Síndromes Cerebrovasculares Flashcards Preview

Clínica Médica > Síndromes Cerebrovasculares > Flashcards

Flashcards in Síndromes Cerebrovasculares Deck (62):
1

 

Qual o tipo mais comum de AVE?

 

ISQUÊMICO (80%)

Hemorrágico representa os outros 20%

2

 

Qual exame é imprescindível para diferenciar AVEi de AVEh?

 

TC DE CRÂNIO SEM CONTRASTE

3

 

Quais são os achados do AVE isquêmico à TC?

 

NORMAL NO INÍCIO

Lesão HIPOdensa dentro de 24-72h (ou mais precoce se AVE muito extenso)

4

 

Qual o achado do AVE hemorrágico à TC?

 

Lesão HIPERdensa desde o início

5

 

Qual a técnica usada na RNM para visualizar AVE?

Qual sua vantagem?

 

RNM por DIFUSÃO (DWI)

Vantagem: visualização precoce da área isquemiada

Associada à PERFUSÃO (PWI): detecta alterações perfusionais mínimas

 

PWI - DWI = Área de PENUMBRA (que pode ser salva com tratamento apropriado do AVE

6

 

Quais os 2 pilares do tratamento agudo do AVE isquêmico?

 

1) ESTABILIZAÇÃO CLÍNICA

2) TERAPIA ANTI-TROMBÓTICA

7

 

Como deve ser a estabilização clínica do paciente com AVEi?

(que parâmetros controlar)

 

  • Controle da glicemia: 140 - 180
  • Controle de temperatura: evitar febre
  • Controle da natremia
  • Hipertensão permissiva

8

 

Qual o valor de PA que indica início de medicamentos ant-hipertensivos na abordagem aguda de um AVEi?

 

  • PA > 220 x 120 mmHg
  • TROMBÓLISE: PA > 185 x 110 mmHg

9

 

Qual o alvo de PA se eu optei por realizar trombólise?

 

PA < 180 x 105 mmHg nas primeiras 24h após a trombólise

10

 

Qual o tempo máximo para trombólise no AVEi?

 

 

∆t 4,5h desde o início dos sintomas ou última vez que foi visto normal

11

 

Quais os critérios que CONTRAINDICAM trombólise no AVEi?

 

 

  • AVE isquêmico ou TCE nos últimos 3 meses
  • AVE hemorrágico prévio
  • Dissecção aórtica
  • Coagulopatia, Plaq < 100.000, TTPa > 40s, RNI > 1,7
  • Heparina em dose terapêutica há < 24h
  • Uso de NOACs há < 48h
  • Neoplasia intracraniana
  • Sangramento gastrointestinal < 3 semanas

 

12

 

Como é o esquema da trombólise no AVEi?

Que trombolítico? Que dosagem e administração?

 

ALTEPLASE (rtPA) 0,9 mg/kg IV (máx 90mg)

10% em bolus e restante em 1h

13

 

Qual o ∆t para realização de trombectomia mecânica?

 

IDEAL: até 6h

Algumas referências citam 24h

14

 

Em que faixa de déficit (NIHSS) são observados os melhores resultados da trombólise?

 

NIHSS entre 4 e 22

15

 

Qual o nome escala tomográfica que avalia a extensão do AVEi?

 

ASPECTS

16

 

Em que situações pensar em trombectomia mecânica?

 

  • Escala de Rankin modificada pré-AVE 0-1 (sem incapacidade siginificativa)
  • Idade ≥ 18 anos
  • Oclsuão de grande artéria 
  • NIHSS ≥ 6
  • ASPECTS ≥ 6
  • Início do tratamento dentro de 6 horas

17

 

Durante infusão do trombolítico, paciente apresentou piora neurológica...

NO QUE PENSAR?

Qual a conduta?

 

AVE Hemorrágico iatrogênico

INFUSÃO de CRIOPRECIPITADO + ÁCIDO TRANEXÂMICO

Novo exame de imagem

18

 

Quais exames devemos solicitar para investigação etiológica do AVEi?

 

  • Eletrocardiograma
  • ECOcardiografia
  • USG com Doppler de carótidas e vertebrais

19

 

Em investigação etiológica de AVEi detectou-se FA com trombo intra-cardíaco

Qual a causa do AVE?

 

 

CARDIOEMBÓLICO

Se FA, mas ECO TT normal, solicitar ECO Transesofágico

Outra causa seria um tormbo mural pós IAM

 

 

20

 

Qual o tratamento crônico de um AVE cardioembólico?

 

Anticoagulação plena com varfarina ou os NOACs

Anticoagulação por 3 meses em caso de trombo intra-cardíaco pós IAM

21

 

Em investigação de AVEi detectou-se ECG e ECO normais, com Duplex mostrando estenose carotídea (ou vertebrobasilar)

Qual a origem do AVE?

