SINDROME DA ÚLCERA GENITAL Flashcards Preview

Ginecologia > SINDROME DA ÚLCERA GENITAL > Flashcards

Flashcards in SINDROME DA ÚLCERA GENITAL Deck (69):
1

Quais são as condições sexualmente transmissíveis associadas à ulcera?

1. Sífilis

2. Cancro Mole

3. Linfogranuloma Venéreo

4. Herpes Genital

5. Donovanose

2

Úlceras Genitais: quais as 5 perguntas que devo fazer??

1. Nº de úlceras, se única ou múltiplas?

2. Aspecto das úlceras?

3. Presença ou não de dor na úlcera?

4. Presença ou não de linfadenopatia?

5. Presença de fistulização?

3

Qual a definição de Sífilis?

Infecção sistêmica crônica (não se cura espontaneamente), na maioria dos casos é transmitida sexualmente e sua evolução caracteriza-se por episódios sintomáticos (doença ativa) interrompido por periodos de latência.

4

Qual o agente etiológico da Sífilis?

Treponema pallidum (espiroqueta anaeróbica).

Precisa de umidade (por isso boca e genitais).

Penetra pele e mucosas.

Ao penetrar, causa lesões caracteristicas da fase primária (protossifiloma)

5

Como a Síflis é classificada?

1. Adquirida (até 1 ano apó a infecção): 1ªria, 2ªria e latente recente (sem manifestações).

2. Adqurida Tardia (>1 ano de evolução): Latente tardia e 3ªria.

6

Qual o período de incubação da Sífilis?

1. 21 dias (10 a 90 dias).

2. Lesão desaparece depois de 4 semanas (pode ficar até 8 semanas) mesmo sem tratamento, sem deixar cicatrizes na maioria dos casos.

7

Como é caracterizada a Sífilis Primária?

1. Cancro duro ou Protossifiloma.

2. Úlcera ÚNICA e INDOLOR.

3. 1 a 2 cm.

4. Bordas bem delimitadas, endurecidas e elevadas.

5. Fundo limpo, liso e brilhante.

6. Secreção serosa escassa

7. Acompanha Adenopatia regional não supurativa, uni ou bilateral, móvel, indolor, múltipla e sem sinais flogísticos.

8. Linfadenopatia costuma surgir sete a dez dias após lesão 1ªria.

8

Como é caracterizado a sífilis secundaria?

1. Lesões cutaneomucosas não ulceradas simétricas, localizadas ou difusas:

  • Roséolas (manchas eritematosas);
  • Pápulas eritematoacastanhadas (sifílides papulosas – muito sugestivas da doença);
  • Alopécia;
  • Madarose
  • Lesões elevadas mucosas (placas mucosas);
  • Lesões pápulo-hipertróficas (condiloma plano).

2. Aparecem de 4-8 semanas após desaparecimento do cancro duro.

3. Linfadenopatia generalizada (polimicroadenopatia generalizada) é encontrada em 85% dos pacientes.

4. Ocasionalmente, ocorrem sintomas gerais como artralgia, febrícula, cefaleia e adinamia.

5. Desaparecem em 2-6 semanas e a infecção entra em uma fase latente, sendo detectada apenas por métodos sorológicos.

9

Como é caracterizada a Síflis Latente?

1. Recente (<1 ano) e tardia (>1 ano).

2. Pct ASSINTOMÁTICO!

3. Dura de 3 a 20 anos

3. cerca de 2/3 dos pacientes não tratados ficam nesta fase para sempre sem complicações.

4. Caso isso não ocorra, progride para a fase terciária.

10

Como é caracterizado a Sífilis Terciária?

1. Tubérculos (ou gomas)

2. Tabes dorsalis

3. Aneurisma aórtico e artropatia de Charcot.

4. Dx diferencial com Neurossífilis.

11

Qual a relação da Sífilis com a gravidez?

1. 20% dos RN de gestantes infectadas não tratadas não apresentam sintomas

2. Complicações:

  1. Crescimento intrauterino restrito.
  2. Óbito fetal

  3. Óbito neonatal

  4. Parto prematuro

  5. Anomalias congênitas

3. Pode ser transmitida em QUALQUER FASE da gravidez.

4. As taxas de transmissão vertical são maiores nas infecções recentes devido maior [ ] de espiroquetas.

12

Quais os exames disponíveis para o dx de Sífilis?

