293 - Doença cardíaca isquémica Flashcards Preview

(Cardio - 2017 COPY) > 293 - Doença cardíaca isquémica > Flashcards

Flashcards in 293 - Doença cardíaca isquémica Deck (168):
1

Qual a causa mais comum de isquémia miocárdica?

Doença aterclerótica das artérias coronárias epicárdicas.

2

A doença cardíaca isquémica é a 2ª principal causa de morte nos países desenvolvidos. V ou F?

Falso. É a 1ª.

3

A diminuição da mortalidade na doença cardíaca isquémica é ___% devida aos tratamentos, e ___% devida à prevenção.

50%; 50%.

4

Espera-se que a doença cardíaca isquémica seja a principal causa de morte em todo o mundo em ____ (ano).

2020.

5

75% da resistência ao fluxo coronário advém de R1, R2 e R3. Quais destas têm um efeito major na resistência?

R2 (pre-arteriolares) e R3 (arteriolas e capilares intramiocárdicos).

6

Em condições normais o miocárdio extrai uma percentagem de O2 elevada e variável. V ou F?

Falso. Percentagem de O2 elevada e relativamente fixa.

7

Êmbolos e estenose dos óstios das artérias coronárias são causas raras de diminuição do fluxo coronário. V ou F?

Verdadeiro.

8

A diminuição da capacidade de transporte de O2 raramente causa isquemia cardíaca por si só. V ou F?

Verdadeiro. Apenas diminui o limiar de isquemia em doentes com obstrução coronária moderada.

9

Em que se traduz uma estenose das artérias coronárias de 50%, ~80% e >80%, respectivamente?

- 50%: limitação em aumentar o fluxo sanguíneo em situações de aumento das necessidades do miocárdio;
- ~80%: pode haver diminuição do fluxo em repouso;
- >80%: isquemia do miocardio em repouso ou situações de stress mínimo.

10

Quais os 2 locais de obstrução coronária mais graves?

- Coronária esquerda principal (tronco comum);
- Porção proximal da descendente anterior esquerda.

11

Os vasos colaterais formam-se quando a estenose coronária se desenolve gradulamente. Quando bem desenvolvidos, podem proporcionar um fluxo adequado em repouso e em stress?

Não. Só proporcionam um fluxo adequado em repouso.

12

Aterosclerose coronária é um processo focal que causa geralmente isquemia uniforme. V ou F?

Falso. Geralmente causa isquemia NÃO UNIFORME.

13

Em que local da parede cardíaca a isquemia é mais intensa?

Subendocárdio.

14

O dano devido a isquemia é reversível se esta for inferior a ____ minutos, e irreversível se for superior a ____ minutos.

20; 20.

15

Quais são as alterações bioquímicas decorrentes da isquemia?

- ácidos gordos não são metabolizados e a glicose é convertida em lactato;
- diminuição do pH intracelular e das reservas de fosfato de elevada energia (ATP e creatinina fosfato);
- saída de potássio dos miócitos e entrada de sódio e cálcio.

16

Quais são as alterações elétricas decorrentes da isquemia?

- Alterações do segmento ST
- Inversão da onda T
- ES ventriculares isoladas
- TV
- FV

17

O infradesnivelamento de ST é caracteristico de isquemia ______. O supradesnivelamento de ST é caracteristico de isquemia _______.

subendocárdica; transmural.

18

A maioria dos doentes que morre subitamente por doença cardíaca isquémica deve-se a ___________ induzidas pela isquemia.

taquiarritmias ventriculares.

19

40% dos EAM são assintomáticos. V ou F?

Falso. 25%.

20

O prognóstico é igual entre EAM sintomático e EAM assintomático. V ou F?

Verdadeiro.

21

A morte súbita como apresentação inicial de doença coronária isquemica é pouco comum. V ou F?

Falso. É comum.

22

Relativamente à angina estável, os homens representam ____ % de todos os doentes.

70%.

Esta proporção é ainda maior nos doentes com menos de 50 anos

23

O que é o sinal de Levine?

Doente localiza o desconforto com a mão apertada sobre o esterno.

24

A angina estável tem a duração aproximada de 2-8minutos. V ou F?

Falso. 2-5 minutos.

A dor alivia em 1-5 após diminuir ou cessar a atividade, sendo o alivio mais rápido se repouso ou nitroglicerina sublingual. Uma dor que não alivie segundo este padrão deverá levar à suspeita de outra etiologia

25

A dor de angina estável irradia para o trapézio. V ou F?

Falso. Dor a irradiar para o trapézio é mais tipica de pericardite.

26

A história de angina de peito típica faz o diagnóstico de DCI até prova em contrário. V ou F?

Verdadeiro.

