Regulação Imune Flashcards Preview

Imunologia > Regulação Imune > Flashcards

Flashcards in Regulação Imune Deck (22)
Loading flashcards...
1

Porque é que existe regulação imune?

- A continuidade de uma resposta imune ou de uma infeção pode gerar reações autoimunes (perda de tolerância ao self);
- A diminuição de uma resposta imune pode levar a síndromes de imunodeficiência;
- Um desvio de uma determinada resposta pode levar ao desenvolvimento de uma alergia;

2

Tipos de regulação imune

Regulação por Ag e células APC;
Regulação por Acs;
Regulação pela rede de idiotipos;
Ação de células reguladoras (Treg, Breg);
Regulação por mecanismos neuroendócrinos;
Regulação ligada a aspetos genéticos;

3

Regulação imune por Ag e células APC

Magnitude da resposta imune é determinada por:
- Ativação linfocitária, derivada do reconhecimento antigénico;
- Influência de elementos reguladores, que previnem ou inibem a resposta;
Mecanismos atuam EM TODAS AS FASES da resposta:
I. Reconhecimento de Ag = ausência de coestimulação leva a ANERGIA;
II. Ativação = ligação de CTLA-4 a B7 leva a DOWN REGULATION;
III. Funções efetoras = presença de Ag em grandes concentrações leva a indução de TOLERÂNCIA;

4

Tolerância vs. Ativação: FATORES DETERMINANTES

Natureza do Ag;
Estímulos associados;
Forma de interação com Ag;
Local onde há interação;

5

Citocinas

Ação dependente do millieu citocínico (ambiente em que está envolvida);
Regulam tipo e extensão da resposta imune gerada;
Podem ser:
I. ATIVADORAS (= inflamação):
º IL-2;
º IL-1;
º IL-4;
º IL-5;
º IL-6;
º IL-12;
º IL-18;
º IFN gamma;
II. INIBIDORAS (= proteção):
º IL-4;
º IL-10;
º IL-11;
º IL-13;
º IFN alpha e IFN beta (=IFN-1);
º TGF beta;
º IFN gamma (se for específica de um perfil, Th1 ou Th2, vai ter função de feedback negativo para o perfil oposto);
=> Um indivíduo pode ter Acs contra citocinas:
a) Inibitórias = falhas na regulação;
b) Ativadoras = falha na ativação;
Têm POTENCIAL forte => EVITAR amplificação exagerada e continuação da transcrição - degradação rápida

6

Regulação imune por Acs

Mecanismos de feedback negativo via FcgammaRIIb
- Hipótese da rede de idiotipos = a diversidade dos recetores de Ag é tão grande que podem servir de Ag a outros recetores (anti idiotipos)
º EVITA: deposição de imunocomplexos, ativação da desgranulação, ativação de neutrófilos e macrófagos e reações exageradas por presença e deposição de imunocomplexos.

7

Regulação fisiológica da resposta imune

HOMEOSTASIA IMUNE:
- AICD: apoptose de linfócitos efetores, quando há ausência de Ags (sinal de sobrevivência) ou expressão de FasL-Fas ( ação na própria células e nas vizinhas);
- Regulação por secreção de citocinas e contacto: anergia e inibição

8

Diferenciação de células T naive: FATORES DETERMINANTES

Depende de:
- Sinais recebidos;
- Possibilidade de diferenciação (diferenciação inicial para Th17 e depois Th1);
- Citocinas e fatores de transcrição = permite identificar perfil de diferenciação

9

Células Treg

Diferenciam-se no timo, na zona mais medular, a partir de células single positive. A sua ativação depende de:
- Contacto cell on cell;
- Citocinas;
- Microambiente tecidular;
Dois tipos de células reguladoras:
a) Thymus arrived - desenvolvem-se no timo, depois são exportadas, atuam como supressoras de células T autoreativas;
b) Peripheral arrived - ativadas a partir da periferia;
Têm heterogeneidade / plasticidade funcional:
- As Treg podem especializar-se no timo ou à periferia, actuando de acordo com o contexto em que se inserem;

10

Diferenciação da linhagem Treg

No timo:
- No córtex = avaliação da interação com MHC;
- Na medulla = avaliação da autoreatividade;
º Dois modelos para explicar diferenciação da linhagem Treg => Modelo instrutivo vs. Modelo estocástico ou seletivo (aleatoriedade);
Nos órgãos periféricos:
- Há ativação anormal, e ficamos com célula Treg em vez de célula anérgica;

11

Células Treg CD4+ CD25 high

5 a 10% das células T CD4+;
CD25+: cadeia alpha do recetor de IL-2;
Essenciais na tolerância periférica;
Fator de transcrição: Foxp3;
Expressão de CTLA-4 e GITR;

12

Ação das células Treg

Mediada por:
- Mediadores solúveis (IL-10 e TGF beta);
- Contacto cell on cell;
Podem ser:
a) Não específicos:
º Competição por APC;
º Competição por complexos MHC:Ag;
º Consumo de IL-2 disponível;
b) Proativos:
º Expressão de CTLA-4;
º Redução da capacidade de apresentação das APC;
º Estimulação de CD80/CD86;
º Moléculas inibitórias específicas de Treg (LAG3);

13

Mecanismos de ação das células Treg

1. Produção de citocinas inibitórias;
2. Morte celular (citólise);
3. Disrupção metabólica;
4. Introdução de capacidade tolerogénica nas APC;
5. Inibição da proliferação;

14

Innate Lymphoid Cells

Sem recetores e sem marcadores usuais:
- CD3;
- CD4 / CD8;
- CD19;
Condicionam perfil de diferenciação

15

Células gamma delta

Ao nível das mucosas e epitélios;
Não são muito variáveis;
Tal como células NK, têm alguma plasticidade em termo de produção de citocinas;

16

Linfócitos NKT

Recetores: TCR + NKR;
Reconhecem Ags lípidicos;
Outcome difere conforme sinais que célula dendrítica der;

17

Células Breg

Linfócitos B com capacidade supressora, mediada por citocinas ou contacto cell on cell;
Sem fenótipo ou marcador específico consensual;
Dois grupos:
I. Fase imatura da cél. B => T2 MZP;
II. Cél. B que expressa CD5 => B10;
Se produz IL-10 => tem capacidade de ser célula Breg

18

Ações Breg

Limitar condições de apresentação antigénica;
Indução da apoptose;
Inibir Th1 e Th2;
Induzir Treg;

19

Tipo de recetor das células dendríticas

º Recetores que regulam negativamente a função T => recetores PD (programmed death), que induzem apotptose e limitam ativação T
Condiciona:
- Localização;
- Resposta;

20

L-NK

Podem ser consideradas ILC;
Permitem dar input citoquímico no início da resposta (sobretudo viral);

21

Regulação imune por mecanismos neuroendócrinos

Sistemas hormonais;
Catecolaminas;
Neuropéptidos;

22

Determinantes genéticos na regulação imune

Haplotipos MHC influenciam a capacidade de resposta a Ags.
Os genes ligamos ao MHC controlam:
- Resposta a infeções;
- Suscetibilidade a doenças autoimunes;
Genes não MHC modulam:
- Resposta imune;
- Polimorfismos em genes de citocinas e quimiocinas;
- Alterações em genes que regulam atividade macrofágica;
- Genes reguladores de apoptose;