HPIM 303 - Hiperbilirrubinemia Flashcards Preview

Gastro - MJRS > HPIM 303 - Hiperbilirrubinemia > Flashcards

Flashcards in HPIM 303 - Hiperbilirrubinemia Deck (23):
0

Como ocorre a excreção hepática da bilirrubina:
Alteração na proteína gera:

Excreção Biliar

Processo ATP-dependente -> proteína da membrana canalicular (MRP2)

Mutações MRP2 -> S. Dubin-johnson

1

BRB Indirecta ou Não-conjugada, geralmente NÃO atinge o intestino, excepto nos:

Neonatos ou Hiperbrb não-conj grave (CN I)

2

Hemolise provoca que alteração nas bilirrubina? Até que valores?

HiperBRB não-conjugada moderada (Bilirrubina directa ≤15% da total) •Valores >4mg/dl -> disfunção hepática concomitante
• Hemólise PROLONGADA: formação de cálculos biliares PIGMENTARES pretos (++Brb)

3

Diminuição da CAPTAÇÃO hepática de bilirrubinas ocorre em que distúrbios:

o  S. Gilbert

o  Fármacos (ácido flavaspídico, novobiocina, rifampicina, agentes contraste vias biliares)

4

Sindrome Gilbert há um defeito na captação ou na conjugação da Bilirrubina?

Os dois!!!!

5

Na maioria dos recém nascidos, como se encontra a bilirrubina?

HiperBrb não-conjugada
LEVE (<5 a 10mg/dl)
2 a 5 dias após nascimento
NORMAIS em 2 semanas (evolução dos mecanismos eliminação Brb)

6

Níveis mais elevados de Brb nos recém nascidos associados a:

Prematuridade
Imaturidade da função hepática
Hemolise

7

No sindrome de Crigler-Najjar tipo 1, resposta ao fenobarbital:

A actividade da UGT1A1 e a [Bilirrubina] sérica NÃO respondem à administração de indutores enzimáticos (Fenobarbital)

8

Crigler-Najjar tipo II valores Hiperbilirrubinémias:

Hiperbilirrubinémia intensa (6 a 25mg/dl)

9

Diferenças entre CN-II e CN-I:

1.  Níveis séricos de Brb inferiores
2.  Raramente associada a Kernicterus
3.  Bílis fortemente corada
4.  Níveis hepáticos de UGT1A1 baixos, mas presentes (≤10% do normal)
5. Glucoronídeos de Brb presentes (↑proporção de monoglucoronídeos)
6.  Identificada principalmente na 1ª infância, mas em alguns casos mais tarde
7.  Em alguns casos o defeito limita-se à Bilirrubina
8.  ↓ Bilirrubina sérica em >25% em resposta ao Fenobarbital (para níveis ≈ 3 a 5mg/dl)

10

Kernicterus desencadeado por situações em que ocorra.(na CNII)

↑ temporária dos níveis séricos de Bilirrubina
↓ dos níveis de Albumina

o  Tratamento: Fenobarbital (dose única ao deitar)

11

Actividade UGT1A1 sindrome e Gilbert:

≤10-35% |N|

12

Depuração hepática de Brb na síndrome de Gilbert:
Níveis de Brb:

≈33% |N|
Hiperbilirrubinémia não-conjugada LIGEIRA (< 3 mg/dl)
Níveis de 5 a 8mg/dl pode apresentar clínica ≈ CN-II
Níveis baixos pode ser difícil distinguir com situação normal

13

Factores que elevam a Brb no sindrome de Gilbert;
E os que diminuem?

1. Stress
2. Fadiga
3. Álcool
4. ↓ ingestão calórica
5. Intercorrências

1. ↑ ingestão calórica
2. Indutores enzimáticos

14

Fenobarbital no sindrome de Gilbert:

Administração de Fenobarbital NORMALIZA tanto a concentração sérica como a depuração hepática de Bilirrubina.

Se AUSÊNCIA de melhoria na actividade de UGT1A1 -> coexistência de defeito adicional

15

Presentes quando?
PESB -
MRP 2 -
MDR 3 -
F1C1 (ATP8B1) -

PESB - CIRB 2 CIFP 2

MRP 2 - s. Dubin-johnson

MDR 3 - CIFP 3

F1C1 (ATP8B1) - CIRB 1 CIFP 1 = Doença Byler

16

S. Dubin-johnson, níveis Brb:

Hiperbilirrubinémia predominante/ Conjugada LIGEIRA (2 a 5 mg/dl)

Pode ter níveis |N|

Pode atingir valores 20 -25 mg/dl
Bioquímica hepática |N|

17

Teste de excreção de BSP no s. DUBIN JOHNSON:

Velocidade de desaparecimento da BSP do plasma após BÓLUS ev

SDJ -> excreção LENTA e ↑ característico na sua concentração plasmática 90 min após administração (por refluxo da BSP conjugada do hepatócito para a circulação)

Outros corantes (verde de indocianina) NÃO sofrem este fenómeno porque não são metabolizados previamente à excreção biliar!

18

Excreção urinária NORMAL de coproporfirina:

75% representada pelo isómero III

19

S. Dubin Johnson característica da excreção urinária:

Excreção total NORMAL, MAS ≥80% constituído pelo isómero I

Heterozigóticos -> padrão intermédio

20

Diferenças entre S. Rotor e S. Dubin Johnson:

1.  Menos frequente
2.  AUSÊNCIA de pigmentação hepática (ASPECTO |N|)
3.  Vesícula biliar visualizada na colecistografia oral
4.  ↑ excreção total de coproporfirina (por refluxo do hepatócito para a circulação), constituído fracção I (<70%)
5.  Excreção de BSP LENTA, mas sem refluxo para a circulação (defeito no armazenamento intra-hepatocelular?)

21

Mutações CIRB 1 e 2:

CIRB tipo 1

• Mutação gene FIC1 (grande expressão do gene no ID, menor no fígado)
• Pouca relação com os genes responsáveis pela excreção canalicular; membro de uma família ATPase tipo P (transporte de aminofosfolípidos)

CIRB tipo 2

• Mutação gene PESB (proteína excretora sais biliares)
• Também presente na CFIP tipo 2

22

CIFP tipo 1 (doença de Byler):
Colestase Intra-hepática Familiar Progressiva

Mutação de FIC1
Início da 1ª infância
Colestase (inicialmente episódica)
Progressão para desnutrição, atraso de crescimento e hepatopatia terminal durante a 2ª infância