27

Na angina estável o exame físico é frequentemente normal, quando assintomáticos. V ou F?

Verdadeiro.

28

Quais as características ao exame físico que indicam que a etiologia isquémica seja improvável?

- Dor na parede torácica;
- Localização do desconforto com a ponta do dedo;
- Reprodução da dor com a palpação do tórax.

29

4 causas de angina não aterosclerótica:

- estenose aórtica;
- insuficiência aórtica;
- cardiomiopatia hipertrófica;
- hipertensão pulmonar.

30

Níveis elevados de PCR de alta sensibilidade (especificamente entre 0-3 mg/dL) são um factor de risco independente para DCI, podendo ser úteis na decisão terapêutica sobre o início do tratamento hipolipidico. V ou F?

Verdadeiro. Tem beneficio major sobretudo na reclassificação do risco de DCI em doentes de risco "intermédio".

31

Na avaliação da angina estável, a prova de esforço deve ser interrompida em que situações?

- Desconforto torácico
- Dispneia
- Tonturas
- Fraqueza
- Infradesnivelamento ST superior a 0,2mV (2mm)
- Queda da PAS superior a 10 mmHg
- Taquiarritmia ventricular

32

Na avaliação da angina estável, que sinais indicam mau prognóstico na prova de esforço?

- Falha em aumentar ou diminuir PA com sinais de isquemia durante a prova
- Angina e/ou depressão severa do ST (superior a 0,2 mV) a baixas cargas de exercicio (antes de completar estadio II do protocolo de Bruce)
- Infra-desnivelamento ST que persiste por mais de 5 minutos após término do exercício.

33

Na prova de esforço para avaliação da angina estável, quais são as alterações isquemicas e não isquemicas?

- Isquemicas: infra ST >0,1mV, horizontal ou descente, com duração >0.08s.
- Não isquemicas: infra ST ascendente ou ST juncional, anomalias onda T, distúrbios da condução, arritmias ventriculares, prova de esforço negativa em que não se atinge a FC alvo.

34

Qual a percentagem de falsos positivos e negativos na prova de esforço?

33%.

35

Na prova de esforço o que pode resultar em teste falso negativo?

Doença obstrutiva limitada à artéria circunflexa, uma vez que a parede lateral do coração é mal avaliada no ECG.

36

Qual o valor preditivo positivo e sensibilidade da prova de esforço?

VPP: 98% (homens com >50 anos com historia de angina de peito e que desenvolvem desconforto torácico durante a prova);

Sensibilidade: 75%
VPN: um teste negativo não exclui doença coronária. No entanto, torna extremamente improvável a presença de doença de 3 vasos ou do tronco comum

37

Quais são as indicações para teste stress farmacológico IV em vez de exercício?

- Doença vascular periférica;
- Doença muscular e esquelética;
- Dispneia de esforço;
- Descondicionamento.

38

Ecocardiograma de stress e imagiologia de perfusão miocárdica de stress são menos sensíveis que a prova de esforço com ECG para o diagnóstico de DCI. V ou F?

Falso. São MAIS sensíveis.

39

Quais são os principais factores de prognóstico na DCI?

- Idade
- Função do VE
- Localização e gravidade das estenoses
- Gravidade ou actividade isquemia miocárdica.

40

No tratamento da angina estável quase sempre é necessário o uso de estatinas. Que impacto têm estas a nível percentual no LDL, HDL e triglicerídeos.

LDL: reduzem 25 a 50%;
HDL: aumentam 5-9%;
Triglicerideos: reduzem 5-30%

41

A estatina tem um efeito poderoso na aterosclerose, DCI e prognóstico, independentemente dos níveis de LDL. V ou F?

Verdadeiro.

42

Os anti-dislipidemicos têm maior beneficio em homens e idosos do que em mulheres, diabéticos e fumadores. V ou F?

Falso. Beneficio igual em todos.

43

No tratamento da angina estável, os beta-bloqueantes diminuem as necessidades de oxigénio principalmente durante o exercício. V ou F?

Verdadeiro.

Têm apenas um pequeno efeito durante o repouso.

44

Os beta-bloqueantes diminuem a mortalidade mas não a taxa de re-infarte após EAM. V ou F?

Falso. Diminuem também a taxa de re-infarte após EAM.

45

Quais são as contra-indicações relativas, no uso de beta-bloqueantes?

- Asma
- Doença pulmonar crónica com obstrução reversível
- Distúrbio da condução AV
- Bradcardia severa
- Fenomeno de Raynaud
- História de depressão

46

No tratamento da angina estável, a eficácia dos BB é superior aos BCC. V ou F?

Falso. A eficácia é igual, estando os BCC indicados quando os BB são contra-indicados, mal tolerados, ineficazes.

