Gastroenterologia - Acalásia Flashcards Preview

Medicina Interna > Gastroenterologia - Acalásia > Flashcards

Flashcards in Gastroenterologia - Acalásia Deck (24):
0

Classificação dos Distúrbios motores do esôfago:

Da musculatura estriada e lisa.

1

Distúrbios da musculatura estriada:

Alterações da faringe ou esfíncter esofágico superior.

2

Distúrbios da musculatura lisa:

Acometimento do corpo esofágico ou do esfíncter inferior esofágico.

3

Acalásia:

Condição no qual há aperistalse (ausência de peristaltismo) no corpo esofágico.

4

Megaesôfago:

Alteração anatômica de dilatação do esôfago.

5

"Nos países onde a __________________ é endêmica, há elevada prevalência de acalásia":

Doença de Chagas.

6

Fisiopatologia da Acalasia idiopática:

Teoria infecciosa e teoria imunológica

7

Teoria infecciosa (Acalasia idiopática):

Vírus neurotrópico (sarampo, varicela-zóster e pólio) provocaria lesões histopatológicas

8

Teoria imunológica (Acalasia idiopática):

Infiltrado de linfócitos T entre células mioentéricas, antígeno de histocompatibilidade de classe II, anticorpos antiplexo mioentérico

9

Acalasia chagásica:

Forma amastigota do T.cruzi na musculatura esofágica. Desnervação, com redução do número de células nervosas do plexo mioentérico.

10

Fisiopatologia Acalasia Chagásica:

Destruição dos plexos mioentéricos (teoria neurotóxica e teoria autoimune).

11

Teoria neurotóxica (Acalasia chagásica):

A forma amastigota T.cruzi liberaria substância neurolíticas.

12

Teoria autoimune (Acalasia Chagásica):

O T.cruzi amastigota liberaria antígenos que se depositariam nas células neuronais, havendo liberação de autoanticorpos contra as células sensibilizadas.

13

Fisiopatologia geral:

Degeneração do plexo mioentérico esofágico e de fibras vagais, aumento da pressão basal do EIE, perda da coordenação entre sistema nervoso, musculatura lisa, células intersticiais de Cajal e neuromediadores.

14

Aumento da pressão basal do EIE:

Via excitatória colinérgica preservada, mas mecanismos inibitórios ausentes.

15

Diagnótico:

Clinica, esofagografia, esofagomanometria e endoscopia digestiva alta.

16

Exame Padrão-ouro:

Esofagomanometria.

17

Quadro clínico:

Disfagia progressiva, regurgitações, pirose, perda de peso, dor torácica irradiada para mandíbula, tosse nortuna, atitudes (posição em pé, braços elevados sobre a cabeça e dieta líquida).

18

Diagnóstico diferencial:

Câncer de esôfago e de fundo gástrico,

19

Exame físico:

Emagrecimento, sinais de desnutrição e hipertrofia de parótidas.

20

Diagnóstico de Doença de Chagas:

Reação de fixação de complemento; Imunofluorescência indireta; Hemaglutinação indireta; Ensaio imunoenzimático (ELISA); Xenodiagnóstico.

21

Inquérito epidemiológico:

Residente em área endêmica, casa de pau a pique.

22

Exames Complementares:

Esofagografia, Endoscopia digestiva alta, Esofagomanometria, pHmetria esofágica prolongada, Manometria de alta resolução e Ultrassonografia intraluminal de alta frequência.

23

Tratamento:

Nitratos, antagonistas dos canais de cálcio, toxina botulínica, dilatação pneumática da cárdia, esofagomiotomia, esofagoplastia e esofagectomia.

Decks in Medicina Interna Class (194):