295 - Enfarte agudo do miocárdio com Supra-ST Flashcards Preview

(Cardio - 2017 COPY) > 295 - Enfarte agudo do miocárdio com Supra-ST > Flashcards

Flashcards in 295 - Enfarte agudo do miocárdio com Supra-ST Deck (214):
1

Quais os efeitos dos B-bloq intravenosos no tratamento do EAM-supraST?

- Diminem a demanda de O2 --> diminuem a isquémia--> diminuem a dor. Há também evidência de que os B-bloq iv reduzem o risco de reenfarte e de FV.

2

Qual a dose de aspirina a utilizar inicialmente no SU?

160-325 mg em comprimido mastigado
(Seguido de administração oral diária de 75-162 mg

3

β-Bloq. orais devem ser iniciados nas 1as 24h em doentes que não apresentem:

1. Sinais de IC
2. Evidências de baixo DC
3. Risco aumentado de choque cardiogénico
4. Outras C-I relativas (intervalo PR > 0.24s, BAV 2o ou 3o graus, asma activa, doença reactiva das vias resp.)

4

Contra-indicações absolutas da terapêutica com fibrinolíticos?

1. História de AVC hemorrágico
2. AVC isquémico no último ano (ou outro evento cérebro-vascular)
3. PAS > 180 ou PAD > 110mmHg
4. Suspeita de dissecção aórtica
5. Hemorragia interna activa (excepto menstruação)

5

V ou F: A idade pode ser contra-indicação para a terapêutica fibrinolítica.

Falso.

Apesar de a idade avançada estar associada a maior risco de complicações hemorrágicas, o benefício da terapêutica fibrinolítica nos idosos parece justificar o seu uso se não estiver presente nenhuma outra CI.

6

A fibrinólise deve iniciar-se até quanto tempo após a chegada do doente ao SU (door-to-needle time)?

Em menos de 30 min

7

Que alterações devem estar presentes no ECG para que o doente possa ser considerado candidato a terapêutica de reperfusão (fibrinólise e ICP)?

ECG:
- Elevação ST>= 2 mm em 2 derivações pré-cordiais adjacentes
+
- Elevação ST>=1 mm em 2 derivações dos membros

8

Que percentagem de doentes poderá desenvolver reperfusão espontânea em menos de 24h?

Até 33% (1/3) dos doentes (fibrinolise ou ICP aceleram recanalização

9

V ou F: A gravidez é uma contra-indicação absoluta para a terapêutica fibrinolítica.

V ou F: A história de HTA grave é uma contra-indicação relativa para a terapêutica fibrinolítica.

Falso. É uma contra-indicação relativa.

Verdadeiro

10

V ou F: A ICP primária é geralmente preferida à fibrinólise quando os sintomas estão presentes há mais de 2-3h.

Verdadeiro. Nesta altura os coágulos são mais maduros e mais dificilmente lisados pelas drogas fibrinolíticas. (pág 1605)

11

Qual o efeito adverso mais comum da estreptoquinase?

O efeito adverso mais comum (e mais potencialmente fatal) é a hemorragia

12

V ou F: A taxa de hemorragia intracraniana com tPA ou rPA é ligeiramente superior do que com streptokinase.

Verdadeiro.

13

Contra-indicações à terapêutica com B-bloq após EAM-supraST:

IC, Disf. VE, BAV, hipotensão ortostática ou asma graves

14

A terapêutica com B-bloq após EAM-supraST é benéfica na maioria dos doentes (incluíndo sob IECAS), excepto:

1. Doentes com C-I (IC, Disf. VE, BAV, hipotensão ortostática ou asma graves)
2. Doentes com Prognóstico excelente (taxa de mortalidade inferior a 1%/ano)

15

Os IECAS reduzem a mortalidade pós-EAM-supraST. O seu benefício máximo ocorre nos doentes...

Doentes de alto risco:
- Idosos
- Enfarte da parede anterior
- Enfarte prévio
- Disfunção global do VE

16

Em que situações é que os IECAs devem ser mantidos indefinidamente?

- evidência clínica de ICC
- redução global na função do VE
- extensa anormalidade regional da motilidade do VE
- HTA

17

V ou F: O controlo da glicémia em doentes diabéticos com EAM c supra-ST não demonstrou redução na mortalidade

Falso. Diminui a mortalidade

18

Relativamente à remodelação ventricular, uma maior dilatação ventricular ocorre em que áreas de enfarte?

Uma maior dilatação ocorre após enfarte da parede anterior e do apex do VE, causando maior prejuízo hemodinâmico, mais frequentemente IC e tendo pior prognóstico.

19

V ou F: Enfarte de >=30% do VE geralmente resulta em choque cardiogénico.

Falso. >=40%

20

Qual a percentagem de doentes que apresenta choque cardiogénico como apresentação inicial?

- 10%

90% dos doentes com choque cardiogénico desenvolvem-no durante o internamento.
Tipicamente há DAC grave, com envolvimento de múltiplos vasos

21

V ou F: 1/4 dos doentes com EAM inferior apresentam, pelo menos, necrose leve do VD.

Falso, é um 1/3.

22

V ou F: As extrassístoles esporádicas e isoladas são complicações pouco frequentes do EAM-supraST que necessitam de tratamento com anti-arrítmicos.

Falso.
São pouco frequentes mas ocorrem em quase todos doentes. Não necessitam de tratamento específico.
Tratar apenas as arritmias ventriculares incessantes.

23

Os aneurismas verdadeiros do VE não estão associados a ruptura cardíaca. V ou F?

Verdadeiro

24

O que é um pseudoaneurisma?

É uma situação rara na qual ruptura miocárdica acaba por ficar contida pelo pericárdio juntamente com um trombo organizado e um hematoma.
Está associado a ruptura espontânea e hematomas organizados.
Deve ser cirurgicamente reparado quando a sua presença é reconhecida.

25

V ou F:
Tamanho do enfarte correlaciona-se com o pico/ concentração máxima de biomarcadores séricos.

Falso.
O pico/concentração máxima de biomarcador NÃO SE CORRELACIONA com o tamanho do enfarte.