47

A angina de Prinzmetal responde particularmente bem a BCC, especialmente dihidropiridinas. V ou F?

Verdadeiro.

Devem ser evitados BB na angina de Prinzmetal.

48

1) Verapamil mais BB = contra-indicado. V ou F?
2) Diltiazem mais BB = contraindicado. V ou F?
3) Amlodipina mais BB = complementares. V ou F?
4) Dihidropiridinas de curta duração devem ser evitadas. V ou F?

1) V
2) Falso. Podem ser combinados com função ventricular normal e sem alterações da condução
3) V
4) V

49

À semelhança dos BB, os BCC aumentam a sobrevida após EAM. V ou F?

Falso.

Não aumentam. Desta forma o beta bloqueador é preferido na angina+ Lesão VE

50

A aspirina deve ser considerada em TODOS os doentes com DCI na ausência de hemorragia GI, alergia ou dispepsia. V ou F?

Verdadeiro.

51

O clopidogrel apresenta benefícios semelhantes à aspirina em doentes com DCI crónica, podendo substitui-la se efeitos adversos a esta. V ou F?

Verdadeiro.

52

A associaçao aspirina e clopidogrel não tem benificios na DCI crónica estável. V ou F?

Verdadeiro.

53

Na DCI, em que situações são mais benéficos os IECAS?

- DCI com risco aumentado, especialmente se DM e disfunção VE.
- Ausência de controlo da PA e LDL apesar do tratamento com BB e estatinas.

54

Os AINES devem ser evitados na DCI. V ou F?

Verdadeiro. Se necessários, co-administrar aspirina e usar um AINE com menor risco de eventos CV.

55

ICC associada a angina tem mau prognóstico, não sendo no entanto necessário considerar cateterismo cardíaco e revascularização coronária. V ou F?

Falso. Considerar seriamente!

56

A revascularização coronária é indicada na DCI em que situações?

- Fases instáveis da DCI
- Sintomas intratáveis
- Isquemia grave ou anatomia coronária de alto risco
- DM
- Disfunção do VE

57

Estenose do tronco comum ou doença de 3 vasos (especialmente se associada a DM e/ou diminuição da FE) são melhor tratadas com ICP ou CABG?

CABG.

A ICP é mais usada em estenose de 1 ou 2 vasos, ainda que possa ser utilizada em casos selecionadas de doença do tronco comum e obstrução de 3 vasos.

58

A ICP não pode ser utilizada em enxertos de bypass após angina recorrente, devendo recorrer-se ao CABG. V ou F?

Falso. Pode ser utilizada em enxertos bypass.

59

Qual a indicação mais comum de ICP na angina estável?

Angina de peito incapacitante apesar do tratamento médico, acompanhada de evidência de isquémia durante um teste de stress.

60

Na angina estável, a ICP é mais eficaz que o tratamento médico no alívio da angina. V ou F?

Verdadeiro.

61

Na angina estável, a redução de eventos coronários é igual comparando ICP a tratamento médico. V ou F?

Verdadeiro.

No entanto, melhora o prognóstico nos doentes com angina instável ou quando são utilizados precocemente nos doentes com EAM sem choque cardiogénico

62

Quais as 2 complicações de ICP?

- Disseção
- Trombose.

63

A ICP é efetuada com sucesso em __% dos casos, ocorrendo angina recorrente em __% nos 6 meses seguintes.

95%; 10%.

64

A re-estenose após ICP é mais comum em doentes com DM e doentes com dilatação da circunflexa esquerda. V ou F?

Falso. A re-estenose após ICP é mais comum em doentes com DM e doentes com dilatação da descendente anterior esquerda.
outras: artéria de pequeno calibre, dilatação incompleta, oclusao completa do vaso, estenose com trombi

65

Na ICP deve ser administrada Aspirina e Clopidogrel. Qual o esquema adequado no stent metálico vs. stent revestido?

- Stent metálico: aspirina indefinidamente e clopidogrel 1-3 meses;
- Stent revestido: aspirina indefinidamente e clopidogrel pelo menos 1 ano.

Esta combinação reduz o risco de trombose durante ICP e pouco após ICP com colocação de stent, mas não as re-estenoses!

66

O risco de trombose é maior no stent revestido do que no stent metálico. V ou F?

Verdadeiro.

67

O risco de re-estenose do stent revestido é ___%, e do stent metálico é ___%.

O risco de re-estenose do stent revestido é inferior a 10%, e do stent metálico é 20%.

68

O risco de trombose do stent está dependente, entre outros factores, da idade e da DM. V ou F?

Verdadeiro.

69

Na CABG, podem ser usadas artérias e veias como enxerto. Quais as artérias e veias preferidas e qual a diferença de patência?