 

AVEi aterotrombótico de vasos extra-cranianos

22

 

Investigação AVEi: ECG, ECO, Doppler de carotida e vertebrais normais.. Que exame solicitar?

Pensando em...

 

Doppler transcraniano para confirmar AVE aterotrombótico de vasos INTRACRANIANOS

23

 

Como é o tratamento crônico do AVEi aterotrombótico?

 

ANTIAGREGAÇÃO PLAQUETÁRIA

(AAS / AAS + dipiridamol / Clopidogrel)

Controle de fatores de risco (HAS, DM, Dislipidemia, tabagismo)

 

24

 

Quando indicar intervenção carotídea após um AVEi aterotrombótico

 

Estenose carotídea ≥ 70% compatível com a clínica

Idealmente dentro e 48h a 7 dias após o evento

Alternativa, em caso de alto risco cirúrgico é a angioplastia carotídea com stent

25

 

Qual o tipo de AVE isquêmico mais comum?

 

1) CARDIOEMBÓLICO

2) Aterotrombótico de vasos extracranianos (tromboembólico)

3) Lacunar

4) Aterotrombótico de vasos intracranianos (bem raro)

26

 

O que preciso para definir um ATAQUE ISQUÊMICO TRANSITÓRIO?

 

Evento agudo de isquemia encefálica não associado a infarto cerebral

Ou seja, PRECISAMOS DE UM EXAME DE IMAGEM NORMAL (ressonância magnética por difusão - DWI)

A maioria dura < 15 minutos

27

 

Quais são os possíveis mecanismos de um AIT?

 

1) AIT de baixo fluxo em grandes artérias: associado a estenose aterosclerótica de vasos extracranianos; Se carótida, sintomas estereotipados; Se vertebrobasilar, sintomas variados

2) AIT Embólico: microêmbolos que são dissolvidos pelo sistema fibrinolítico endógeno

3) AIT lacunar: AIT de baixo fluxo em pequenas artérias

Amaurose fugaz: embolia originada no sifão carotídeo, vai para a artéria oftálmica

28

 

O que determina maior risco de novo episódio isquêmico em pacientes com AIT?

 

SCORE ABCD2

  • Age ≥ 60 anos = 1 pt
  • Blood pressure: PAS ≥ 140 ou PAD ≥ 90 = 1pt
  • Clínica
    • Paresia ou paralisia = 2 pts
    • Afasia isolada = 1 pt
  • Duração
    • ≥ 60 min = 2 pts
    • 10-59 min = 1 pt
  • Diabetes = 1 pt

Score ≥ 3 pontos = INTERNAÇÃO, monitorização, controle dos fatores d eriso e tratamento

29

 

Onde está o córtex motor?

 

Lobo frontal

Pernas estão MEDIAIS

30

 

Onde está o córtex sensitivo?

 

Lobo PARIETAL

31

 

Qual o nome da área da compreensão da linguagem?

Onde está localizada?

Quem irriga?

 

ÁREA DE WERNICKE

Giro superior do lobo temporal DOMINANTE (unilateral)

Irrigada pelo superior da artéria cerebral média

32

 

Qual o nome da área da praxia/motricidade da linguagem?

Onde está localizada?

Quem irriga?

 

ÁREA DE BROCA

Giro inferior do lobo frontal DOMINANTE (unilateral)

Irrigada pelo inferior da artéria cerebral média

33

 

Qual as possíveis manifestações clínicas de um AVE que acomete pares cranianos?

 

Diplopia

Disfagia

Vertigem

34

 

Que circulação irriga tronco, cerebelo e lobo occiptal

 

CIRULAÇÃO POSTERIOR

VERTEBRO-BASILAR

35

 

Quais os principais vasos extracranianos da circulação anterior?

 

CARÓTIDA COMUM e carótida interna

36

 

Síndrome piramidal motora contralateral

Síndrome sensitiva contralateral

Afasia (se lobo dominante)

QUE ARTÉRIA?

 

 

SÍNDROME DA ARTÉRIA CEREBRAL MÉDIA

Geralmente as alterações sensitivo/motoras tem predomínio fasciobraquial

 

37

 

Alteração MOTORA e SENSITIVA da perna contralateral

QUE ARTÉRIA?

 

SÍNDROME DA CEREBRAL ANTERIOR

Irriga regiões MEDIAIS

38

 

Déficit visual SÚBITO

Que ARTÉRIA?

 

ARTÉRIA CEREBRAL POSTERIOR

39

 

Hemiplegia contralateral pura

(sem alteração sensitiva ou de linguagem)

QUE VASO ACOMETIDO?

 

ARTÉRIA LENTICULO-ESTRADIAS

(AVE lacunar da cápsula interna)

40

 

Hemiplegia fasciobraquicrural à D

Diplopia com estrabistmo divergente e vertical, midríase e ptose à E

Parkinsonismo

QUE SÍNDROME?

