Lesões hepáticas benignas Flashcards Preview

Cirurgia Digestiva > Lesões hepáticas benignas > Flashcards

Flashcards in Lesões hepáticas benignas Deck (16)
Loading flashcards...
1

Tumor maligno mais frequente do fígado

Tumor metastático, sendo o primário principalmente colorretal

2

Segmentos hepáticos - definição

Porções independentes entre si (cada um tem uma tríade portal independente)

3

Quais são

Cistos, abscessos, hemangioma, HNF e adenoma

4

Hepatectomia regrada vs. não regrada

Regrada respeita os segmentos

5

Lesão hepática benigna mais comum, suas características, característica na TC e conduta

Hemangioma
Enovelado de vasos, predomina mulheres, assintomático, não compressivo, não malignizante, raro romper
TC contraste com enchimento de forma centrípeta e captação periférica (biópsia jamais)
Conduta expectante

6

Hiperplasia nodular focal (HNF) - característica básica, principal diagnóstico diferencial, característica na TC e conduta

Cicatriz central - diferencial com CHC fibrolamelar
Lesão hipodensa na TC, realce contraste periférico apenas, ambos os sexos, indolente, benigno
Expectante

7

Adenoma - fatores de risco e o que favorecem

Hormônios: mulher jovem em uso de ACO, DM, uso de anabolizantes, tumores feminilizantes, gestação

Favorecem crescimento, degeneração maligna, vascularização, sangramento

8

Segmentos na hepatectomia: direita, direita estendida, esquerda e esquerda estendida

Risco da estendida

D - V VI VII VIII
DE - direita + IV
E - I II III IV
EE - esquerda + V e VIII

Aumenta o risco de insuficiência hepática pós-operatória

9

Conduta adenoma por sexo

Homem - ressecção (maior risco de malignidade)

Mulher - cessar hormônios, contraindicar ACO, perder peso, aguardar regressão:
- Se continuar maior que 4 a 5 cm, ressecção
- Se reduzir, acompanhamento

10

Sinal de Kehr

Dor no ombro por pneumoperitônio

11

. A RNM com contraste hepato especifica deve ser preferida principalmente para diferenciar HNF de adenoma. O adenoma pode apresenta sinal aumentado de gordura na RNM, quando comparado com a hiperplasia nodular focal. Além do mais, ¼ das hiperplasias nodulares focais apresentam uma cicatriz central característica na RNM.

figado remanescente hipertrofia

12

Abscesso hepático piogênico - etiologia e conduta

Obstrução e infecção da árvore biliar por bactérias (colangite)

Antibióticos de amplo espectro gram negativos e anaeróbios (ceftriaxone e metronidazol, cipro e metro, clavulim, ampi e sulbactam) por 4 a 6 semanas e drenagem do abscesso (drenagem percutânea guiada por ultrassom)

13

Abscesso hepático amebiano - etiologia, diagnóstico e conduta

Trofozoítos disseminados por veia porta para o fígado (sem amebíase intestinal simultânea)

Teste de anticorpo sérico para Entamoeba histolytica e teste de detecção de antígeno de Entamoeba histolytica nas fezes

Metronidazol 7 a 10 dias

14

CHC vs metástase de adenocarcinoma colorretal

CHC hipervascular na fase arterial (wash in), colorretal não;
CHC aumento alfa-feto-proteína, colorretal aumento CEA

* para CHC considerar fatores de risco (alcoolismo, cirrose...)

15

Indicação drenagem abscesso hepático

Piogênico - sempre

Amebiano - refratariedade (após 5 dias de tto), dúvida diagnóstica ou risco de complicações (lobo esquerdo, risco de fistulização pericárdica)

16

Quadro clínico abscesso hepático

Dor abdominal, febre, icterícia, inapetência, perda ponderal, hepatomegalia, leucocitose