1. Campo Escuro (padrão-ouro): encontra o Treponema pallidum na biopsia.

2.Imunofluorescencia Indireta: pouco disponível.

3. Sorologia não Treponêmica: VDRL, RPR e TRUST

4. Sorologia Treponêmica: FTA-Abs; MHA-TP ; TPI; ELISA; EQL; TPHA; Testes rápidos (imunocromatográficos).

 

13

Como realizar o dx de Sífilis segundo o MS?

- Um dos testes treponêmicos (ex.: teste rápido ou FTA-Abs ou TPHA ou EQL ou ELISA).

MAIS

- Um dos testes não treponêmicos (ex.: VDRL ou RPR ou TRUST).

A ordem de realização fica a critério do serviço de saúde.

14

Quais os detalhes importantes no uso do VDRL?

1. Reativo a partir da 2ª semana após cancro duro.

2. Redução dos títulos após o 1o ano (mesmo se não tratada)

3. Negativação entre 9 e 12 meses após tratamento.

4. Pode persistir positivo por toda a vida mesmo que tratada (cicatriz sorológica).

5. Guarde o conceito:

  • Títulos baixos (< 1/16) = sífilis muito recente, muito antiga ou tratada (cicatriz), ou ainda um resultado falso-positivo.
  • 3 títulos  baixos (menores ou iguais a 1/8), sem indício de reinfecção, são sinal de memória sorológica.

15

É comum o achado de falso-positivo na sífilis?

Sim. Podem ser encontrados na gravidez, lúpus, síndrome antifosfolipídeo, doença de Chagas, hanseníase, malária, mononucleose, leptospirose, doenças febris e tuberculose, dentre outros.

Os resultados falso-positivos ocorrem porque o VDRL é baseado em anticorpos contra os componentes cardiolipínicos do Treponema pallidum, que também podem estar presentes nas situações descritas.

Reações falso-negativas são raras (1 a 2%), o que torna este teste um teste de alta sensibilidade e baixa especificidade.

16

Quando devemos considerar o VDRL sugestivo de infecção?

1. Títulos maiores que 1:4 (1:8, 1:16, 1:32, 1:64...) (Febrasgo ≥1/16).

2. Aumento dos títulos em quatro vezes em sorologias sequenciais (p.e., 1:4→1:16).

3. Positivação dos títulos em paciente com sorologia prévia negativa.

17

O que é o fenômeno de Prozoa?

1. Paciente com sífilis que apresentam resultado de VDRL negativo.

2. A aglomeração de proteínas que normalmente ocorre quando um antígeno (Ag) e o Antígeno (Ac) se ligam formando um complexo Ag-Ac.

3. Em soros com altos Títulos de Anticorpos anticardiolipínicos (POR Excesso de treponemas), PODE Não ocorrer aglutinação Ag e Ac NAS diluições Iniciais, Gerando hum resultado Aparentemente negativo.

Para evitar o fenômeno, é importante realizar sempre uma diluição do soro.

18

Quais são as características dos Testes Treponêmicos?

1. Detectam anticorpos contra as espiroquetas.

2. São os primeiros a positivar (1ª semana).

3. Positados para o teste de segurança não positivo.

4. Nunca efetivam negativar, mesmo após a efetivação da transação (75-85%).

19

Como é feito o dx de Sífilis na Gestante?

1. Sorologia não treponêmica e seguimento terapêutico.

2. Testes não treponêmicos (VDRL ou RPR) sempre solicitados na 1ª consulta do pré-natal ou no 1o trimestre da gestação e novamente no último trimestre.

3. Na primeira consulta, o VDRL ou RPR podem ser substituídos pelo teste rápido para sífilis.

4. Toda gestante com apenas um teste reagente, treponênico ou não treponêmico, deve iniciar o tratamento para sífilis sem aguardar o resultado do segundo teste.

5. Ela deve realizar sorologia confirmatória, diferente da primeira que foi realizada.

20

Qual o tratamento para Sífilis?