A quantidade total (área sob a curva) de biomarcadores libertados correlaciona-se com o tamanho do enfarte

26

V ou F: A fibrinólise é uma opção terapêutica no enfarte com supra e no enfarte sem supra.

Falso.
Na ausência de supra, fibrinólise não auxilia, existindo evidências de que pode ser prejudicial!

27

Factores clínicos associados a um aumento do RCV após EAM:

1. Isquémia persistente (espontânea/induzida)
2. F.Ejecção VE inferior a 40%
3. Fervores acima das bases
4. Congestão no Rx tórax
5. Arritmias ventriculares sintomáticas

28

A mortalidade 1 ano após EAM é de __%.

15%.

29

25% das mortes relacionadas com EAM ocorrem antes do doente chegar ao hospital. V ou F?

Falso. Mais de 50%.

30

A mortalidade intra-hospitalar de EAM diminui de __% para __% na última década.

A mortalidade intra-hospitalar de EAM diminui de 10% para 6% na última década.

31

A mortalidade por EAM é __ vezes maior nos idosos (mais de 75 anos).

4 vezes.

32

Estenose coronárias graves com progressão lenta não costumam causar EAM com Supra-ST. V ou F?

Verdadeiro. Devido a extensa circulação colateral.

33

Como são as placas ateroescleróticas mais suscetíveis a ruptura, relativamente à capsula e conteúdo?

Capsula fina e conteúdo lipídico abudante.

34

A trombose das coronárias é a causa mais comum de EAM. Que outras causas estão associadas a EAM, ainda que em menor escala?

- Embolos coronários
- Anomalias congénitas
- Espasmo coronário
- Doenças sistémicas.

35

As doenças do colagénio e cocaína são factores de risco para EAM com supra-ST. V ou F?

Verdadeiro.

36

Qual a diferença entre o tipo 1 e tipo 2 de EAM?

- tipo 1 (EAM espontâneo): relacionado com ruptura da placa ateroesclerótica.
- tipo 2 (EAM devido a desiquilibrio isquemico): espasmo, embolia, anemia, arritmia, hipertensão, etc.

37

No EAM c/ supra-ST parece haver um desencadeante (exercício, stress emocional, doença médica ou cirurgia) em 20% dos casos, ocorrendo mais frequentemente pelo fim da tarde. V ou F?

Falso. No EAM c/ supra-ST parece haver um desencadeante (exercício, stress emocional, doença médica ou cirurgia) em 50% dos casos, ocorrendo mais frequentemente pela MANHÃ.

38

No EAM com supra-ST a dor é o sintoma mais comum. Que outros sintomas podem acompanhá-la?

• Fraqueza
• Sudorese
• Náuseas/Vómitos
• Ansiedade
• Sensação de morte iminente

39

No EAM com supra-ST a dor está invariavelmente presente. V ou F?

Falso.

Pode não estar presente, especialmente em idosos e diabéticos.

40

25% dos EAM da parede ______ estão associados a aumento da resposta do SNSimpático (taquicardia/hipertensão), enquanto que 50% dos enfartes da parede _______ estão associados a aumento da resposta do SNParassimpatico (bradicardia/hipotensão).

25% dos EAM da parede ANTERIOR estão associados a aumento da resposta do SNSimpático (taquicardia/hipertensão), enquanto que 50% dos enfartes da parede INFERIOR estão associados a aumento da resposta do SNParassimpatico (bradicardia/hipotensão).

41

A maioria dos doentes com EAM transmural tem uma queda na pressão sistólica de ____ mmHg.

10-15 mmHg.

42

Quais achados auscultatórios podem ser identificados no exame fisico de EAM com supra-ST?

- S1 hipofonético
- Desdobramento paradoxal S2
- S3 e S4
- Sopro meso/telessistólico apical (insuficiencia mitral)
- Atrito pericárdico frequente (EAM transmural)

43

No EAM c/ST pode verificar-se um aumento da temperatura (até 38ºC) na 1ª semana pós enfarte. V ou F?

Verdadeiro.

44

No EAM c/ST, que duração tem a fase aguda, período de cicatrização e EAM já cicatrizado?

- Fase aguda: horas até 7 dias
- Período de cicatrização: 7 a 28 dias
- EAM já cicatrizado: mais de 28 dias.

45

No EAM c/ST,a maioria dos doentes apresenta Ondas Q e só um pequena percentagem não tem ondas Q. Em que situações não se desenvolvem ondas Q?

1. Não ocorre oclusão total
2. Obstrução transitória
3. Rede colateral rica

46

O desenvolvimento de Onda Q depende mais da transmuralidade do EAM do que do volume de tecido enfartado. V ou F?

Falso. O desenvolvimento de Onda Q depende mais do volume de tecido enfartado do que da transmuralidade do EAM.

47

As troponinas podem ser detectadas em pessoas saudáveis. V ou F?

Falso. Não são detectadas em pessoas saudáveis.

48

As troponina I e T, no EAM c/ST mantêm-se elevadas durante quantos dias?

7-10 dias.

49

As troponinas são particularmente úteis na suspeita de lesão do músculo esquelético ou EAM pequeno, ainda que a CK-MB as possa detectar. V ou F?

Falso. As troponinas são particularmente úteis na suspeita de lesão do músculo esquelético ou EAM pequeno, pois a CK-MB não as consegue detectar.

50

No EAM c/ST devemos esperar pelos biomarcadores para iniciar reperfusão. V ou F?

Falso. Não se espera pelos biomarcadores.

51

A CK eleva-se em 4-8 horas e volta ao normal em 24-48h. V ou F?

Falso. A CK eleva-se em 4-8 horas e volta ao normal em 48-72h.

52

Um ratio: CKMB/CK actividade superior a 2,5 diagnostica fonte cardíaca. V ou F?

Falso. SUGERE fonte cardiaca.

53

Em que situações para além do EAM pode estar a CKMB elevada?

- Miocardite
- Cirurgia cardíaca
- Cardioversão elétrica

54

A quantidade total de biomarcadores cardíacos libertados correlaciona-se com a extensão do enfarte. V ou F?

Verdadeiro.

55

O pico dos biomarcadores cardíacos correlaciona-se fortemente com a extensão do enfarte. V ou F?

