CA de Endométrio Flashcards Preview

Ginecologia > CA de Endométrio > Flashcards

Flashcards in CA de Endométrio Deck (26):
1

Qual a epidemiologia do CA de endométrio?

Adenocarcinoam de endométrio : 97% das neoplasias malignas do corpo uterino

2 a 3% das mulheres desenvolverão CA de corpo uterino

2

Quais os fatores de Risco para CA de endométrio?

Relacionados à exposiçào de estrogênio

  1. >50 anos (75%)
  2. Branca
  3. Nível socioeconômico elevado
  4. Historico familiar
  5. Hereditariedade (10%)
  6. Síndrome de Lynch II (Neoplasias de cólon, endométrio e ovário)
  7. Passado de anovulação crônica (ação estrogênica não balanceada pela progesterona - destaque para SOP)
  8. Menarca precoce, menopausa tardia e nuliparidade
  9. Terapia hormonal estrogênica sem progesterona (aumenta 7x o risco)
  10. Uso de Tamoxifeno (agente antiestrogênico no ca de mama que possui efeito estrogênico no endométrio)
  11. Tumores ovarianos produtores de estrógenos
  12. Obesidade (IMC > 30)
  13. Diabetes Mellitus (DM)
  14. Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS)
  15. Hipotireoidismo
  16. Hiperplasia endometrial atípica
  17. Colelitíase

3

O que é a Sindrome de Lynch II (ou câncer de cólon não polipoide hereditário)?

1. Mutação de genes que regulam o reparo do DNA (hMSH2 e hMSH3), conhecida como "instabilidade de microssatélites".

2. Cria predisposição para ca colorretal e tumores ginecológicos, especialmente o ca de endométrio (principal, 45% das mulheres da família afetada) e de ovário.

3. Desenvolve Ca colorretal em idade precoce (média 35-45 anos), quase sempre no cólon direito ou ceco e sincrônicos (dois pontos distintos do colorreto ao mesmo tempo) e metacrônicos (surgimento de um novo câncer em local distinto do colorreto mais de seis meses após a ressecção do primeiro).

4. Uma característica marcante é o não desenvolvimento de pólipos típicos antes do adenocarcinoma, que se desenvolve a partir de lesões planas (“pólipos planos adenomatosos”). 

5. Aumenta em 10 vezes o risco de câncer de endométrio.

4

Quais são os fatores de proteção para CA de endométrio?

Progesterona antagoniza os efeitos dos estrógenos

  1. Multiparidade (efeitos da progesterona no endometrio)
  2. Uso de anticoncepcionais orais combinados
  3. Tabagismo (efeito antiestrogênico)
  4. Uso de SIU liberador de levonorgestrel Perda de peso
  5. Terapia Hormonal (TH) combinada

5

Qual o principal fator de risco relacionado ao CA de endométrio?

Obesidade, devido ao hiperestrogenismo endógeno associado.

6

Quantos porcento dos CA de endométrio são detectados no estadio I?

75% (devido SUA)

7

Quais são os sintomas do CA de endométrio?

Pós-menopausa:

  1. Metrorragia e Corrimento Vaginal: 90% das pacientes. 
  2. Hematométrio (coleção sanguínea no in- terior do útero) ou Piométrio (coleção de pus no interior do útero).
  3. Desconforto Pélvico: aumento uterino.

Pré-menopausa:

  1. SUA

8

No Brasil, o principal sintoma ou sinal que acompanha o câncer de endométrio é:

a) Dor pélvica e espessamento do endométrio.

b) Sangramento genital anormal.

c) Corrimento vaginal escuro com forte odor.

d) Aumento do volume abdominal.

b) Sangramento genital anormal.

9

Qual exame ou teste diagnóstico indicado para rastreamento do câncer de endométrio?

Não existe.

Rastreamento não é indicado por isso.

10

No CA de endométrio, quem merece investigação?

1. Toda mulher com sangramento genital na pós-menopausa.

2. Pacientes mais jovens com sangramento abundante, irregular ou acíclico

3. Suspeita pela ultrassonografia com espessamento endometrial

4. Atipias Glandulares de Significado Indeterminado (AGUS) na colpocitologia de rotina (Papanicolaou).

11

Quais os achados ecográficos sugestivos de câncer de endométrio?

  1. Coleções líquidas intrauterinas;
  2. Espessamento endometrial;
  3. Massa endometrial polipoide;
  4. Endométrio hiperecogênico ou irregular com ecogenicidade mista.

12

Qual o limite para espessura do endométrio na pós-menopausa? E na pré?

5mm nas não usuarias de TH

Valores acima disso aumentam o risco de ca em 20%.

Na pré: 8 mm

13

Qual o método pradrão-ouro para diagnóstico de CA de Endométrio?

Histeroscopia com Biopsia guiada

14

Quais as indicações de estudo histopatológico?

Pré-menopausa:

  1. Obesidade extrema
  2. Anovulação crônica
  3. Sangramento anormal

Pós-menopausa:

  1. Obesidade extrema
  2. Hematométrio ou Piométrio
  3. Células endometriais na citologia (mesmo que benignas)
  4. Endometrio > 5 mm com sangramento (USGTV)
  5. Sangramento persistente, mesmo < 4 ou 5 mm
  6. Qualquer sangramento na pós-menopausa

15

Qual a lesão precursora do câncer de endométrio?

Hiperplasia endometrial

é a lesão precursora de todas as neoplasias endometriais relacionadas ao excesso de estrógenos, sem a contraposição de progestágenos.