  1. Tratamento: 1x 2,4 milhões UI, IM dose única;
  2. Alternativa: Doxi (gestante não)/Ceftriaxone;
  3. Avaliar o parceiro.

"Terciária = 3x a dose da primária"

  1. 3x 2,4 milhões UI, IM(intervalo das doses: 1 semana);
  2. Alternativa: Doxi (gestante não)/Ceftriaxone.

21

Como obter o controle de cura dos pacientes tratados (Seguimento)? 

1. Devem realizadas SER sorologias Trimestrais no 1 o  ano e, se AINDA Houver título, semestrais no 2 ano apos o treatment.

2. Em gestantes, devem ser mensais.

22

Quando considerar que ocorreu uma falha terapêutica?

Se houver quadruplicação dos títulos (aumento em duas diluições – p. ex.: 1:2 para 1:8) ou interrupção do tratamento, repetir a terapêutica.

23

Nas gestantes, quando considerar que foram inadequadamente tratadas para Sífilis?

1. Tratamento realizado com qualquer medicamento que não seja a penicilina benzatina;

2. Tratamento incompleto, mesmo tendo sido feito com penicilina benzatina;

3.Tratamento inadequado para a fase clí- nica da doença;

4. Instituição de tratamento dentro do prazo, em até 30 dias antes do parto;

5. Parceiro sexual com sífilis não tratado ou tratado inadequadamente.

24

Primigesta de 22 anos, com parceiro fixo há 6 meses, realizou a segunda consulta pré-natal com 27 semanas de gestação, sem queixas. Encontrava-se com 60 kg. Em seu histórico, constava alergia a penicilina na infância. Ao exame, apresentava pressão arterial de 100/60 mmHg, batimentos cardiofetais de 130 bpm, altura uterina de 25 cm, períneo sem lesões e colo uterino grosso, posterior e fechado. Os exames de rotina estavam normais, exceto o VDRL, com resultado de 1:64. Qual a conduta mais adequada nesse momento?

a) Tratar o casal somente após resultado do FTAbs.

b) Prescrever para a gestante dessensibiliza- ção com penicilina oral e, após, prescrever para o casal penicilina benzatina (2.400.000 Ul) intramuscular em dose única.

c) Prescrever para a gestante dessensibiliza- ção com penicilina oral e, após, prescrever para o casal penicilina benzatina (2.400.000 Ul) intramuscular, semanal, por 3 semanas.

d) Prescrever para a gestante eritromicina oral e prescrever para o parceiro penicilina benza- tina (2.400.000 UI) intramuscular, semanal, por 3 semanas.

e) Prescrever para a gestante eritromicina oral e prescrever para o parceiro penicilina benzatina (2.400.000 UI) intramuscular em dose única.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, uma gestante com um teste para sí lis reagente (treponênico ou não treponêmico) deve iniciar o tratamento antes mesmo do resultado do segundo teste.

E o que fazer em pacientes grávidas com alergia à penicilina? Só temos uma opção: dessensibilização. Como o diagnóstico foi laboratorial em uma paciente as- sintomática sem lesões detectáveis, prescrevemos penicilina benzatina por três semanas para sífilis latente de duração indeterminada. Resposta: Letra C.

25

RESIDÊNCIA MÉDICA – 2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DO
ESTADO DO RIO DE JANEIRO – RJ
Um paciente de 23 anos, masculino, padeiro, natural do Rio de Janeiro, sem relato de viagem recente, morador da área urbana, heterossexual com relato de relações sexuais sem uso de preservativo. Apresenta-se para con- sulta no posto de saúde com quadro de perda de peso, anorexia e linfadenopatias indolores em pescoço, axilas e regiões inguinais bilaterais. À inspeção evidenciada erupção maculo- papulosa em tronco e plantas dos pés e erosão cinza-prateada em mucosa oral, além de alopecia em área da barba. Nega outros sintomas associados. Exames laboratoriais mostraram hemograma normal, alterações leves das provas de função hepática e proteinúria nefrótica. Exame oftamológico com presença de uveíte e radiogra a do tórax normal. A principal hipótese diagnóstica é:

a) Sarcoidose.

b) Sífilis secundária.

c) Doença de Kawasaki.

d) Neoplasia hematológica.

e) Tuberculose disseminada.

