Gênesis Flashcards Preview

Pontos Sobressalientes > Gênesis > Flashcards

Flashcards in Gênesis Deck (14):
0

Gênesis 1:31_“Deus viu tudo o que tinha feito, e eis que era muito bom.”

“Depois de contemplar suas obras criativas, Jeová Deus anunciou o início de um sétimo dia — não de 24 horas, mas um longo período durante o qual ele ‘tem repousado’, ou cessado, de criar coisas na Terra. (Gên. 2:2) O dia de descanso de Deus ainda não acabou. (Heb. 4:9, 10) A Bíblia não revela exatamente quando esse dia começou. Foi algum tempo depois da criação da esposa de Adão, Eva, uns 6 mil anos atrás. O futuro Reinado Milenar de Jesus Cristo garantirá o cumprimento do propósito de Deus, de criar a Terra para ser um paraíso eterno habitado por humanos perfeitos. (Gên. 1:27, 28; Rev. 20:6) Você pode ter certeza de que terá um futuro feliz assim? Sem dúvida! Pois “Deus passou a abençoar o sétimo dia e a fazê-lo sagrado”. Isso era uma garantia de que, independentemente de que problemas imprevistos pudessem surgir, o propósito de Deus se cumpriria sem falta no fim de seu dia de descanso. — Gên. 2:3. w12 15/10 3:1, 2”

1

Gênesis 2:3_“Deus passou a abençoar o sétimo dia e a fazê-lo sagrado, porque nele tem repousado de toda a sua obra que Deus criara com o objetivo de a fazer.”

“Depois que começou o dia de descanso de Deus, aconteceu um desastre. Satanás, um filho angélico de Deus, fez de si mesmo um deus rival. Ele contou a primeira mentira e enganou Eva, levando-a a desobedecer a Jeová. (1 Tim. 2:14) Eva, por sua vez, atraiu seu marido à rebelião. (Gên. 3:1-6) Mesmo nesse pior momento da história universal, quando a veracidade de Deus estava sendo questionada, Jeová não achou necessário confirmar com um juramento que seu propósito ainda se cumpriria. Em vez disso, com palavras que seriam entendidas no tempo marcado por Deus, ele simplesmente declarou como a rebelião seria esmagada: “Porei inimizade entre ti [Satanás] e a mulher, e entre o teu descendente e o seu descendente. Ele [o Descendente prometido] te machucará a cabeça e tu lhe machucarás o calcanhar.” — Gên. 3:15; Rev. 12:9. w12 15/10 3:2, 3”

2

Gênesis 2:18_“Não é bom que o homem fique sozinho. Vou-lhe arranjar uma companhia apropriada para ele. — Gên. 2:18, Sociedade Bíblica Portuguesa.”

“Jeová sabe tudo o que há para saber sobre a humanidade e o casamento. Ele implantou nos humanos a necessidade sexual para ‘serem fecundos e se tornarem muitos’. (Gên. 1:28) Deus entende a solidão, pois antes de criar a primeira mulher, ele disse as palavras do texto de hoje. Além disso, Jeová está bem ciente da alegria que os vínculos do casamento podem proporcionar. (Pro. 5:15-18) Por causa do pecado e da imperfeição, nenhum casamento hoje é perfeito. Entre os servos de Jeová, porém, o casamento pode trazer real felicidade pela aplicação da Palavra de Deus. Veja, por exemplo, o conselho claro de Paulo sobre as relações íntimas no casamento. (1 Cor. 7:1-5) As Escrituras não exigem que os cônjuges limitem as relações sexuais ao objetivo de ter filhos. Essa intimidade pode corretamente preencher necessidades emocionais e físicas. Mas práticas pervertidas certamente não agradam a Deus. w12 15/5 1:9, 10”

3

Gênesis 2:23_“Esta por fim, é osso dos meus ossos e carne da minha carne.”