16

Quais são os tipos histológicos de Hiperplasia Endometriais e quais as suas progressoes em % para CA de endométrio?

17

Quais são os tipos de CA de endométrio?

TIPO I

  1. Mais frequente (75 a 85% dos casos)
  2. Mulheres mais jovens, na perimenopausa, com história de exposição estrogênica sem a oposição da progesterona.
  3. Origina-se de um endométrio hiperplásico que evolui para carcinoma.
  4. Tende a ser bem ou moderadamente diferenciado.
  5. São do tipo endometrioide e diagnosticados em idade mais precoce.

TIPO II

  1. Não possui associação com hiperestrogenismo e hiperplasia endometrial.
  2. Origina-se a partir do endométrio atrófico.
  3. Tende a acometer mulheres mais velhas, magras e na pós-menopausa.
  4. Menos diferenciado e menos sensível aos progestágenos.
  5. Correlaciona-se com um pior prognóstico (tendência à invasão profunda do miométrio e alta frequência de disseminação metastática para linfonodos pélvicos).

18

Como é a Classificação em graus Histológicos do Câncer de endométrio?

Grau I (G1) – bem diferenciado: padrão de crescimento de células indiferenciadas menor ou igual a 5%. Responde por 20% dos casos.

Grau II (G2) – moderadamente diferenciado: padrão de crescimento de células indife- renciadas entre 6 e 50%. Responde por 60% dos casos.

Grau III (G3) – indiferenciado: padrão de crescimento de células indiferenciadas maior do que 50%. Responde por 20% dos casos.

Quanto maior o grau, maior a agressividade e a velocidade de invasão do tumor.

19

Qual o tipo histológico mais prevalente no CA de endométrio?

Adenocarcinoma (90%)

20

Como é a classificação em tipos histologicos do CA de endométrio?

1. Adenocarcinoma endometrioide:

  • 80% dos cânceres de endométrio
  • assemelha-se com glândulas endometriais normais.

2. Adenocarcinoma mucinoso:

  • 5% dos cânceres de endométrio.
  • Possui padrão mucinoso e comportamento semelhante ao do adenocarcinoma endometrioide.
  • Na maioria dos casos possui bom prognóstico.

3. Carcinoma seroso papilar:

  • 3 a 4% dos cânceres do endométrio.
  • Comportamento semelhante ao do carcinoma seroso do ovário e das tubas.
  • Considerados tumores de alto grau, com tendência à disseminação peritoneal.
  • Mais comumente se associam com o tipo II.

4. Carcinoma de células claras:

  • Tumores mais incidentes em idosas
  • Muito agressivo
  • Padrão misto com alto grau de invasão miometrial no momento do diagnóstico.
  • Está mais comumente associado com o tipo II do câncer de endométrio.

5. Carcinoma escamoso:

  • Tumores raros.
  • Se caracterizam pela apresentação de epitélio escamoso associado à estenose cervical e piométrio.

21

Qual o diagnóstico diferencial para CA de endométrio?

Faz com as principais causas de Sangramento Uterino Anormal (SUA) na pós-menopausa:

1. Estrogênios exógenos (TH) – 30%.

2. Endometrite atrófica/vaginite atrófica – 30%.

3. Câncer de endométrio – 15%.

4. Pólipos endometriais ou cervicais – 10%.

5. Hiperplasia endometrial – 5%.

6. Outras causas (ex.: câncer de colo, sarcoma uterino, trauma) – 10%.

22

O estadiamento de ____ as neoplasias ginecológicas é ______, exceto o estadiamento da neoplasia de ______.

TODAS; CIRURGICO; COLO UTERINO

23

Como é o estadiamento do CA de endométrio?

Estádio 0: In situ

Estádio 1: Tumor Restrito ao Útero

  • A: Restrito ao endométrio ou invadindo menos da metade

    da espessura miometrial.

  • B: Invasão da metade ou mais da espessura miometrial.

Estádio 2: Tumor invade estroma cervical, mas sem extensão além do útero.

Estádio 3: Tumor com extensão local ou regional do tumor

  • A: Invasão até a serosa do corpo uterino ou dos anexos
  • B: Invasão parametrial ou vaginal.
  • C1: Linfonodos pélvicos
  • C2: Linfonodos para-aórtios com ou sem C1

Estádio 4: Invade Bexiga e/ou mucosa intestinal e/ou metásteses à distância.

  • A: Tumor invade a bexiga e/ou mucosa intestinal.
  • B: Metástases à distância incluindo metástases intra-abdominais e linfonodos inguinais.

24

Qual o modo mais comum e metástase do CA de endométrio?

LINFÁTICA

25

Qual o tratamento para Hiperplasia Endometrial?

HIPERPLASIA TÍPICA

  • Seguimento com biópsias a intervalos regulares.
  • Emprego de progestágenos
  • Histerectomia (pós-menopausa e persistência de sangramento).

HIPERPLASIA ATÍPICA

  • Progestágenos: Mulheres que ainda desejam engravidar
    • Acetato de megestrol 40 mg 2x ao dia
    • Acetato de medroxiprogesterona 10 mg ao dia
  • Histerectomia: Mulheres que não desejam engravidar ou com adesão insatisfatória à terapia e seguimento.

26

Qual o prognóstico para CA de Endométrio?

A sobrevida de cinco anos após o tratamento é de:

  • 76% no estádio I
  • 59% no estádio II
  • 29% no estádio III
  • 10% no estádio IV.