Falso

Correlaciona-se fracamente com a extensão do enfarte

56

A reperfusão causa picos mais tardios de biomarcadores cardíacos. V ou F?

Falso. Mais precoces por efeito washout da zona enfartada (saturando rapidamente a clearance linfática).

57

Devem ser sempre pedidos a CKMB e troponina simultaneamente. V ou F?

Falso. Não é custo-efetivo doseá-las simultaneamente.

58

No EAM c/ST a leucocitose polimorfonuclear tem inicio poucas horas após o início da dor, persistindo por 3-7 dias. V ou F?

A VS sobe mais lentamente que a leucocitose, persistindo por 1-2 semanas. V ou F?

Verdadeiro. Verdadeiro.

59

No EAM c/ST estão presentes anormalidades da motilidade ventricular em quase todos os casos. V ou F?

Verdadeiro.

No entanto, alterações da motilidade não diferenciam entre EAM e cicatriz miocárdica ou isquémia miocárdica grave

60

Qual a utilidade de estimar a função do VE no EAM c/ST?

Define prognóstico e indicações terapêuticas (IECA).

61

No EAM c/ST que complicações podem ser detectadas e quantificadas com o ecodoppler?

Ruptura do septo interventricuar e insuficiência mitral.

62

No EAM c/ST, na cintigrafia com radionucleotidos, os marcadores de perfusão distribuem-se proporcionalmente ao fluxo sanguíneo, concentrando-se no miócardio necrosado. V ou F?

Falso.

No EAM c/ST, na cintigrafia com radionucleotidos, os marcadores de perfusão distribuem-se proporcionalmente ao fluxo sanguíneo, concentrando-se no miócardio VIÁVEL.

63

Na RM Cardiaca a utilização de gadolineo realça as zonas de enfarte. V ou F?

Verdadeiro. No miocárdio saudável não se verifica realce.

64

2 tipos de complicações definem o prognóstico no EAM c/ST. Quais são?

- Complicações mecânicas;
- Complicações elétricas

65

No EAM c/ST a maioria das mortes pré-hospitalares é por fibrilhação ventricular súbita. V ou F?

Verdadeiro. Destes, maioria nas primeiras 24h e destes mais de 50% na 1ª hora.

66

Quais são as contra-indicações aos nitratos?

- Hipotensão (PAS inferior 90mmHg);
- Suspeita de EAM do Ventrículo Direito;
- Uso de Sildenafil (Inibidor Fosfodiesterase5) nas últimas 24/48h.

67

A hipotensão súbita e profunda que poderá ser provocada pelos nitratos reverte com atropina IV. V ou F?

Verdadeiro.

68

Quais os efeitos adversos da morfina?

- Vasodilatação arterial e venosa (diminuindo débito e PA);
- Efieito vagotónico (bradicardia e bloqueio AV)
- Náuseas/diaforese.

69

Os BCC podem ser úteis no EAM c/ST. V ou F?

Falso. Não existe evidência de beneficio e as dihidropiridinas de curta ação podem estar associadas a aumento de mortalidade.

70

Os glicocorticóides e AINES devem ser evitados no doente com EAM com ST. V ou F?

Verdadeiro.

71

A ICP é igualmente eficaz à fibrinólise. V ou F?

Falso. A ICP é mais eficaz que a fibrinólise com melhores resultados a curto e longo prazo.

72

A ICP é preferivel à fibrinólise em que situações?

- Diagnóstico duvidoso
- Choque cardiogénico
- Alto risco de hemorragia
- Sintomas com mais de 2-3h

73

Que escala avalia o sucesso da fibrinólise?

TIMI grading system:
- 0 (sem perfusão);
- 1 (perfusão ligeira);
- 2 (Perfusão normal c/ fluxo lento);
- 3 (Perfusão e fluxo normal – leva a diminuição da extensão do enfarte, diminuição da disfunção VE e diminuição mortalidade a curto e longo prazo)

74

A estreptoquinase não deve ser utilizada se usada há mais de 5 dias e há menos de 1 ano. V ou F?

Falsa. A estreptoquinase não deve ser utilizada se usada há mais de 5 dias e há menos de 2 anos.

75

Em que situações deve ser feita ICP de resgate (pós fibrinólise)?

1) Insucesso de reperfusão com fibrinolise
2) Reoclusão da artéria coronária pós-fibrinólise

76

O AAS reduz o risco relativo de morte em ___% no EAM c/ST.

27%.

77

A associação AAS + Clopidogrel reduz o risco de morte, reenfarte e AVC, não evitando contudo a reoclusão de coronária pós-fibrinólise. V ou F?

A associação AAS + Clopidogrel reduz o risco de morte, reenfarte e AVC, evitando também a reoclusão de coronária pós-fibrinólise.

78

No EAM c/ST, em que situações está aumentando o risco de tromboembolismo e como deve ser feita a profilaxia?

- EAM da parede anterior
- Disfunçao grave do VE
- IC
- História de embolia
- Trombo mural no ECO
- FA

Profilaxia com HNF ou HBPM durante internamento, seguida de varfarina por 3 meses no domicilio.

79

Nos doentes submetidos a fibrinólise, os BB não diminuem a mortalidade. V ou F?

Verdadeiro. Apesar de diminuírem reenfarte e FV.

80

Em que condições deve ser considerado o antagonismo da aldosterona?

Doses terapêuticas de IECA + FE VE inferior a 40% + ICC sintomática ou DM.

81

No EAM c/ST o magnésio deve ser sempre pesquisado e corrigido. V ou F?

Verdadeiro.

82

Se FE VE inferior a 40% devem ser iniciados IECAs ou ARAs independentemente da presença clínica de ICC. V ou F?

Verdadeiro.

83

Qual a principal causa de morte hospital de EAM c/ST?

Falência da bomba.

84

A pressão venosa central é um bom indicador para a reposição de volume no EAM c/ST. V ou F?

Falso. É um indicador INADEQUADO pois reflete o enchimento do VD, e é normalmente a função do VE que está mais afetada.

85

Qual o nível de pressão de enchimento ideal do VE?

20 mmHg.

86

No enfarte do VD raramente surge supra-ST nas derivações direitas nas primeiras 24h. V ou F?

