Gastro 3 - Intestinos Flashcards Preview

esther 16 > Gastro 3 - Intestinos > Flashcards

Flashcards in Gastro 3 - Intestinos Deck (99):
1

Irrigação pelo tronco celíaco

Estômago, duodeno, fígado, baço e pâncreas

2

Doença microvascular intestinal evolui com...

Isquemia colônica (colite isquêmica)

3

Principal causa de isquemia mesentérica crônica

Aterosclerose

4

Diagnóstico da isquemia mesentérica crônica/aguda

Arteriografia mesentérica

5

Tratamento da isquemia mesentérica crônica

Revascularização (cirurgica/stent)

6

Causas da isquemia mesentérica aguda por embolia

FA ou IAM recente

7

Causas da isquemia mesentérica aguda por vasoconstricção

Isquemia não oclusiva, sepse, digital, cocaína

8

Causas da isquemia mesentérica aguda por trombose arterial

Aterosclerose ou trauma

9

Causa da isquemia mesentérica aguda por trombose venosa

Hipercoagulabilidade

10

Clínica da isquemia mesentérica aguda

Dor abdominal intensa e desproporcional ao exame físico, Sinal de Lenander (T retal maior que Taxilar), acidose metabólica

11

Melhor exame para isquemia mesentérica aguda por trombose venosa

Angiotomografia

12

Tratamento da isquemia mesentérica aguda

Embolectomia/trombectomia + remoção do segmento infartado (embolia ou trombose arterial); papaverina intra-arterial (vasoconstricção); heparinização (trombose venosa)

13

Isquemia intestinal mais comum

Isquemia colônica (70%)

14

Locais mais comuns de Isquemia colônica

Flexura esplênica e junção retossigmoide

15

Clinica da Isquemia colônica

Idoso com dor abdominal, diarreia com sg, febre e megacolon

16

Sinal das impressões digitais (thumbprinting)

Edema e úlcera na colono/clister, presentes na Isquemia colônica

17

Tratamento da Isquemia colônica

Suporte e Colectomia se necessário (peritonite, hemorragia maciça e colite fulminante)

18

Clínica da obstrução intestinal alta

Vômitos precoces, alcalose metabólica, aumento da peristalse, dor em cólica, distensão abdominal

19

Principais causas de obstrução intestinal no DELGADO

Brida, CA, hérnia e íleo biliar

20

Principais causas de obstrução intestinal no COLON

CA, volvo ou diverticulo

21

Principais causas de obstrução intestinal na INFÂNCIA

Intussuscepção, áscaris, bezoar, hérnia

22

Clínica da intussuscepção intestinal

Fezes em geléia de framboesa, massa abdominal em salsicha

23

Tratamento da intussuscepção intestinal

Enema/cirurgia

24

Tríade de Rigler (componentes e diagnóstico)

(1) aerobilia/distensão, (2) obstrução intestinal e (3) cálculo biliar íleo-cecal
Diagnóstico: Obstrução por íleo biliar

25

Sinal do U invertido ou do grão de café

Volvo

26

Sinal de empilhamento de moedas no RX

Obstrução de delgado

27

Tratamento da obstrução intestinal

Suporte e observação (se obst parcial)

28

Tratamento da obstrução intestinal por volvo

Descompressão endoscópica (se não complicado) ou sigmoidectomia à Hartmann (se complicado)

29

Causas de obstrução intestinal funcional

Íleo paralítico (todo o intestino) ou Síndrome de Ogilve (dilatação colonica significativa)

30

Causas de íleo paralítico

Pós operatório, drogas, hipocalemia

31

Causas de síndrome de Ogilve

Sepse, IAM, trauma, pós op em que se usou tramadol

32

Tratamento da Síndrome de Ogilve

Suporte (Dieta zero/CNG de sifonagem/HV/controle causas reversíveis), neostigmina e avaliar necessidade de colono descompressiva

33

Efeitos colaterais da neoestigmina

Bradicardia e instabilidade hemodinâmica

34

Principais bactérias implicadas na apendicite aguda

Bacterioide fragilis, E. coli

35

Característica da dor da apendicite aguda

Dor vaga em mesogastro (em 12h por inflamação) e depois em FID (Sinal de Blumberg) (em 48h por necrose da parede do apêndice)

36

Sinal de Blumberg

Dor em FID (DX: apendicite aguda)

37

Clínica da apendicite aguda complicada

Plastrão (massa palpável) ou peritonite difusa

38

Sinal de Rovsing

Dor em FID após compressão de FIE (DX: apendicite aguda)

39

Exames complementares no diagnostico de apendicite aguda

USG ou TC

40

Tratamento da apendicite aguda precoce

ATB profilático e apendicectomia

41

Tratamento da apendicite aguda tardia

Se sinais de abscesso na TC/USG faz apendicectomia precoce; Se abscesso menor que 4 cm faz ATB e cirurgia só 6-8 sem depois; Se abscesso maior que 4 cm faz o mesmo, mas inclui drenagem percutânea e colono em 2 a 4 sem (antes da cirurgia)

42

Lado mais acometido pelos divertículos

Sigmoide (cólon Esquerdo) por obstrução com fecalito

43

Lado que mais sangra na diverticulose

Colon direito (por trauma da arteriola tracionada)

44

Clínica da diverticulite

Dor em FIE, pior com defecação, diarreia/constipação e febre

45

Diagnostico da diverticulose

Colonoscopia

46

Diagnostico da diverticulite

TC (não faz colono)