- Artérias: radial e mamária interna. Maior patência. (escolha preferida)
- Veias: safena. Menor patência

70

Na CABG, a taxa de oclusão do enxerto venoso é ___% no 1º ano, ___%/ano entre o 1º e 5-7º anos, e após esse periodo ___%/ano.

10-20%; 2%/ano; 4%/ano

71

Se CABG efetuada em doente sem comorbilidades graves, função VE normal e por cirurgião experiente, a mortalidade é inferior a ___%.

Se CABG efetuada em doente sem comorbilidades graves, função VE normal e por cirurgião experiente, a mortalidade é inferior a 1%.

72

A taxa de sucesso (eliminação ou redução da angina) na CABG é de ___%, e os casos de angina recorrente nos 3 anos seguintes são ___%.

A taxa de sucesso (eliminação ou redução da angina) na CABG é de 90% (vs. 95% ICP), e os casos de angina recorrente nos 3 anos seguintes são 25% (vs 10% ICP).

A angina recorrente raramente é grave na CABG

73

Na presença de DM e doença coronária de múltiplos vasos, a CABG é superior à ICP na redução de mortalidade, EAM não fatais e necessidade de revascularização. V ou F?

Verdadeiro.

74

Na presença de DM e doença coronária de múltiplos vasos, os benefícios da CABG são mais evidentes em doentes tratados com insulina do que com agentes sensibilizadores da insulina. V ou F?

Falso. Beneficios maiores em doentes tratatados com agentes sensibilizadores.

75

Em que doentes aumenta a CABG a sobrevida?

• Estenose do tronco comum
• Doença de 3 vasos
• Doença de 2 vasos com obstrução significativa da porção proximal da descendente anterior esquerda
• Doença coronária obstrutiva + paragem cardíaca ou taquiarritmia ventricular sustentada prévias
• CABG prévia + múltiplas estenoses de enxerto de veia safena, especialmente de um enxerto para a descendente anterior esquerda
• Estenoses recorrentes após ICP + critérios de alto risco em testes não invasivos

76

Na CABG, o beneficio na sobrevida é maior em doentes com função normal do VE (FE superior a 50%). V ou F?

Na CABG, o beneficio na sobrevida é maior em doentes com função anormal do VE (FE inferior a 50%).

77

Só um pequena parte dos doentes com DCI sintomática que necessitam de revascularização podem ser tratados inicialmente com ICP. V ou F?

A MAIORIA dos doentes com DCI sintomática que necessitam de revascularização podem ser tratados inicialmente com ICP.

78

A ICP apresenta a vantagem de haver menor necessidade de follow-up/repetição procedimentos. V ou F?

Falso. Na ICP há maior necessidade de follow-up/repetição procedimentos.

Como tal, o benificio económico e para a saúde precoces da ICP é reduzido com o tempo.

79

Quais são as recomendações atuais na decisão entre ICP e CABG?

- ICP: doença de 1 ou 2 vasos com função do VE normal e lesões anatomicamente apropriadas;
- CABG: doença de 3 vasos ou 2 vasos com atingimento da porção proximal da descendente anterior esquerda com diminuição da função do VE (inferior a 50%) ou DM; doença do tronco comum.

80

Na DCI, as alterações no ECG nas derivações inferiores têm pior prognóstico que as alterações nas derivações precordiais. V ou F?

Falso. As alterações no ECG nas derivações precordiais têm pior prognóstico que as alterações nas derivações inferiores.

81

Doentes ASSINTOMÁTICOS com isquemia silenciosa, doença de 3 vasos e diminuição da função do VE devem ser considerados apropriados para CABG. V ou F?

Verdadeiro.

82

Na doença coronária o tratamento agressivo da HTA e dislipidemia é essencial e diminui o risco de EAM e morte. V ou F?

Verdadeiro.

83

Nos EUA e Europa Ocidental, os grupos com ____________ rendimentos têm registado um _____________ da DCI, mas em todos os grupos socioeconómicos, o efeito da prevenção ____________ tem feito com que a manifestação da DCI seja mais tardia na vida

Nos EUA e Europa Ocidental, os grupos com MENORES rendimentos têm registado um AUMENTO da DCI, mas em todos os grupos socioeconómicos, o efeito da prevenção PRIMÁRIA tem feito com que a manifestação da DCI seja mais tardia na vida

84

Quais são os principais determinantes da necessidade miocárdica de oxigénio?

Frequência cardíaca
Contratilidade miocárdica
Tensão da parede miocárdica

85

Quais são as artérias a que correspondem R1, R2 e R3?