 

SÍNDROME DE WEBER  (mesencéfalo anterior)

41

 

Hemianestesia termoálgica à E

Anestesia da hemiface à D

Disfagia e disfonia

Síndrome vestibular: vertigem, nistagmo, náuseas e vômitos

Ataxia cerebelar à D

Síndrome de Horner à D

QUE SINDROME?

 

SÍNDROME DE WALLENBERG (bulbo lateral)

ARTÉRIA VERTEBRAL

42

 

Cefaleia súbita

+ Rebaixamento da consciência/síncope

+ Rigidez de nuca

PENSAR EM...

 

HEMORRAGIA SUBARACNOIDE

(tríade clássica)

43

 

Qual a principal causa de HSA?

Que local?

 

Ruptura de aneurisma sacular congênito

Mais comumente na artéria comunicante anterior

44

 

Qual o nome da escala clínica que avalia a HSA?

Qual a graduação?

 

HUNT HESS

Grau 1: leve cefaleia

Grau 2: cefaleia + rigidez de nuca

Grau 3: sonolência

Grau 4: torpor + déficit focal

Grau 5: coma

ATENTARA que, na HSA, o déficit focal é TARDIO

45

 

Qual o primeiro exame a solicitar na suspeita de HSA?

 

TC de crânio sem contraste!

46

 

Suspeita forte de HSA, mas TC normal.

Qual o proximo passo?

 

PUNÇÃO LOMBAR

Xantocromia liquórica / pesquisa de hemácias 

47

 

Qual o nome da escala tomográfica de HSA?

Como é a classificação?

 

ESCALA DE FISHER

Grau 1: sem sangue

Grau 2: lâmina de sangue < 1mm

Grau 3: lâmina de sangue > 1mm

Grau 4: hemorragia parenquimatosa ou intraventricular

48

 

Após o diagnóstico de HSA, é necessário solicitar algum outro exame?

 

SIM = Procurar o aneurisma

AngioTC / AngioRNM / Arteriografia

49

 

Quais as possíveis complicações de uma HSA?

 

1) Ressangramento

2) Vasoespasmo

3) Hidrocefalia

4) Hiponatremia

50

 

Qual o período de risco para ressangramento na HSA?

Como prevenir?

 

1º ao 7º dia

Prevenção se dá pela INTERVENÇÃO PRECOCE

51

 

Qual o período de risco para Vasoespasmo na HSA?

Como prevenir?

 

3º ao 14º dia

NÃO HÁ PREVENÇÃO

Acompanhamento diário com doppler transcraniano para detecção precoce antes de estabelecimento de um DNF

52

 

Como tratar vasoespasmo na HSA?

 

INDUÇÃO DE HIPERTENSÃO com volume

Antigo 3Hs: hipertensão / hipervolemia / hemodiluição

53

 

Vasoespasmo pós-HSA que não respondeu à indução de hipertensão

Qual a conduta?

 

Angiografia com infusão intra-arterial de PAPAVERINA ou realização de ANGIOPLASTIA

54

 

Qual o mecanismo e o tratamento da hidrocefalia após HSA?

 

Coágulo impede drenagem liquórica

Tratamento: derivação ventricuar EXTERNA

55

 

Por que mecanismos pode ocorrer a HIPONATREMIA após uma HSA? Como diferenciá-los e tratá-los?

 

HIPOVOLEMIA → liberação de BNP → síndrome perdedora de sal → reposição volêmica com sódio

 

NORMOVOLEMIA → SIADH → restrição volêmica

56

 

Quais os pilares do tratamento da HSA?

 

1) INTERVENÇÃO PRECOCE: antes do 3º dia (caso contrário, só após o 14º)

2) CONTROLE DA PA

3) NEUROPROTEÇÃO: Nimodipina VO ou SNG 60mg 4/4h por 14-21 dias

57

 

Como devemos manter a PA após HSA?

 

PAS < 160 mmHg

58

 

Cefaleia com rebaixamento do nível de consciência

+ Déficit neurológico focal precoce

PENSAR EM...

 

HEMORRAGIA INTRAPARENQUIMATOSA

 

59

 

Quais as principais causas de hemorragia intraparenquimatosa?

 

1) HAS não/mal controlada → microaneurismas de Charcot Bouchard

 

2) Angiopatia amiloide: pacientes mais idosos, associação com DA

60

 

Qual o local mais comum de hemorragia intraparenquimatosa?

Qual a clínica?

 

HEMORRAGIA PUTAMINAL 

com compressão da cápsula interna

HEMIPLEGIA CONTRALATERAL PURA

61

 

Como é o tratamento da hemorragia intraparenquimatosa?

 

CONTROLAR HIPERTENSÃO INTRACRANIANA

PAS alvo < 140 mmHg → reduzir RAPIDAMENTE

62

 

Qual indicação de drenagem cirúrgica da hemorragia intraparenquimatosa?

 

HEMATOMA CEREBELAR > 3cm