Quando a questão traz a informação "relações sexuais sem uso de preservativo", devemos pensar em doença sexualmente transmissível!

Vamos lá: a sífilis secundária é marcada pela disseminação dos treponemas pelo organismo. Manifesta-se cerca de quatro a oito semanas após o desaparecimento da lesão primária (cancro duro). As lesões são constituídas por combinações variáveis de pápulas palmo-plantares, placas mucosas, poliadenopatia generalizada, alopecia em clareira, madarose e condilomas planos. As lesões dessa fase desaparecem independentemente de tratamento, e aproximadamente 25% dos pacientes podem apresentar recrudescimento. Cerca de 5% dos pacientes apresentam uveíte e em alguns casos proteinúria nefrótica e hepatite clínica. Ocasionalmente, ocorrem sintomas gerais como artralgia, febrícula, cefaleia e adinamia. A única doença, dentre as opções, capaz de justificar todos os achados clínicos é a sífilis secundária. Resposta: letra B.

26

RESIDÊNCIA MÉDICA – 2012 (ACESSO DIRETO)
HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CASSIANO ANTÔNIO DE MORAES – ES

Paciente durante doação de sangue apresentou VDRL de 1/64. Mesmo não apresentando qualquer sintomatologia, foi tratado com dose adequada de penicilina G benzatina. Qual o exame você solicitaria posteriormente para controle de cura?

a) VDRL quantitativo.

b) VDRL qualitativo.

c) FTA - Abs lgG.

d) FTA - Abs lgM.

e) VDRL e FTA - Abs lgG.

Os testes não treponêmicos devem ser utilizados para o acompanhamento sorológico do tratamento da sífilis, uma vez que os sinais/sintomas podem melhorar mesmo sem o tratamento específico. Os testes são solicitados com 3, 6 e 12 meses após o tratamento em mulheres não grávidas. Os títulos dos anticorpos são comparados com os valores pré-tratamento. Os testes treponêmicos podem permanecer positivos por anos e por esta razão não devem ser usados para interpretar a resposta ao tratamento. Eles são usados somente para confirmar o diagnóstico. Logo, a alternativa A é a resposta da questão.

27

RESIDÊNCIA MÉDICA – 2014
SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA ESTADO DO CEARÁ – CE

Gestante, no início do pré-natal, apresenta pápulas palmoplantares eritemato-descamativas, alopécia e placas úmidas na região vulvar e perineal. Foi solicitado o exame RPR (Rapid Plasma Reagin), que mostrou titulação de 1:32. Com esses achados, foi indicada a terapêutica. Após o início do tratamento, passou a apresentar febre, adinamia, mialgia, artralgia e exacerbação das lesões cutâneas. Diante do quadro, qual a conduta mais indicada?
a) Manter a terapêutica.
b) Suspender a terapêutica.
c) Trocar a medicação por ceftriaxona.
d) Internar e iniciar a dessensibilização.

As pápulas descritas são as sifílides papulosas, compatíveis com sífilis secundária, cujo diagnóstico foi confirmado pelo teste não treponêmico RPR em altos títulos. Só que, após o tratamento, ela apresentou sintomas sistêmicos e piora das lesões cutâneas. O que houve? Reação alérgica? Resistência à medicação? Não! Trata-se de uma reação de Jarisch-Herxheimer.

Resposta: letra A.

28

O que é a Reação de Jarisch-Herxheimer (RJH)?

1. Reação autolimitada que ocorre após a dose inicial do tratamento antimicrobiano (geralmente penicilina), decorrente da intensa lise celular bacteriana determinada pela medicação.

2. Caracteriza por:

  • Início súbito de febre associada a calafrios
  • Artralgias 
  • Cefaleia
  • Erupção cutânea representada basicamente por agravamento transitório das lesões preexistentes.

3. Ocorre em geral 4 a 6 horas após a dose inicial de penicilina benzatina e remite espontaneamente dentro de 24 horas, independentemente da dose do antibiótico administrada.

4. Criteriosa avaliação clínica é exigida no sentido de diferenciá-la de reações de hipersensibilidade propriamente ditas.
 