–  R1: Artérias epicárdicas de grande calibre (efeito Trivial na resistência)
–  R2: Vasos pré-arteriolares (efeito MAJOR na resistência)
–  R3: Arteríolas e capilares intramiocárdicos (efeito MAJOR na resistência)

86

O miocárdio extrai uma percentagem de O2 elevada e relativamente fixa. V ou F?

V

87

V ou F

Os vasos intramiocárdicos têm uma elevada capacidade de dilatação

V

88

V ou F

Uma redução na capacidade de transporte do oxigénio isolada, como ocorre na anemia extremamente grave ou na presença de carboxihemoglobina pode causar isquémia

F

Uma redução na capacidade de transporte do oxigénio isolada, como ocorre na anemia extremamente grave ou na presença de carboxihemoglobina RARAMENTE causa isquémia, mas pode baixar o limiar para a isquémia em doentes com obstrução coronária moderada

89

Quando a constrição anormal ou falência da dilatação normal da resistência dos vasos coronários provoca isquémia, esta denomina-se angina macrovascular. V ou F?

Falso. Angina microvascular

90

Qual é o principal local de doença aterosclerótica?

Artérias coronárias epicárdicas

91

V ou F

A formação da placa aterosclerótica ocorre à mesma velocidade em diferentes segmentos das artérias coronárias

F

A formação da placa aterosclerótica ocorre a diferentes velocidades em diferentes segmentos das artérias coronárias

92

Existe uma predilecção para a formação de placas ateroscleróticas em locais de fluxo _________________, como as ramificações das artérias coronárias ______________.

Existe uma predilecção para a formação de placas ateroscleróbcas em locais de fluxo TURBULENTO, como as ramificações das artérias coronárias EPICÁRDICAS

93

Durante a isquemia, distúrbios regionais da contractilidade ventricular causam hipocinésia, acinésia e, em casos graves, discinesia. V ou F?

V

Estes podem limitar a função da bomba miocárdica

94

Isquemia de grandes áreas do ventrículo causa insuficiência ventricular ________________ (permanente/transitória), e se houver envolvimento dos músculos papilares, pode ocorrer _________________ (estenose/insuficiência) mitral.

Isquemia de grandes áreas do ventrículo causa insuficiência ventricular TRANSITÓRIA, e se houver envolvimento dos músculos papilares, pode ocorrer INSUFICIÊNCIA mitral

95

V ou F

A angina de peito nas mulheres é muitas vezes atípica na sua apresentação

V

96

Aterosclerose coronária frequentemente tem inicio ainda antes dos ____ anos de idade, e é generalizada mesmo entre adultos que foram assintomáticos durante toda a sua vida

Aterosclerose coronária frequentemente tem inicio ainda antes dos 20 anos de idade, e é generalizada mesmo entre adultos que foram assintomáticos durante toda a sua vida

97

O doente típico com angina estável tem >__ anos caso seja um homem ou >__ anos seja uma mulher

O doente típico com angina estável tem >50 anos caso seja um homem ou >60 anos seja uma mulher

98

V ou F

A angina estável raramente encontra-se localizada abaixo do umbigo ou acima da mandíbula

V

99

V ou F

A angina nunca ocorre em repouso

F

A angina pode ocorrer em repouso

100

Em que doentes é que a angina de peito pode ter uma localização atípica e não estar propriamente relacionada com factores desencadeantes?

•  Mulheres
•  Diabéticos

101

Em que doentes é que os sintomas de equivalentes de angina são mais comuns?

Idosos
Diabéticos

102

Exemplos de equivalentes (sintomas) de angina:

- Dispneia
- Náuseas
- Fadiga
- Lipotimia

103

Qual é o género no qual o desconforto torácico tipo isquémico sem estenoses limitadoras de fluxo nas coronárias é mais comum?

Feminino

Neste caso em particular, duas etiologias potenciais são a doença coronária microvascular e a nociocepção cardiaca anormal

104

Qual é a terapêutica para a doença coronária microvascular?

•  Nitratos
•  Beta Bloqueadores
•  Antagonistas do cálcio
•  Estatinas
•  IECAS

105

Como é feito o diagnóstico da doença coronária microvascular?

Detectada com testes de vasorreactividade coronária com recurso a agentes vasoactivos como adenosina , acetilcolina ou nitroglicerina intracoronária

106

Qual é a terapêutica para a nociocepção cardíaca anormal?

Pode ser melhorada com recurso à imipramina

Tratamento difícil

107

Que achados podem estar presentes no exame objectivo de um doente durante um episódio de isquémia?

