Pneumologia - DPOC Flashcards Preview

Medicina Interna > Pneumologia - DPOC > Flashcards

Flashcards in Pneumologia - DPOC Deck (54):
1

É caracterizada por:

obstrução crônica ao fluxo aéreo que não é totalmente reversível

2

Geralmente a limitação ao fluxo aéreo é:

Progressiva

3

A obstrução está associada à:

processo inflamatório desencadeado por partículas e gases nocivos

4

A alteração funcional se deve à:

Bronquite crônica e enfisema pulmonar

5

Bronquite crônica:

expectoração constante por mais de 3 meses por ano, em 2 anos sucessivos

6

Outras causas de expectoração crônica além da Bronquite crônica:

Bronquiectasia, Tuberculose, Micose, Sinusite crônica e Fibrose cística

7

Enfisema é um:

Alargamento anormal e permanente dos espaços aéreos distais ao bronquíolo terminal, acompanhado de destrução das paredes.

8

Fatores mais relacionados com DPOC do que com Asma:

Tabagismo, Capacidade de difusão pulmonar reduzida, Enfisema aos exames de imagem e Ausência de melhora da função pulmonar após uso de corticóide sistêmico.

9

Exames complementares:

Espirometria com prova broncodilatadora, Radiografia torácica (PA e perfil) e Oximetria de pulso

10

Geralmente a tosse precede a:

Dispneia

11

A dispnéia ao esforço é progressiva e inicia quando o:

VEF1 reduz a 60% do previsto

12

Hemoptise e Dor torácica sugerem:

Infecção respiratória, Neoplasia, Pneumotórax e Hipertensão pulmonar

13

Tabagismo tem relação direta com DPOC principalmente se índice tabágico superior a:

20 maços/ano

14

Alterações no exame físico:

Tórax com aumento do diâmetro antero-posterior, Taquipnéia, Respiração com lábios semicerrados, Baixo IMC, Diminuição do murmúrio vesicular, Sibilância e Hipersonoridade à percussão.

15

Indica Obstrução ao fluxo aéreo:

Relação VEF1/CVF menor que 70%.

16

Enfisema à Radiografia:

Aumento do diâmetro ântero-posterior, Hipertransparência retroesternal, retificação do diafragma, Atenuação da periferia vascular e Alargamento dos espaços intercostais

17

Bronquite crônica à Radiografia:

Espessamento brônquico e aumento da vasculatura pulmonar.

18

Indicações de Gasometria arterial:

VEF1 menor que 50%, Saturação periférica de oxigênio menor que 90%, clínica sugestiva de insuficiência respiratória ou insuficiencia cardíaca direita

19

Tratamento:

Suspensão do tabagismo, Oxigenoterapia, Vacina antiinfluenza e antipneumocócica, beta-agonista e anticolinérgico

20

Indicações de corticóide inalatório:

VEF menor que 50% associado a exacerbações repetidas

21

A Cirurgia redutora de volume pulmonar visa:

Redução da hiperinsuflação pulmonar e a melhora da mecânica ventilatória.

22

Indicações de transplante pulmonar:

Enfisema grave com VEF menor que 25%, sem alternativas terapeuticas clinicas ou cirurgicas, sem co-morbidades e menos de 65 anos

23

Fatores de exacerbação:

Infecção respiratória, TEP, Pneumotórax, Cardiopatia, Sedativos, Beta-bloqueadores e Opióides

24

Portadores de DPOC tem maior chance de ter:

Infarto, Angina, Osteoporose, Diabetes, Infecções Respiratórias, Glaucoma e Neoplasia Pulmonar.

25

Dentre as causas de morte no mundo está situada na:

Quarta posição.

26

É mais comum em:

Idosos e Homens

27

Alteração genética que favorece o desenvolvimento de DPOC:

Deficiência de Alfa-1 Antitripsina

28

Principal fator de risco ambiental:

Tabagismo

29

Principal mecanismo para destruição do parênquima pulmonar:

Desbalanço entre proteinases e antiproteinases

30

Fator contributivo na destruição do parênquima pulmonar:

Estresse oxidativo desencadeado por processo inflamatório crônico

31

Carga tabágica (maços/ano):

(N de cigarros dia/20)xanos

32

Fisiopatologia:

Espessamento da parede brônquica, Fibrose peribronquiolar, Disfunção ciliar, Aumento do muco intraluminal e Perda da retração elástica pulmonar

33

É a principal complicação cardiovascular:

Hipertensão pulmonar

34

As manifestações clínicas geralmente acontecem quando a função já está bastante comprometida, VEF1 abaixo de:

50%

35

Inicialmente a tosse e a expectoração crônicas precedem em muitos anos:

o desenvolvimento de limitação ao fluxo aéreo

36

Sugere hipertensão pulmonar:

Segunda bulha cardíaca em foco pulmonar Hiperfonética

37

DPOC leve (Estágio 1):

VEF1 pós-BD maior ou igual que 80%

38

DPOC moderado (Estágio 2):

VEF1 pós-BD entre 50-80%

39

DPOC grave (Estágio 3):

VEF1 pós-BD entre 30-50%

40

DPOC muito grave (Estágio 4):

VEF1 pós-BD menor que 50% com insuficiência respiratória crônica ou menor que 30%

41

Indicações de TC de tórax:

Dúvida diagnóstica e Programação de procedimento cirúrgico

42

Indicações de Eletrocardiograma e Ecocardiograma:

Suspeita de Hipertensão pulmonar

43

É a medida mais efetiva para diminuir a progressão da DPOC e o número de exacerbações:

Reduzir exposição ao tabagismo (Ativo e passivo)

44

Indicação de associação de Agonista beta-adrenérgico com Anticolinérgico:

Nos casos em que não houver resposta a um deles isoladamente

45

Agonistas beta-adrenérgicos de curta duração:

Fenoterol e Salbutamol

46

Agonistas beta-adrenérgicos de longa duração:

Formoterol e Salmeterol

47

Anticolinérgico de curta duração:

Brometo de ipratrópio

48

Anticolinérgico de longa duração:

Brometo de Tiotrópio

49

Indicações de Oxigenoterapia:

PaO2 menor que 55mmHg ou SatO2 menor que 88%; ou Hipertensão pulmonar

50

Indicações de Cirurgia redutora de volume pulmonar:

Portadores de enfisema predominante em lobos superiores

51

Indicações de Antibióticos:

Piora da dispnéia e expectoração aumentada e purulenta.

52

Nenhuma das drogas utilizadas atualmente é capaz de evitar a:

Progressão da DPOC

53

Fenótipo característico de pacientes enfisematosos:

Magro e longilíneo

54

Fenótipo característico de pacientes com bronquite crônica:

Gordo e brevilíneo

Decks in Medicina Interna Class (194):