CLM - Dispneia Flashcards Preview

M.E.D. > CLM - Dispneia > Flashcards

Flashcards in CLM - Dispneia Deck (53):
1

Qual os componentes da tríade de virchow?

Hipercoagulabilidade
Lesão Endotelial
Estase sanguínea

2

Fatores de riscos principais para o tromboembolismo venoso?

Hereditários: Trombofilias
Pós-operatório (Principal: ortopédica)
Medicamentos (Anticoncepcional)
Neoplasias malignas
Imobilização

3

Qual o principal sintoma no tromboembolismo pulmonar?

Dispneia súbita

4

Qual o principal sinal de exame físico no tromboembolismo pulmonar?

Taquipneia

5

TEP grave com embolia maciça, é caracterizado por que tipo de manifestação clínica?

Choque obstrutivo
Cor pulmonale (Insuficiência de VD por alteração pulmonar)
Aumento de marcadores (BNP e troponinas)

6

Qual principal achado da gasometria arterial no TEP?

Hipoxemia e hipocanpnia (hiperventilação)

7

Qual o padrão mais sensível e específico no ECG de um paciente com TEP?

Sensível: Taquicardia sinusal
Específico: S1Q3T3

8

Quais os sinais mais sugestíveis de TEP na radiografia de tórax. E qual a desvantagem deles?

Sinal de Westermack: Oligoemia localizada
Corcova de Hampton: Hipotransparência trinagular periférica
Pouco sensíveis

9

Quais os itens e pontuação do score de wells?

Clínica de TVP: 3pts
Sem outro diagnóstico mais provável: 3pts
FC >100: 1,5pt
Imobilização ou cirurgia prévia recente: 1,5pt
Episódio prévio de TVP/TEP: 1,5pt
Hemoptise: 1pt
Neoplasia: 1pt

10

Qual principal exame a ser usado em um paciente com alta probabilidade de TEP. E as alteranativas à esse exame?

Angiotomografia Pulmonar;
Alt:
-Cintiligrafia;
-USG doppler de MMII;
- Arteriografia

11

Qual medicações adequadas para ser usada no TEP?

Heparina (HNF ou HBPM) + Varfarina (Juntos)
Heparina sozinha por 5 dias + após Dabigatran
Rivaroxabana
Apixaban
Endoxaban

12

Quando preferir o HNF em relação ao HBPM?

ClCr <30;
Obeso morbido
Instáveis com indicação de trombólise
Alta chance de sangramento (HBPM não tem antídoto)

13

Indicações de trombólise no TEP e tempo limite para usar:

Instabilidade hemodinâmica (TEP maciço)
PCR
>50% do comprometimento vascular visto por imagem
Até o 14º Dia

14

Indicações do Filtro de veia cava no pós TEP:

Contraindicação ao uso de trombolítico
Falha da anticoagulação (TEV recorrente) + Anticoagulante indefinidamente

15

Tríade clinica da embolia gordurosa:

Fratura de ossos longos e pelve (Não é súbito) +
- Hipoxemia;
- Alteração neurológica;
- Rash petequial

16

Padrão obstrutivo e restritivo na espirometria:

OBSTRUTIVO: VEF1/CVF <0,7
RESTRITIVO: VEF1 e CVF igualmente baixos, porém VEF1/CVF > 0,7

17

Qual o padrão de teste postivo para prova broncodilatadora?

VEF1 >200ml ou > 12% em relação ao valor pré-broncodilatador; >12% do PREVISTO em crianças

Sociedade:
VEF1 >/=200ml e >/= 12% ou
VEF1 >/= 200 E >/= 7% DO PREVISTO

18

Qual o padrão de infiltrado na Silicose e na asbestose?

Silicose: Padrão reticulonodular nos 2/3 superiores
Asbestose: Fibrose intersticial difusa inferior

19

Qual o padrão de calcificação de linfonodo na silicose?

Em casca de ovo (Eggshell)

20

Qual o tipo de asma mais comum?

Alérgica (>80%)

21

Quais alterações no escarro típico de asma?

Cristais de Charcot-Leiden
Espirais de Curshmann
Corpúsculos de Creola

22

Qual o quadro clínico típico de asma

Dispneia
Sibilância
Tosse crônica
Desconforto torácico
(Variaveis, intermitentes, piora a noite e tem GATILHOS)

23

Critérios para desenvolvimento de ASMA no lactente sibilante?

Maiores: História familiar e dermatite atópica
Menores: Rinite alergica, sibilos sem resfriado, eosinofilia >4%

24

Quais as perguntas que devemos fazer para classificação do nível de controle da asma e qual o estadiamento?

1) Atividades limitadas?
2) Bombinha de alívio >2x/semana?
3) Acordou a noite por sintomas?
4) Apresenta sintomas diurnos >2x/semana?
5) PFE > 80%? (Não pode em <5anos)
CONTROLADA: Nenhum SIM
Parcialmente controlada: até 2 SIMs
DESCONTROLADA: 3 ou 4 SIMs

25

Quais medidas gerais devem ser atribuídas no tratamento da asma de qualquer paciente?