Falso. No enfarte do VD ondas supra-ST estão frequentemente presentes nas primeiras 24h. Particularmente em V4R!

87

Qual a terapêutica no enfarte do VD?

- Expansão volume (otimização pré-carga)
- Correção função do VE (diminuição da pressão nos capilares pulmonares).

88

Quase todos os doentes com EAM c/ST tem ESV esporádicas e raras que não precisam de terapêutica. V ou F?

Verdadeiro.

89

O tratamento profilático antiarritmico não está indicado, podendo mesmo aumentar a mortalidade se feito. V ou F?

Verdadeiro.

90

Os BB suprimem ESV. V ou F?

Verdadeiro.

Também são eficazes na prevenção da FV

91

Quais as abordagens nas TV e FV com e sem repercussão hemodinâmica?

Sem repercussão hemodinâmica:
- 1ª linha: amiodarona ou procainamida IV
- 2ª linha: cardioversão elétrica

Com repercussão hemodinâmica:
- 1ª linha: cardioversão elétrica (se refractário - epinefrina ou amiodarona antes de novo choque)

92

Qual é o prognóstico na FV primária vs FV/TV secundária?

- FV primária (nas primeiras 48h e causada pelo processo isquémico, não associada a factores predisponentes): bom prognóstico;
- FV/TV secundária (após 48h e secundária a falência da bomba): mau prognóstico. Estes doentes devem ser considerados para estudo electrofisiológico e implantação de CDI

93

Ritmo idioventricular acelarado ocorre espontaneamente ou em associação com ICP. V ou F?

Falso. Ritmo idioventricular acelarado ocorre espontaneamente ou em associação com fibrinólise.

94

Qual a arritimia supraventricular mais comum no EAM c/ST?

Taquicardia Sinusal.

Flutter/FA também são comuns (normalmente secundárias à insuficiência do VE)

95

O ritmo juncional acelerado está relacionado com EAM anterior. V ou F?

Falso. EAM infero-posterior.

96

O prognóstico do BAV no EAM anterior é melhor que no BAV por EAM ínfero-posterior. V ou F?

Falso. O prognóstico do BAV no EAM anterior é PIOR que no BAV por EAM ínfero-posterior (este último é transitório).

97

A colocação de pacemaker permanente parece reduzir o risco de MS por bradiarritmias a longo prazo em que indivíduos?

Doentes com bloqueio bifascicular persistente com BAV de 3º grau transitório na fase aguda.

98

Um episódio de angina recorrente após EAM c/ST está associado a um aumento de ___ vezes na mortalidade, estando indicada ICP imediata (fibrinolise como alternativa).

Um episódio de angina recorrente após EAM c/ST está associado a um aumento de 3 vezes na mortalidade, estando indicada ICP imediata (fibrinolise como alternativa).

99

Pericardite pode ser uma complicação de EAM c/ST. V ou F?

Verdadeiro. Sobretudo quando EAM envolve o epicárdio.

Dor de pericardite irradia para o trapézio.

100

O tromboembolismo complica o EAM c/ST em ___% dos casos e contribui para a morte em ___%.

O tromboembolismo complica o EAM c/ST em 10% dos casos e contribui para a morte em 25%.

101

O tromboembolismo está mais associado a EAM extenso da parede lateral esquerda. V ou F?

Falso. Parede anterior.

Também se encontra associado a IC e trombos do VE detectados através de ecografia

102

O ecocardiograma mostra trombos no VE em ____ (fração) dos doentes com EAM da parede anterior.

O ecocardiograma mostra trombos no VE em 1/3 dos doentes com EAM da parede anterior.

103

Trombo no VE ou anormalidade da cinética da parede ventricular justificam anticoagulação por 6-12 meses. V ou F?

Falso. 3 a 6 meses.

104

V ou F

Doentes com múltiplos factores de risco coronários e com AI incluem-se nos doentes com um risco elevado de desenvolver STEMI

V

105

A dor do EAM STEMI é semelhante à da angina de peito, mas normalmente ocorre em __________ (atividade/repouso), é _______ (mais menos) grave e dura _________ (mais/menos) tempo.

A dor do EAM STEMI é semelhante à da angina de peito, mas normalmente ocorre em REPOUSO, é mais GRAVE e dura mais TEMPO

106

V ou F

A dor do STEMI pode irradiar até à área occipital, mas não abaixo do umbigo

V

107

V ou F

Caso a dor do STEMI se inicie durante esforço físico, normalmente não diminui com a cessação da atividade, ao contrário da angina de peito

V

108

A combinação de dor subesternal persistindo durante mais de __ minutos e diaforese é fortemente sugestiva de STEMI

30 minutos

109

V ou F

Uma minoria dos doentes que se apresenta inicialmente sem elevação do segmento ST pode desenvolver um enfarte com onda Q

V

110

Quais são os testes laboratoriais de valor na confirmação diagnóstica do STEMI?

- ECG
- Biomarcadores cardíacos
- Exames de I magem
- Índices não específicos de necrose e -- inflamação teciduais

111

Para o diagnóstico de EAM é necessário uma ____________ e/ou ________________ dos valores dos biomarcadores com pelo menos um valor acima do percentil ___ do limite superior do valor de referência para um indivíduo normal

Para o diagnóstico de EAM é necessário uma ELEVAÇÃO e/ou DIMINUIÇÃO dos valores dos biomarcadores com pelo menos um valor acima do percentil 99 do limite superior do valor de referência para um indivíduo normal

112

V ou F

O padrão temporal da libertação do biomarcador de necrose miocárdica não tem importância diagnóstica

F

O padrão temporal da libertação do biomarcador de necrose miocárdica tem importância diagnóstica

113

Com a melhoria da capacidade de detecção das troponinas, actualmente consegue-se detetar níveis inferiores a __ ng/L em doentes sem isquémia

1 ng/L

114

Quais são os biomarcadores preferidos para o diagnóstico de EAM?

Troponinas cardíacas

115

Existe uma importante limitação no que toca à utilização do CK como biomarcador cardíaco. Qual é?