•  S3 e/ou S4
•  ápex cardíaco discinético
•  regurgitação mitral
•  edema pulmonar

Todos estes são sinais condicionados pela falência ventricular transitória decorrente da isquémia

108

V ou F

A presença de hipertrofia do VE é um indicador significativo de mau prognóstico na DCI

V

109

Quais são as alterações ECG que acompanham os episódios de angina de leito que parecem ser mais específicos?

Alterações dinâmicas do segmento ST e da onda T que acompanham episódios de angina e desaparecem depois

110

Qual é o teste mais utilizado para diagnóstico, estimativa do risco de DCI e prognóstico?

Registo electrocardiográfico antes, durante e após exercício físico

111

Que factores se associam ao aumento de incidência de falsos positivos na prova de esforço?

•  Doentes com baixa probabilidade de DCI (homens assintomáticos com <40anos ou mulheres na pré-menopausa sem factores de risco para aterosclerose prematura)
•  Doentes a tomar fármacos cardioacgivos (digitálicos e antiarrítmicos)
•  Doentes com distúrbios da condução intraventricular
•  Anomalias em repouso do segmento ST e da onda T
•  Hipertrofia ventricular
•  Níveis anormais de potássio sérico

112

Quais são os riscos associados à prova de esforço?

1 complicação fatal e 2 não fatais por cada 10 000 provas

113

Provas de esforço modificadas (limitadas pela FC e não pelos sintomas) podem ser realizadas com segurança em doentes após um mínimo de ___ dias de um EAM não complicado

Provas de esforço modificadas (limitadas pela FC e não pelos sintomas) podem ser realizadas com segurança em doentes após um mínimo de 6 dias de um EAM não complicado

114

Quais são as contraindicações à prova de esforço?

•  Angina em repouso nas últimas 48h
•  Ritmo instável
•  Estenose aórtica grave
•  Miocardite aguda
•  IC descontrolada
•  Hipertensão pulmonar grave
•  Endocardite infecciosa activa

115

V ou F

Quando o ECG em repouso é anormal, a informação adquirida com uma prova de stress pode ser aumentada com imagiologia de perfusão do miocárdio sob stress

V

116

Em que é que consiste o roubo coronário?

Aumento temporário do fluxo para os segmentos normais das coronárias e diminuição nos segmentos doentes

117

A ecocardiografia é utilizada para avaliar a função do ventrículo esquerdo nos doentes com:

•  Doentes com angina estável cronica
•  Doentes com história de EAM prévio
•  Ondas Q patológicas
•  Evidência clínica de IC

118

V ou F

As placas ateroscleróticas tornam-se progressivamente calcificadas, e a calcificação coronária em geral aumenta com a idade

V

119

V ou F

As técnicas para detectar o cálcio coronário são usadas como medida da presença da aterosclerose coronária.

V

120

Qual é a técnica mais utilizada para a detecção de cálcio coronário com TC?

É o score de Agatston, que é baseada na área e densidade da calcificação.

A acuidade diagnóstica deste método é elevada, o seu valor prognóstico e o seu papel na detecção e orientação de doentes com DCI ainda não está definido

121

V ou F

A arteriografia coronária dá informação sobre o estado da parede arterial

F

A arteriografia coronária NÃO dá informação sobre o estado da parede arterial, portanto aterosclerose grave que não faça protusão para o lúmen pode não ser detectada

122

V ou F

O crescimento da placa aterosclerótica provoca uma obstrução do lúmen desde o início do processo

F

Só mais tarde no curso da doença é que o crescimento da placa causa estreitamento do lúmen. Na fase inicial da doença, as placas crescem progressivamente na íntima e média das artérias coronárias epicárdicas, sem fazer protusão para o lúmen

123

V ou F

Na cintigrafia coronária, o desenvolvimento de um defeito de perfusão fixo em repouso e após exercício físico significa que há uma região de enfarte

V

124

Quais são as principais alternativas não invasivas à arteriografia coronária?

•  angiografia TC
•  angiografia RM

O papel exacto destes exames na prática clinica não está rigorosamente definido

125

V ou F

Na angio RM, os movimentos do coração (especialmente durante elevadas FC) são uma limitação deste exame de diagnóstico.

V

126

V ou F

Doentes com dor torácica mas com função normal do VE e artérias coronárias normais têm um excelente prognóstico

V

127

Lesões obstrutivas do tronco comum ou da descendente anterior esquerda proximal à origem da primeira artéria septal estão associadas a um ________ (menor/maior) risco do que lesões da coronária direita ou circunflexa esquerda, devido à ________ (menor/maior) quantidade de miocárdio em risco.

Lesões obstrutivas do tronco comum ou da descendente anterior esquerda proximal à origem da primeira artéria septal estão associadas a um MAIOR risco do que lesões da coronária direita ou circunflexa esquerda, devido à MAIOR quantidade de miocárdio em risco.