Medidas ambientais;
Vacinação (pneumococo e influenza)
Bombinha SOS

26

Qual a medida principal no Passo 1 do controle da asma?

Medidas gerais +
B2 agonista de curta + CTC inalatória dose baixa de alívio
ou
CTC inalatório + formoterol (Budform) de alívio

27

Quais as medidas do passo 2 do controle da asma?

Corticoide inalatório Dose baixa fixa (opção antileuco)

28

Quais as medidas do passo 3 do controle da asma?

Escolha: CTC inalatório de baixa dose + Beta2 de longa duração
Alternativa e <12a: CTC inalatório em dose média ou alta sozinho

29

Quais as medidas do passo 4 do controle da asma?

Escolha: CTC inalatório dose MÉDIA + Beta2 de longa
Alterantiva: +/- terceira droga (antileuco, teofilina)

30

Quais as medidas do passo 5 do controle da asma?

CTC inalatório dose alta + Beta de longa + Tericera droga(antileuco ou teofilina) + Quarta droga (pred oral)

31

Quais as doses de corticoide a depender do grau de intensidade?

Baixa: Criança <100; Adulto: <200
Moderada: C: <200 A: <400
Alta: C: >200 A: >400

32

Qual a primeira conduta na asma que não está controlada?

VERIFICA AMBIENTE, ADERÊNCIA E TÉCNICA

33

Quais os critérios de alta para um paciente com crise asmática?

Melhora clínica;
PFE >60-80%;
SatO2 > 94% em aa

34

Na alta hospitalar de uma crise asmática, quais principais condutas:

Iniciar tratamento cronico ou aumentar o passo
Medidas ambientais, tecnica e aderência;
5-7 dias de corticoide VO (3-5 em crianças)
Nova consulta em 2-7 dias

35

Qual tipo de enfisema no portador de DPOC do tabagista?

Centroacinar

36

Qual o tipo de enfisema do portador de DPOC com deficiência de alfa-1-antitripsina?

Panacinar

37

Quando investigar por deificiência de alfa-1-antitripsina num paciente com doença pulmonar obstrutiva cronica?

Enfisema em jovens sem risco conhecido;
Enfisema em bases pulmonares;
Hepatopatia inexplicada
Vasculite C-ANCA+
História familiar
Enfisema panacinar

38

Qual o primeiro padrão/mais sensível espirométrico a alterar num paciente com doença obstrutiva?

Fluxo mesoexpiratório maximo: FEF 25-75%

39

Como classificar o GOLD na doença Pulmonar obstrutiva cronica?

GOLD 1 Leve: >/= 80
GOLD 2 moderado: <80
GOLD 3 Grave: <50
GOLD 4 muito grave: <30

40

Quais critérios estão presentes num paciente com DPOC que tenha Classe A?

A: CAT <10 e Exacerbação <2

41

Quais critérios estão presentes num paciente com DPOC que tenha Classe B?

B: CAT >/=10 e Exacerbação < 2

42

Quais critérios estão presentes num paciente com DPOC que tenha Classe C?

C: CAT < 10 e exacerbação >/=2

43

Quais critérios estão presentes num paciente com DPOC que tenha Classe D?

D: CAT >/=10 e exacerbação >/=2

44

Quais medidas gerais para o tratamento básico de um paciente com DPOC?

Cessar tabagismo;
Vacinas (Pneumo, influenza)
Broncodilatador de alivio
Fisioterapia

45

Qual conduta num paciente classe A do tratamento de DPOC?

Broncodilatador de alívio de curta ou de longa

46

Qual conduta num paciente classe B do tratamento de DPOC?

Medidas gerais +
TIOTRÓPIO OU B2 DE LONGA
Se mantem sintomas: TIOTRÓPIO + B2 DE LONGA

47

Qual conduta num paciente classe C do tratamento de DPOC?

Medidas Gerais + TIOTRÓPIO
Se mantem exacerbação: + B2 de longa

48

Qual conduta num paciente classe D do tratamento de DPOC?

Medidas Gerais +
TIOTRÓPIO + BETA2 DE LONGA
Se mantem: CTC inalatório, Roflumilaste

49

Medidas que comprovadamente reduzem a mortalidade em DPOC:

Cessar tabagismo;
O2 domiciliar
Cirurgia de pneumorreduçao

50

Critérios para oxigenoterapia domiciliar:

PaO2 <55mmHg ou SatO2< 88% no repouso
OU
PaO2: 55 - 59mmHg + Ht >55% ou Cor pulmonar

51

Critérios para exaberbação da DPOC:

Piora da dispneia;
Aumento do volume do escarro
Escarro purulento

52

Principais agentes da exacerbação bacteriana da DPOC:

1º Haemophilus influenzae
2º Pneumococo
3º Moraxella

53

Conduta na exacerbação da DPOC:

ATB se 2 /3 critérios
Broncodilatador (20/20min até 1 hora)
Oxigenio 1-3L (Manter Sat entre 88-92%)
VNI se acidose ou hipercapnia
VI se falencia ou CI da VNI
Fisioterapia respiratório