Câncer Gástrico Flashcards Preview

Gastroenterologia MedCurso 2019 - Victória Melo > Câncer Gástrico > Flashcards

Flashcards in Câncer Gástrico Deck (22):
1

Qual o tipo histológico mais comum de CÂNCER GÁSTRICO?

Adenocarcinoma

2

Qual a classificação histológica do ADENOCARCINOMA GÁSTRICO (segundo LAUREN)? Quais suas características? Qual o tipo mais comum no BRASIL? Qual apresenta pior prognóstico?

1. ADENOCARCINOMA GÁSTRICO TIPO INTESTINAL
- Bem diferenciado (forma glândulas intestinais, daí o nome)
-TIPO MAIS COMUM
-Predomina em homens 50-60 anos
-Disseminação hematogênica
-Mais distal
-Instabilidade de microssatélites

2. ADENOCARCINOMA GÁSTRICO TIPO DIFUSO
-Indiferenciado (células em anel de sinete)
-PIOR PROGNÓSTICO
-Homens = Mulheres
-Idade mais precoce +- 40 anos
-Disseminação linfática OU por contiguidade
-Mais proximal
-Redução da E-caderina

3

Quais os principais fatores de risco para ADENOCARCINOMA GÁSTRICO?

*Tipo de dieta: pobre em frutas, ricas em carboidratos, nitritos
*Tabagismo
*História familiar
*Obesidade
*Gastrite atrófica pelo H.pylori (e também a infecção pelo H.pylori)
*Gastrite atrófica auto-imune
*Pólipo adenomatoso (OBS: o pólipo inflamatório/hiperplásico é RARÍSSIMO estar associado com progressão para CA)
*Tipo sanguíneo A (apenas para subtipo difuso)
*Doença de Menétrier


OBS: qualquer gastrite atrófica é fator de risco para adenoCA por predispor à metaplasia intestinal e consequente displasia

4

Descreva a classificação macroscópica do adenocarcinoma gástrico (segundo Bormann). Qual o tipo mais comum?

BORMANN I: aspecto polipoide
BORMANN II: úlcera de bordas definidas
BORMANN III: úlcera de bordas mal definidas
BORMANN IV: infiltração difusa (linite plástica)
BORMANN V: nenhum dos anteriores

MAIS COMUM: Bormann III

5

NÃO CONFUNDA: Classificações do adenocarcinoma gástrico

Classificação de Lauren é ____________

Classificação de Bormann é __________

LAUREN = histológica

BORMANN = macroscópica (EDA)

6

Quais as manifestações clínicas frequentes associadas ao adenocarcinoma gástrico?

*SÍNDROME DISPÉPTICA (mais comum)
*PERDA DE PESO
*Anemia (por perda sanguínea crônica)

OUTROS
-Disfagia: invasão da cárdia
-Vômitos de repetição: obstrução antro-pilórica

7

Defina os seguintes sinais, que no adenocarcinoma gástrico, estão relacionados à doença avançada

*Nódulo de Virchow
*Nódulo de Irish
*Nódulo da Irmã Maria José
*Prateleira de Blumer
*Tumor de Krukenberg

NÓDULO DE VIRCHOW: linfonodo supraclavicular esquerdo

NÓDULO DE IRISH: linfonodo axilar esquerdo

NÓDULO DA IRMÃ MARIA JOSEÁ: linfonodo periumbilical

PRATELEIRA DE BLUMER: metástase peritoneal palpável pelo toque retal

TUMOR DE KRUKENBERG: massa ovariana palpável

8

Qual o exame padrão-ouro para diagnóstico do adenocarcinoma gástrico?

EDA + biópsia

9

Qual a localização (porção anatômica do estômago) mais comum do adenocarcinoma gástrico?

Pequena curvatura (mesmo local da doença ulcerosa péptica)

10

O que é a seriografia? Qual seu papel no diagnóstico do adenocarcinoma gástrico? Qual achado típico encontrado na linite plástica?

Exame contrastado do trânsito esôfago-estômago-duodeno

Pode ser exame inicial de triagem para adenocarcinoma gástrico

LINITE PLÁSTICA = imagem em garrafa de couro

11

Qual o exame de maior acurácia para determinar a extensão do tumor (T) na parede gástrica e para determinar a extensão aos linfonodos regionais (N) [adenocarcinoma gástrico]?

Ultrassonografia endoscópica com PAAF dos linfonodos

12

Qual o exame mais utilizado para avaliar metástases à distância no adenocarcinoma gástrico?

TC + PET-SCAN

13

Qual melhor exame para avaliar implantes peritoneais no adenocarcinoma gástrico?

Videolaparoscopia

14

V ou F: a terapia curativa (cirúrgica) deve ser sempre tentada no adenocarcinoma gástrico, desde que não haja metástase à distância (M1), ainda que o paciente seja T4.

VERDADEIRO

É a indicação da terapia cirúrgica: qualquer paciente com adenocarcinoma gástrico deve ser submetido à terapia curativa, desde que não seja M1.

15

Qual a técnica cirúrgica curativa indicada para os pacientes com adenocarcinoma gástrico DISTAL?

TÉCNICA: gastrectomia subtotal + reconstrução (gastrojejunostomia a BII ou em Y de Roux)

16

Qual a técnica cirúrgica curativa indicada para os pacientes com adenocarcinoma gástrico PROXIMAL (fundo ou < 5-6 cm da junção esôfago-gástrica)?

TÉCNICA: gastrectomia total + reconstrução esofagojejunostomia em Y de Roux

17

Qual o limite das bordas tumorais deve ser respeitado na cirurgia curativa do adenocarcinoma gástrico? Há indicação de linfadenectomia profilátixa?

LIMITE: pelo menos 6 cm (8 se for do subtipo intestinal)

Há indicação de linfadenectomia profilática: linfadenectomia à D2

18

Qual o tumor gástrico mais frequente (depois do adenocarcinoma)?

Linfoma gástrico

1º) Linfoma difuso de grandes células B (não-Hodgkin)
2º) Linfoma de baixo grau de células B da zona marginal (MALT) = intimamente associado à infecção pelo H.pylori. O tratamento da infecção pode levar ao desaparecimento do tumor

19

O que é o CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE? Qual a sua importância?

Adenocarcinoma gástrico limitado à submucosa/mucosa gástrica (independentemente de linfonodos regionais comprometidos)

Importância = se detectado neste estágio, as chances de cura ultrapassam os 80%

Neste estágio a neoplasia é habitualmente assintomática

Nos locais do mundo onde há rastreamento (ex: Japão), os CA tem se apresentado cada vez mais nesta forma

20

Qual o tratamento de escolha para o CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE? Em quais situações está autorizado o tratamento endoscópico?

ESCOLHA: gastrectomia + linfadenectomia a D2

INDICAÇÕES DE RESSECÇÃO ENDOSCÓPICA CURATIVA:
- Tumor < 2 cm
- Sem invasão linfovascular
- Limitado à mucosa
- Não ulcerado

21

O que é o tumor GIST (tumor estromal gastrointestinal)? Qual sua importância?

*É o principal tumor mesenquimal do trato gastrointestinal
*É derivado das células de Cajal (marca-passo do músculo liso do estômago)
*Há produção da proteína KIT que expressa o antígeno CD-117 (visto à imunohistoquímica)

22

V ou F: no adenocarcinoma gástrico subtipo DIFUSO de Lauren, independentemente se é proximal ou distal, a cirurgia curativa deve sempre ser a GASTRECTOMIA TOTAL

VERDADEIRO, devido à elevada capacidade de metástase