128

V ou F

Para qualquer grau de doença coronária obstrutiva, a mortalidade está aumentada quando a função do VD está diminuída

F

Para qualquer grau de doença coronária obstrutiva, a mortalidade está aumentada quando a função do VE está diminuída

129

O início _____________ (recente/tardio) de sintomas, o desenvolvimento de isquémia ________ (grave/ligeira) durante testes de stress e angina de peito ____________ (instável/estável), reflectem episódios de rápida progressão das lesões coronárias.

O início RECENTE de sintomas, o desenvolvimento de isquémia GRAVE durante testes de stress e angina de peito INSTÁVEL, reflectem episódios de rápida progressão das lesões coronárias.

130

V ou F

Quanto maior a quantidade de miocárdio necrosado, menor é a capacidade do coração em suportar danos adicionais e pior é o prognóstico

V

131

V ou F

Quanto maior o número e gravidade dos factores de risco para aterosclerose coronária, pior é o prognostico do doente com angina

V

132

Um programa de exercício físico isotónico, sem causar angina e sem ultrapassar ___% da FC associada a isquemia na prova de esforço deve ser fortemente aconselhado

Um programa de exercício físico isotónico, sem causar angina e sem ultrapassar 80% da FC associada a isquemia na prova de esforço deve ser fortemente aconselhado

133

Alvos terapêuticos em diabéticos para a dislipidémia e HTA?

- LDL inferior a 70mg/dL
- PA inferior a 120/80 mmHg

134

A DM é mais comum em que género?

Feminino

135

Cateterismo cardíaco e revascularização coronária são _________ (menos/mais) usados nas mulheres e realizados em estadios ______ (menos/mais) tardios e graves da doença comparabvamente aos homens

Cateterismo cardíaco e revascularização coronária são MENOS usados nas mulheres e realizados em estadios MAIS tardios e graves da doença comparabvamente aos homens

136

V ou F

Para além do mecanismo de relaxamento do músculo liso vascular, os nitratos também têm um efeito antitrombótico

V

137

V ou F

Os nitratos têm efeito na angina crónica, onde melhora a tolerância ao exercício e angina instável, onde alivia a isquémia, mas não na angina de Prinzmetal

F

Os nitratos têm efeito na angina crónica, onde melhora a tolerância ao exercício e angina instável E ANGINA DE PRINZMETAL, onde alivia a isquémia.

138

V ou F

Os nitratos de longa duração são tão eficazes como a nitroglicerina sublingual no alivio agudo da angina

F

Os nitratos de longa duração NÃO SÃO EFICAZES como a nitroglicerina sublingual no alivio agudo da angina

139

Os beta bloqueadores com especificidade relativa para o receptor beta1 são preferíveis em que doentes com doença cardíaca isquémica?

- Ligeira obstrução bronquica
- Diabetes mellitus insulinodependente

140

A descontinuação súbita dos beta bloqueadores pode ____________ (aumentar/diminuir) a isquémia, pelo que as doses deverão ser diminuídas ao longo de ___ semanas

A descontinuação súbita dos beta bloqueadores pode DIMINUIR a isquémia, pelo que as doses deverão ser diminuídas ao longo de 2 semanas

141

V ou F

O verapamil ou o diltiazem não devem ser combinados com βB devido ao efeito adverso de ambos na FC e contractilidade

F

O verapamil não deve ser combinado com βB devido ao efeito adverso de ambos na FC e contractilidade, mas o dilitiazem pode ser combinado conquanto haja uma função ventricular normal e sem distúrbios de condução

142

As dihidropiridinas de curta duração devem ser evitadas, devido ao risco de precipitar enfarte, particularmente na ausência de que fármaco?

Beta bloqueadores

143

Amlodipina e outras dihidropiridinas de segunda geração (nicardipina, isradipina, nifedipina de longa duração e felodipina) são vasodilatadores potentes e são uteis para o tratamento simultâneo da ______ e _____.

Angina e HTA

144

Em que situações é que os BCC se encontram indicados?

•  Resposta inadequada à combinação βB + nitrato → boa resposta com βB + BCC dihidropiridina
•  Reacções adversas ao βB
•  Historia de asma ou DPOC
•  Síndrome do nó sinusal doente ou distúrbio significativo da condução AV
•  DAP sintomática
•  Angina Prinzmetal

145

V ou F

A aspirina é um inibidor reversível da cicloxigenase plaquetária

F

A aspirina é um inibidor IRREVERSÍVEL da cicloxigenase plaquetária

146

Que doentes têm redução do número de eventos coronários com a aspirina?