29

RESIDÊNCIA MÉDICA – 2016
SELEÇÃO UNIFICADA PARA RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO CEARÁ – CE

Paciente secundigesta, comparece para sua consulta pré-natal na Unidade Básica de Saúde da Família. Encontra-se no curso da 16a semana de gestação, assintomática, apresentando VDRL com título de 1:16. Refere ter sido submetida a tratamento completo com ceftriaxona, à época do diagnóstico, ocorrido há 3 anos, em virtude de alergia à penicilina. Ante o enunciado, qual deve ser a conduta?
a) Considerar a paciente adequadamente tratada, com o VDRL representando cicatriz sorológica.

b) Dessensibilização para penicilina benzatina, seguida de 2,4 milhões UI, intramuscular, em dose única.

c) Contraindicar penicilina benzatina e fazer novo curso de tratamento com ceftriaxona, intramuscular.

d) Dessensibilização para penicilina benzatina, seguida de 2,4 milhões UI, intramuscular, semanal, três semanas.

Uma gestante apresenta títulos altos de VDRL (1:16) e deve ser tratada antes mesmo do resultado do teste treponêmico. O tratamento com ceftriaxone devido à história de alergia é possível na gestação, no entanto a paciente será considerada inadequadamente tratada pois não utilizou penicilina. O ideal é que as gestantes alérgicas à penicilina sejam dessensibilizadas e tratadas com penicilina benzatina. Como não sabemos a duração da doença e a paciente é assintomática, o tratamento deve ser feito para sífilis latente de duração incerta com Penicilina G Benzatina 2,4 milhões UI, IM, 1x por semana, por três semanas (7,2 milhões UI no total) após a dessensibilização.

Resposta: letra D.

30

Qual a definição de Cancro Mole?

1. Transmissão exclusivamente sexual.

2. Infecção se transmite por microabrasões epidérmicas durante o ato sexual.

3. Causado pelo cocobacilo Gram-negativo Haemophilus ducreyi.

31

Qual é o quadro clínico do Cancro Mole?

1. Período de incubação de 4 a 7 dias.

2. Apresenta-se com pápula eritematosa, progredindo para pústulas que se rompem em 2 a 3 dias, originando lesões DOLOROSAS e ulceradas.

3. Úlceras são:

  1. Múltiplas devido à autoinoculação.
  2. Base amolecida
  3. Bordo irregular
  4. Contorno eritematoso
  5. Fundo irregular recoberto por exsudato necrótico amarelado com odor fétido que, quando removido, revela tecido de granulação altamente friável.

4.Sintomas:

  1. disúria
  2. Dor à defecação
  3. Sangramento retal
  4. Dispareunia
  5. Corrimento vaginal.

5. Lugares mais acometidos:

  1. Homem: frênulo e o sulco balanoprepucial;
  2. Mulher, a fúrcula e face interna dos pequenos e grandes lábios.

6. Pode ter acometimento dos linfonodos inguinais (bubão), geralmente UNI- LATERAL (2/3 dos casos).

7. No início há adenomegalia DOLOROSA, que evolui para flutuação e fistulização em metade dos casos, classicamente por orifício único.

32

Como é feito o Dx de Cancro Mole?

  1. Presença de uma ou mais lesões ulceradas; úlcera dolorosa com adenopatia inguinal dolorosa + supuração associada.
  2. Ausência de evidência do T. pallidum em exame de campo escuro ou teste sorológico (este realizado após sete dias do aparecimento da lesão);
  3. Aspecto da úlcera e da linfadenopatia regional característicos do cancroide;
  4. Teste negativo (PCR, cultura) para herpes-vírus na lesão ulcerada.

33

Qual o tratamento para Cancro Mole segundo o MS?

  1. Na gravidez, recomenda-se utilizar eritromicina e, se não houver resposta, ceftriaxone.
  2. Higiene é importante para auto-inoculação
  3. Parceiro sempre deve ser tratado.

34

No cancro mole, o que fazer com os bubões? Como abordá-los?

MS: Aspiração com agulha de grosso calibre dos gânglios linfáticos regionais comprometidos. É contraindicada a incisão com drenagem ou a incisão dos linfonodos acometidos.