“Quanta felicidade o primeiro homem, Adão, sentiu ao receber uma esposa! Não é de admirar que tenha usado palavras poéticas. Depois de fazer Adão cair num sono profundo, Jeová criou essa bela mulher de uma das costelas do homem. Mais tarde Adão a chamou de Eva. Deus uniu os dois num casamento feliz. Visto que Jeová usou uma das costelas de Adão como base para criar a mulher, Adão e Eva eram mais íntimos do que qualquer casal atual. Na sua inimitável sabedoria, Jeová implantou nos humanos a capacidade do amor romântico — uma qualidade que faz com que o homem e a mulher sejam atraídos um ao outro. Diz a enciclopédia World Book: “O homem e a mulher que se casam esperam ter um relacionamento sexual e uma permanente atração romântica.” Isso já aconteceu inúmeras vezes entre o povo de Jeová. Naturalmente, os casamentos não são decididos no céu, mas Deus guiará os cristãos nesse e em outros aspectos da vida se orarem por orientação e forem dirigidos pelo Seu espírito. — Gál. 5:18, 25. w12 15/5 1:1-3”

4

Gênesis 3:15_“Ele te machucará a cabeça.”

“O apóstolo João nos informa o que acontecerá com Satanás. Jesus Cristo, o “anjo com a chave do abismo”, se apoderará de Satanás e seus demônios, os lançará no abismo e os manterá ali por mil anos. (Rev. 20:1-3; Luc. 8:30, 31; 1 João 3:8) Essa ação será o estágio inicial do ‘machucar’ a cabeça da serpente. O que é o “abismo” no qual Satanás e seus demônios serão lançados? A palavra grega á·bys·sos usada por João significa “muito ou extremamente profundo”. É também traduzida “insondável, ilimitado” e “o vazio infinito”. Portanto, é um lugar totalmente fora do alcance de qualquer um, exceto de Jeová e de seu anjo designado que tem “a chave do abismo”. Ali, Satanás estará inativo, como que morto, para ‘não mais desencaminhar as nações’. Realmente, esse “leão que ruge” será silenciado! — 1 Ped. 5:8. w12 15/9 1:15, 16”

5

Gênesis 3:15_“Porei inimizade entre ti e a mulher, e entre o teu descendente e o seu descendente.”

“Logo depois da rebelião no jardim do Éden, Jeová prometeu que uma “mulher” produziria um “descendente”. Esse descendente por fim machucaria a serpente, Satanás, na cabeça. Mais tarde, Jeová revelou que o descendente viria por meio de Abraão, pertenceria à nação de Israel, seria judeu e descendente do Rei Davi. (Gên. 22:15-18; 49:10; Sal. 89:3, 4; Luc. 1:30-33) A parte principal desse descendente veio a ser Cristo Jesus. (Gál. 3:16) A parte secundária do descendente se compõe dos membros da congregação cristã ungidos por espírito. (Gál. 3:26-29) Juntos, Jesus e esses ungidos formam o Reino de Deus, o instrumento com o qual Deus esmagará Satanás. (Luc. 12:32; Rom. 16:20) Essa primeira profecia, proferida no Éden, dizia também que Satanás produziria um “descendente”. Esse descendente expressaria inimizade, ou ódio, para com o descendente da mulher. w12 15/6 1:4, 5”

6

Gênesis 6:3_“Seus dias hão de somar cento e vinte anos”

“Jeová não providenciou primeiro a construção da arca para só então decidir quando precipitar as águas, como se tivesse de manter flexível a hora do início do Dilúvio para o caso de a construção atrasar. Em vez disso, muito antes de falar a Noé sobre a construção de uma arca, Deus determinou quando o Dilúvio começaria. Como sabemos disso? Pelas palavras de Jeová no texto de hoje. Não era uma declaração a respeito da duração média da vida humana. Era um decreto judicial em que Jeová declarou quando agiria para livrar a Terra da impiedade. Visto que o Dilúvio começou em 2370 AEC, deduzimos que Deus fez esse pronunciamento em 2490 AEC. Naquele tempo, Noé tinha 480 anos de idade. (Gên. 7:6) Uns 20 anos depois, em 2470 AEC, passaram a nascer os filhos de Noé. (Gên. 5:32) Restavam uns cem anos para o Dilúvio começar. w12 15/4 4:4, 5”

7

Gênesis 6:6_“Jeová deplorou ter feito os homens na terra e sentiu-se magoado no coração.”

