HPIM 238 - Cardiomiopatia e miocardite Flashcards Preview

Cardiologia MJRS > HPIM 238 - Cardiomiopatia e miocardite > Flashcards

Flashcards in HPIM 238 - Cardiomiopatia e miocardite Deck (58):
1

Miocardiopatia restritiva é definida com base na alteração da

função diastólica

2

A maioria dos defeitos genéticos identificados no disco Z e no citoesqueleto está associado a que tipo de cardiomiopatia?

Cardiomiopatia dilatada

3

Amiloidose em início que CMP dá?

início: CMP dilatada, mas pode ser confundida com CMP
hipertrófica.

4

% de hereditariedade nas CMP dilatadas:

30%

5

Os defeitos relacionados com as proteínas sacoméricas
são os mais bem caracterizados [miosina, actina e troponina]. Associados a que cardiomiopatia?

CMH

6

Maioria dos defeitos genéticos no disco Z e citoesqueleto dão que CMP?

MCD

7

Principais características da cardiomiopatia dilatada: (4)

• Dimensões cavitárias VE ↑
• Espessura da parede ↓
• Disfunção sistólica>>>disf. diastólica
• Insuficiência mitral

8

Nos pacientes com cardiomiopatia infecciosa em que as taquiarritmias dominam o quadro de apresentação deve-se investigar a possibilidade e:

sarcoidose
miocardite e células gigantes

9

% de MCD de início realmente recente que apresentam recuperação espontânea substancial?

50%

10

V/F
MCD pode ser associada a todos os tipos de agentes infecciosos.

Verdadeiro

11

Agentes infecciosos + comuns da MCD infecciosa:

Vírus
Trypanossoma cruzi [protozoário], na América do Sul
Fibrose endomiocárdica, na África equatorial

12

Sinais de cronicidade na cardiomiopatia infecciosa, sugestivos que a infecção apenas exacerbou e não iniciou a patologia:

Dilatação acentuada no ventrículo esquerdo
Grande elevação P. enchimento sem edema pulmonar franco
História crónica de alterações graduais na tolerância a exercícios

13

VÍRUS MAIS FREQUENTES À BIÓPSIA [análise genética] da cardiomiopatia infecciosa: (4)

- Parvovírus B19 - >50% da pop. com Atcs + [difícil determinar papel]
- Coxsackie
- Adenovírus
- EBV

14

Qual a hepatite vírica repetidamente implicada na miocardite viral?

Hepatite C

15

A hepatite B na miocardite viral pode ser encontrada associdada a:

em associação a vasculite sistémica e poliartrite nodosa

16

Características típicas da doença de Chagas no coração:

1. disfunção do sistema do condução (nó sinusal, BAV e BRdireito)
2. pequenos aneurismas ventriculares no ápice (comuns)
3. FA e taquiarritmias ventriculares
4. Ventrículos dilatados trombogenicos

17

Qual é a causa mais comum de miocardiopatia?

Doença de Chagas

18

Diagnostico de doença de Chagas:

ELISA para IgM

19

Tx antiparasitário da Doença de Chagas (mm na fase crónica) é Benznidazol e Nifurtimox associados a reacçoes graves: (3)

Dermatite,
Desconforto GI
Neuropatia

20

Sobrevida após IC franca, na doença de Chagas:

Sobrevida 5 anos após IC franca < 30%

21

A toxoplasmose no coração pode causar: (4)

miocardite
derrame pericárdico, pericardite constritiva
IC

22

Difteria afecta especificamente o coração em quantos casos:

quase metade dos casos. é a causa mais comum de morte nos pacientes com doença

23

Como é que a Difteria atinge o coração?

Toxina bloqueia síntese proteica e afecta sistema de condução.

24

Sobre a Doença de Lyme:
Etiologia:
Clínica:
Dx:
Tx:
Prognóstico:

Etiologia: Borrelia burgdorferi
Clínica: Artrite + distúrbios do sistema de condução.
Dx: Biópsia
Tx: Resolução com 1 a 2 semanas de ATB. Prognóstico: Raramente evolui para IC clinicamente evidente!