CDC: Incisão com drenagem em vez da aspiração com agulha devido à menor necessidade de procedimentos de drenagem subsequentes.

35

RESIDÊNCIA MÉDICA – 2016 (ACESSO DIRETO 1)
HOSPITAL MUNICIPAL DR. MÁRIO GATTI – SP
Paciente, 17 anos, levada pela mãe à UBS, apresentando, há 10 dias, lesões múltiplas, dolorosas, de borda irregular, com contornos erimatoedematosos, fundo irregular recoberto por exsudato necrótico fétido, amarelado que, quado removido, evidencia um tecido de gra- nulação com sangramento fácil. Esfregaço de secreção da base da úlcera revelou bacilos gram-negativos. Negativo para T. pallidum e HSV. O diagnóstico provável é:

a) Escabiose.

b) Cancro mole.

c) Sífilis.

d) Vaginite.

Dentre as opções de resposta da questão, as únicas que causam úlcera genital são o cancro mole e a sífilis. O cancro duro da sífilis primária é caracterizado por lesão ulcerada, única, de bordos elevados, INDOLOR e com superfície lisa e limpa. Já o cancro mole apresenta múltiplas úlceras, DOLOROSAS, com base amolecida, bordos irregulares e exsudato necrótico. O enunciado, então, se refere ao cancro mole.

Resposta: letra B.

36

Qual a definição de Linfogranuloma Venéreo?

1. Doença transmitida quase exclusivamente pelo ato sexual.

2. Causada pela Chlamydia trachomatis sorotipos L1, L2 e L3.

 

37

Qual o quadro clínico do Linfogranuloma Venéreo?

1. Evolui em 3 fases e período de incubação de 3 a 21 dias.

  1. Lesão de inoculação:
    1. Pápula,pústula ou exulceração INDOLOR.
    2. Desaparece sem sequela, podendo não ser notada pelo paciente.
  2. Adenopatia inguinal:
    1. entre 1 a 6 semanas após a lesão de inoculação.
    2. DOLOROSA e geralmente UNILATERAL
    3. Com supuração e fistulização por orifícios múltiplos (bico de regador).
    4. Os sintomas gerais incluem
      1. febre
      2. Mal-estar
      3. Anorexia
      4. Emagrecimento
      5. Artralgia
      6. Sudorese noturna
      7. Meningismo.
  3. Sequelas:
    1. Principalmente retais
    2. Formação de fístulas e estenoses (sexo anal).
    3. Obstrução linfática crônica e elefantíase.
    4. A obstrução linfática crônica na mulher acarreta a elefantíase genital, denominada estiômeno vulvar de Huguier.

38

Como é feito o dx de Linfogranulomatoma Venéreo?

1. ELISA:

  1. 2 dosagens com intervalo de 2 semanas.
  2. Positivo após 4 semanas de infecção.
  3. Um aumento de 4 vezes nos títulos de anticorpos tem valor diagnóstico.
  4. Altos títulos (> 1:64) também são sugestivos de infecção atual. 

2. Gram: inclusões celulares

3. Teste de Frei

4. Imunofluorescência: IgG > 1:64 ou IgM > 6

5. Cultura: células McCoy ou HeLa

39

Qual o tratamento para Linfogranuloma Venéreo?

1. Na gestação =  azitromicina.

2. Parceiros devem ser tratados

  1. Se sintomático, mesmos medicamentos
  2. Se assintomático,
    1. azitromicina 500 mg, 2 comprimidos, VO, dose única
    2. OU doxiciclina 100 mg, um comprimido, VO, 2x dia, por sete dias.

40

Qual a definição de Herpes Genital?

1. Lesões causadas pelo Herpes-Simplex Vírus (HSV), tipos 1 (lesões orais) e 2 (lesões genitais).

2. DST ulcerativa mais frequente, seguida pelo cancro duro.

3. Primoinfecção é assintomática e cerca de 90% dos pacientes soropositivos não se recordam de sintomas.

41

Qual a fisiopatologia da Herpes Genital?

1. O vírus do herpes permanece no tecido neural por toda a vida nos gânglios sensoriais após a infecção.

2. A reativação ocorre na raiz dorsal, retornando pelo nervo para a superfície da pele ou mucosa correspondente ao dermátomo de origem.