Falta de especifidade para o STEMI, já que a CK pode estar elevada com doença do músculo esquelético ou trama, incluindo injeção intramuscular

116

Em doentes com EAM “clássico” que têm necrose suficiente para aumentar os níveis de CKMB, os níveis de troponina aumentam até ___ a ___ vezes acima do limite superior do valor de referência (P99)

Em doentes com EAM “clássico” que têm necrose suficiente para aumentar os níveis de CKMB, os níveis de troponina aumentam até 20 a 50 vezes acima do limite superior do valor de referência (P99)

117

V ou F

A cintigrafia de perfusão miocárdica revela um defeito nas primeiras horas após um enfarte transmural na maioria dos doentes

V

118

V ou F

As técnicas de medicina nuclear são menos utilizadas que o ecocardiograma, por serem mais trabalhosas e por apresentarem sensibilidade e especificidade baixas em muitas situações clínicas

V

119

V ou F

A cintigrafia de perfusão é extremamente sensível e consegue distinguir enfartes agudos de cicatrizes crónicas, sendo assim específica para o diagnóstico de EAM agudo

F

A cintigrafia de perfusão é extremamente sensível, MAS NÃO consegue distinguir enfartes agudos de cicatrizes crónicas, sendo assim NÃO específica para o diagnóstico de EAM agudo

120

V ou F

A ventriculografia com radionuclídeo geralmente revela distúrbios da motilidade da parede e redução da fração de ejecção ventricular nos doentes com EAM

V

121

V ou F

A ventriculografia com radionuclídeo é não especifica para o diagnóstico de EAM, já que muitas anormalidades cardíacas alteram esta técnica

V

122

Quais são os principais objectivos de tempo na resposta a um STEMI?

Início sintomas – resposta doente inferior a 5 min

Resposta doente – porta Hospital inferior a 30 min

Porta Hospital - Agulha inferior a 30 min

Porta Hospital - Balão inferior a 90 min

Tempo Isquémico TOTAL inferior a 120 min

123

V ou F

A aspirina é essencial no tratamento dos doentes com suspeição de STEMI, mas apenas é eficaz neste subtipo do espectro de SCA

F

A aspirina é essencial no tratamento dos doentes com suspeição de STEMI, sendo eficaz em TODO O espectro de SCA

124

V ou F

A oxigenioterapia tem pouco ou nenhum benefício clínico num doente com um valor de O2 normal

V

125

Caso seja necessária oxigenoterapia num doente com STEMI, esta deverá ser feita com O2 a __-__ L/min durante as primeiras __-__h após um EAM, devendo o doente ser reavaliado depois disso.

Caso seja necessária oxigenoterapia num doente com STEMI, esta deverá ser feita com O2 a 2-4 L/min durante as primeiras 6-12h após um EAM, devendo o doente ser reavaliado depois disso.

126

V ou F

A nitroglicerina sublingual é um fármaco que pode ser administrado de forma segura à maioria dos doentes com STEMI

V

127

Para além de diminuir ou abolir por completo a dor cardíaca, a nitroglicerina pode ser capaz de ___________ (aumentar/diminuir) as necessidades miocárdicas de oxigénio (pela redução da ___-_________) e _____________ (aumento/diminuição) do fornecimento de oxigénio (pela dilatação de vasos coronários e colaterais)

Para além de diminuir ou abolir por completo a dor cardíaca, a nitroglicerina pode ser capaz de DIMINUIR as necessidades miocárdicas de oxigénio (pela redução da PRÉ-CARGA) e AUMENTO do fornecimento de oxigénio (pela dilatação de vasos coronários e colaterais)

128

Nos doentes que têm uma resposta inicial favorável à nitroglicerina sublingual, mas que retornam a ter desconforto torácico, nomeadamente por evidência de isquémia no ECG, deve ser considerada a administração de de nitroglicerina...

Endovenosa

129

V ou F

A morfina é pouco eficaz enquanto analgésico para o STEMI

F

A morfina é MUITO eficaz enquanto analgésico para o STEMI

130

Que doentes são particularmente susceptíveis ao efeito vagotónico da morfina?

Doentes com EAM inferior

131

A morfina é normalmente administrada através de injecções intravenosas repetidas, em vez de administrações subcutâneas de grandes quantidades, por que motivo?

A absorção pela via subcutânea é imprevisível

132

Quando é que os beta bloqueadores devem ser iniciados nos doentes com STEMI?

Devem ser iniciados nas primeiras 24h caso o doente não apresente:
- Sinais de IC
- Evidência de um estado de baixo débito
- Risco aumentado de Choque Cardiogénico
- Outras contra-indicações relativas ao bloqueio beta (PR > 0,24s, BAV 2º ou 3º grau e Asma ativa ou doença reativa das Vias Aéreas)

133

Os glucocorticoides e os AINEs podem _____________ (aumentar/diminuir) a resistência vascular periférica, podendo potencialmente ___________ (aumentar/reduzir) o fluxo ao miocárdio isquémico

Os glucocorticoides e os AINEs podem AUMENTAR a resistência vascular periférica, podendo potencialmente REDUZIR o fluxo ao miocárdio isquémico

134

A zona central do enfarte tem tecidos irremediavelmente ____________, mas a penumbra miocárdica pode ser ________

A zona central do enfarte tem tecidos irremediavelmente PERDIDOS, mas a penumbra miocárdica pode ser SALVA, com o restabelecimento atempado da perfusão coronária, redução das necessidades de O2, prevenção da acumulação de metabolitos tóxicos e impedimento do impacto dos mediadores da lesão reperfusional.

135

O que se pode fazer para ampliar a “janela” de tempo de salvação do miocárdio através de estratégias de reperfusão?

- Controlo da Dor
- Tratamento ICC
- Atenuação da Taquicardia e Hipertensão

136

V ou F

A ICP tem a vantagem de ser aplicável em doentes com contraindicação à fibrinólise

V

137

Qual é o principal objectivo da fibrinólise?

É a restauração rápida da patência total das artérias coronárias

138

Quais são os agentes fibrinolíticos que são administrados em bólus, não necessitando de um tempo prolongado de infusão intravenosa?