“Fiquei arrasada”, diz uma irmã cuja filha foi desassociada. Para quem nunca sofreu tal perda, talvez seja difícil entender quão devastadora ela pode ser. No entanto, não seria sábio permitir que o proceder impróprio de um membro da família desassociado distanciasse você de Jeová. Como, então, você pode lidar com a profunda tristeza de ver um membro da família abandonar a Jeová? Não se culpe pelo que aconteceu. Jeová dá aos humanos uma oportunidade de escolha, e todo membro de família que é dedicado e batizado tem de ‘levar sua própria carga’ de responsabilidade. (Gál. 6:5) Em última análise, Jeová considera o pecador — não você — o culpado por sua escolha. (Eze. 18:20) Também, não culpe outros. Respeite o arranjo de Jeová para prover disciplina. Tome sua posição contra o Diabo — não contra os pastores que agem para proteger a congregação. — 1 Ped. 5:8, 9. w13 15/1 2:16-18”

8

Genesis 6:22_“Noé passou a fazer segundo tudo o que Deus lhe mandara. Fez exatamente assim.”

“Durante a construção da arca, Noé e sua família certamente se perguntavam como Deus realizaria seu propósito e quando o Dilúvio começaria. No entanto, desconhecerem esses detalhes não os impediu de construir a arca. Sete dias antes de caírem as águas — tempo suficiente para Noé e sua família alojarem os animais na arca —, Jeová por fim informou a Noé exatamente quando o Dilúvio começaria. Assim, quando as “comportas dos céus” se abriram, estava tudo pronto. (Gên. 7:1-5, 11) O relato do Dilúvio atesta a capacidade de Jeová tanto de Cronometrista como de Libertador. Na sua contagem regressiva para o fim do atual sistema mundial, podemos ter certeza de que tudo o que Jeová se propôs a fazer acontecerá exatamente no tempo que ele determinou, bem no ‘dia e hora’ marcados. — Mat. 24:36; Hab. 2:3. w12 15/4 4:7, 8”

9

Gênesis 10:9_“Igual a Ninrode, poderoso caçador em oposição a Jeová.”

“O domínio de Ninrode incluía Babel e outras cidades entre os rios Tigre e Eufrates. (Gên. 10:10) Talvez tenha sido sob a sua direção que se iniciou a construção de Babel e de sua torre, por volta de 2269 AEC. Contrariando a vontade de Jeová de que a humanidade se espalhasse por toda a Terra, os construtores disseram: “Vamos! Construamos para nós uma cidade e também uma torre com o seu topo nos céus, e façamos para nós um nome célebre, para que não sejamos espalhados por toda a superfície da terra.” Mas eles tiveram de abandonar esse projeto quando Deus ‘confundiu o idioma de toda a Terra’, e com isso espalhou os que queriam construir a torre. (Gên. 11:1-4, 8, 9) Se o plano de Satanás era dar início a uma religião para que todos o adorassem, essa trama foi um fracasso total. Ao longo da história humana, a adoração de Jeová tem prevalecido, e cada vez mais pessoas passam a adorá-lo. w13 15/2 1:19, 20”

10

Gênesis 14:22_“Ergo deveras minha mão em juramento a Jeová.”