3. Os casais não devem ter relação se houver lesões ativas.

4. As recorrências, independente do tipo viral, diminuem com o passar do tempo.

5. A recorrência é mais branda, complica menos, tem uma menor duração (média de 9 dias contra 12 dias da infecção primária), menor liberação viral e menos lesões clínicas.

42

Qual as recomendações em Hespes Genital na gravidez?

1. Na gravidez, pode haver graves consequências fetais.

2. A cesariana deve sempre ser realizada em caso de lesões ativas genitais.

3. Em caso de gestante sem infecção genital conhecida, deve-se evitar relações sexuais durante o terceiro trimestre com parceiros sabidamente infectados ou suspeitos para infecção herpética.

4. Nos casos de rotura prematura de membranas em gestantes com doença genital clinicamente ativa, está indicada cesariana dentro de quatro a seis horas com o objetivo de diminuir o risco de transmissão.

5. Quanto maior o tempo de rotura, maior será a chance de contaminação.

6. A cesariana parece não trazer nenhum benefício quando a bolsa amniótica estiver rota além deste período.

43

Qual o quadro clínico da Herpes Genital?

1. Período de incubação médio de 4 dias.

2. Infecção primária:

  • Pápulas eritematosas DOLOROSAS, que se tornam vesiculares, coalescem e, ao se romperem, dão origem a ulcerações, com bordas lisas, de mínima profundidade, não ultrapassando 1 mm e que não sangram à manipulação, com posterior formação de crostas e cicatrização.
  • Adenopatia inguinal DOLOROSA BILATERAL em até 50% dos casos e, com frequência, repercussão sistêmica (astenia, mialgia, febre, mal-estar, aumento da sensibilidade e formigamento). Algumas pacientes podem não apresentar sintomas neste momento.

3. Infecção recorrente: Reativação dos vírus. O quadro clínico é menos intenso.

  1. A fase prodrômica se manifesta com sensibilidade local, prurido, queimação, mialgias, fisgadas, etc.
  2. A infecção pode reativar após episódios de febre, exposição à radiação ultra-violeta, traumatismos, menstruação, estresse físico e emocional e antibioticoterapia prolongada.

44

Como é feito o dx de Herpes Genital?

1. Citodiagnóstico de Tzanck.

2. Sorologia: Tem valor se houver elevação dos títulos em 4 semanas.

3. Imunofluorescência direta: Pesquisa de anticorpos monoclonais com eficácia semelhante à cultura, mas de menor custo.

45

Qual o tratamento para Herpes Genital?

1. Sintomáticos: analgésicos e anti-histamínicos.

2. Medidas locais de higiene: solução fisiológica e água boricada 3%.

3. Antibióticos tópicos (neomicina) nos casos de infecções secundárias.

4.Tratamento antiviral (oral): não erradica o vírus, mas pode reduzir a frequência e duração das recorrências após a infecção primária (vanciclovir, fanciclovir, aciclovir) quando usado de forma profilática. O tratamento tópico com aciclovir parece diminuir sintomas, tempo de infecção e liberação do vírus.

46

Qual o tratamento da Herpes no Paciente com HIV?

Aciclovir 5 a 10 mg por kg de peso IV, de 8/8h, por cinco a sete dias, ou até resolução clínica.

47

Qual a definição de Donovanose? (Granuloma Inguinal)

1. Doença crônica e progressiva, causada pela Klebsiella granulomatis, também conhecida como Donovania granulomatis.

2. Bacilo Gram-negativo, pleomórfico, imóvel, raramente cultivável, com formas extracelulares (não capsuladas e jovens) e intra-celulares (capsuladas e maduras).

3. Pouco frequente, de baixa contagiosidade e associada à transmissão sexual.

4. Sabe-se que pode ocorrer transmissão por contaminação fecal ou autoinoculação.

48

Qual o quadro clínico de Donovanose?

1. Período de incubação médio de 50 dias.

2. Inicia-se com nodulação subcutânea (“pseudobubão”), geralmente UNILATERAL e INDOLOR, que pode ser confundida com aumento linfonodal, cuja erosão forma ulceração de borda plana ou hipertrófica, bem delimitada, com base granulosa de aspecto vermelho vivo e sangramento fácil.