- Tenecteplase
- Reteplase

139

V ou F

O TIMI frame count e o TIMI myocardial perfusion grade têm uma correlação ainda mais estreita com os desfechos após STEMI, do que o grau de fluxo TIMI mais frequentemente usado

V

140

V ou F

Os fibrinolíticos específicos (tPa, rPA, TNK) e o estreptocinase são igualmente eficazes a restaurar a perfusão total, não havendo diferenças no que à sobrevida diz respeito

F

Os fibrinolíticos específicos (tPa, rPA, TNK) é MAIS eficaz que o estreptocinase a restaurar a perfusão total, tendo uma LIGEIRA vantagem no que à sobrevida diz respeito

141

Para além da terapêutica fibrinolítica, a reperfusão farmacológica envolve fármacos _______________________ e _____________________ adjuvantes

Para além da terapêutica fibrinolítica, a reperfusão farmacológica envolve fármacos ANTIPLAQUETÁRIOS e ANTITROMBÓTICOS adjuvantes

142

Devido ao risco de reacção alérgica, os doentes não devem receber nova dose de estreptoquinase se receberam nos últimos __ dias a __ anos

Devido ao risco de reacção alérgica, os doentes não devem receber nova dose de estreptoquinase se receberam nos últimos 5 dias a 2 anos

143

Qual é a complicação mais frequente e potencialmente mais grave da administração dos fibrinolíticos?

Hemorragia

144

O AVC hemorrágico é a complicação hemorrágica mais grave da administração da fibrinolíticos, ocorrendo em __-___% dos doentes com estes agentes

O AVC hemorrágico é a complicação hemorrágica mais grave da administração da fibrinolíticos, ocorrendo em 0,5-0,9% dos doentes com estes agentes

145

As reacções alérgicas à estreptoquinase ocorrem em ___% dos doentes que recebem o fármaco

As reacções alérgicas à estreptoquinase ocorrem em 2% dos doentes que recebem o fármaco

146

A taxa de AVC hemorrágico associado aos fibrinolíticos aumenta com a idade, com os doentes com mais de ___ anos a ter praticamente o _________ (dobro/triplo) da taxa de hemorragia intracraniana dos doentes com menos de 65 anos

A taxa de AVC hemorrágico associado aos fibrinolíticos aumenta com a idade, com os doentes com mais de 70 anos a ter praticamente o DOBRO da taxa de hemorragia intracraniana dos doentes com menos de 65 anos

147

Indicações para realização de cateterismo cardíaco e angiografia coronária após terapêutica fibrinolítica

1) Falência de reperfusão (dor torácica persistente e supra-ST >90 min) – ICP RESGATE

2) Re‐oclusão coronária (reaparecimento de supra-ST e/ou dor torácica recorrente) ou desenvolvimento de isquémia recorrente (prova de esforço positiva antes da alta e angina recidivante nos primeiros dias após ICP) – ICP URGENTE

148

Quais são os doentes para os quais deverá estar reservada o CABG?

Reservada a doentes com anatomia inadequada para ICP, mas em que a revascularização é recomendável por existir uma extensa área de miocárdio sob risco ou Isquémia recorrente

149

Qual a complicação mais séria do tratamento com fibrinolíticos?

- AVC hemorrágico.

Ocorre em 0,5%-0,9% dos doentes tratados com estes agentes.
Taxa aumenta com idade crescente (idade superior a 70 anos).

150

Factores que aumentem o trabalho cardíaco durante as horas iniciais do enfarte podem ______________ (aumentar/diminuir) o tamanho do enfarte

Factores que AUMENTEM o trabalho cardíaco durante as horas iniciais do enfarte podem AUMENTAR o tamanho do enfarte

151

Os doentes com STEMI devem estar em repouso absoluto durante as primeiras __-__h, sendo que pelo 3° dia após o enfarte já deverão tentar deambular ____ metros pelo menos 3x dia

Os doentes com STEMI devem estar em repouso absoluto durante as primeiras 6-12h, sendo que pelo 3° dia após o enfarte já deverão tentar deambular 185 metros pelo menos 3x dia

152

Devido ao risco de vómitos e aspiração logo após o STEMI, os doentes devem estar em dieta zero ou dieta apenas com líquidos durante as primeiras __-__h

Devido ao risco de vómitos e aspiração logo após o STEMI, os doentes devem estar em dieta zero ou dieta apenas com líquidos durante as primeiras 4-12h

153

V ou F

O prasugrel e o ticagrelor são mais eficazes que o clopidogrel nos doentes STEMI submetidos a ICP, estando associados com uma diminuição do risco de hemorragia

F

O prasugrel e o ticagrelor são mais eficazes que o clopidogrel nos doentes STEMI submetidos a ICP, estando associados com um AUMENTO do risco de hemorragia

154

V ou F

Os inibidores do receptor Gp IIb/IIIA parecem ser úteis na prevenção de complicações trombóticas em doentes com STEMI submetidos a ICP

V

155

Quando é adicionada heparina não fraccionada a um regime de aspirina+estreptoquinase, existe um benefício adicional na mortalidade. V ou F?

V

156

Aquando da administração da heparina não fraccionada, o tempo de aPTT deverá ser de ___-___ vezes o valor de controlo.

1,5-2x o valor de controlo

157

V ou F

As HBPM têm maior actividade antiXa:IIa

V

158

V ou F

Na comparação enoxaparina vs HNF em doentes com STEMI que receberam fibrinólise, a primeira demonstrou reduzir significativamente os resultados compostos de Morte/reenfarte não fatal e Morte/reenfarte não fatal/revascularização urgente

V

159

V ou F

A enoxaparina está associada a uma maior taxa de hemorragia grave do que a HNF, pelo que a sua vantagem clínica dilui-se no aumento de efeitos adversos

F

A enoxaparina está associada a uma maior taxa de hemorragia grave do que a HNF, mas mesmo assim tem vantagem clínica sobre a HNF

160

V ou F

O fondaparinux é claramente mais eficaz e seguro que a HNF

F

A eficácia e segurança do fondaparinux vs HNF são pouco certas

161

A utilização do fondaparinux em isolamento deve ser evitada na angiografia coronária e ICP, devido ao risco de ___________ do cateter

A utilizaçãodo fondaparinux em isolamento deve ser evitada na angiografia coronária e ICP, devido ao risco de TROMBOSE do cateter. Deve ser utilizada em combinação com outro anticoagulante com actividade antitrombina (HNF, bivalirudina)