•  Homens assintomáticos >50 anos
•  Angina estável crónica
•  Sobreviventes de SCA (angina instável ou EAM)

147

V ou F

O aumento do risco de hemorragia associado à aspirina é dose dependente

V

148

V ou F

A administração combinada de aspirina e clopidogrel reduz a taxa de morte e eventos coronários isquémicos em doentes com SCA

V

149

Em que doentes é que está indicada a realização de aspirina e clopidogrel durante pelo menos um ano?

Doentes com SCA que colocam stent coronário revestido com fármaco (Diminui o risco de formação de trombos)

150

V ou F

A utilização de AINES em doentes com DCI pode estar associado com um pequeno aumento de risco de EAM e mortalidade

V

151

V ou F

O uso de IECAS por rotina em doentes com DCI com função VE normal e controlo adequado da PA e LDL reduz a incidência de eventos, sendo custo-efectivo

O uso de IECAS por rotina em doentes com DCI com função VE normal e controlo adequado da PA e LDL NÃO reduz a incidência de eventos e por isso NÃO É custo-efectivo

152

V ou F

A ranolazina é útil em doentes com angina crónica apesar do tratamento médico standard

V

153

Em que doentes é que ranolazina deve ser evitada?

- Disfunção hepática
- Com utilização concomitante de fármacos que inibem o - CYP3A4
- Doenças ou fármacos capazes de prolongar o QT

154

V ou F

A estenose do tronco comum é normalmente considerada uma contra-indicação para a ICP, sendo que estes doentes devem ser tratados com CABG

V

155

Que fármacos são utilizados na ICP para diminuir o risco de trombose coronária?

- Aspirina
- Inibidor P2Y12
- Agente antitrombótico

156

Uma dilatação adequada de uma estenose é definida como um aumento do diâmetro luminal de mais de ___% para um diâmetro de obstrução residual inferior a ___%

Uma dilatação adequada de uma estenose é definida como um aumento do diâmetro luminal de mais de 20% para um diâmetro de obstrução residual inferior a 50%

157

A recorrência da estenose num vaso dilatado com ICP ao fim de 6 meses é de ___%.

20%

158

V ou F

Uma ICP bem sucedida evita o risco de AVC associado com a CABG

V

159

V ou F

Quando comparada directamente com doentes com HTA ou doença de três vasos ou do tronco comum, o CABG revelou-se superior ao ICP na prevenção de eventos cardíacos major ou eventos cerebrovasculares no espaço de 12 meses

F

Quando comparada directamente com doentes com DM ou doença de três vasos ou do tronco comum, o CABG revelou-se superior ao ICP na prevenção de eventos cardíacos major ou eventos cerebrovasculares no espaço de 12 meses

160

V ou F

Em doentes com obstruções da descendente anterior esquerda a sobrevida é melhor quando o bypass é feito com artéria mamária interna do que com a veia safena

V

161

V ou F

O CABG é superior à ICP (mesmo com stents revestidos) no que toca à Mortalidade, EAM fatais e necessidade de revascularização em doentes com DM e DCI multivasos

F

O CABG é superior à ICP (mesmo com stents revestidos) no que toca à Mortalidade, EAM NÃO fatais e necessidade de revascularização em doentes com DM e DCI multivasos

162

V ou F

Nos doentes com DM tipo 2 e doença coronária multivasos, o CABG + terapêutica médica óptima tem os mesmos outcomes que a terapêutica metida óptima isolada na prevenção de eventos CV major

F

Nos doentes com DM tipo 2 e doença coronária multivasos, o CABG + terapêutica médica óptima tem MELHORES outcomes que a terapêutica metida óptima isolada na prevenção de eventos CV major

163

Que factores estão associados a um aumento da taxa de mortalidade perioperatória na CABG?

•  IC congestiva e/ou disfunção VE
•  Co morbilidades
•  Idade avançada ( >80anos)
•  DM
•  Falta de experiência cirúrgica
•  Re-operação
•  Cirurgia urgente

164

V ou F

A contrapulsação externa aumentada melhora a angina, capacidade de exercício e a perfusão miocárdica regional nos doentes com CDI

V

165

Episódios frequentes de isquémia (assintomáticos ou sintomáticos) parecem estar associados com um aumento da probabilidade de...

eventos coronários adversos (morte e EAM)

166

V ou F

Há uma incidência aumentada de eventos coronários em doentes assintomáticos com prova de esforço positiva

V

167

V ou F

Doentes com isquemia assintomática após EAM estão em maior risco de ter um segundo evento coronário

V

168

V ou F

O tratamento dos factores de risco, particularmente a dislipidémia e a PA, o uso de aspirina, estatina e βB após EAM mostrou reduzir os eventos coronários e melhorar o prognóstico em doentes assintomáticos e sintomáticos com isquémia e doença coronária comprovada

V