25

A inflamação não infecciosa do coração mais diagnosticada é a miocardite granulomatosa, que inclui:

sarcoidose
miocardite de células gigantes

26

Quando a taquicardia ventricular ou o bloqueio de condução dominarem o quadro de apresentação de IC sem DAC, deve-se suspeitar de: (1)

miocardite granulomatosa

27

Miocardite de células gigantes associdada a que outras patologias: (5)

"TIA TA"
Timoma
Tiroidite
Anemia Perniciosa
doenças auto-imunes
infecções recentes

28

Miocardite de células gigantes apresenta-se TIPICAMENTE por:

IC rapidamente progressiva e Taquiarritmias

29

Miocardite de células gigante apresenta lesões dificilmente não detectadas na biopsia:

Lesões granulomatosas difusas rodeadas de infiltrado inflamatório extenso

30

Etiologia Miocardite de Hiperssensibilidade: (5)

Antibioterapia crónica, tiazidas, anticonvulsivantes, indometacina e metildopa.

31

Quando se desenvolve miocardiopatia periparto:
Frequência:

Último trimestre ou 6M após o parto.
[1:3000 - 1:15000]

32

Fx de risco Miocardite periparto: (7)

Idade materna elevada •
Multiparidade
Malnutrição
G. gemelar
Tocolíticos
Pré-eclâmpsia
Toxemia da gravidez

33

Fármacos + comummente implicados com miocadiopatia: (1)

agentes quimioterápicos

34

A causa mais comum de anormalidade tiroideia na população com IC:

uso de amiodarona

35

A cadiopatia do beribéri é causada por:

deficiência de tiamina - Malnutrição , Alcoolismo, Comida altamente processada[+jovens]
(reposição pode levar à rápida recuperação)

36

Factores de risco para IC com FE preservada: (4)

DM
Sexo feminino
Idade avançada
HTA

37

V/F
Hipomagnesémia comummente suficiente para causar IC.

RARAMENTE suficiente para causar IC

38

Hemocromatose que cardiomiopatia provoca:

MCR mas frequentemente surge como MCD.

39

Clínica de Síndrome de não compactação do VE: [TRÍADE]:
Proteína sarcomérica que pode estar mutada:

Arritmias ventriculares + Embolização + IC
Tafazina

40

Displasia Arritmogénica Ventricular ocorre substituição de miocárdio por:

gordura

41

Displasia Arritmogénica Ventricular associada a que alterações dermatológicas:

cabelo lanoso e queratose palmo-plantar
(S. Naxos - AR)

42

MAIORIA das MCR são causadas por:

infiltração de substâncias anormais, armazenamento anormal ou lesão fibrótica.

43

Miocardiopatia Restritiva, primeiro sintoma:

Intolerância ao exercício físico

44

Miocardiopatia Restritiva, S3 ou S4?

4o som mais comum que 3o som

45

Principal causa de miocardiopatia restritiva:

amiloidose

46

Clínica da amiloidose: (4)

Bloqueio da condução
Neuropatia autonómica
Envolvimento renal
Espessamento cutâneo (ocasionalmente)

47

V/F
A amiloidose senil raramente envolve o coração.

Falso. A amiloidose secundária raramente envolve o coração.

48

V/F
Antagonismo neurohormonal sem indicação no tratamento da amiloidose.

Verdadeiro

49

Uma vez que se instale a IC qual a sobreviva média na amiloidose primária.

6 a 12 meses

50

Cardiomiopatia por irradiação coexiste frequentemente com:

pericardite constritiva

51

Prevalência de miocardiopatia hipertrófica:

1:500 adultos

52

% de padrão autossómico dominante na cardiomiopatia hipertrófica.

Metade dos casos

53

Mutações na cardiomiopatia hipertrófica:

80% ocorrem:
- cadeia pesada da beta-miosina
- proteína C cardíaca ligadora de miosina
- troponina C cardíaca
400 mutações específicas em 11 genes sarcoméricos

54

ECG da cardiomiopatia hipertrófica.

- HVE
- ondas Q septais proeminentes, diagnóstico EQUIVOCADO de enfarte.

55

Alterações genéticas na cardiomiopatia hipertrófica apical.
(REMEMBER 25% das CMP no Japão - naipe de espadas)

Defeito genético na actina cardíaca (Glu 101 Lys)
Pode ocorrer com mutações sarcoméricas

56

Fx de risco para morte súbita em doentes com CMH: (6)

•Espessura septal > 30 mm [10% dos doentes]
•Síncope
•Hipotensão induzida pelo esforço
•TV NÃO sustentada
• history of cardíac arrest or spontaneous sustained TV
. História familiar de MSC

57

Fibrose do miocárdio pode ser de 3 tipos/doenças:

Endocardite de Loffler (+M, hipereosinofilia)
Endomiocardiofibrose (M=F, com derrame)
Tumores carcinóides (serotonina, rubor e diarreia)

58

Doenças metabólicas que são DD de CMH (3):

Doença de Fabry
LAMP2 (Danon - miopatia esquelética e défice cognitivo)
PRKAG2