162

Na comparação Bivalirudina vs HNF + Inibidor Gp IIb/IIIa, a primeira revelou ter uma taxa mais _________ (alta/baixa) de hemorragia

Na comparação Bivalirudina vs HNF + Inibidor Gp IIb/IIIa, a primeira revelou ter uma taxa mais BAIXA de hemorragia

163

V ou F

A administração aguda de beta bloqueadores num doente com STEMI diminui a incidência de arritmias ventriculares graves

V

164

V ou F

Em doentes que são submetidos a fibrinólise logo após o o início da dor torácica, existe uma diminuição da taxa de mortalidade com a administração de beta bloqueadores, bem como uma redução da isquémia recorrente e do reenfarte

F

Em doentes que são submetidos a fibrinólise logo após o o início da dor torácica, NÃO existe uma diminuição da taxa de mortalidade com a administração de beta bloqueadores, mas há uma redução da isquémia recorrente e do reenfarte

165

V ou F

Apenas se verifica benefícios da administração de IECAs nos doentes com STEMI de alto risco

F

É verificado um benefício a curto prazo na administração de IECAs de forma indiscriminada a todos os doentes com STEMI que se encontram estáveis do ponto de vista hemodinâmico

166

Antes da alta hospitalar, a função do ____ (VE/VD) deve ser avaliada por um exame de imagem

Antes da alta hospitalar, a função VE deve ser avaliada por um exame de imagem

167

Que condições contraindicam o bloqueio a longo prazo da aldosterona?

- Disfunção renal significativa (Cr >2,5 nos Homens, >2,0 nas Mulheres)
- Hipercaliémia (> 5 mEq/L)

168

V ou F

A administração por rotina de antagonistas do cálcio não pode ser recomendada

V

169

O controlo rigoroso da glicose nos doentes diabéticos com STEMI demonstrou reduzir a taxa de ________.

A taxa de mortalidade

170

V ou F

Não é seguro realizar o toque rectal num doente com STEMI

F

É seguro realizar o toque rectal num doente com STEMI

171

V ou F

Logo após o enfarte STEMI, o VE começa a dilatar.

Dilatar

172

V ou F

Após o enfarte, existe uma dilatação tanto dos segmentos ventriculares enfartados como os não enfartados

V

173

O remodelling ventricular após o STEMI __________ (precede/procede) a clínica da IC em meses a anos

O remodelling ventricular após o STEMI PRECEDE a clínica da IC em meses a anos

174

V ou F

A extensão do enfarte correlaciona‐se bem com a gravidade da falência da bomba e mortalidade precoce e tardia

V

175

Quais são os sinais clínicos mais comuns de falência da bomba?

- Crepitações
- S3, S4

176

Quais são os achados hemodinâmicos característicos da falência da bomba?

- Aumento da pressão de enchimento do VE
- Aumento da pressão arterial pulmonar

177

A evidência hemodinâmica de disfunção VE global surgem com o comprometimento de __-__% do VE

A evidência hemodinâmica de disfunção VE global surgem com o comprometimento de 20-25% do VE

178

Entre os doentes com disfunção ventricular, aqueles que se apresentam com elevação acentuada da pressão enchimento VE e índices cardíacos normais beneficiam da __________ (diurese/expansão de volume), enquanto que os doentes que se apresentam com pressão enchimento VE relativamente baixas + índices cardíacos reduzidos beneficiam de _________________ (diurese/expansão de volume).

Entre os doentes com disfunção ventricular, aqueles que se apresentam com elevação acentuada da pressão enchimento VE e índices cardíacos normais beneficiam da DIURESE, enquanto que os doentes que se apresentam com pressão enchimento VE relativamente baixas + índices cardíacos reduzidos beneficiam de EXPANSÃO DE VOLUME

179

O tratamento da IC associada a STEMI é semelhante a outras formas de IC, com a excepção de que não existe benefícios na utilização de ______________ (fármaco) nos doentes com STEMI

O tratamento da IC associada a STEMI é semelhante a outras formas de IC, com a excepção de que não existe benefícios na utilização de DIGITÁLICOS nos doentes com STEMI

180

A reperfusão imediata, a terapêutica para diminuir extensão do EAM e a terapêutica para isquémia persistente reduziram a incidência de choque cardiogénico de ___% para ___%

A reperfusão imediata, a terapêutica para diminuir extensão do EAM e a terapêutica para isquémia persistente reduziram a incidência de choque cardiogénico de 20% para 7%

181

O cateterismo do coração direito num doente com enfarte do VD muitas vezes mostra um padrão hemodinâmico distintivo que assemelha-se ao de que patologia?

Pericardite constritiva

182

O enfarte do VD está associado a sinais clínicos de disfunção do VD, como:

- Engurgitamento jugular
- Sinal de Kussmaul
- Hepatomegalia
(que podem ou não acompanhar-se de hipotensão)

183

V ou F

A grande maioria das mortes decorrentes de arritmia ocorre nas primeiras horas após EAM

V

184

V ou F

A terapêutica profilática com antiarrítmicos, como a lidocaína, está indicada em doentes com ESV, mesmo na ausência de taquiarritmias ventriculares importantes

F

A terapêutica profilática com antiarrítmicos, como a lidocaína, NÃO está indicada em doentes com ESV na ausência de taquiarritmias ventriculares importantes

185

A hipocaliémia e a hipomagnesémia são factores de risco para a fibrilhação ventricular em doentes com STEMI, devendo ser ajustada a concentração de K para ___ mmol/L e o magnésio para __ mmol/L para reduzir o risco.

A hipocaliémia e a hipomagnesémia são factores de risco para a fibrilhação ventricular em doentes com STEMI, devendo ser ajustada a concentração de K para 4.5 mmol/L e o magnésio para 2 mmol/L para reduzir o risco.

186

V ou F

Nas primeiras 24h do STEMI, a taquicardia ventricular e a fibrilhação podem ocorrer sem arritmias de aviso

V

187

A ocorrência de fibrilhação ventricular pode ser reduzida com a administração profilática de _________ intravenosa.