3. Evolui lentamente para lesão vegetante, extensa, porém INDOLOR.

4. Por autoinoculação, vão surgindo lesões satélites que se unem, alcançando grandes áreas.

5. Pode ser única ou múltipla, não havendo adenite, somente pseudobubões (granulações subcutâneas) quase sempre unilaterais.

49

Como é realizado o diagnóstico de Donovanose?

1. Biópsia com achado de corpúsculos de Donovan.

2. Também podem ser observados em esfregaço com coloração de Wright, Giemsa ou Leishma

50

Como é feito o tratamento de Donovanose?

DOnovanose → DOxiciclina

Doxiciclina 100 mg VO 12/12 por 21 dias;

ABC: Azitro/Bactrin/Cipro.

Na gravidez, usar estearato de eritromicina ou azitromicina por três semanas. A ciprofloxacina e a doxiciclina são contraindicadas.

51

Quais úlceras genitais que são únicas?

  1. Síflis
  2. Linfogranuloma

52

Quais úlceras genitais que possuem múltiplas lesões??

  1. Herpes;
  2. Cancro mole;
  3. Donovanose (única ou única).

53

Quais úlceras genitais que apresentam DOR?

  1. Herpes (limpa);
  2. Cancro mole (suja).

54

Quais úlceras genitais que NÃO apresentam DOR?

"Lesões Sem Dor"

  1. Linfogranuloma;
  2. Sífilis;
  3. Donovanose.

55

Quais úlceras genitais fistulizam para linfonodos?

"LC"

  1. Linfogranuloma (Múltiplos);
  2. Cancro mole.

56

Quais úlceras genitais NÃO fistulizam para linfonodos?

  1. Herpes;
  2. Sífilis;
  3. Donovanose.

57

4 exames diagnósticos para Herpes Vaginal?

  1. Citologia (TZANK→multinucleação e balonização).
  2. Papanicolau (inclusões virais).
  3. Sorologia: ↑Títulos em 4 semanas.
  4. Imunofluorescência direta (anticorpos monoclonais).

58

Como tratar Herpes Vaginal, na primeira infecção e na recorrência?

Primo-infecção: Aciclovir 400 mg VO 3x/dia por 7 dias;

Recorrência (10/ano): Fazer por 5 dias;

Outras drogas: Fanciclovir / Valaciclovir

59

Qual o Agente causador de Cancro Mole? Como se dá a transmissão?

"MOle = MOphilus"

  1. Haemophilus ducreyi (cocobacilo gram negativo);
  2. Transmissão exclusivamente sexual.

60

O que mostra a Bacterioscopia de Cancro Mole?

Bacterioscopia (Gram/Giemsa): "paliçada" / "cardume de peixe".

61

Tratamento do Cancro Mole...

 "CAncro = Azitro ou Ceftriaxona"

  1. Azitromicina 1g VO dose única;
  2. Ceftriaxona 500 mg IV dose única;
  3. Tratar o parceiro.

62

Quais são as úlceras superficiais?

"LH"

Linfogranuloma.

Herpes.

63

Quais as sorologias NÃO-TREPONÊMICAS para sífilis?

  1. VDRL
  2. RPR
  3. TRUST

(Positivam 3-6 semanas após infecção!)

64

Quais as sorologias TREPONÊMICAS para sífilis?

  1. FTA-Abs (teste rápido)
  2. TPHA
  3. EQL
  4. ELISA

65

Qual o significado da sorologia

VDRL - / FTA-Abs - 

  1. Nunca teve contato com sífilis;
  2. Está na "janela imunológica".

66

Qual o significado da sorologia

VDRL - / FTA-Abs +

  1. Sífilis Precoce
  2. Sífilis prévia curada

67

Qual o significado da sorologia

VDRL + / FTA-Abs -

Falso-positivo

68

Qual o significado da sorologia

VDRL + / FTA-Abs +

  1. Sífilis não tratada
  2. Sífilis tratada recentemente

69

Se VDRL+ pedir teste rápido...

  1. Teste rápido +: TRATAR
  2. Teste rápido -: Falso-positivo