesia/discinesia)

- Normalização de ECG depois de enfarte com ondas Q é comum ou incomum? Incomum- Supra-ST que persistem por várias semanas ou mais depois de enfarte com onda Q correlaciona-se com alterações graves da mobilidade da parede (acinesia/discinesia)

55

supraST sem ondas Q em que situações?

1. Angina Prinzmetal2. Miocardiopatia de Tako-Tsubo3. SCA com reperfusão muito precoce

56

Enfarte posterior ou lateral pode elevar reciproca/ onda R em V1 ou V2, sem ondas Q?

sim (menos força para o lado enfartado - mais força para o outro xD )

57

Dx Dif. supraST 7. causas

1. isquemia/EAM ((Prinzmetal, provavel/ Tako-Tsubo)2. Pericardite aguda3. variante N (padrão repolarização precoce, elev ST)4. HVE (c T altas) --> incongruencia5. BRE (c T altas)6. Raros: brugada, hiperCa e hiperK, TEP, antiarritmicos 1C, cardioversão, hipotermia (ondas J de Osborn)7. lesão miocardio não isquemica (miocardite, tumor, traumatismo ventricular)

58

4 causas para ondas Q

1. Variantes fisiológicas ou posicionais2. Hipertrofia ventricular (ex: CMHO)3. Lesão miocárdica aguda ou crónica (não coronária) 4. Distúrbios condução ventricular

59

4 causas ondas T hiperagudas

1. Variante normal2. HiperK3. Lesão cerebrovascular4. Insuficiência mitral ou aórtica com sobrecarga volume VE

60

3 causas p diminuição ST

• Digoxina• Hipertrofia ventricular• hipoK

61

4 causas inversao onda T

• Hipertrofia ventricular• Miocardiopatia• Miocardite• Lesão cerebrovascular (Hemorragia intracraniana)

62

HiperK causa 6 coisas sequenciais. Quais?A hipoK prolonga ou diminui a repolarização ventricular? Que ondas vemos?

HiperK1. Ondas T estreitas e em tenda (1o)2. Perturbação condução AV3.↓ onda P4. ↑ duração QRS5. Padrão onda sinusoidal6. AssistoliaHipoK: prolonga a repolarização ventricular e tem ondas U proeminentes

63

2 sinais ECG de hemorragia subaracnoideia

• ↑ QT• Inversão da onda T larga e profunda

64

2 sinais ECG de hipotermia

↑ QT• Onda de Osborn (elevação convexa do ponto J)

65

6 causas de prolongamento do QT:

1. fármacos1.1 antiarritmicos classe 1A: quinidina; disopiramida; procainamida; antidep triciclicos; fenotiazinas)1.1 antiarritmicos classe III (amiodarona)2. electrolitos (tudo hipo: K, Mg, Ca)3. bradicardia4. hipo: termia, tiroidismo, tiamina5. hemorragia subarocnoideia (AVC)6. dça cardiaca estrutural

66

2 causas de encurtamento do QT:

1. hiperCa2. digitalicos

67

Um ECG normal exclui virtual/ disfunção sistólica do VE?

sim

68

Das seguintes afirmações sobre ECG escolha a VERDADEIRA: !1. Encurtamento marcado do intervalo QT, por vezes com inversões profundas das ondas T, pode ocorrer com hemorragias intracranianas, principalmente hemorragia subaracnóide.2. A hipotermia sistémica encurta a repolarização.3. Os digitálicos encurtam o intervalo PR.4. Alterações transitórias e inespecíficas da repolarização podem ocorrer após refeições ou com alterações posturas, hipoventilação ou exercício em indivíduos saudáveis.5. Certos distúrbios eletrolíticos life-threatening podem ser inicialmente diagnosticados e monitorizados a partir do ECG.

5. Certos distúrbios eletrolíticos life-threatening podem ser inicialmente diagnosticados e monitorizados a partir do ECG.

69

Todas as seguintes condições podem causar desvio do eixo para a esquerda, EXCETO:1. Variante do normal.2. Hipertrofia ventricular esquerda.3. Enfarte da parede lateral do VE.4. Hemibloqueio anterior esquerdo.5. Enfarte da parede inferior.

3. Enfarte da parede lateral do VE.

70

No ECG de 12 derivações, os eléctrodos que permitem registar as derivações precordiais são colocados em diferentes posições torácicas. Indique a afirmação VERDADEIRA:1. Derivação V1: 2o espaço intercostal, imediatamente à direita do esterno.2. Derivação V2: 2o espaço intercostal, imediatamente à esquerda do esterno.3. Derivação V4: 5o espaço intercostal, linha médio-clavicular.4. Derivação V5: 5o espaço intercostal, linha médio-axilar.5. Derivação V6: 6o espaço intercostal, linha médio-axilar.

3. Derivação V4: 5o espaço intercostal, linha médio-clavicular.