Lidocaína intravenosa

188

V ou F

A administração profilática de lidocaína demonstrou reduzir a mortalidade global do STEMI

F

A administração profilática de lidocaína NÃO demonstrou reduzir a mortalidade global do STEMI. Por esse motivo, a administração de antiarrítmicos profiláticos não é actualmente recomendada

189

A Torsade de Pointes pode ocorrer em doentes com STEMI secundariamente a:

- Hipóxia
- Hipocaliémia
- Outros distúrbios eletrolíticos
- Fármacos (Digoxina, Quinidina)

190

V ou F

A maioria dos doentes com ritmo idioventricular acelerado necessita de tratamento, uma vez que é frequente a degeneração para uma arritmia mais grave

F

A maioria dos doentes com ritmo idioventricular acelerado NÃO necessita de tratamento, uma vez que é RARA a degeneração para uma arritmia mais grave

191

Caso a taquicardia sinusal pareça ser consequência de sobrestimulação simpática, deve ser utilizado no tratamento um __________ (fármaco).

Beta bloqueador

192

Qual é o tratamento de eleição para uma arritmia supraventricular caso esteja presente IC?

Digoxina

Caso não esteja presente IC, poderão ser utilizados β-bloqueadores, verapamil e diltiazem

193

A angiografia e a revascularização não devem ser feitas no espaço de __-__h após a administração de terapêutica fibrinolítica

A angiografia e a revascularização não devem ser feitas no espaço de 2-3h após a administração de terapêutica fibrinolítica

194

Indicações para colocação de CDI

- Depressão da função ventricular há pelo menos 40 dias após o STEMI, com:
- FEVE inferior a 30-40% + NYHA classe II-III
- FEVE inferior a 30-35% + NYHA classe I
- Doentes com FEVE >40% NÃO TÊM INDICAÇÃO para CDI

195

Indicações para tratamento da bradicardia sinusal

Caso haja compromisso hemodinâmico decorrente da baixa FC, deve ser feito:
1) Atropina (0.5 mg IV) - é o fármaco mais útil para aumentar a FC
2) Pacing se bradicardia persistente (inferior 40 bpm)

196

Que fármaco deverá ser evitado na bradicardia sinusal?

Isoproterenol

197

Quais são os doentes com indicação para pacing provisório no STEMI?

- Bradicardia sinusal (FC inferior a 50 bpm) refratária a fármacos
- BAV 2º grau Mobitz tipo II
- BAV 3º grau
- Bloqueio bifascicular

198

Qual é o subgrupo de doentes com STEMI e bloqueio AV com bradicardia que parece responder mal ao pacing ventricular?

Doentes com enfarte VD, já que perdem a contribuição auricular para o enchimento ventricular. Estes doente deverão realizar pacing com pacemaker sequencial AV de dupla câmara

199

O pacing parece ser benéfico em doentes com EAM póstero-inferior que têm bloqueio cardíaco completo associado a:

- IC
- Hipotensão
- Bradicardia
- Actividade ventricular ectópica significativa

200

Os êmbolos ____________ (arteriais/pulmonares) originam-se a partir de trombos murais do VE, enquanto que a maioria dos êmbolos _______________ (arteriais/pulmonares) origina-se a partir de veias dos MIs

Os êmbolos ARTERIAIS originam-se a partir de trombos murais do VE, enquanto que a maioria dos êmbolos PULMONARES origina-se a partir de veias dos MIs

201

As complicações dos aneurismas do VE normalmente só surgem semanas a meses após o STEMI e incluem:

- IC
- Embolia arterial
- Arritmias ventriculares

202

Quais são os aneurismas mais comuns?

Aneurismas apicais, sendo também os aneurismas mais fáceis de detectar no exame objectivo

203

Quais são os principais factores de risco associados a risco CV aumentado após STEMI?

- Isquemia persistente (espontânea/induzida)
- FEVE <40%
- Crepitações acima das bases pulmonares
- Congestão no Rx Tórax
- Arritmias ventriculares sintomáticas

204

V ou F

O reconhecimento de uma depressão da FEVE identifica os doentes que devem receber terapêutica de inibição do SRRA

V

205

Quais são os doentes que têm elevado risco de EAM recorrente ou morte por arritmia?

- Angina para pequenos esforços
- FEVE deprimida
- Grande defeito reversível na cintigrafia de perfusão
- Isquémia demonstrável
- Arritmias ventriculares sintomáticas com o exercício

206

V/F

pode ser realizada uma prova de esforço máximo 1-3 semanas após o EAM.

F.

4-6semanas.

Esta prova pode ser feita sozinha ou adicionalmente à anterior, feita antes da alta

207

A habitual duração de um internamento de um STEMI não complicado é de __ dias

A habitual duração de um internamento de um STEMI não complicado é de 5 dias

208

O tratamento de longo prazo com aspirina após STEMI está associado a uma redução de ___% do risco de recorrência, AVC ou mortalidade CV

O tratamento de longo prazo com aspirina após STEMI está associado a uma redução de 25% do risco de recorrência, AVC ou mortalidade CV

209

O uso crónico de beta bloqueadores orais durante pelo menos ___ anos encontra-se recomendado após um STEMI

O uso crónico de beta bloqueadores orais durante pelo menos 2 anos encontra-se recomendado após um STEMI

210

V ou F

Existe evidência de que a varfarina baixa o risco de incidência de reenfarte após STEMI e a mortalidade a longo prazo

V

211

V ou F

O maior atraso no tratamento de um doente com STEMI é entre o início da dor e a decisão de procurar ajuda

V

212

V/F

Após o EAM, nos doentes estáveis, deve ser feito uma prova de esforço (Submaxima) antes da alta hospitalar, de modo a detetar isquémia residual e ectopia ventricular

V

213

V/F

Nos doentes considerados de alto risco de EAM recorrente ou MS pelas provas de esforço feitas (seja antes da alta ou pós-alta), é aconselhavel a realização de um cateterismo e angiografias cardíacos.

F

Angiografia e estudo eletrofisiológico

214

V ou F

A utilização de estreptoquinase associa-se a hipotensão ligeira, ocorrendo em 4-10% dos doentes.

V

Raramente, poderá ser marcada, em associação com reações alérgicas graves