Endócrino 1 Flashcards Preview

esther 16 > Endócrino 1 > Flashcards

Flashcards in Endócrino 1 Deck (38):
1

Medicamentos que inibem a produção de T3 e T4

Iodo/ amiodarona; propiltiouracil; propanolol; glicocorticoide

2

Unidade funcional da tireoide

Folículo

3

Efeito de Jod Basedow

Iodo acentua o hipertireoidismo

4

Efeito de Wolff Chaikoff

Iodo acentua hipotireoidismo

5

Fatores que AUMENTAM a TBG

Gravidez, estrogenioterapia, cirrose hepática

6

Fatores que DIMINUEM a TGB

Desnutrição, androgenioterapia, síndrome nefrótica

7

Valores normais de TSH

0,5 a 4,5 mU/ml

8

Valores normais de T4L

0,9 a 2,0 ng/ml

9

Teratoma com presença de tecido tireoidiano

Struma ovarii

10

Clínica específica da doença de Graves

(1) bócio difuso, (2) exoftálmico, (3) mixedema, (4) baqueteamento digital

11

Indicações da radioablação com iodo em altas doses

Maior de dez anos de idade, recidiva e intolerância às drogas

12

Contra indicações da radioablação com iodo em altas doses

Gravidez, aleitamento, exoftalmia grave, grandes bócios

13

Conduta no pré operatório de tireoidectomia na doença de Graves

6 semanas de DAT, lugol 2 semanas antes, ressecar e depois manter DAT por 5 dias ainda

14

Característica da tireoidite pós parto

Indolor e é pós parto

15

Principais fatores desencadeantes da crise tireotóxica

Cirurgia / infecção / suspensão abrupta das DATs (outras: amiodarona, ICC, hipoglicemia)

16

Causas de tireotoxicose não relacionadas com a tireoide

Struma ovarii, mola hidatiforme, tumor hipofisário produtor de TSH, tireotoxicose factícia (ingestão de hormônios tireoidianos)

17

Anticorpos na doença de Graves

Anti TRAb (100%) e anti TPO (80%)

18

Drogas antitireoidianas na gestante

Primeiro trimestre: PTU / Segundo trimestre: Metimazol

19

Efeitos colaterais das DATs

Hepatite medicamentosa e agranulocitose

20

Paciente típico do bócio multinodular tóxico

Mulheres acima de 50 anos

21

Manejo da tireotoxicose

(1) suporte, (2) altas doses de PTU (não usar Metimazol), (3) iodo (1h após PTU), (4) propanolol, (5) dexametasona

22

Manejo do coma mixedematoso

(1) levotiroxina 200mg, (2) hidrocortisona 100mg, (3) manta térmica, (4) IOT se rebaixamento do nível de consciência

23

Patologias que cursam com presença de células de Hurtle

Hipotireoidismo (tireoidite de Hashimoto) e neoplasias foliculares benignas e malignas

24

Sinais principais do coma mixedematoso

Sinais de hipotireoidismo + rebaixamento do nível de consciência/ convulsão + hipotermia

25

Causas de bócio

Aumento do TSH (T. de Hashimoto) ou aumento de alguma substância que age como o TSH (anticorpos estimuladores da tireoide na doença de Graves)

26

Principal causa de tireoidite aguda

Infecção bacteriana por S. aureus

27

Clínica da tireoidite aguda

Dor + febre + flogose (+ supuração)

28

Causas de tireoidite subaguda

Linfocítica indolor ou Granulomatosa de Quervain

29

Características da tireoidite de Riedel

Crônica / fibrosante / idiopática

30

Hipotireoidismo de Hashimoto pode cursar com qual outra patologia?

Hiperprolactinemia (galactorréia, amenorréia)

31

Como diferenciar hipertireoidismo de tireoidite?

Pela cintilografia (baixa captação na tireoidite) ou pelo RAIU (menos de 5% na tireoidite)

32

Inflamação pós viral com dor na região da tireóide, sinais de tireotoxicose e aumento do VHS com leucocitose

Tireoidite subaguda Granulomatosa de Quervain

33

Tratamento da tireoidite de Quervain

AINES, se não melhorar prednisona

34

Anticorpo na tireoidite de Hashimoto

Anti TPO (100%), anti tireoglobulina, antirreceptor TSH bloqueador

35

Células de Askanazy

Encontradas na tireoidite de Hashimoto (patognomônico), são células foliculares fibrosadas

36

Quando tratar tireoidismo subclínico?

TSH maior ou igual a 10 , gravidez, anti TPO alto, dislipidemia, depressão

37

Próximo passo na conduta do nódulo tireoidiano normal ou hiperfuncionante

USG e se suspeito PAAF

38

Próximo passo na conduta do nódulo tireoidiano hipofuncionante

Cintilografia (se quente, é Plummer; se frio, realizar USG)