“Criaturas perfeitas que amam a Deus e o imitam não precisam jurar; elas sempre falam a verdade e confiam plenamente umas nas outras. Mas as coisas mudaram com o surgimento do pecado e imperfeição humanos. Por fim, quando a mentira e o engano se tornaram comuns entre os humanos, tornou-se necessário que, em assuntos importantes, jurassem dizer a verdade. Fazer juramentos era um instrumento jurídico que o patriarca Abraão usou em pelo menos três ocasiões. (Gên. 21:22-24; 24:2-4, 9) Uma delas foi quando retornou após ter derrotado o rei de Elão e seus aliados. (Gên. 14:17-20) Quando o rei de Sodoma quis recompensar Abraão por ter resgatado o povo dele dos exércitos invasores, Abraão jurou: “Desde o fio até o cordão de sandália, não, não tomarei nada daquilo que é teu, para que não digas: ‘Fui eu que enriqueci a Abrão.’” — Gên. 14:21-23. w12 15/10 3:4, 5”

11

Gênesis 22:16_“Juro deveras por mim mesmo”

“Por que Deus jurou a Abraão que Suas promessas se cumpririam? Era para reforçar a confiança e fortalecer a fé dos que se tornariam co-herdeiros de Cristo, como parte secundária do prometido “descendente”. (Gál. 3:29) Como o apóstolo Paulo explicou, Jeová “interveio com um juramento, a fim de que, por duas coisas imutáveis [sua promessa e seu juramento], nas quais é impossível que Deus minta, nós . . . tenhamos forte encorajamento para nos apegar à esperança que se nos apresenta”. (Heb. 6:13-18) Os cristãos ungidos não são os únicos que se beneficiam do juramento que Deus fez a Abraão. Por meio do “descendente” de Abraão, Jeová jurou que pessoas de “todas as nações da terra [abençoariam] a si mesmas”. (Gên. 22:18) Esses abençoados incluem as obedientes “outras ovelhas” de Cristo, que têm a esperança de vida eterna num paraíso terrestre. — João 10:16. w12 15/10 3:6-8”

12

Gênesis 22:18_“Todas as nações da terra hão de abençoar a si mesmas por meio de teu descendente.”

“A Bíblia fala de mais de 40 ocasiões em que Jeová Deus fez juramentos. O exemplo mais conhecido talvez venha dos tratos de Deus com Abraão. Durante muitos anos, Jeová havia feito várias promessas pactuadas a Abraão, que, em conjunto, mostram que o Descendente prometido viria de Abraão por meio de seu filho Isaque. (Gên. 12:1-3, 7; 13:14-17; 15:5, 18; 21:12) Daí Jeová submeteu Abraão a uma prova severa, ordenando-lhe que sacrificasse seu filho amado. Sem demora, Abraão obedeceu e estava prestes a sacrificar Isaque quando um anjo de Deus o impediu. Deus então jurou: “Juro deveras por mim mesmo . . . que, pelo fato de que fizeste esta coisa e não me negaste teu filho, teu único, seguramente te abençoarei e seguramente multiplicarei o teu descendente como as estrelas dos céus e como os grãos de areia que há à beira do mar.” — Gên. 22:1-3, 9-12, 15-17. w12 15/10 3:6”

13

Gênesis 28:2_ “Toma para ti por esposa uma das filhas de Labão.

“Obedecendo a Isaque, Jacó deixou a segurança de sua família imediata, que morava em Canaã, para viajar, evidentemente sozinho, centenas de quilômetros à região de Harã. (Gên. 28:10) Talvez ele se perguntasse: ‘Quanto tempo ficarei fora? Será que meu tio me receberá bem e me dará uma esposa temente a Deus?’ Se Jacó sentiu essa ansiedade, ela sem dúvida desapareceu quando Jeová apareceu a ele num sonho e lhe disse: “Eis que estou contigo e vou guardar-te em todo o caminho em que andares, e vou retornar-te a este solo, porque não te abandonarei até que eu tenha realmente feito o que te falei.” (Gên. 28:15) Essas palavras bondosas devem ter sido de grande ânimo e consolo para Jacó. Pode imaginá-lo depois disso, ansioso para ver como Deus cumpriria sua palavra? Se você saiu de casa, talvez para servir no estrangeiro, com certeza entende as emoções de Jacó. Sem dúvida, tem visto evidências de como Jeová cuida de você. w13 15/3 4:6, 7”