47

Complicações da diverticulite

Abscesso, peritonite, fístula, obstrução

48

Complicação mais comum da diverticulite

Abscesso

49

Complicação mais grave da diverticulite

Peritonite

50

Classificação de Hinchey I

Abscesso pericólico

51

Classificação de Hinchey II

Abscesso pélvico

52

Classificação de Hinchey III

Peritonite purulenta

53

Classificação de Hinchey IV

Peritonite fecal

54

Indicações de cirurgia na diverticulite

Em imunodeprimidos, após 2º ou 3º episódio, na impossibilidade de excluir CA

55

Tratamento da diverticulite não complicada

Suporte e ATB; Fazer colono para excluir CA após 4-6sem

56

Cirurgia indicada na diverticulite não complicada

Sigmoidectomia + anatosmose primária após 4-6 semanas da resolução (eletiva)

57

Tratamento da diverticulite complicada com abscesso

Drenagem por TC (se mais que 2 cm) + ATB + cirurgia eletiva em 6 sem

58

Tratamento da diverticulite complicada com fístula

ATB + cirurgia eletiva

59

Tratamento da diverticulite complicada com peritonite

Cirurgia de urgência

60

Tratamento da diverticulite complicada com obstrução

Suporte com dieta zero e HV + cirurgia eletiva em 6 sem (se parcial); OU cirurgia de urgencia (se total)

61

Cirurgia indicada na diverticulite complicada

Sigmoidectomia com colostomia terminal e fechamento do coto retal (Cirurgia a Hartmann)

62

O ângulo de Treitz classifica...

a hemorragia digestiva em alta e baixa

63

Principais causas de hemorragia digestiva alta

Úlceras gástricas, varizes esofageanas

64

Principais causas de hemorragia digestiva baixa em jovens

DII e Diverticulo de Meckel

65

Principais causas de HDB em maiores de 50 anos

Diverticulo, angiodisplasia ou CA

66

Conduta na hemorragia digestiva

(1) estabilizar o paciente, (2) EDA, (3) colono se HDB

67

Exame mais sensível para hemorragia digestiva

Cintilografia (vê sangramentos maiores que 0,1 ml/min enquanto a arteriografia ve acima de 0,5 ml/min)

68

Indicação para arteriografia na hemorragia digestiva

Paciente estável com sangramento de grande monta

69

Características da polipose adenomatosa familiar

Gene APC mutante, com retinite pigmentosa associada

70

Caracteristicas da síndrome de Peutz Jeguers (polipose hamartosa)

Manchas melanóticas, episodios recorrentes de intussuscepção e obstrução intestinal, complica com hematoquezia e anemia ferropriva e associa com tumores extra-intestinais (pp ovarianos)

71

Clínica do CA colorretal à direita

MAIS COMUM; Anemia ferropriva, massa palpável e febre

72

Clínica do CA colorretal à esquerda

Diarreia/constipação

73

Clínica do CA retal

Hematoquezia, fezes em fita e tenesmo

74

Diagnostico do CA colorretal

Colono (tumor sincrônico) e biopsia

75

Marcador tumoral para acompanhamento do CA colorretal

CEA

76

Tratamento do CA de colon

Ressecção com margem de segurança + linfadenectomia e QT adjuvante

77

Tratamento do CA retal baixo (menor que 6 cm)

Ressecção abdominoperineal (Miles) e colostomia definitiva

78

Tratamento do CA retal alto (6 ou mais cm)

Ressecção abdominal baixa e anastomose colorretal

79

Indicação para QT neoadjuvante no CA colorretal

Apenas tumor retal e opera 60 d depois

80

Manifestações da fístula colovesical

Pneumatúria e Fecalúria

81

Principal causa de intuscepção colônica no adulto

Adenocarcinoma

82

Abscesso do espaço de Morrison (recesso hepatorrenal) na TC

Nível hidroaéreo relacionado ao polo superior do rim ao nível da 11a costela

83

Local da incisão de Daves

Transversa em FID

84

Local da incisão de Jalagvier

Pararretal externa

85

Ponto de McBurney

Entre o 1/3 médio e proximal da linha que vai da crista ilíaca à cicatriz umbilical

86

Fatores de risco para CA colorretal

Aumento da ingesta de gorduras e carboidratos, obesidade, tabagismo, poliposes hereditárias, DM2/acromegalia, DII, radioterapia, sd de Lynch

87

Fatores protetores para CA colorretal

Ingestão de fibras, controle da obesidade, AINES, Cálcio peixe e ômega 3

88

Variante de Muir Torres

Variante da síndrome de Lynch em que há múltiplos cistos/tumores sebáceos malignos

89

Tumores da Síndrome de Lynch I

Só CA colorretal

90

Tumores da Síndrome de Lynch II

CA colorretal e tumores ginecológicos (pp de endométrio em 45% dos casos e tb o de ovário)

91

Cirurgia de Hartmann

Retossigmoidectomia em 2 tempos (Ressecar o sigmoide + colostomia - 2º tempo: reconstrução trânsito intestinal)

92

Antibiotico de amplo espectro para diverticulite com abscesso

Ciprofloxacino + metronidazol

93

Principal CA no sexo masculino relacionado com sedentarismo

CA de cólon

94

Emergência cirúrgica mais comum em gestantes

Apendicite aguda

95

Tratamento da apendicite aguda em gestantes

Apendicectomia Convencional (1º ou 3º tmt) ou por vídeo (2º tmt)

96

Síndrome de Cowden

Pólipos hamartosos orocutâneos + hiperceratose palmoplantar

97

Risco aumentado na síndrome de Cowden

Maior risco de CA de mama e de tireoide

98

Síndrome de Turcot

polipose colorretal + tumores do SNC (meduloblastoma ou glioblastoma)

99

Síndrome de Gardner

polipose colorretal + osteomas + tumores de tecidos moles